• Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Posto Aliança

O Grêmio comemorou seu aniversário da melhor maneira possível para seu torcedor, ao bater facilmente o Goiás, diante de mais de 40 mil pessoas, em sua arena, por 3 a 0, neste domingo, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória, a segunda seguida, foi toda construída em um primeiro tempo alucinante dos gaúchos.

79c54f92c16498b68b975dd64c8c6552FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Em recuperação na competição de pontos corridos, a equipe comandada por Renato Gaúcho chegou aos 28 pontos, ocupando agora a oitava colocação na tabela. Já o time de Ney Franco se manteve com 21 pontos, no 15º posto. Vítima de sua terceira derrota em sequência, fica perigosamente próximo da zona de rebaixamento.

O Grêmio entrou em campo com três desfalques em sua linha de quatro defensores: Léo, Geromel e Kannemann, lesionados, deram lugar a Galhardo, David Braz e Paulo Miranda. Mas o fato não teve a menor importância na partida. Foi um massacre do time da casa e esse setor não foi incomodado no primeiro tempo.

A intenção clara da equipe comandada por Ney Franco, desde o início, era atrair os gaúchos para seu campo, na esperança de armar algum contra-ataque fatal, especialmente com o rápido Michael. Só que a estratégia mostrou-se um total desatino, fazendo com que os torcedores da equipe goiana se deparassem com uma espécie de "déjà vu" de outras jornadas desastrosas fora de casa - tomara de 6 a 1 tanto do Flamengo como do Santos.
Faltava combinar com os comandados de Renato Gaúcho, que, famintos por gols, em momento algum abdicaram da bola no campo de ataque, realizando 18 finalizações apenas na primeira etapa. O goleiro Marcelo Rangel já sentira um "frio na espinha" em três oportunidades claras, com Diego Tardelli logo aos 8 minutos, Alisson, aos 17, e Jean Pyerre, aos 27, antes de ser vazado pela primeira vez, aos 28.

O placar foi aberto com um lindo gol do garoto Jean Pyerre, que acertou um chute com precisão milimétrica de muito longe, por cobertura, que ainda beijou a trave antes de entrar. A partir dali, a pressão ganhou ares de treinamento de luxo.

Quatro minutos depois, foi a vez de Éverton marcar seu sétimo gol na competição. O atacante da seleção brasileira estava inteiramente livre na área quando arrematou, chapando de pé direito, boa jogada iniciada por ele próprio pela esquerda, passando pelo pé de Alisson e contando com corta-luz involuntário de Tardelli: 2 a 0.

A equipe do Centro-Oeste percebeu que havia perdido de vez o controle do jogo quando o verdadeiro bombardeio para o gol de Marcelo Rangel prosseguiu, com Tardelli e Alisson desperdiçando boas chances, aos 33 e 40 minutos, respectivamente.

Mas aos 44, nem o equívoco do assistente, que vira impedimento no início da investida que terminou com belo chute de Alisson, no ângulo esquerdo do goleiro goiano, salvou os visitantes de levarem o 3 a 0 ainda no primeiro tempo. O lance foi confirmado pelo VAR e os piores temores da equipe visitante corriam sério risco de se confirmar.

Restava aos jogadores de Ney Franco a tentativa de manter a calma e ajustar a defesa, na volta do intervalo, para evitar novo desastre em campo no Brasileirão. A postura inicial mostrou-se diferente, com a equipe de Goiânia buscando manter a posse de bola no campo ofensivo.

Aos 5, com chute da entrada da área de Léo Sena que passou muito próxima do gol de Paulo Victor, aos 11 minutos, em conclusão do volante Gilberto aproveitando cobrança de escanteio, e aos 29, com batida de Rafinha que beliscou a trave, a diferença quase foi descontada.
Mas na maior parte do tempo o que se viu foram tentativas do jovem Michael frustradas, com o atacante cercado pela bem postada zaga gremista. Do outro lado, o Grêmio nitidamente tirou o pé do acelerador e criou muito menos chances na etapa final. Na melhor delas, Jean Pyerre mostrou mais uma vez seu grande esmero em chutes de longa distância, aos 20, quando forçou nova boa defesa de Rangel.

