A deputada federal Rejane Dias (PT) descarta a possibilidade de voltar a assumir o comando da Secretaria de Educação no Piauí. Ela afirma que pretende atuar nos próximos quatro anos como parlamentar em Brasília.

5d72470ea822becd329280b87eb9192cFoto:RobertaAline/CidadeVerde.com

“Já tomei a decisão e vou seguir com o meu mandato em Brasília. Já era algo que eu colocava antes mesmo da eleição. Quero viver essa experiência na Câmara Federal. Sabemos que é importante neste momento”, afirmou.

Rejane Dias afirma que irá contribuir com a educação do Estado por meio da indicação de emendas e a defesa de projetos na área. “Não vou abandonar a educação, pelo contrário, irei continuar trabalhando para trazer recursos para o Estado e os municípios. Vamos trabalhar para a aprovação de projetos importantes para a educação do Piauí”, disse.

No PT, a indicação do novo nome para a educação é motivo de disputa interna. Há a possibilidade do governador manter o atual secretário, Helder Jacobina, ligado diretamente a Rejane Dias. Do outro lado, o nome do deputado estadual de primeiro mandato, Franzé Silva, é cotado para a vaga.

 

Fonte:cidadeverde.com

Além de Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também acusou a juíza federal Gabriela Hardt de parcialidade, em alegações finais na ação penal em que é acusado de supostas propinas envolvendo as obras do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP).

4c27845ac1aa6e129eb3aff26357cc4eFoto: Paulo Pinto / Fotos Públicas

No documento de 1.643 páginas, o ex-presidente nega ter recebido vantagens indevidas e afirma ser vítima de perseguição política. Um dos capítulos é dedicado somente ao ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro, e seu aceite para integrar o governo Jair Bolsonaro (PSL).

A defesa também não poupou a substituta de Moro de acusações. Os dez advogados que assinam a peça afirmam que "não obstante a troca do órgão julgador", Lula "permanece sendo processado de forma parcial e afrontosa a seus direitos e garantias individuais".

"É dizer: Trocaram-se os personagens, permanece a postura inquisitória e autoritária em relação ao Defendente, o qual segue sendo tratado e visto como um verdadeiro inimigo, cujas fala e manifestação devem ser, ao máximo, limitadas", sustentam

Os defensores ainda anexaram às alegações finais de Lula a foto da primeira dama Michele Bolsonaro vestindo uma camiseta com uma frase dita pela juíza ao ex-presidente, no início de seu último interrogatório: "Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema".

Os advogados afirmam que "não apenas a conduta da aludida julgadora foi absolutamente agressiva e padecente de razoabilidade com Lula - para não dizer incompatível com respeito que é devido à figura do Ex-Presidente da República - alguns dias após o interrogatório, a midiática frase aqui proferida estampava a camiseta da esposa do antagonista político" de Lula, "hoje primeira dama da República". "Aqui, em óbvio desdém ao ex-presidente e a todo o Judiciário", argumentam

O caso envolvendo o sítio representa a terceira denúncia contra Lula no âmbito da Operação Lava Jato. A entrega das alegações finais representa a fase final da ação penal. Após as manifestações derradeiras dos réus e do Ministério Público Federal, Gabriela Hardt poderá sentenciar os réus.

Segundo a acusação, a Odebrecht, a OAS e também a empreiteira Schahin, com o pecuarista José Carlos Bumlai, gastaram R$ 1,02 milhão em obras de melhorias no sítio em troca de contratos com a Petrobrás. A denúncia inclui ao todo 13 acusados, entre eles executivos da empreiteira e aliados do ex-presidente, até seu compadre, o advogado Roberto Teixeira.

O imóvel foi comprado no final de 2010, quando Lula deixava a Presidência, e está registrado em nome de dois sócios dos filhos do ex-presidente, Fernando Bittar - filho do amigo e ex-prefeito petista de Campinas Jacó Bittar - e Jonas Suassuna.

Em suas alegações finais, os advogados constituídos pela defesa de Lula apontam supostas nulidades do processo e pedem a absolvição do petista.

Fonte: Estadão Conteúdo

A deputada federal Margarete Coelho (PP) afirma que as lideranças do Progressistas já tiveram uma primeira conversa com a equipe do presidente Jair Bolsonaro. Segundo ela, a decisão final sobre a postura da bancada no novo governo vai depender de decisão do presidente da sigla, o senado Ciro Nogueira.

782725c45abe6226181f6f75e04753c2Foto:WiulsonFilho/CidadeVerde.com

“Estamos conversando. Já tivemos primeira reunião com a equipe do presidente. O progressistas tem consciência desse momento que o país vive. É um momento de transição, que pede novas posturas. É uma nova forma de fazer gestão pública”, destacou.

Margarete afirma que o governo não poderá discriminar a região Nordeste devido o resultado da eleição de outubro de 2018. “O Progressistas se coloca à disposição do país e do povo piauiense.O Nordeste não pode ficar isolado pelo resultado da eleição”, disse.

Para a deputada, a aproximação da bancada do partido no Piauí com o presidente é um processo que ainda está sendo discutido. “É o senador Ciro Nogueira quem conduz esse processo. Já tivemos uma primeira reunião totalmente amistosa. O Bolsonaro era do partido, já conhece o partido. Assim fica fácil a aproximação”, afirmou.

 

Fonte:cidadeverde.com

O deputado federal Fábio Abreu ainda não confirma que será secretário de Segurança, mas já circula na secretaria e no Karnak tratando de temas diretamente ligados à segurança. Em entrevista ao Cidadeverde.com, ele diz que as conversas estão adiantadas.

7390219b9ad8f7b57ab299f9e75648a2(Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com)

"A informação é do governador. Mas, as conversas estão adiantadas. De qualquer forma estamos trabalhando pela segurança. Essa possibilidade de retorno é vista como desafio. O trabalho maior foi concluído", disse.

Na tarde de hoje, ele se reúne com o governador Wellington Dias ( PT). A pauta é o possível apoio do governo do Piauí ao Estado Do Ceará que vive uma crise na segurança.

"Quando fui secretário defendi a criação de uma força tarefa regional. Como já resistência do governo Federal em ajudar o Ceará que passa por uma calamidade. Por que cada estado nao pode enviar efetivo para ajudar? Esse seria o momento para ajudar", falou.

 

Fonte:cidadeverde.com