A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta quinta-feira a mudança de data do clássico entre Santos e Palmeiras, na Vila Belmiro, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em vez de o jogo ser disputado no domingo, às 16h, será agora no sábado, às 17h. O motivo da mudança é para dar ao time alviverde o descanso necessário caso precise disputar um compromisso pela Copa Libertadores semana que vem.

cb10c584386267d8b52ba23017f9c210

 

Se nesta quarta o Palmeiras confirmar a vantagem diante do Delfín, do Equador, e avançar às quartas de final do torneio internacional, terá o compromisso seguinte já na terça-feira, fora de casa. O adversário será Libertad, do Paraguai, ou Jorge Wilstermann, da Bolívia. Para dar tempo de descanso entre o clássico e o compromisso pela Libertadores, a CBF decidiu mudar a data da partida do Brasileirão.

"A mudança permite preservar o intervalo mínimo entre partidas (66 horas) tendo em vista o eventual deslocamento internacional, sem prejuízo aos clubes disputantes por se tratar de partida entre clubes de um mesmo estado", escreveu a CBF, em nota. No primeiro turno do Brasileirão as equipes se enfrentaram no Morumbi com vitória alviverde por 2 a 1.

Enquanto o Palmeiras ainda aguarda a definição do confronto contra o Delfín, o Santos já está garantido na próxima fase da Libertadores. O time da Vila Belmiro superou outro equatoriano, a LDU, e aguarda nas quartas de final quem avançar da partida entre Grêmio e Guaraní, do Paraguai. O time gaúcho levou a melhor fora de casa no jogo de ida e vencer por 2 a 0.

 

 

 

Fonte: Cidade Verde

O Flamengo lutou muito, mas está fora da Copa Libertadores. Os rubro-negros empataram por 1 a 1 com o Racing-ARG no tempo normal, mas foram superados nos pênaltis por 5 a 3.

a944477b d888 4f6b 9659 c607babc9095 dc3f4283 7d5a 4317 a485 8205e265431f

 

No primeiro tempo, o Flamengo foi melhor, mas criou somente uma boa chance de marcar. Na etapa final, os rubro-negros ficaram com um jogador após expulsão de Rodrigo Caio. O Racing aproveitou para abrir o placar, com Sigali. Só que nos acréscimos, os cariocas empataram com Willian Arão

Nas penalidades, o Racing converteu todas as cobranças e viram Willian Arão desperdiçar para os rubro-negros.

Agora, os argentinos esperam o vencedor do confronto entre Internacional-BRA e Boca Juniors-ARG. Já o Flamengo passa a focar somente no Campeonato Brasileiro.

 

O Flamengo começou melhor a partida e criou boas chances logo nos primeiros minutos. Primeiro, Bruno Henrique furou na pequena área após bate e rebate. Depois, Gustavo Henrique aproveitou escanteio e cabeceou com perigo.

Os sustos fizeram o Racing melhorar na marcação. Os argentinos vieram com a proposta e avançar nos contra-ataques chegaram com qualidade aos 18 minutos. Fértoli foi lançado e chutou para defesa de Diego Alves.

Depois disso, o confronto ficou concentrado na intermediária argentina. O Flamengo tinha a posse de bola, mas sofria para passar pela retranca. Enquanto isso, o Racing não conseguia encaixar contra-ataques. Somente aos 38 minutos, os rubro-negros criaram boa chance. Éverton Ribeiro recebeu passe na área, mas tentou achar Bruno Henrique e viu a zaga tirar o perigo.

 

A melhor chance do primeiro tempo aconteceu aos 44 minutos. No primeiro contra-ataque encaixado pelo Flamengo, Arrascaeta deixou Vitinho na cara do gol. Só que o atacante mandou pela linha de fundo decretando o empate no intervalo.

No segundo tempo, o panorama da partida não mudou. O Flamengo boa chance logo aos quatro minutos. Vitinho recebeu na entrada da área e chutou em direção ao gol. A bola desviou na zaga, mas o goleiro Arias conseguiu salvar os argentinos.

Aos poucos, o Racing conseguiu ter mais a bola, mas pouco incomodava Diego Alves. Só que aos 17 minutos, a situação ficou ruim para o Flamengo quando Rodrigo Caio recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

 

Para piorar, após a falta cobrada na área, Gustavo Henrique cortou mal e a bola sobrou par Sigali mandar para a rede.

Após o revés, mesmo com um a menos, o Flamengo passou a pressionar em busca do empate. Os rubro-negros criaram boa chance aos 35 minutos, quando Bruno Henrique aproveitou cruzamento e cabeceou para grande defesa de Arias.

