Fábio Carille, 45, está de volta ao Corinthians. Sete meses após deixar o clube rumo ao Al Wehda, da Arábia Saudita, o técnico foi repatriado pelo time paulista para substituir Jair Ventura, 39, demitido na segunda-feira (3), um dia após o término do Campeonato Brasileiro.

871b519610ad1f883f05a092a49a0de7Agência Corinthians

À reportagem, o diretor de futebol da equipe alvinegra, Duílio Monteiro Alves, confirmou o acerto com o treinador. O clube vai pagar a multa rescisória do técnico, que terá um contrato de dois anos, até dezembro de 2020.

"Existe uma multa contratual, a gente não fala em valores, mas o Corinthians vai cumprir o contrato dele fazendo o pagamento dessa multa", acrescentou Duílio.

Na tarde desta sexta (7), o clube oficializou a informação do retorno do técnico em postagem nas suas redes sociais.

Para tirar Carille do Al Wehda, o Corinthians vai desembolsar cerca de 750 mil dólares (R$ 2,9 milhões), valor previsto como multa no contrato do treinador com o título árabe.

Ainda de acordo com Duílio, o técnico já tem participado do planejamento do Corinthians para 2019.

"Falta alguns detalhes [para divulgarmos o anúncio], mas a partir do momento em que chegamos a um acordo com ele [Carille], a gente passou a conversar com sobre o planejamento. Lógico que ele tem a função dele lá como treinador, a gente tem muito cuidado com isso para que ele saia e deixe a porta aberta, como ele deixou aqui no Corinthians", afirmou o diretor.

Em sua volta ao Parque São Jorge, Fábio Carille terá a missão de resgatar os bons resultados que o time conseguiu sob o seu comando.

Com Jair Ventura à frente da equipe, o time alvinegro ficou apenas na 13ª colocação do último Campeonato Brasileiro e brigou até a penúltima rodada para evitar o risco de um novo rebaixamento.

Foi um cenário bem diferente daquele deixado por Carille. Efetivado como técnico do Corinthians em dezembro de 2016, o ex-auxiliar iniciou sua jornada no ano seguinte e comandou a equipe em 104 jogos, com 55 vitórias, 30 empates e 19 derrotas, um aproveitamento de 62,5%, rendimento que o levou as conquistas do bicampeonato paulista (2017 e 2018) e do Brasileiro de 2017.

Ex-auxiliar de Tite, em quem sempre espelhou o seu trabalho, Carille resgatou o estilo de futebol com o qual torcida corintiana mais se identifica: armou um forte sistema defensivo e um ataque cirúrgico.

O maior reflexo dessa filosofia de jogo ocorreu no primeiro turno do Nacional de 2017, quando o Corinthians passou 19 jogos invicto, com 14 vitórias e cinco empates, desempenho fundamental para a confirmação do título no fim da temporada.

Quando o técnico se transferiu para o Al Wehda, já em maio deste ano, a diretoria corintiana tentou repetiu a fórmula que deu certo com ele e efetivou o então auxiliar Osmar Loss (43). Em 25 jogos, ele teve aproveitamento de 46,6%, com dez vitórias, cinco empates e dez derrotas, duas delas nas oitavas de final da Libertadores, diante do Colo Colo, que resultaram na eliminação do Corinthians.

Foi justamente a queda diante dos chilenos que provocou a demissão de Osmar Loss em setembro, quando o time paulista foi buscar Jair Ventura.

Nesta segunda passagem, o treinador carregará uma pressão diferente daquela que teve quando assumiu o time alvinegro pela primeira vez. Além de não ser mais uma aposta, defenderá a marca de ter o terceiro melhor aproveitamento entre os técnicos corintianos nesta década, com 62,5%, abaixo apenas de Tite (69,8%, entre 2015 e 2016) e Mano Menezes (64,5%, entre 2008 e 2010).

Isso, porém, não será nada fácil com o atual elenco alvinegro. Desde a conquista do Brasileiro de 2017, o time passou por um desmanche. Seis titulares daquela campanha vitoriosa deixaram o clube: Pablo, Balbuena, Arana, Rodriguinho, Maycon e Jô. As peças de reposição não deram conta do recado, tanto que a equipe alvinegra lutou para não ser rebaixada este ano.

Justamente por causa disso a torcida não está satisfeita apenas com o retorno de Carille. Os corintianos esperam por reforços, algo que será difícil para o clube buscar em grande quantidade, uma vez que a dívida atual do Corinthians superou os R$ 500 milhões neste semestre. Este valor não contabiliza o financiamento do Itaquerão, com dívida na casa de R$ 1,2 bilhão.

Veja a nota oficial do Corinthians sobre o retorno de Fábio Carille ao clube:

Fábio Carille está de volta ao Timão. O treinador, que está no Al-Wehda, da Arábia Saudita, acertou seu retorno ao clube que o revelou para comandar a equipe a partir de 2019.

