Empresário que fez fortuna na área do fitness e dos suplementos vitamínicos, Zef Eisenberg sempre foi também um amante da alta velocidade, fosse em cima de uma moto ou ao volante de um carro desportivo. Uma paixão fatal: o milionário britânico morreu esta quinta-feira, quando tentava bater um recorde de velocidade, ao volante de um Porsche, no aeródromo de Elvington, perto de York (Reino Unido).Eisenberg, de 47 anos, era também dono da equipa Madmax Race Team, que protagoniza várias tentativas de recordes de velocidade, em motos e automóveis. O empresário, de resto, já tinha estado perto da morte em 2016, quando teve um acidente no mesmo local a quase 370 km/hora, então numa moto movida a turbina a jato. Nessa altura, fraturou 11 ossos do corpo, entre eles a pélvis.

28ceee0f 2864 4b20 826c f799576efe31 c83da2cb a5b7 4a1c 96c7 ddf16538ef5c

Desta vez, o fundador da Maximuscle conduzia um Porsche 911 Turbo S e tentava bater a marca de 333 km/hora considerada como recorde de velocidade britânico, estabelecido por Tony Densham em 1970

Zef Eisenberg morreu a tentar bater recorde de velocidade - Foto: Reprodução/ Instagram Madmax Raceteam

O empresário perdeu o controlo do carro e não resistiu aos ferimentos, aumentando o registo trágico num aeródromo onde já morrera também o ex-apresentador do programa televisivo Top Gear, Richard Hammond, em 2006.

A Motorsport UK, federação britânica do desporto automóvel, informou que o carro do piloto de 47 anos "perdeu o controlo em alta velocidade no final de uma corrida" na quinta-feira. A organização prestou homenagem ao "membro muito querido da comunidade do automobilismo" e adiantou ter ordenado a abertura de uma investigação completa sobre o acidente.

Eisenberg, que deixou mulher e dois filhos, voltou às provas de velocidade em 2017, apenas um ano depois do grave acidente com moto que o deixou em risco de não poder voltar sequer a andar.

O milionário conseguiu mesmo inscrever o seu nome no Guinness, com um recorde mundial por exceder 363 km/hora com uma moto movida a turbina ,em 2015, e tem três recordes de velocidades alcançadas com uma moto elétrica. O empresário fez fortuna ao fundar a Maximuscle em 1995, vendendo-a depois à gigante farmacêutica GlaxoSmithKline, em 2011, por 162 milhões de libras (178 milhões de euros ao câmbio atual).

 

 

Fonte: Meio Norte

  • Cabedo
  • Paçoka
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia
  • Paraiba