A partir dai, os donos da casa aumentaram a pressão e quase empataram aos 37 minutos. Após cobrança de escanteio, Willian Arão cabeceou para mais uma defesa de Arias.

Nos minutos finais, o Flamengo foi coroado pela persistência e empatou aos 47 minutos. Willian Arão aproveitou escanteio e cabeceou para a rede para mandar a decisão para os pênaltis.

Na disputa dos pênaltis, o Racing marcou todos os gols. Já no Flamengo, o herói do tempo normal, Willian Arão desperdiçou sua cobrança, que decretou a eliminação rubro-negra.

 

 

 

Fonte: Meio Norte

Em uma partida sem muitas emoções, o Fluminense falhou na tentativa de ascender ao G4 do Campeonato Brasileiro. Atrapalhado pelos vários desfalques, a maior parte por causa de um surto de coronavírus no elenco, não saiu do 0 a 0 com o Red Bull Bragantino, em partida válida pela 23.ª rodada e disputada no Maracanã.

 2c2d2fd33f795db86b127ec8524e8fa9

O Fluminense, assim, chegou aos 36 pontos, na oitava posição, sendo que teria assumido o quarto lugar caso tivesse triunfado. Já o Bragantino, que vinha de duas vitórias, está com 27 pontos, na 15.ª posição.

A equipe do interior paulista, diante de um rival cheio de reservas, até dominou as ações, mas parou em boas defesas do goleiro reserva Marcos Felipe.

Já o Fluminense pouco criou, mesmo com Odair Hellmann tendo mudado todo o seu ataque durante a etapa final, incluindo duas mexidas no intervalo, quando sacou o experiente Nenê, que esteve apagado nos 45 minutos iniciais.

Com os vários desfalques, o treinador, inclusive, apostou em vários jovens formados em Xerém, como Calegari, André, Martinelli e Marcos Paulo sendo titulares. O calor no Rio também deixou a partida mais lenta, com a arbitragem fazendo paradas para hidratação nos dois tempos, mesmo com o confronto sendo realizado à noite.

Os times voltarão a jogar no sábado, pela 24.ª rodada do Brasileirão. O Fluminense receberá o Athletico-PR, no Maracanã, enquanto o Bragantino vai visitar o Coritiba, no Couto Pereira.

O JOGO - O Bragantino aproveitou os vários desfalques do Fluminense para se impor no começo do duelo no Maracanã, dominando o primeiro tempo, tanto que finalizou sete vezes, quatro a mais do que o time da casa.

Marcou a saída de bola do adversário, tinha o controle da posse de bola e apostava em jogadas pelas pontas com Artur e Helinho. E forçou Marcos Felipe a fazer uma defesa difícil logo aos sete minutos, em finalização de Claudinho.

O Fluminense, por sua vez, bastante remendado, demorou a se encontrar no jogo e só apostava em contra-ataques, mas sem a velocidade necessária para ameaçar o adversário. Tinha até boas investidas com Igor Julião, improvisado na lateral esquerda.

Porém, seu quarteto ofensivo, composto por Nenê, Lucca, Wellington Silva e Marcos Paulo, pouco ameaçava. Ainda assim, teve uma grande chance já no fim do primeiro tempo, quando Cleiton saiu jogando errado, mandando a bola nos pés de Nenê.

Ele, no entanto, bateu para fora na tentativa de encobrir o goleiro, ao invés de acionar Marcos Paulo, que estava livre. Seria o seu último lance no duelo.

O lance não deixou Odair Hellmann satisfeito. Ele mudou o setor ofensivo no começo da etapa final, com as entradas de Felippe Cardoso e Luiz Henrique. E desmontou o quarteto inicial antes do 20, ao apostar em Ganso e Caio Paulista.

Sinal de que o time era pouco efetivo no ataque, tanto que a finalização mais perigosa no primeira metade do segundo tempo foi um chute colocado de Artur.

Só que como o Fluminense pouco criava e o Bragantino não era tão presente como na etapa inicial, pois era melhor marcado, o marasmo prevaleceu no segundo tempo.

Ele só foi quebrado por uma linda defesa de Marcos Felipe em chute de longe de Claudinho. O time carioca ainda respondeu em um disparo de Igor Julião no fim Mas foi muito pouco para evitar o 0 a 0.