Os gaúchos terão mais uma semana de treinamentos até voltar a campo pelo Brasileirão, diante do Santos, na abertura do returno na Vila Belmiro, próximo sábado, às 21h. Já o Goiás retorna ao Serra Dourada para tentar encerrar sua péssima sequência diante do Fluminense, no domingo, às 19h.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 3 x 0 GOIÁS
GRÊMIO - Paulo Victor; Rafael Galhardo, David Braz, Paulo Miranda e Bruno Cortez; Michel, Matheus Henrique (Luan), Jean Pyerre, Alisson (Patrick) e Éverton; Diego Tardelli (Luciano). Técnico: Renato Gaúcho.
GOIÁS - Marcelo Rangel; Daniel Guedes, Fábio Sanches, Rafael Vaz e Marcelo Hermes; Gilberto, Léo Sena (Marlone) e Yago Felipe; Michael, Rafael Moura (Leandro Barcia) e Kayke (Rafinha). Técnico: Ney Franco.
GOLS - Jean Pyerre, aos 28, Éverton, aos 32, e Alisson, aos 44 minutos do primeiro tempo.
CARTÃO AMARELO - Yago Felipe (Goiás).
ÁRBITRO - Sávio Pereira Sampaio (DF).
RENDA - R$ 1.071.113,00.
PÚBLICO - 35.584 torcedores (41.733 no total).
Local - Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

Por Pery Negreiros, especial para AE
Estadão

Mais de 10 equipes femininas do Piauí e do Maranhão já confirmaram presença na Copa Cidade Verde Sub-17, que começa no dia 05 de outubro. O formato é inédito no Norte-Nordeste brasileiro e busca descobrir novos talentos para as categorias de base em uma parceria entre a Federação de Futebol do Piauí (FFP) e a TV Cidade Verde.

4505b98004893474815e2d915da157bbFoto: Pixabay

O diretor de Tecnologia da FFP, Anderson Sousa, informou que equipes municipais de Água Branca, União, Altos e Oeiras já se inscreveram. Times do vizinho estado do Maranhão também vão marcar presença na competição, como Timon e Caxias. As incrições permanecem abertas no site da FFP.

De acordo com a FFP, o Piauí possui atualmente mais de 100 times femininos de idades variadas. O intuito da copa sub-17 é fomentar a categoria de base, formando atletas desde os anos iniciais.

“Queremos despertar o futebol feminino no Piauí. Hoje nós sabemos que o futebol feminino é incentivado principalmente pelos times nas periferias. Queremos despertar isso nos nossos clubes locais. Atualmente para um time masculino estar na série A e B do Campeonato Brasileiro, é obrigatório ter uma equipe feminina”, explica Anderson

Seletiva e seminário

O Piauí já tem uma representante na seleção brasileira. Atualmente na seleção sub-20, a teresinense Júlia Beatriz é um exemplo da potência das jogadoras locais jogando pelo brasil desde a categoria sub-17.

Antes da Copa Cidade Verde, uma programação envolvendo um seminário e uma seletiva vai preparar e avaliar jogadoras locais. Uma chance das jovens piauienses mostrarem sua capacidade. “A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vai trazer uma treinadora da seleção Sub-17 para verificar a qualidade das atletas do Piauí e fazer ligação com categorias de base clubes nacionais”, explicou Anderson.
Para a seletiva já são mais de 80 meninas inscritas. Para o seminário, já são mais de 110 inscritos, incluindo treinadores e comissão técnica. Nomes nacionais devem ser confirmados a partir do próximo dia 20 para o evento que ocorrerá no dia 2 de outubro.

Em 2019, a TV Cidade Verde foi parceira na realização da Copa Cidade Verde de Futebol Masculino Sub-13.

CBF Social

A CBF juntamente com a Federação de Futebol do Piauí está lançando um projeto chamado CBF Social. O objetivo massificar o futebol feminino no país. Confira a programação

- Dia 02/10 haverá um seminário para treinadores e auxiliares técnicos. Com seminário no turno da tarde das 14 as 17h, no Auditório do Palácio da música.

- Dia 03/10 haverá uma seletiva com a treinadora da seleção Brasileira da categoria sub 17. Para meninas de 14 a 19 anos. Ano base 2000, 2001,2002, 2003, 2004 e 2005.

