• Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Construforte
  • Oticas Floriano
  • Paraiba
  • chopp sabora
  • Jorge
  • Garoto
  • Paraiba
  • Jorge
  • Dario PAX
  • chopp sabora
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Construforte
  • Garoto

O Athletico-PR ficou com boa vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil, já que venceu o Bahia, nesta quarta-feira à noite, por 2 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Todos os gols da partida saíram ainda no primeiro tempo da partida.

e936004743f942a0a0da91cb572182c8Athletico venceu o Bahia. - FOTO: Divulgação / Athletico-PR

Com a vitória, o time paranaense agora jogará por qualquer empate no confronto de volta, marcado para o dia 12 de julho, às 20h30, na Arena da Baixada, em Curitiba. Já o Bahia terá que vencer pela vantagem de um gol para forçar os pênaltis ou por dois gols para garantir a classificação direta.

Além da vaga nas quartas de final, o time classificado garantirá premiação de R$ 3,9 milhões da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O primeiro tempo foi bastante movimentado e com apenas quatro minutos de jogo o Bahia abriu o placar. Lucas Mugni cobrou falta com categoria e acertou o ângulo do goleiro Bento, que ainda tocou na bola antes de ela entrar no fundo das redes, animando o bom público nas arquibancadas.

Só que a reação do Athletico-PR foi imediata. Aos nove minutos, Khellven recebeu pelo lado direito e cruzou na área para Christian, que ainda teve tempo de dominar e finalizar com precisão. Foi apenas o terceiro gol do volante no ano, ele que foi novidade na escalação.

A partida seguiu equilibrada, mas em uma falha individual o Athletico-PR virou o placar. Aos 20, Luiz Henrique tentou lançamento, escorregou e entregou a bola nos pés de Khellven. O lateral invadiu a área e tocou para Pedro Rocha, que só teve o trabalho de empurrar para as redes.

A virada obrigou o Bahia a se expor mais em campo e o empate quase saiu aos três minutos do segundo tempo, quando Davó deu ótima assistência para Radallega dentro da área e o atacante finalizou rasteiro para defesa de Bento, desperdiçando ótima oportunidade.

O Athletico-PR teve postura cautelosa, apostou nos contra-ataques e poderia ter feito o terceiro gol aos 32 minutos, quando Pedrinho tabelou com Matheus Babi e finalizou colocado. O goleiro Danilo Fernandes fez defesa incrível, evitando prejuízo maior ao Bahia até o apito final.

Fonte: Estadão Conteúdo

Com dois gols de Yago Pikachu, o Fortaleza colocou um pé nas quartas de final da Copa do Brasil, ao derrotar o arquirrival Ceará, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena Castelão. Além disso, quebrou um tabu de nove partidas sem vencer quando atuava como mandante.

1e37dc127100d24e4c5d5e7ab455d8b2 1Pikachu foi o nome da vitória do Fortaleza sobre o Ceará pela Copa do Brasil - FOTO: MATHEUS LOTIF/FORTALEZA

O jogo de volta será em 13 de julho, às 20h, também na Arena Castelão. O Fortaleza pode perder por um gol de diferença que estará nas quartas de final e acumulará uma premiação de R$ 3,9 milhões. O Ceará, que não perdia há 12 jogos, terá que ganhar por três gols ou mais.

O clássico já foi disputado 603 vezes, com 202 vitórias do Ceará, 183 do Fortaleza. Outros 218 jogos terminaram empatados.

O primeiro tempo foi truncado, com muitos erros de passes e várias faltas, resultando em quatro cartões amarelos, sendo três para o Fortaleza e um para o Ceará. O jogo faltoso fez a bola rolar pouco na Arena Castelão.

Apesar disso, o Ceará demonstrou mais vontade de vencer e arriscou muito com Vina. O meia tentou chamar a responsabilidade e buscou alguns arremates de fora da área, sem sucesso. Richard Coelho também tentou, mas parou na defesa de Marcelo Boeck.

O Fortaleza, através de Moisés, que entrou na partida por causa da contusão de Robson, colocou fogo na partida, mas o atacante errou um passe fácil para Silvio Romero e, quando chutou, parou em João Ricardo.

No segundo tempo, o Fortaleza entrou no embalo de sua torcida e abriu o placar aos sete minutos. Moisés avançou e tocou para Felipe, que chutou. A bola desviou em Luiz Otávio e parou nos pés de Yago Pikachu. Ele encheu o pé para abrir o marcador.

Com o placar a favor, o Fortaleza começou a ter o controle do jogo. Marquinhos Santos tentou mexer, mas a falta de mobilidade jogou contra o próprio Ceará.

