O técnico Jair Ventura, 39, completa nesta quarta-feira (10) o seu 34º dia à frente do Corinthians e já terá de encarar uma final de campeonato. Contra o Cruzeiro, às 21h45, no Mineirão, ele comanda a equipe na partida de ida da decisão da Copa do Brasil. O jogo de volta será no Itaquerão, no dia 17.

da4676cd0d73c81e874ccb1dd9b88fc4Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O pouco tempo de trabalho é um obstáculo para o treinador, que esteve à frente da equipe em só sete jogos. Por isso, uma das apostas do carioca, contratado após queda de rendimento do time sob o comando de Osmar Loss, é confiar no "peso" da camisa.

"O Corinthians, mesmo com as dificuldades que todos falam, está mostrando sua força. A nossa camisa pesa muito quando chega essa hora de decisões, em uma grande final", diz Jair Ventura à Folha.

Para tentar explicar de onde viria essa força inerente, quase mística, da camisa corintiana, o treinador usa como exemplo o Real Madrid, maior campeão da Champions League, com 13 títulos.

"Se você está sempre chegando em finais, você fica muito mais próximo do título. Como o Real Madrid, que está sempre chegando e ganhando. É a camisa. E o Corinthians tem isso", diz.

Ele já observou do outro lado a tal "força" da camisa. "Eu nunca ganhei do Corinthians jogando na arena [em Itaquera]. Já joguei até melhor, com o Santos, mas não vencemos. É difícil, a gente sabe. Isso pesa, já vi jogadores falando disso."

À frente do Santos, em março deste ano, o técnico conseguiu um empate na casa do Corinthians, por 1 a 1. Pelo Botafogo, sofreu duas derrotas, em 2016 e 2017.

 

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)