- Dia 04/10 haverá um festival com clínicas de futebol para crianças de 08 a 13 anos. No turno da tarde.

- Dia 05/10 abertura da Copa Cidade Verde Sub- 17 Feminina. Será aberta a todos os clubes e terá premiação de 10 mil reais. Para a inscrição no campeonato, os clubes deverão mandar um ofício para a federação almejando a participação no mesmo. As inscrições do campeonato vão até 20/09 no site ou na sede da FFP.

 

Fonte:cidadeverde.com

O São Paulo sofreu para buscar apenas o empate por 1 a 1 com o CSA, na noite deste domingo, no último jogo do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Os visitantes surpreenderam e saíram na frente, mas a equipe tricolor marcou aos 41 minutos do segundo tempo, com Reinaldo.

7cddee58f6e3577eb87ec7f65b9d72bcFoto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Antes de chegar ao empate, torcedores chamavam o time de "amarelão" e "sem vergonha" no Morumbi. O São Paulo não vence há quatro jogos, com duas derrotas e dois empates. A equipe não marcava havia três partidas e agora caiu para o sexto lugar da tabela do Brasileirão, com 32 pontos. No final do jogo, o time foi vaiado pela torcida. Já o CSA soma 16 pontos e ocupa o 18º lugar, dentro da zona de rebaixamento.

O técnico Cuca escalou o São Paulo com várias novidades. Daniel Alves atuou pela primeira vez na lateral-direita, sua posição de origem, desde que estreou pela equipe. Hernanes voltou de lesão e fez a função de meia, enquanto Pablo também retornou de problema físico e reassumiu a vaga de centroavante. Alexandre Pato, outro que estava no departamento médico, entrou no intervalo.

O time teve muito mais qualidade do que nos últimos jogos, e pressionou o CSA principalmente na parte final do primeiro tempo O goleiro Jordi fez boas defesas e salvou sua equipe, mas também contou com a falta de pontaria de Reinaldo e Pablo. O lateral-esquerdo e o atacante tiveram as melhores chances da etapa inicial.
Um dos destaques da partida foi o duelo entre Daniel Alves e Apodi, que também é lateral-direito de origem, mas atuou como atacante aberto pela esquerda. O jogador se destaca mais pela velocidade do que pela técnica e não desgrudava do são-paulino. Na única vez que Daniel Alves apareceu livre no ataque, Antony cortou para o meio e chutou em cima do zagueiro adversário. O lateral reclamou com o atacante, que disse não ter escutado o companheiro pedir a bola.

Com a pressão no fim do primeiro tempo e a entrada de Pato, a expectativa era de que o São Paulo não demoraria a abrir o placar na etapa final. No entanto, o CSA foi quem voltou melhor do intervalo, acertou a trave com Euller aos quatro minutos e marcou aos nove. Apodi tocou para Alecsandro, a bola sobrou para Naldo, que ajeitou para Bustamante mandar para o fundo da rede.

O gol fez Cuca mudar o São Paulo. Entraram Toró, outro que voltou de lesão, e Igor Gomes. A equipe ficou mais exposta e Tchê Tchê foi preciso ao desarmar Apodi em contra-ataque perigoso do CSA. Por outro lado, o time tricolor passou a pressionar e tentar achar espaço na zaga adversária.

Todos os jogadores do São Paulo afundaram no campo ofensivo, deixando só os zagueiros Bruno Alves e Arboleda na linha de meio-campo. Virou um jogo de ataque contra defesa, com o CSA fechado e buscando os contragolpes.

O gol do São Paulo só foi sair aos 41 minutos do segundo tempo. Após cruzamento de Daniel Alves e confusão na área, a bola sobrou para Reinaldo chegar de carrinho e igualar partida. O empate diminuiu o prejuízo, mas é muito pouco para uma equipe que briga pelos primeiros lugares da tabela em um jogo contra um time que está na zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 1 x 1 CSA
SÃO PAULO - Tiago Volpi; Daniel Alves, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Liziero (Igor Gomes) e Hernanes; Antony (Toró), Everton (Alexandre Pato) e Pablo. Técnico: Cuca.
CSA - Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Carlinhos; Naldo, João Vitor e Euller (Jean Kléber); Bustamante (Bruno Alves), Apodi e Alecsandro (Safira). Técnico: Argel Fucks.
GOLS - Bustamante, aos 9 minutos do segundo tempo. Reinaldo, aos 41 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - Alexandre Pato (São Paulo); Jordi, Bruno Alves e Jean Kléber (CSA).
ÁRBITRO - Heber Roberto Lopes (SC).
RENDA - R$ 951.615,00.
PÚBLICO - 29.779 torcedores.
LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Por Guilherme Amaro
Estadão

