Depois de passar mal ao final do clássico no qual o Flamengo derrotou o Fluminense por 2 a 1, na noite de quarta-feira, no estádio do Maracanã, e avançou à final da Taça Rio - o segundo turno do Campeonato Carioca -, o técnico Abel Braga foi hospitalizado e ficou em observação durante a madrugada. Na manhã desta quinta, em suas redes sociais, o comandante rubro-negro tranquilizou a todos sobre seu estado de saúde.

6c536f5b08c101406b120d65efa811bbAlexandre Vidal / Flamengo

"Depois de uma partida intensa e com muita emoção, estou bem. Agradeço a preocupação, o carinho e as ligações de todos. A Nação está feliz. Tenho um grupo de jogadores extraordinário e uma torcida de muita força! Vamos @flamengo!!!", escreveu Abel Braga em seu Instagram.

O treinador do Flamengo seguirá em observação no Hospital Pró-Cardíaco, no bairro de Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. É esperado que ele faça mais exames de rotina ainda nesta quinta-feira e não há previsão para sua alta.

Abel Braga deixou o Maracanã em uma cadeira de rodas, empurrado por seguranças do clube, e entrou caminhando na ambulância que estava à sua espera. Nesse trajeto, fez um sinal de positivo com as mãos e alguns torcedores desejaram "força" para o treinador.

"Ele sentiu um incômodo na região torácica no segundo tempo da partida, não se sentiu bem e pediu um auxílio nosso. Levamos ele para o vestiário, medimos a pressão arterial, a frequência cardíaca, monitoramos ele e achamos por bem, por protocolo nosso, levá-lo ao hospital para fazer exames mais específicos. Foi uma arritmia", explicou Gustavo Caldeira, médico do Flamengo, ainda no Maracanã.

Classificado, o Flamengo jogará a final da Taça Rio neste domingo. O adversário será definido na noite desta quinta-feira com o duelo entre Bangu e Vasco, às 21h30, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Fonte: Estadão Conteúdo

Um dos sobreviventes do acidente aéreo da Chapecoense, o jornalista catarinense Rafael Henzel morreu na noite desta terça-feira após sofrer um enfarte fulminante. O narrador esportivo, de 45 anos, passou mal durante partida de futebol com os amigos, na cidade de Chapecó. Ele era casado e tinha um filho

ed1364d5ff0dfeb1283803b55914327aFoto: Arquivo Pessoal

A morte foi confirmada pela Rádio Oeste Capital, onde ele trabalhava. "Ele veio a falecer na noite desta terça, dia 26 de março. O Rafael jogava futebol com amigos no início da noite de hoje e acabou sofrendo um enfarte fulminante. E foi conduzido ao Hospital Regional de Chapecó e foi confirmado há poucos instantes o falecimento do nosso colega, jornalista e narrador", anunciou a rádio.

Henzel foi uma das seis vítimas que sobreviveram no acidente aéreo que causou a morte de 71 pessoas no voo que levava a delegação da Chapecoense para a Colômbia para a disputa da final da Copa Sul-Americana, no fim de novembro de 2016.

Único jornalista a sobreviver à tragédia, ele trabalhava na Rádio Oeste Capital e havia retomado suas atividades normalmente no veículo de comunicação um ano após sobreviver à tragédia que abalou o futebol mundial.

Ao voltar a trabalhar, lançou em maio de 2017 o livro "Viva como se estivesse de partida", cujo complemento é "um relato otimista e emocionante do jornalista que sobreviveu à tragédia da Chapecoense". No mesmo ano, passou a atuar como comentarista da RBS TV, afiliada à TV Globo, nas transmissões dos jogos da Chapecoense na Copa Libertadores daquele ano - para a qual o time catarinense entrou por ter sido considerado o campeão da Sul-Americana, mesmo sem jogar a partida da volta.

Em comunicado, o clube de Chapecó lamentou a morte do jornalista "A Associação Chapecoense de Futebol vem a público a fim de manifestar o profundo pesar e toda a consternação pela notícia do falecimento do jornalista Rafael Henzel, ocorrido na noite desta terça-feira", registrou o clube.