Melhor para o time tricolor, que teve um pênalti marcado depois que Yago Pikachu foi derrubado por João Paulo. O próprio Pikachu bateu e fez 2 a 0.

O Ceará ainda foi para o tudo ou nada nos minutos finais. Após cobrança de escanteio, Victor Luís colocou na cabeça de Luiz Otávio, mas Marcelo Boeck salvou com uma linda defesa.

Fonte: Estadão Conteúdo

Em sua melhor apresentação na temporada 2022, o Corinthians não tomou conhecimento do Santos e deixou sua vaga às quartas de final da Copa do Brasil muito bem encaminhada.

a352adff8e953d47036c2d8a3253d9a1 1Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians

Apoiado nesta quarta-feira (22) por mais de 40 mil torcedores na Neo Química Arena, o Timão goleou o Peixe, por 4 a 0, com gols de Giuliano (duas vezes), Gustavo Mantuan e Raul Gustavo, e ouviu sua torcida cantar 'olé' com o baile no segundo tempo.

O confronto de volta, na Vila Belmiro, acontece no dia 13 de julho.

O clássico foi marcado pelo completo domínio do Corinthians na partida. Escalado com Willian entre os titulares, o Timão teve uma postura ofensiva desde o início da partida, abriu três gols de vantagem ainda no primeiro tempo e, na etapa final, ainda colocou alguns garotos da base em campo e rodou o elenco.

O Santos, com um a menos em campo no segundo tempo após a expulsão de Zanocelo, pouco pôde fazer e precisa de um resultado elástico para se manter vivo na Copa do Brasil.

A partida começou com o Corinthians dominando o meio de campo e o Santos armado para o contra-ataque. O primeiro lance de perigo aconteceu após troca de passes entre Du Queiroz, Fagner e Gustavo Mantuan pela direita.

O trio triangulou pela beirada do campo e a bola chegou na pequena área para Róger Guedes apenas empurrar para o fundo da rede, mas o camisa 9 bateu por cima e mandou a bola para as arquibancadas da Neo Química Arena.

O lance seguinte à isolada de Róger Guedes foi justamente o primeiro gol do Corinthians. Após roubada de bola no meio de campo, Willian avançou pela esquerda, tocou em profundidade para Lucas Piton e o lateral cruzou rasteiro para Gustavo Mantuan fazer o facão e estufar a rede defendida por João Paulo.

O time do Santos reclamou de falta no início da jogada, mas o VAR não viu infração alguma e validou o gol.

A vantagem no placar não fez o Corinthians mudar sua postura em campo e, oito minutos depois, conseguiu o segundo gol diante do Santos.

Em jogada individual de Róger Guedes pela direita após passe em profundidade de Willian, a bola chegou para Du Queiroz dentro da área, o volante chutou e acertou o meia Giuliano. O desvio na jogada enganou a defesa adversária e a bola parou no fundo da rede santista.

O primeiro tempo de gala do Corinthians foi encerrado com mais um gol. Em jogada de escanteio pela direita, o zagueiro Raul Gustavo subiu mais alto do que seus adversários e testou no chão para vencer João Paulo, fazer o terceiro do Timão, e fechar a festa da equipe da casa nos 45 minutos iniciais.

Com três gols de desvantagem e sem conseguir medir forças com o Corinthians, o Santos voltou do intervalo com a mesma formação e encontrou as mesmas dificuldades do primeiro tempo para segurar os pontas abertos do time adversário.

As primeiras mexidas de Fabián Bustos aconteceram aos oito minutos da etapa com as entradas de Camacho e Felipe Jonatan.

Escalado como titular do Corinthians, o zagueiro João Victor voltou a sentir dores no tornozelo direito e precisou ser substituído nos minutos iniciais do segundo tempo. O jogador foi desfalque por sete partidas seguidas e retornou à lista de relacionados neste clássico.

A conta do Corinthians poderia ter sido maior caso na Neo Química Arena. Depois de receber passe de Willian, o atacante Róger Guedes invadiu a área santista no meio de dois defensores, caiu dentro da área e o árbitro Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti.

O VAR foi acionado, o juiz reviu o lance e invalidou a marcação ao perceber que não houve falta na jogada.

A situação ficou ainda mais complicada quando o meia Vinicius Zanocelo cometeu falta em Piton com o Peixe ainda no ataque.

A princípio, não houve cartão na jogada, mas o VAR recomendou a revisão do lance, o árbitro viu a cotovelada em Lucas Piton e expulsou o jogador do Santos aos 16 minutos do segundo tempo.

Em jogada de escanteio, a bola chegou pelo alto na área do Santos, a zaga bateu cabeça e a bola sobrou para Giuliano encher o pé e marcar o quarto gol do Corinthians no clássico - o seu segundo na partida. Houve o pedido de impedimento na jogada, mas o VAR validou o lance.

