• Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Dario PAX

O Barcelona venceu o Valencia por 3 a 2 neste sábado, pela nona rodada do Campeonato Espanhol, no estádio Mestalla, e passou temporariamente os dois melhores de La Liga em aproveitamento até o momento, Atlético de Madrid e Real Madrid, ambos com 18 pontos.

f97ae61f8e3868b21d9124e662cb0d81Espanhol: Com gol de Messi no fim, Barça vence Valencia e assume a ponta.(Imagem:Divulgação)

O gol decisivo da partida saiu dos pés de Messi nos acréscimos. Com a vitória, o Barça foi a 19, alcançou a liderança e ainda terá de torcer por um tropeço das duas equipes que ainda não jogaram neste final de semana. O Barça ainda sofre com um início irregular no Espanhol, o que favoreceu para que as duas equipes de Madri deslanchassem uma pequena vantagem.

Com esse resultado, agora o Barça tem três vitórias, um empate e uma derrota nos últimos cinco jogos, combinação que não pode se repetir mais vezes mais para frente caso o time catalão queira ser campeão. Um dos mais antigos clássicos do futebol espanhol, Valencia e Barcelona fizeram um jogo cheio de emoções e protagonistas atípicos, mas com o desiquilíbrio de um velho conhecido.

Os gols do time branco e amarelo, por exemplo, saíram dos pés de Rodrigo, brasileiro naturalizado espanhol, e de Munir El Haddadi, jovem talento do Barcelona que está atualmente emprestado ao time do Valencia. Ele nem comemorou quando fez seu gol. Pelo lado do Barça, nada de novo. Messi voltou a balançar as redes (dessa vez por duas vezes), depois de um hat trick no meio da semana pela Liga dos Campeões. E Suárez anotou o outro gol catalão.


Fonte: IG

Neste sábado (22), Dia do Paraquedista, um morador de Florianópolis comemora a data pela 60ª vez. O médico Luiz Schirmer, de 77 anos, pratica o esporte radical cerca de 100 vezes por ano. “Quero ser um exemplo para os jovens, para que tenham alma de paraquedistas. Nós (paraquedistas) sabemos que querer é poder e, se você quer, pode até voar. A gente tem que acreditar que pode e lutar por isso com garra e determinação”, declarou.

6 tYKrXwjLuiz Schirmer salta de paraquedas cerca de 100 vezes por ano (Foto: Luiz Schirmer/Arquivo Pessoal)
Militar reformado do Exército, este mineiro, que fez a vida no Rio de Janeiro, mudou-se para Santa Catarina há 28 anos para curtir a aposentadoria.
“Vim para descansar e por isso dividi minha rotina. Durante a semana, trabalho como médico clínico em Canasvieiras, faço ginástica, corro de bicicleta e ando de roller. Nos sábados e domingos de sol, sem muito vento, salto de paraquedas. Sou um homem de 77 anos que não pode ser considerado idoso”, disse.

5 9nKbImASchirmer começou a particar o paraquedismo como parte da atividade militar de combate (Foto: Luiz Schirmer/Arquivo Pessoal)
Campeão brasileiro
Quando Schirmer começou, em 1957, aos 17 anos, o paraquedismo ainda não era considerado esporte, mas parte da atividade militar de combate. De família pobre, ele aprendeu a ler e escrever no Exército, onde fez cursos para as forças especiais e foi apresentado ao salto livre, que mudou sua vida para sempre.

“É um esporte muito bonito, eu saltei nos cinco continentes, sou considerado e querido por amigos paraquedistas de todo mundo”, orgulha-se.
Depois de 60 anos de dedicação ao esporte, tem 3,8 mil saltos no currículo e o título de primeiro campeão brasileiro de paraquedismo, conquistado em 1964, além de ter representado o Brasil em quatro campeonatos mundiais, o mais recente em 2014, na Argentina, aos 75 anos.
“Dois fatores foram fundamentais na minha vida. O primeiro, foi ter entrado para o Exército brasileiro, que me ensinou, disciplinou, deu exemplo de hierarquia e patriotismo. O segundo fator é que conheci uma mulher maravilhosa, minha esposa, nós estamos juntos há 47 anos”, contou.

