Relator do inquérito que investiga ofensas e informações falsas contra magistrados do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Alexandre de Moraes revogou nesta quinta-feira (18) a decisão que havia censurado reportagens da revista "Crusoé" e do site "O Antagonista".

alexandre de moraes marcelo camargo 1Alexandre Moraes. (Imagem:Agência Brasil)

Na última segunda (15), Moraes determinou que o site e a revista retirassem do ar reportagens e notas que citavam o presidente da Suprema Corte, ministro Dias Toffoli. Na ocasião, o relator do inquérito havia estipulado multa diária de R$ 100 mil para o eventual descumprimento da ordem judicial e mandou a Polícia Federal (PF) ouvir os responsáveis do site e da revista em até 72 horas.

Alexandre de Moraes revoga decisão de censurar sites

Moraes havia considerado a reportagem da "Crusoé" um "típico exemplo de fake news" porque a Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou que não havia recebido um documento que comprovaria que Toffoli era o personagem apelidado de "amigo do amigo de meu pai" em um e-mail trocado entre o empresário Marcelo Odebrecht e dois executivos da construtora, ao contrário do que afirmou a revista.

A TV Globo confirmou que o documento de fato foi anexado aos autos da Lava Jato, no dia 9 de abril, e seu conteúdo é o que a revista "Crusoé" descreveu na reportagem censurada pelo STF.

Após ser alvo de críticas, inclusive, de integrantes do Supremo, Alexandre de Moraes revogou nesta quinta-feira a censura com o argumento de que ficou comprovado que realmente existe o documento citado pela reportagem do site e da revista.

Segundo ele, como a PGR e o Supremo tomaram conhecimento do conteúdo do documento anexado em um dos processos em que Marcelo Odebrecht é alvo na Justiça Federal de Curitiba, se tornou "desnecessária" a manutenção da medida que ordenou a retirada da reportagem do ar.

"Diante do exposto, revogo a decisão anterior que determinou ao site O Antagonista e a revista Crusoé a retirada da matéria intitulada 'O amigo do amigo de meu pai” dos respectivos ambientes virtuais'", escreveu o magistrado em trecho da decisão.

O inquérito
Toffoli abre inquérito para investigar mensagens falsas e ataques ao STF

A investigação que apura ofensas a magistrados da mais alta Corte do país foi instaurada, em março, por ordem do presidente do Supremo. Na ocasião, Toffoli informou que Alexandre de Moraes – ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança Pública de São Paulo – iria conduzir as investigações.

Entenda o inquérito do Supremo que investiga ameaças à Corte e veja os pontos polêmicos
O inquérito foi alvo de críticas de procuradores da República que atuam na Operação Lava Jato, juristas e até mesmo integrantes do STF. Um dos magistrados mais antigos da Suprema Corte, o ministro Marco Aurélio Mello foi uma das vozes mais críticas à decisão de Toffoli.

Nesta quinta-feira, em entrevista ao blog da colunista do G1 Andréia Sadi, Marco Aurélio defendeu que o Ministério Público Federal (MPF) recorresse ao Supremo para o plenário da Corte julgar a censura à reportagem. Mais tarde, em entrevista à Rádio Gaúcha, o magistrado classificou de "mordaça" a decisão do colega de tribunal.

Magistrado mais antigo do Supremo, o ministro Celso de Mello também criticou a censura, embora não tenha mencionado diretamente o episódio da revista e do site. Ele divulgou nesta quinta uma dura nota na qual afirmou que censura – "mesmo aquela ordenada pelo Poder Judiciário" – é 'ilegítima', 'autocrática' e 'incompatível' com liberdades fundamentais e defendeu a liberdade de expressão e imprensa.

A reportagem
Segundo reportagem publicada pela revista na última quinta (11), a defesa do empresário Marcelo Odebrecht juntou em um dos processos contra ele na Justiça Federal em Curitiba um documento no qual esclareceu que um personagem mencionado em e-mail, o "amigo do amigo do meu pai", era Dias Toffoli, que, à época, era advogado-geral da União.

Conforme a reportagem, Marcelo tratava no e-mail com o advogado da empresa – Adriano Maia – e outro executivo da Odebrecht – Irineu Meireles – sobre se tinham "fechado" com o "amigo do amigo". Não há menção a dinheiro ou a pagamentos de nenhuma espécie no e-mail.

Ao ser questionado pela força-tarefa da Lava Jato, o empresário respondeu: "Refere-se a tratativas que Adriano Maia tinha com a AGU sobre temas envolvendo as hidrelétricas do Rio Madeira. 'Amigo do amigo de meu pai' se refere a José Antônio Dias Toffoli". Toffoli atuou como advogado-geral da União entre 2007 e 2009, no governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo a revista, o conteúdo foi enviado à Procuradoria-Geral da República para que a chefe do Ministério Público, Raquel Dodge, analisasse se queria ou não investigar o fato.

Em nota oficial divulgada na sexta-feira passada, a PGR afirmou que não tinha recebido nenhum material e não comentou o conteúdo da reportagem.

Na decisão desta quinta, Alexandre de Moraes destacou que o documento citado na reportagem "realmente existe". O ministro acrescentou, contudo, que não é verdadeira a informação de que o documento teria sido enviado anteriormente à PGR para investigação.

Moraes escreveu na decisão que ou os autores anteciparam o que seria feito pelo Ministério Público Federal, no que ele chamou de um exercício de "futurologia", ou induziram "a conduta posterior" do órgão.

