Uma mensagem que circula nas redes sociais sobre um possível tiroteio em uma escola pública em Timon, no Maranhão, mobilizou o 11º Batalhão da Polícia Militar nesta quinta-feira (14), um dia após ocorrer o massacre em Suzano, em São Paulo, em que dez pessoas morreram. A autorida da mensagem será investigada.
2d01923b67c2a44ad555c2d7fc0bc461Foto: 11º BPM de Timon
O comandante do 11º BPM), tenente-coronel Hormann Schnneyder, informou ao Cidadeverde.com que a conversa não é verdadeira e não passa de uma "brincadeira de mau gosto".  Apesar disso, ontem (13), uma escola municipal registrou mais um caso de violência. Uma criança de 11 anos teria tentado agredir uma professora com o estilete. Ela seria ex-aluno da unidade.
"Quando foi hoje, alguém aproveitou para fazer esse 'fake'. Eu, inclusive, foi até a escola, conversando com os alunos. Falar que era inverdade, que esse clima de terror não existe. A cidade está normal. Isso foi uma brincadeira de mau gosto, mas, de qualquer forma, levamos para o nosso setor de investigação para identificar de onde partiu". O tiroteio ocorreria Centro de Ensino Clodomir Millet.
O comandante ressaltou que foi criado um grupo em uma rede social para compartilhar informações com os gestores, para uma atuação de segurança mais integrada entre a polícia e os funcionários das unidades escolares.
"Esse grupo é exclusivo para ter esse acompanhamento na escola. E o grupo tem acesso direto ao COPOM e as ações são mais agilizadas. A gente sempre dá essa prioridade para as escolas".
Uma reunião com representantes das secretária municipal e estadual de Educação foi realizada na tarde desta nesta quinta (14) com o comando de policiamento de Timon.
0aea7f34b27007f1c1ed5887f10abce1Mensagem que circula nas redes sociais
A Prefeitura de Timon reforçou ao Cidadeverde.com que a "polícia está investigando a mensagem e de onde partiu. E que até o momento não existe nada de concreto, se tratando de uma mensagem falsa".
" A Secretaria Municipal de Educação de Timon desenvolve nas escolas da rede pública, desde 2018 o projeto Mensageiros da Paz. No projeto, alunos são escolhidos por votação para atuarem como mediadores de pequenos conflitos utilizando o diálogo. Eles passam por formação a fim de prepará-los para repassar o que aprenderam para a turma", ressaltou a Prefeitura de Timon.
Ameaça a professora
O comandante relatou ainda que na quarta (13) uma criança ameaçou uma professora. Esse caso também pode ter motivado a repercussão da notícia falsa.
"Uma criança de 11 anos pegou o estilete da professora e atentou contra ela. Na verdade, ele é um ex-aluno. Ela tem problema de distúrbio psicológico. Nós chamamos o conselho tutelar para dar apoio e fazer o acompanhamento. Ninguém foi ferido", disse o coronel.
Sobre esse caso, a  Secretaria Municipal de Educação de Timon informa que o episódio ocorreu na Escola Paulo Freire e, foi um fato isolado.
"Até então nenhuma ocorrência nesse sentido, havia sido registrada nas unidades de ensino da rede municipal. O menor de 11 anos que invadiu a escola é ex-aluno da unidade e possui um histórico de problemas psicológicos. A direção o encontrou no interior da unidade, fez o acolhimento e ao ser surpreendida com a atitude do adolescente, acionou as autoridades competentes", esclareceu.
31dacc053fddd521c1772aa8f5c7bc6fReunião realizada nesta quinta (14) Foto: PM de Timon
 
Fonte:cidadeverde.com

Durante a madrugada de hoje(15), fio registrado um acidente na Avenida Santos Dumont no bairro Irapuá, envolvendo um veículo S10, cor prata, placa LWM-3799 Floriano-Piauí, dirigido por Igo Medeiros Leite e um Peugeot cor preta, placa LVJ-8576 Teresina-Piauí, Antonio Expedito Cronemberger de Freitas, resultou em danos materiais em ambos os veículos.

WhatsApp Image 2019 03 15 at 06.32.12Veículos envolvidos no acidente. (Imagem:Divulgação)

Uma equipe de policiais militares comandada pelo Tenente Afonso Décimo esteve no local fazendo avaliação da ocorrência e foi acionado o policial de plantão no trânsito para adotar as providências em torno do caso. Os condutores dos dois veículos foram conduzidos para a Central de Flagrantes para que fossem adotadas as providências de polícia judiciária. Sem gravar entrevista, os policiais informaram que duas pessoas que andavam em um dos veículos tiveram lesões leves. Confira o vídeo que foi veiculado ao vivo momentos após o acidente.