As equipes voltam a se enfrentar no sábado (25), às 19h (horário de Brasília), pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clássico paulista, assim como aconteceu nesta noite, também será disputado na Neo Química Arena.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Estrelas servem para decidir jogos importantes e assim o fez Hulk no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Com um gol e uma assistência, o atacante foi vital para a vitória do Atlético-MG sobre o Flamengo por 2 a 1 em um lotado Mineirão.

113e06679e24916481a2d13e63e8b418Foto - Atlético-MG - Divulgação

Com o triunfo, os mineiros jogarão pelo empate no dia 13 de julho, no Maracanã.

Apesar de finalizar mais na partida e por vezes rondar a área de Everson, o Flamengo precisará melhorar sua pontaria se quiser reverter o confronto. Como o gol fora de casa não tem mais peso, um triunfo mínimo não é suficiente, pois levaria a decisão aos pênaltis.

Já o Atlético ganha fôlego com dois triunfos seguidos e volta as atenções no Brasileirão para tentar diminuir a distância para o líder Palmeiras, hoje em sete pontos. Domingo o time recebe o Fortaleza, penúltimo colocado.

Depois de ganhar dos cariocas no fim de semana pelo Brasileirão, o Atlético-MG apostava mais uma vez na força da torcida, que lotou o Mineirão.

A diferença estava no clima. Antes fazendo pressão pela série de quatro jogos sem ganhar, desta vez a euforia prevalecia, com incentivo desde o início. Até o técnico Antônio Mohamed teve o nome cantado antes de a bola rolar.

O jogo começou com forte "ô, ô, ô, vai pra cima deles Galo" e com escalações modificadas. Filipe Luís e Willian Arão estavam de volta ao time titular do Flamengo, com Arrascaeta jogando mais adiantado, e os mandantes não tinham Jair, com fratura na mão.

Otávio entrou e Turco Mohamed optou pela manutenção de três atacantes, com Vargas, Keno e Hulk na frente para abrir vantagem na série.

Com somente seis minutos, Hulk recebeu lançamento longo de Mariano, chegou antes de Rodrigo Caio e tocou de esquerda encobrindo Diego Alves para abrir o placar. Beijos à torcida e muita festa. O goleiro Everson saiu jogando rápido com o lateral e pegou a defesa carioca desarrumada no lance.

O gol cedo obrigou o Flamengo a se lançar ao ataque. Andreas fez Everson trabalhar bem em bomba de fora da área. Os cariocas subiram a marcação e equilibraram a ação, jogando no campo de ataque.

Adiantado, o Flamengo dava espaços ao Atlético-MG e viu Hulk deixar Keno na cara de Diego Alves. O atacante optou por tentar driblar Matheuzinho e acabou perdendo a chance de ouro de ampliar o placar. Hulk ainda tentou do meio-campo na primeira etapa.

A boa etapa terminou com a vantagem mínima dos mineiros, mas com o Flamengo jogando bem e ameaçando o gol de Everson, o que prometia uma segunda etapa ainda mais disputada em um jogo aberto e agradável.

Satisfeito com seus times, os treinadores optaram pela manutenção das escalações. De um lado um mandante querendo ampliar após abrir o placar cedo e pouco atacar e do outro um visitante confiante que empataria se mantivesse a postura agressiva, apenas caprichando um pouco mais na frente.

Hulk continuava sendo a melhor opção ofensiva no Atlético-MG. Logo no início, levou a melhor sobre Pablo, mas falhou nas tentativas de assistência a Ademir, como ocorreu no segundo gol do fim de semana, desta vez parando na marcação duas vezes. Na terceira oportunidade, porém, a dupla apareceu bem.

O astro cortou na área, recebeu de Nacho em contragolpe veloz, deixou dois marcadores pelo caminho e cruzou na cabeça de Ademir Com 9 minutos, o Atlético-MG abria vantagem importante.

Perdendo seu terceiro jogo em quatro no comando do Flamengo, Dorival Júnior foi para o tudo ou nada na parte final com entradas de Pedro, Lázaro e Rodinei. Abriu o time e quase levou o terceiro. Nacho recebeu de Hulk e parou em defesaça de Diego Alves. O goleiro ainda seguraria chute forte de Allan.

O Flamengo sabia que precisava de ao menos um gol e deixou a série indefinida por causa das apostas de Dorival. Rodinei cruzou e Lázaro diminuiu, aos 34 minutos. O Flamengo ainda buscou o empate até o fim, mas foi o Atlético quem levou mais perigo, com bola na trave de Calebe nos acréscimos.

Fonte: Estadão Conteúdo