1 exd0aI4Médico tem 3,8 mil saltos no currículo (Foto: Luiz Schirmer/Arquivo Pessoal)
Causas do sucesso
Segundo o paraquedista, depois da alfabetização no Exército, ele começou a instrução formal até entrar para a Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, onde se tornou ginecologista assim como a então namorada, hoje, mulher há quase cinco décadas com quem tem três filhos.
"Nós nos conhecemos no curso pré-vestibular, fomos colegas no curso de medicina e estamos juntos sempre. A família dela me adotou e tudo isso me ajudou a ser quem sou. Eu procuro agradecer ao que a vida me deu sendo um exemplo para os jovens, para que entendam que vale a pena ter uma vida e uma alimentação saudáveis, ter bons pensamentos, para que eles ajam em benefício do nosso país e do ser humano", afirmou.

Exemplo para todas as idades
Apesar da forte ligação com a juventude, neste outubro, mês do idoso, Schirmer também está servindo de inspiração para quem já passou dos 60. Em uma programação do Sesc, viaja por diversas cidades catarinenses onde é exibido o documentário 'Evelhescência', do qual foi um dos personagens.

O trabalho do diretor Gabriel Martinez apresenta seis pessoas que se reinventam após a terceira idade e mostra que é possível viver de maneira plena e alegre mesmo na fase da aposentadoria. Disso, Shirmer entende bem: "Sou muito feliz, sou médico, paraquedista e tenho uma família. Sou a prova viva de que quando se tem um sonho, basta lutar que ele se concretiza", afirmou o homem que 'voa' a seis mil metros do chão.

2Ele já representou o Brasil em quatro campeonatos mundiais, o mais recente em 2014 (Foto: Luiz Schirmer/Arquivo Pessoal)

 

 

Fonte:G1

Em um jogão de bola no Mineirão, o Cruzeiro passou por cima do Corinthians e se classifica para a semifinal. Ábila (2), Bruno Rodrigo e Arrascaeta fizeram os gols da Raposa. Rodriguinho e Rildo descontaram para o Timão.

f0bd8a85a0e77ac5147d9dc875f225f9Futebol.(Imagem: Denis Dias / Gazeta Press)

Classificado, o time de Mano enfrentará o Grêmio por uma vaga na final da Copa do Brasil.

Em desvantagem no confronto após a derrota em Itaquera por 2x1, o Cruzeiro sabia que precisava ir para cima do Corinthians para reverter a vantagem alvinegra. E foi com volúpia. Os 20 primeiros minutos de jogo do time de Mano Menezes foram jogados em alta intensidade, marcação a pressão e com rápidas saídas de bola.

Com o adversário perdido em campo, a Raposa abriu o placar logo aos 14 minutos. Walter repôs mal a bola, Robinho se aproveitou e cruzou para Ábila se atirar e com um golpe balançar a rede. Após o gol, o time corinthiano que já estava perdido em campo, ficou ainda mais. Entretanto, o Cruzeiro recuou e Oswaldo mudou de estratégia invertendo o posicionamento do Timão.

A mudança deu resultado e Rodriguinho empatou a duelo aos 35, depois de receber belo cruzamento de Uendel pelo lado esquerdo. A equipe mineira poderia ter terminado a 1ª etapa com boa vantagem se aproveitasse a pressão inicial. Não fez e ainda sofreu o empate. Mas o 2º tempo guardava as melhores emoções do duelo. A entrada de De Arrascaeta foi decisiva para isso.

O famoso bordão "quem não faz, leva" se aplicou para o Corinthians. Guilherme perdeu na cara do gol e na sequência Pedro Henrique, em mais uma jornada desastrosa no Mineirão, cometeu pênalti infantil em cima de Arrascaeta. O argentino foi para a cobrança e marcou o 2º da Raposa. Minutos depois, Bruno Rodrigo subiu no 3º andar para marcar o 3º do time mineiro.

A superioridade cruzeirense se transformou no 4º gol com uma ótima cobrança de falta ensaiada que De Arrascaeta aproveitou às costas de Uendel para balançar a rede. O Corinthians ainda descontou com Rildo aos 41, mas a reação parou por ai. Um jogo digno que prova que o mata-mata ainda é a fórmula de disputa mais emocionante.


Fonte: GOAL

O Barcelona segue invicto na Liga dos Campeões da Europa. Nesta quarta-feira, o time catalão recebeu o Manchester City e goleou por 4 a 0, no Camp Nou. O destaque da partida foi Lionel Messi, que marcou os três gols do Barça e comandou a vitória da equipe. Neymar fechou o placar.

f52c56db10cb6ea57b46b48319160d90Messi faz três, Barça goleia o City e segue perfeito na Liga dos Campeões.(Imagem:Divulgação)

Com o resultado, o Barcelona manteve os 100% de aproveitamento na Champions e segue na liderança isolada do Grupo C, com nove pontos conquistados nas três rodadas disputadas. Já o Manchester City estacionou nos quatro pontos, mas conseguiu permanecer na segunda posição graças à vitória do Borussia Monchengladbach sobre o Celtic.