O magistrado também enfatizou no despacho que a divulgação do documento sigiloso, ao qual somente as partes envolvidas tinham acesso, acabou sendo "irregularmente divulgado" e que essa "ilicitude" deverá ser "investigada".

Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro parabenizou o ministro Alexandre de Moraes pela revogação da decisão que havia censurado reportagens da revista "Crusoé" e do site "O Antagonista".

"Parece que foi revogada. O próprio ministro Alexandre de Moraes revogou", afirmou. "Se for verdade isso – parece que é verdade – meu parabéns aí ao Alexandre de Moraes", afirmou o presidente.

 

Fonte:G1

O presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar, anunciou que deve lançar o edital do concurso público da Casa no mês dezembro. Segundo ele, o certame deve conter vagas para as áreas de assessor jurídico legislativo, Administrador, assistente social, analista de informática, comunicador social e bibliotecário.

256ec042a309b4b2cb85bab739db2db1Foto:Ascom/Câmara

O concurso público é aguardado desde o ano passado quando o presidente da Casa anunciou que o concurso seria realizado. Segundo ele, neste momento a procuradoria da Câmara realiza os últimos trâmites para a publicação do edital.

“A Câmara possui a carência em algumas áreas que queremos que possam ser atendidas com o concurso. Acredito que até o final do ano, no mês de dezembro, o edital deve ser lançado. As provas devem ser realizadas no próximo ano”, afirmou Jeová Alencar.

A Câmara ainda não definiu qual será a banca organizadora responsável pela realização do certame. O número de vagas para cada área será definido após conclusão do edital.

 

Fonte:cidadeverde.com

O Portal jc24horas realizou uma entrevista com o Secretário de Governo James Rodrigues, para falar sobre o problema do concurso público realizado pelo Instituto Légatus, contratado pela Prefeitura Municipal de Floriano. A entrevista de quase 40 minutos aconteceu ao vivo e na oportunidade, James Rodrigues respondeu questionamentos dos internautas pelo facebook e por telefone. Confira a entrevista na íntegra no vídeo abaixo. 

WhatsApp Image 2019 04 18 at 18.20.10Secretário James Rodrigues. (Imagem:Reprodução)

Da redação 

Desenvolver a linguagem, a concentração, a memória e o raciocínio são alguns dos benefícios da leitura na primeira infância. Neste 18 de abril, Dia Nacional do Livro Infantil, a dica da escritora Alessandra Roscoe para incentivar o interesse da garotada pelos livros é tornar a leitura um momento de brincadeira, prazer e de fortalecimento dos laços afetivos.

7630af5f1a4b93fba4df2731c0f2c5f2Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A escritora diz que a literatura e a leitura para as crianças não podem ter como foco o aprender e a ideia de obrigação. Segundo ela, é preciso destacar o caráter lúdico, da descoberta, da diversão.

“A pedagogização da literatura trouxe junto a obrigação da leitura e ela não pode ser associada à obrigação, mas ao lúdico, ao prazer e à brincadeira”, afirma.

“Temos que transformar a leitura em um grande prazer. E fazemos isso disponibilizando bons livros e momentos afetivos ao redor dos livros”, completa Alessandra, autora de livros infantis. Ela tem o projeto Uni Duni Ler de incentivo à leitura.

Pai não pode pegar livro e celular ao mesmo tempo
Transformar a leitura em uma experiência sensorial que envolva não apenas a audição e a visão é outra dica da escritora. Deixar a crianças tocar o livro e brincar com ele isso faz parte do processo.

Outro ponto importante é a disponibilidade dos pais no momento de ler um livro com o filho, a entonação usada durante a leitura e a demonstração de carinho e paciência. “O pai não pode estar com o livro e mexendo no celular ao mesmo tempo”, diz Alessandra.

A Sociedade Brasileira de Pediatria traz no site dicas sobre como escolher um bom livro para crianças. Uma delas é observar o projeto gráfico, se há diversidade de ilustrações; ter como ponto de partida histórias conhecidas com as quais os pais têm mais familiaridade; e prestar a atenção à reação das crianças, se elas riem, se movimentam quanto escutam a leitura do livro indicando que estão gostando.

Em relação à escolha dos livros, Alessandra Roscoe defende que a literatura infantil também trate de temas como morte, raiva e frustração, situações que fazem parte da vida da criança.

Como lidar com sentimentos e emoções
A literatura, nesse caso, vai preparar as crianças para lidarem com os sentimentos e as emoções ao verem a forma como os personagens as vivenciam e superam seus medos.

“A leitura também traz equilíbrio emocional, segurança. Como eles vão lidar com esses sentimentos se nos livros os personagens nunca estão perto da realidade deles?”, questiona.

A publicação Primeira Infância, Primeiras Leituras, do Instituto Alfa e Beto, entidade que atua na área de educação, traz dicas para incentivar o hábito da leitura e sugestões sobre como levar os livros aos pequenos.

Dicas para incentivar a leitura
• Ter sempre bons livros e material de leitura em casa. Guarde os livros em local que a criança possa alcançar
• Frequente bibliotecas, livrarias e salas de leitura
• Coloque os livros e a leitura no dia a dia da família

Como ler para bebês e crianças
• Ler interagindo, mostrando, encenando, apontando, ouvindo, enfatizando rimas, conversando
• Ler imitando gestos ou fazendo barulhos engraçados
• Deixe a criança pensar, falar, perguntar
• Estimule a criança a observar as imagens e, aos poucos, as palavras
• Deixe a criança pegar no livro, virar as páginas

Fonte: Agência Brasil