A Polícia Civil prendeu hoje (11) mais dois suspeitos de envolvimento no ataque realizado na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, no mês passado. O ataque à escola, ocorrido na manhã do dia 13 de março, foi executado por dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, armados.

6eef2735fa8566ee8e2510cf1e88b7ddFoto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Dez pessoas morreram, das quais duas funcionárias da escola, cinco alunos, um comerciante e os dois atiradores. O tiroteio deixou ainda 11 feridos.

Ontem (10), já havia sido preso um homem de 47 anos acusado de vender o revólver e a munição usada pelos dois atiradores.

No último dia 19, a polícia prendeu um adolescente de 17 anos, amigo de um dos atiradores, sob a acusação de também ter participado do planejamento do atentado. Desde então está em uma unidade da Fundação Casa.

O adolescente pode permanecer internado por até 45 dias, após esse prazo, Justiça deverá se pronunciar a respeito de uma sentença definitiva, que pode durar no máximo três anos. A defesa do jovem nega que ele tenha qualquer envolvimento com o caso.

Há um mês os policiais investigam o crime. Os aparelhos celulares dos envolvidos no tiroteio foram rastreados e analisados. A partir dessas investigações, a Polícia Civil chegou ao principal suspeito de ternegociado a venda da arma.

Fonte: Agência Brasil

O episódio da estudante que foi vítima de tentativa de homicídio chamou tanto a atenção dos noticiários, que o plsntão da PM que todas as manhãs a gente vai conferir, quase passa pelo esquecimento, mas é necessário registrar que aconteceu um caso de roubo de moto, segundo informações do Sub-Tenente Luis Carlos, CPU de plantão no Quartel do 3º Batalhão Policial Militar  no período noturno. Confira o resumo do plantão na entrevista contida no vídeo abaixo.

WhatsApp Image 2019 04 11 at 17.02.01

Da redação

O Sargento Brito comandava a Guarnição que efetuou a prisão e a apreensão das duas irmãs que assumiram ter esfaqueado a estudante Maria da Guia, fato ocorrido na noite de ontem quando a vítima se deslocava para a sua escola. Em entrevista coletiva concedida ao sair da delegacia onde prestou depoimento sobre o caso, o militar disse que a menor admite a prática e demosntra muita frieza em torno de sua ação, chegando a dizer que se a vítima não morrer dessa vez, ela vai terminar o serviço.

WhatsApp Image 2019 04 11 at 07.57.11Sgt Brito. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Ainda segundo o nosso entrevistado, a menor admitiu que a faca que foi usada na agressão, chegou a quebrar diante de tanta violência. Perguntamos ao militar se essa faca quebrada foi encontrada e ele confirmou que sim. Confira a entrevista na íntegra 

Da redação

O episódio que resultou no esfaqueamento da estudante Maria da Guia, fato ocorrido nas imediações de um trailer localizado em frente a Unidade Escolar Bucar Neto, fez com que muita gente se deslocasse para o Hospital Regional Tibério Nunes, para onde a vítima foi levada por uma ambulância do Samu, sendo acompanhada por uma amiga que conversou com a nossa reportagem sem se identificar. A colega de aula da Maria da Guia tinha saído para comprar créditos para o seu telefone celuar e ao retornar encontrou a amiga esfaqueada e pedindo socorro. Enquanto aguardava a chegada do socorro, a vítima conversou com a nossa entrevistada e disse os nomes das duas agressoras.

WhatsApp Image 2019 04 11 at 05.20.03Socorro Marreiros. (Imagem:Reprodução)

Nossa reportagem também conversou com a Professora Socorro Marreiros, Diretora da unidade de ensino pra onde a estudante se dirigia no momento em que foi agredida. Bastante abalada, a professora lamentou o episódio, informou que no momento em que o fato aconteceu ela estava trabalhando quando foi informada do crime, entrou em contato com o Samu e com a Polícia, após a chegada das duas instiuições e as providências de socorro e diligências adotadas por elas respectivamente, a nossa entrevistada se deslocou para o Hospital Regional Tibério Nunes para saber de perto o estado de saúde da Maria da Guia. "É lamentável saber que os jovens estão se matando desse jeito". Disse com tristeza a nossa entrevistada. Confira no vídeo abaixo, as entrevistas com a amiga que acompanhou a estudante na ambulância do Samu e com a Professora Socorro Marreiros.

WhatsApp Image 2019 04 10 at 22.32.55Estudante Maria da Guia. (Imagem:Divulgação)

 

Da redação