O pai do bebê que morreu ao ter sido arremessado ao chão, na cidade de Santa Filomena, foi ouvido pelo delegado de Corrente, Leandro Damasceno, na manhã desta segunda-feira (18).

8dbed19d72b4455368f127867a05ee05Bebê de um ano e seis meses morto pelo pai; foto: arquivo da família

No ultimo sábado, o bebê de um ano e seis meses foi morto ao ser jogado no chão durante uma briga que teve com a mulher. A criança teve traumatismo craniano e morreu na hora.

O delegado Leandro Damasceno disse que em depoimento o pai foi bastante frio e falou do crime como uma banalidade. Ele confessou o assassinato e o crime foi motivado por não aceitar o fim do relacionamento.

"Ele confessou o crime, alegou que sua mulher estava tendo um relacionamento com um primo. Ao descobrir, foi à casa, pegou a criança, saiu correndo e a esposa tentou pegar o bebê e ele jogou no chão. O pai vai responder por homicídio qualificado".

A mãe - que é uma adolescente de 17 anos - está bastante abalada e revelou a Polícia que é agredida pelo marido há um ano, mas nunca registrou boletim de ocorrência por medo.

A mãe disse que o pai cometeu o crime motivado por ciúmes.

 

Fonte:cidadeverde.com

MC Guimê usou as redes sociais para se manifestar sobre o fato de ter sido preso por porte de drogas. O funkeiro postou uma foto em que aparece em um corredor, com a mão no queixo, e com os dizeres "Only God can judge me" ou "Somente Deus pode me julgar". 

5bd55caf1d041d5776241394aa5ab5aaFoto: MC Guimê/Instagram

Na sexta-feira, dia 15, ele foi detido no 10º Distrito Policial, na Penha, zona leste de São Paulo, por porte de drogas. As autoridades confirmaram à reportagem que ele assinou um termo circunstanciado (registro foto para infrações de menor potencial ofensivo) e foi liberado em seguida.

No domingo, 17, MC Guimê realizou dois shows na região do Paraná, em Siqueira Campos e Ponta Grossa. O funkeiro publicou vídeos durante as apresentações no perfil oficial dele no Instagram.
 

Fonte: Folhapress

Um ano e dez meses após apreender um celular de Andrea Neves, irmã do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), a Polícia Federal ainda não conseguiu acessar os dados do aparelho. Numa última tentativa, o iPhone foi enviado para os Estados Unidos na esperança de que parceiros consigam descobrir a senha capaz de desbloqueá-lo.

b17c87d791ac8b19214ca4afab94577fFoto: José Cruz / Agência Brasil

Andrea foi presa em maio de 2017, na Operação Patmos, acusada de pedir propina a Joesley Batista, da J&F, no valor de R$ 2 milhões, em benefício de Aécio. Na época da suposta transação, o tucano era senador e presidente nacional do PSDB. Ambos foram denunciados pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) em abril de 2017. Atualmente, ela responde o processo em liberdade.

Segundo a reportagem apurou, a irmã de Aécio não irá repassar a senha de acesso do seu celular aos investigadores. O motivo: não é obrigada a produzir provas contra ela mesma e, se a Polícia quiser acessar seus dados, terá de descobrir a senha sozinha. Procurada, a defesa de Andrea disse que não iria comentar o assunto.

A PF tenta acessar o conteúdo gravado no celular de Andrea desde o dia 18 de maio de 2017, quando apreendeu dois iPhones e um iPad na casa dela, em um condomínio de luxo em Brumadinho (MG). Dos três aparelhos, dois tiveram os dados extraídos, mas um deles segue imune às investidas.

O desbloqueio poderia ajudar na continuidade de investigações sobre os repasses da JBS ao parlamentar e à irmã dele, mas as apurações avançam independentemente disso.

Em um dos relatórios abordando essa dificuldade, um delegado citou o bloqueio com "código de usuário com número de dígitos indeterminado". E informou que os equipamentos disponíveis só conseguem desbloquear iPhones com sistema operacional somente até o iOS 7. O telefone da irmã de Aécio é posterior: iOS.3.1. O que, escreveu, "impossibilitava, à época dos exames, o acesso ao conteúdo do aparelho sem que haja o fornecimento deste código de usuário".

Para Evandro Lorens, da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, não existem celulares blindados. "O que pode tornar o acesso aos dados e a análise mais complexa é uma combinação de fatores, como as configurações de segurança, a complexidade das senhas, entre outros", disse.

A posição de Andrea difere da adotada por seu primo, Frederico Pacheco. Alvo da mesma operação, ele entregou a senha do celular - o que a defesa ressaltou como "postura colaborativa". O primo foi flagrado por ações controladas da PF recebendo dinheiro em espécie de um representante da J&F. O valor seria para Aécio. O deputado sempre negou a acusação e diz que pegou dinheiro empresado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Fonte: Estadão Conteúdo

O proprietário da motocicleta Pop 100 cor branca, placa OVY-8851, que foi tomada de assalto na noite de ontem(17) na Praça da prefeitura, divulgou foto do veículo e número de telefone para qualquer informação sobre o paradeiro do veículo. Ele fez postagens nas redes sociais e pede que quem tiver informações sobre o seu veículo ligue para (89)9.9404-3831. Confira a foto.

WhatsApp Image 2019 03 18 at 07.49.50Moto tomada de assalto. (Imagem:Divulgação)

Da redação