Barcelona e Manchester City voltam a se enfrentar na próxima rodada da Liga dos Campeões, que acontece no dia 1º de novembro, na Inglaterra.

A partida começou movimentada, com as duas equipes buscando o ataque. No entanto, eram as defesas que prevaleciam. Guardiola montou um esquema de marcação adiantada que dificultava a saída de bola do Barcelona. O mesmo acontecia quando o Manchester City saía jogando.

O jogo seguiu sem lances de perigo até a marca de 16 minutos, quando os donos da casa contaram com uma falha da defesa adversária para abrir o placar. Messi tentou o toque na área para Iniesta, a zaga do City cortou mal e a bola ficou viva na área. Fernandinho chegou para cortar, mas escorregou e possibilitou a chegada de Messi, que ficou cara a cara com Bravo, driblou o goleiro e rolou para o fundo das redes.

O gol animou o Barça, que ensaiou uma pressão na busca do segundo gol. Aos 20 minutos, Messi abriu boa bola na esquerda para Neymar, que tentou um toque na área para Suárez. O uruguaio passou da bola, a zaga do City voltou a se complicar no momento do corte e a sobra ficou novamente com o camisa 9, que arriscou o chute de canhota, mas mandou na rede pelo lado de fora.

Melhor na partida, o time catalão seguiu criando chances. Aos 30 minutos, Umtiti lançou Neymar pela esquerda, o brasileiro disparou em velocidade e sairia na cara do gol, mas Bravo saiu e fez o corte providencial. Na sequência, Rakitic completou cobrança de falta e desviou à direita da meta defendida por Bravo.

O Manchester City reagiu nos instantes finais do primeiro tempo e assustou o Barcelona. Primeiro, aos 36 minutos, Nolito recebeu dentro da área e tentou a finalização, mas o pouco ângulo na jogada facilitou a defesa de Ter Stegen.

Em seguida, aos 38, Gundogan fez grande jogada individual, deixou Piqué no chão, invadiu a área e bateu cruzado. Ter Stegen salvou o Barça. Aos 45, Silva bateu falta para a área e Stones apareceu na segunda trave para desviar de cabeça. A bola passou rente à trave direita.

Os culés aproveitaram contra-ataque nos acréscimos e quase ampliaram. Na marca de 46 minutos, Messi carregou em velocidade e tocou para Suárez da entrada da área. O uruguaio dominou girando e bateu de canhota. Bravo defendeu com o pé esquerdo. Na sequência, o City chegou novamente.

Sterling avançou pela direita e cruzou para a área. A bola desviou em Digne e De Bruyne chegou batendo de primeira, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

O jogo voltou agitado para o segundo tempo. Logo aos seis minutos, o Barcelona por pouco não ampliou. Neymar cobrou escanteio com curva e Umtiti cabeceou à esquerda. Na sequência, Bravo foi expulso e complicou a situação do City.

O goleiro chileno errou na saída de bola e teve de impedir o gol de cobertura de Suárez tocando com as mãos fora da área. Guardiola tirou Nolito para colocar o arqueiro reserva Caballero.

O Barça não precisou de muito tempo com um jogador a mais para fazer o segundo gol. Aos 15 minutos, De Bruyne errou na saída e a bola ficou com Iniesta, que serviu Messi. O craque argentino dominou, levou para o pé esquerdo e disparou um tiro certeiro no canto de Caballero.

Apesar de estar em desvantagem, tanto no placar quanto no número de jogadores em campo, o Manchester City não desistiu da partida. Aos 19, Gundogan desarmou Neymar e acionou De Bruyne em profundidade. O belga finalizou cruzado, mas parou nas mãos de Ter Stegen.

No entanto, o time inglês abusava dos erros defensivos e, aos 23 minutos, levou o terceiro. Suárez recebeu presente da defesa e tocou na medida para Messi, que só empurrou para o fundo do gol.

Mesmo com a vitória garantida, o Barça não diminuiu o ritmo e criou chances para fazer o quarto. Aos 36, Neymar exigiu grande defesa de Caballero, ao completar cruzamento de Rakitic. Ao 40, Messi foi derrubado na área e árbitro marcou pênalti. Neymar foi para a cobrança, mas parou em Caballero. Aos 44, o brasileiro deixou o dele e fechou o placar.


Fonte: Terra