O Bahia encerrou a série de três vitórias seguidas e perdeu a chance de fechar o primeiro turno dentro do G6 do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste domingo, o time de Salvador (BA) saiu atrás no placar, mas buscou o empate por 1 a 1 com o Fortaleza, na Arena Fonte Nova, pela 19ª rodada. Felipe Pires e Gilberto marcaram os gols da partida.

9fb38f397fcbfe6567105dd76d477078Felipe Oliveira/E.C. Bahia

Com o resultado, o Bahia segue na sétima posição, com 31 pontos. Na parte inferior da tabela, o Fortaleza é 14º colocado, com 22 pontos, quatro à frente do Cruzeiro, primeiro time dentro da zona do rebaixamento.

A postura do Fortaleza surpreendeu no início da partida. Os visitantes se lançaram ao campo de ataque usando a velocidade. Foi desta forma que a equipe abriu o placar. Aos nove minutos, Osvaldo puxou contra-ataque e encontrou bom passe para Felipe Pires. O atacante invadiu a área e tocou por cima, na saída de Douglas.

A festa tricolor, no entanto, não durou muito. Isto porque o Bahia deixou tudo igual aos 13 minutos. Artur tentou fazer o corte dentro da área, mas foi derrubado por Carlinhos: pênalti. Gilberto foi para a cobrança e não deu chances para Felipe Alves

As equipes não conseguiram manter a mesma intensidade no decorrer do primeiro tempo e o equilíbrio predominou. O Bahia teve dificuldades para sair jogando e chegar ao campo de ataque. O Fortaleza, por sua vez, não repetiu a velocidade na troca de passes, mas teve a chance mais perigosa, em finalização de fora da área de Romarinho. A igualdade foi tanta que os times terminaram o primeiro tempo com a mesma porcentagem de posse de bola (50% a 50%).

O segundo tempo foi completamente diferente do primeiro, longe de ter a mesma intensidade e correria. O Fortaleza conseguiu se fechar bem e impedir que o Bahia chegasse ao campo de ataque. Os donos da casa tiveram duas boas oportunidades em cobranças de falta, mas não aproveitaram. O time visitante, por sua vez, assustou em finalização de fora da área de Romarinho.

Sem criatividade para furar o bloqueio imposto pelo adversário, o Bahia começou a fazer chuveirinhos na área do Fortaleza. Numa destas jogadas, Fernandão fez o desvio de cabeça, mas mandou para fora.

Os dois times voltam a campo no próximo final de semana para enfrentarem adversários paulistas. O Bahia visita o Corinthians, no sábado, às 19 horas, em São Paulo. O Fortaleza recebe o Palmeiras, no domingo, às 16 horas, no Castelão.

FICHA TÉCNICA:
BAHIA 1 x 1 FORTALEZA
BAHIA - Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio e Guerra (Arthur Caíke); Artur (Fernandão), Gilberto e Lucca (Élber). Técnico: Roger Machado.
FORTALEZA - Felipe Alves; Tinga, Quintero, Jackson e Carlinhos; Gabriel Dias, Felipe e Romarinho (Matheus Alessandro); Osvaldo (Matheus Vargas), Wellington Paulista e Felipe Pires (Edinho). Técnico: Zé Ricardo.
GOLS - Felipe Pires, aos 9, e Gilberto (pênalti), aos 13 minutos do primeiro tempo.
ÁRBITRO - Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).
CARTÕES AMARELOS - Moisés (Bahia); Wellington Paulista (Fortaleza).
RENDA - R$ 822.359,00.
PÚBLICO - 32.092 pagantes (32.655 no total).
LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Fonte: Estadão

  • Cabedo
  • Rastek
  • Ada Atten
  • Blossom
  • Paraiba
  • Espeto e Cia