Como treinador, Carille esteve à frente do Corinthians nas conquistas do Campeonato Brasileiro de 2017 e do Campeonato Paulista de 2017 e 2018. Antes, já integrava a comissão do Alvinegro como auxiliar desde 2009.

Com ele retornam ao clube o auxiliar Leandro Silva, o analista de desempenho Denis Luup, o preparador físico Walmir Cruz e o observador técnico Mauro da Silva. Os contratos serão assinados assim que a comissão técnica retornar ao Brasil.

O vínculo do técnico será válido até o dia 31 de dezembro de 2020.

A reapresentação do elenco e da comissão técnica acontece no dia 3 de janeiro.

LUCIANO TRINDADE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

O Fortaleza-CE anunciou, na noite desta sexta-feira (7), a primeira contratação para a temporada 2019 - e é um piauiense. O lateral esquerdo Carlinhos, 32 anos, estava no América-MG, rebaixado para a Série B, mas vai continuar na Série A do Brasileirão no próximo ano.

carlinhos america mgFoto: Mourão Panda / América-MG

De acordo com o Leão cearense, o contrato de Carlinhos com o clube é de dois anos.

Carlinhos surgiu no 4 de Julho e passou por Barras-PI, Icasa-CE, Guarani-SP e Atlético Sorocaba-SP antes de chegar ao Coritiba-PR, onde teve seu período mais longevo com a mesma camisa - de 2013 a 2017.

No ano passado, o lateral foi contratado pelo Goiás, que disputava a Série B do Brasileirão. Neste ano, vestiu a camisa do América e chegou a fazer um gol na Série A, mas não impediu o rebaixamento da equipe na última rodada.

Além da Série A e Campeonato Cearense, o Fortaleza vai disputar a Copa do Brasil a partir das oitavas de final - vantagem obtida por ter sido campeão da Série B. Carlinhos também irá defender o Leão na Copa do Nordeste, que a TV Cidade Verde transmitirá para todo o Piauí, a partir do dia 15 de janeiro.

 

Fonte:cidadeverde.com

O ano de 2018 ainda nem acabou, mas a Copa do Mundo, vencida pela França e que mais uma vez deixou os brasileiros sem o Hexa, já é passado. A Seleção Brasileira já iniciou um novo ciclo, que tem como grande objetivo o próximo mundial, no Catar, em 2022. E mesmo faltando ainda quatro anos para a próxima chance de conquistar a sexta estrela, o Brasil já desponta como favorito ao título.

bfb8305b1af703e28554656f741993aaImagem: Pixabay

Ao menos isso é o que dizem as casas de apostas esportivas mais populares do mundo. Em quase todas elas, a Seleção Brasileira, apesar de não ter chegado sequer às semifinais em 2018, é a principal candidata ao título no Catar.

Em todas as listas, o Brasil é seguido de perto por Alemanha, França e Espanha. Você pode ver e comparar as probabilidades em cada casa de aposta acessando o portal ApostasEsportivas 34 (www.Apostasesportivas24.net), que mostra comparativos entre as principais casas online.

2018 só teve uma derrota, a mais dolorida

O favoritismo mostrado nas casas pelo mundo não é o único motivo que pode deixar a torcida otimista brasileira para o próximo ciclo. Em 2018, sob o comando de Tite, o Brasil disputou 15 partidas. Foram 13 vitórias, um empate e apenas uma derrota, justamente contra a Bélgica, que decretou a eliminação na Copa do Mundo.

Depois do mundial, a Seleção já entrou em campo em seis oportunidades, e conquistou seis vitórias, sem sofrer um gol sequer. Os adversários foram Estados Unidos (2x0), El Salvador (5x0), Arábia Saudita (2x0), Argentina (1x0), Uruguai (1x0) e Camarões (1x0).

Antes da Copa do Mundo, duas Copas América

É claro que, até 2022, muita coisa pode mudar no mundo do futebol e nas probabilidades de título do Brasil e de outras seleções. Até lá, o técnico Tite terá tempo para fazer a renovação necessária no grupo. E o primeiro grande desafio do novo ciclo será em casa: a Copa América 2019.

Entre junho e julho do próximo ano, a Seleção Brasileira vai receber seus rivais da América jogando em casa, buscando conquistar um título que não vem desde 2007. Na última vez em que sediou a Copa América, em 1989, o Brasil sagrou-se campeão.

Depois da Copa América no Brasil, será a vez dos Estados Unidos voltarem a receber a competição continental em 2020. O torneio voltará à Terra do Tio Sam quatro anos depois – o Chile foi campeão nos EUA em 2016. A Conmebol já anunciou que, após a edição 2020, a Copa América passará a ser disputada de quatro em quatro anos, sempre no mesmo ano em que a Eurocopa.

 

Fonte:cidadeverde.com