A cantora Kelly Key, de 33 anos, buscou a opinião de outras grávidas sobre a gestação de 4 meses de Artur, seu filho com o empresário angolano Mico Freitas, 34. Antonia Fontenelle, que recentemente deu à luz Salvatore, foi uma das amigas às quais recorreu. "A gente conversa muito, ela me deu umas dicas", contou à Marie Claire. "Eu, inclusive, criei um canal no YouTube chamado 'Colo de Mãe' em que troco experiências com outras pessoas, porque grávida gosta de falar sobre isso, é natural".

f0d4d57c1c84c318ba203fba01a84c7bKelly Key fala da troca de experiências com Antonia Fontenelle e do medo da zika.(Imagem:Divulgação)

O projeto no YouTube foi mais gratificante do que esperava e, agora, Kelly sonha em expandir o canal e seu trabalho como apresentadora. "É uma coisa que gosto, que me dá prazer. E, acima de tudo, me dá a rotina [mais caseira] que quero tanto".

A cantora planeja outros dois programas na web, um sobre culinária para contar o que aprendeu de vida saudável nos últimos anos, e outro com a filha Suzana, 15. "Eu e ela vamos conversar de forma aberta. Vai ser um canal feminino e familiar ao mesmo tempo".

Os projetos, no entanto, não significam o fim de sua carreira na música. Estão em seus planos o lançamento de duas músicas com videoclipe por ano.

Zika
Em sua terceira gestação, [Kelly também é mãe Vitor, de 11 anos], a cantora não deixou de procurar o médico ao menor sinal de que algo estava fora da normalidade. "A gente, às vezes, pensa: 'será que está com isso ou aquilo...' Tem o Zika que todo mundo fala tanto, o H1N1. A gente fica com medo desses elementos". Nenhuma doença, no entanto, ameaçou sua gravidez até então.

"Quando a gente é mais novo, a gente, às vezes, é mais relaxado, mais tranquilo... Quando você está mais maduro, tem mais conhecimento e começa a se preocupar com mais coisas [risos]", disse ao lembrar estar mais tensa nesta gravidez. "Quanto ao Zika, fico passando repelente o tempo todo".

Outra razão que levou a cantora a procurar a ajuda de um especialista foi a possibilidade de desenvolver estrias por causa do aumento de peso. "Disse para minha dermatologista, a Bárbara, 'acho que vou me dar mal' [risos]".

Kelly foi, novamente, tranquilizada ao ser informada de que a cicatriz é provocada por múltiplos fatores, e não somente pelos quilinhos a mais. "Tinha a barriga muito chapadinha. Mas se eu tiver [estrias] não vai ser minha primeira, já tenho outra [risos]".

Fonte: Revista Marie Claire

  • Paçoka
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Med Plan
  • Espeto e Cia