 

 

 

Fonte:cidade Verde

Em Saquarema (RJ), André/George (ES/PB) conquistou o título da quarta etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia 20/21 – o segundo deles na temporada atual. Na manhã deste domingo (29.11), a dupla formada pelo capixaba e o paraibano, atual campeã brasileira, venceu a dupla olímpica Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF) por 2 sets a 0 (21/16 e 21/10), no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV).

762e1e08 a45c 4cc7 9340 bfb8d99f1979 2871b875 7df1 4b73 91be 43ebc1944016Ana Patrícia / Inovafoto/CBV/Fotos Públicas

 

O ouro nesta etapa rendeu 400 pontos para André e George que assumiram a liderança no ranking da temporada com 1400 pontos. A segunda posição está com Alison/Álvaro Filho (ES/PB), que tem 1360. Evandro e Bruno Schmidt (RJ/DF) somam 1260, e estão em terceiro.

 

O paraibano George se destacou na final e foi eleito o craque da partida em votação popular no site e aplicativo da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). O jogador comentou sobre toda a dedicação da dupla em busca de resultados como esse da quarta etapa do CBVP.

“A gente treinou bastante, temos treinado muito, não tivemos folga de uma etapa para outra, treinamos direto, e acho que isso fez toda diferença. A gente veio mais motivado para essa etapa, sabe que treinou bem, e é daí para mais. Vamos sempre treinar ao máximo para estar no lugar mais alto do pódio”, disse George

O capixaba André destacou busca da dupla pela regularidade ao longo das etapas e parabenizou o parceiro pelas atuações durante todo o campeonato.

 

Foi muito bom voltar a vencer. Vencemos a primeira, batemos na trave nas duas últimas etapas, acabamos perdendo na semi e fizemos um terceiro e um quarto. A gente nem teve folga depois da última etapa e veio trabalhando muito sério, porque o nosso objetivo é sempre estar no lugar mais alto do pódio. Então foi muito bom e fico muito feliz. E é disso aqui para mais que a gente quer, manter essa regularidade. Foi bem especial, ainda mais ganhar das duas duplas olímpicas. George jogou demais, acho que a gente conseguiu soltar o nosso voleibol. E fazer placares contra times assim é muito difícil, e isso mostra também muito mérito nosso, da nossa equipe”, analisou André.

Bronze para Alison e Álvaro Filho

A dupla Alison e Álvaro Filho (ES/PB) teve uma grande exibição neste domingo na disputa da medalha de bronze. Eles superaram Renato/Adrielson (PB/PR) por 2 sets a 0 (21/11 e 21/17) e garantiram um lugar no pódio. O campeão olímpico Alison chamou a atenção para recuperação da dupla depois da derrota na semifinal para André/George (ES/PB).

 “Sem dúvida nenhuma, não fizemos um bom dia ontem. O adversário foi melhor, foi mais feliz, mas o grande segredo de um time campeão é se recuperar rápido dentro de um campeonato, é olhar para frente, mudar a postura e, principalmente, ter humildade para reconhecer isso. Nosso time teve, e hoje conseguimos cumprir o que tínhamos prometido, que era ter um sideout melhor, uma virada de bola estudando melhor, melhor concentração dentro do jogo e foi isso que aconteceu, porque a partida era contra um time muito forte também, que está entre os cinco melhores do Brasil”, afirmou Alison.

Mesmo sem contar com público presente em razão dos protocolos de segurança sanitária, as partidas não ficaram sem torcida. Alguns fãs do vôlei de praia tiveram a oportunidade de acompanhar os duelos por meio da “Arquibancasa”. Acessando um convite virtual, os fãs interagiram com o animador e participaram de ações nos intervalos das partidas. O sistema foi exibido em telões na quadra central e trouxe animação e cores para dentro da competição.

Os torcedores também puderam eleger os melhores jogadores em quadra nas disputas por medalhas por meio de votação no site e aplicativo da CBV. Álvaro Filho e George foram as eleitos nos respectivos confrontos deste domingo.

Cada etapa do Circuito Brasileiro distribui R$ 47 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos aproximadamente de R$ 538 mil por etapa.

Após a disputa do torneio masculino nesta semana, a quinta etapa do feminino será disputado na sequência, entre os dias 3 e 6 de dezembro. As etapas foram divididas em semanas diferentes para reduzir a circulação de pessoas dentro do CDV.

CONFRONTOS

BRONZE – Renato/Adrielson (PR/PB) 0 x 2 Alison/Álvaro Filho (ES/PB)

OURO – Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF) 0 x 2 André/George (ES/PB)

 

 

Fonte: Meio Norte

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paçoka
  • Espeto e Cia
  • Paraiba