Da redação 

Suspeitos se deram mal após assalto a uma lan house no cruzamento das ruas Brito Melo com 15 de Novembro, no bairro Lourival Parente, zona Sul de Teresina. Clientes, funcionários e até um policial militar foram vítimas do arrastão. O roubo parecia perfeito. Contudo, na pressa de fugir, um dos suspeitos ficou preso ao veículo e acabou sendo arrastado no calçamento por cerca de 200 metros.

6fca314555d5578356f1ee1b3070569b
A fuga desastrada ocorreu na tarde desta quarta-feira (13) e foi registrada por câmeras de segurança que mostram um dos suspeitos sendo arrastado pelo próprio comparsa.
"Dos quatro suspeitos, três invadiram a lan house e o quarto ficou no carro esperando os comparsas terminarem o assalto para fugirem. Mas, dois PMs de serviço passavam pelo local. O suspeito que estava no carro, percebendo a aproximação da polícia, começou a buzinar para que os comparsas saíssem. Os PMs atiraram e na pressa para fugir, um deles ficou preso e foi arrastado. Na outra esquina, ele entrou no veículo e seguiram em fuga", relataram testemunhas. Contudo, os suspeitos foram perseguidos e alcançados pela PM no cruzamento das avenidas Miguel Rosa e Valter Alencar, também na zona Sul de Teresina.

fb70b265ea64983b005217aead95ca2d(Foto: PM-PI)
A Relações Públicas da Polícia Militar do Piauí, coronel Elza Soares, informou que os presos foram identificados como Luís Eduardo da Costa, 20 anos, Marleson Gregóry Miranda da Silva, 18 anos, Denis Dias Coutinho Santos, 22 anos e Francisco Lucas de Sousa Silva, 20 anos.A PM informou ainda que os suspeitos estavam em um veículo roubado de placa LWM 1733. Com eles foram apreendidos também duas armas, incluindo a pistola do policial militar, além de celulares, relógios e dinheiro.
Todos foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Teresina

Fonte:cidadeverde.com

A tragédia que chocou o país ontem (13) e transformou a Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, a 57 quilômetros de São Paulo, em um cenário de guerra é um quebra-cabeça em fase de montagem. O tiroteio promovido por dois jovens provocou dez mortes e deixou 11 feridos. A Polícia Civil busca compreender o crime e já sabe que houve um plano meticulosamente organizado.

8a60b3ba071ad57eed6e2902ecfaeea9Foto: Ravena Rosa / Agência Brasil

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, disse que policiais coletam depoimentos e provas. Segundo ele, é possível confirmar alguns detalhes sobre o que ocorreu antes e durante do massacre no colégio.

No começo da manhã, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, foram à locadora de Jorge Antonio Moraes, de 51 anos. Lá, eles atiraram contra Jorge, que era tio de Guilherme, e deixaram o local em um carro Chevrolet Onix branco roubado e seguiram para o colégio.

Como ex-aluno da escola estadual, Guilherme pediu para entrar no colégio, por volta das 9h40, e foi autorizado. Era o horário de intervalo das aulas, muitos estudantes lanchavam e vários estavam fora das classes.

Não se sabe em que momento Guilherme colocou a máscara para não ser reconhecido, mas a primeira pessoa atingida foi a coordenadora Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos, depois Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, funcionária do colégio. Os dois atiradores estavam juntos logo na entrada.

Com base nos primeiros depoimentos, a polícia acredita que os dois atiradores partiram para o ataque juntos. Quando eles se deparam no Centro de Línguas com a porta fechada e perceberam que estavam encurralados pelos policiais da força tática teriam se desesperado.

A polícia foi acionada por causa do assalto à locadora de veículos e chegou à escola em oito minutos. Ao serem surpreendidos pelos policiais, os dois jovens estavam preparados para entrar em uma sala lotada de alunos. Neste momento, segundo o secretário, um jovem atirou no outro e depois suicidou-se.

Mortos

1. Caio Oliveira, 15 anos, estudante.
2. Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante.
3. Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante
4. Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante.
5. Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante.
6. Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, funcionária da escola.
7. Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos, coordenadora pedagógica.
8. Guilherme Taucci Monteiro - 17 anos
9. Luiz Henrique de Castro - 25 anos
10. Jorge Antonio de Moraes, 51 anos, dono da locadora e tio de um dos atiradores

Feridos

1. Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos
2. Anderson Carrilho de Brito, 15 anos
3. Beatriz Gonçalves Fernandes, 15 anos
4. Guilherme Ramos do Amaral, 14 anos
5. Jenifer da Silva Cavalcante
6. José Vitor Ramos Lemos
7. Leonardo Martinez Santos
8. Leonardo Vinícius Santa Rosa, 20 anos
9. Letícia de Melo Nunes
10. Murillo Gomes Louro Benites, 15 anos
11. Samuel Silva Félix

Fonte: Agência Brasil