"Durante a sua brilhante carreira, Rafael narrou, de forma excepcional, a história da Chapecoense. Tornou-se um símbolo da reconstrução do clube e, nas páginas verde e brancas desta instituição, sempre haverá a lembrança do seu exemplo de superação e de tudo o que fez, com amor, pelo time, pela cidade de Chapecó e por todos os apaixonados por futebol. Desejamos, de todo o coração, que a família tenha força para enfrentar mais um momento tão difícil e esta perda irreparável. Os sentimentos e as orações de todos os chapecoenses, torcedores e ouvintes, estão com vocês."

 

Fonte: Estadão Conteúdo

O Corinthians abriu negociações com o estafe do atacante Everaldo, que pertence ao Velo Clube-SP, mas defende atualmente o Fluminense por empréstimo. A informação foi divulgada inicialmente pelo Yahoo e confirmada pela reportagem.

1181bb0d80c0be3977e78eb8f74ad19fFoto - Mailson Santana / Fluminense

No entanto, a reportagem ainda apurou que o Corinthians aguarda o imbróglio envolvendo Everaldo e Fluminense para fechar o negócio. No Parque São Jorge, os dirigentes alegam que a contratação só será sacramentada se o Flu não exercer a prioridade de compra.

O Corinthians até ofereceu mais do que o Fluminense a Everaldo e ao Velo Clube para assinar por quatros anos com o atacante, mas o acordo não é considerado encaminhado no clube paulista por conta da prioridade que os cariocas possuem no contrato de empréstimo.

O interesse do Corinthians no jogador não muda o tom adotado pelo Fluminense desde que Everaldo passou a ter o nome ligado a outros grandes clubes brasileiros.

O Flu garante já ter avisado ao Velo Clube-SP que vai exercer o direito de compra de 50% dos direitos econômicos do atleta. O prazo expira no meio de maio, mas o Tricolor vê uma ação forte do empresário Nelsinho Baptista nos bastidores, já que o agente tem tentado concretizar um negócio com um outro rival.

Os representantes do jogador, por sua vez, alegam que eles precisam dar o sinal verde ao Tricolor para que a permanência de Everaldo nas Laranjeiras seja selada.

O Flu garante estar se movimentando para levantar os R$ 2 milhões necessários para a aquisição e já sabe que teria de abrir os cofres para valorizar o atleta em uma eventual renovação. O Cruzeiro, outro interessado no negócio, oferece um salário mensal de R$ 200 mil para o jogador. O teto do Flu é de R$ 150 mil.

LEO BURLÁ E SAMIR CARVALHO
SÃO PAULO, SP E RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS)

O atleta florianense Marciano que já participou de várias competições de ciclismo sendo a mais recente o Piocerá onde conseguiu ficar em segundo colocado, pretende continuar sua jornada de lutas e vitórias, mas está encontrando dificuldades por conta das despesas que tem pra montar uma bibicleta e com ela participar do próximo desafio marcado para o dia 07 de abril. O atleta é Auxiliar de Serviços Gerais e trabalha para uma empresa que presta serviços para o IFPi, tem família pra sustentar e os troféus que ele consegue nas competições que participa, exige do campeão um esforço hercúleo que começa na aquisição do material pra competir.

20190324 191547Hilary, Marciano e Keila. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Nesta luta, Marciano conseguiu o apoio do amigo Hilary e da Professora Keila Alves, que trabalham com ele e conhecem de perto a sua história. Os dois estão buscando meios pra que o amigo Marciano não perca a oportunidade de conquistar mais troféus e para isso solicitaram o apoio do nosso informativo no sentido de divulgar a história de luta do Marciano e solicitar dos amigos do portal jc24horas o apoio para que ele participe das próximas competições. Na noite deste domingo, estivemos na casa humilde onde ele reside, conversamos com ele e com os amigos Hilary e Keila e agora colocamos nas mãos de Deus e dos amigos, a solução para o problema do nosso atleta. Confira a reortagem que foi veiculada ao vivo em nossa página no facebook.

20190324 191520Conquistas do atleta Marciano. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Da redação