• Casa dos frios
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • veloso
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Casa dos frios
  • veloso

Tem início hoje(11) na cidade de Guadalupe, a 36ª Edição da Copa Nordeste de Futebol de Base, que tem como organizador e coordenador o Professor Sérgio Negreiros. O evento esportivo tem como palco o Estádio Júlio César e vai contar com a presença de várias representações como por exemplo da Associação Atlétas do Futuro que vai com quatro categorias, sendo júniors, juvenil, infantil e mirim, um total de 87 atletas que vão para a cidade de Guadalupe para participar da competição e vão estrear na tarde de hoje(11).

WhatsApp Image 2020 01 10 at 13.09.01

Clubes de toda a região nordeste estão participando como por exemlo Maranhão, Ceará, Pernambuco, Piauí, dentre outras. Trata-se de uma grande competição que tem chamado a atenção na região Nordeste.

 WhatsApp Image 2020 01 10 at 13.09.02

Por Carlos Iran 

Gabriel está de volta ao Atlético Mineiro. Emprestado ao Botafogo em 2019, como parte do pagamento da aquisição de Igor Rabello pelo clube, o zagueiro se destacou no time carioca, que desejava a sua manutenção no elenco para a temporada 2020.

891376fd12a075c768f077ed583cbb83Foto: Bruno Cantini / Atlético

A direção da equipe mineira, porém, optou por seu retorno, o tratando como um "reforço". E embora tenha se saído bem no Botafogo, garante estar satisfeito pelo retorno ao time onde deu seus primeiros passos no futebol.

"Um momento muito feliz. É onde tenho minhas raízes, onde fui revelado, é um clube que me deu todo apoio, todo suporte, não só profissionalmente, mas pessoalmente também. Então, estou muito feliz por retornar e muito disposto a ajudar o Galo a estar no lugar que ele merece.

Pode ter certeza que chego com o coração aberto para receber várias coisas, várias informações, e fico muito feliz, muito lisonjeado de voltar para minha casa novamente, disposto a fazer um grande ano", declarou o zagueiro em entrevista coletiva nesta sexta-feira na Cidade do Galo.

Gabriel fez a sua estreia pelos profissionais do Atlético em 2014, tendo disputado 123 jogos pelo clube e vencido o Campeonato Mineiro em 2017. Ele deverá disputar a titularidade no sistema defensivo com Igor Rabello e Réver. E projeta a conquista de títulos expressivos em 2020.

"Meu sonho aqui é muito grande. Tenho um objetivo, um sonho de conquistar um Campeonato Brasileiro, uma Copa Sul-Americana, uma Copa do Brasil. É isso que motiva um jogador, ter objetivos, não é somente uma passagem aqui, para ele poder jogar e falar que jogou no Galo, não é isso. Jogador tem que marcar história, tem que querer ganhar. Então, venho com esse sentimento, de querer ganhar. É disso que nós jogadores vivemos, de conquistas e objetivos", completou Gabriel.

O Atlético realiza pré-temporada na Cidade do Galo e tem estreia na temporada 2020 marcada para 21 de janeiro, quando vai visitar o Uberlândia, no Parque do Sabiá, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro.

Fonte: Estadão Conteúdo

O clima "retrô" foi a característica mais marcante do evento que marcou a volta da seleção brasileira de masters, na noite desta quinta-feira, num jogo festivo contra a Itália em alusão à final da Copa do Mundo de 1994.

6185cc16b56e8bbcb9775bf8bf91ff4cFoto - Lucas Figueiredo - CBF

Em campo, o retorno da famosa dupla de ataque formada por Bebeto e Romário, campeã e consagrada naquele ano com a camisa amarela, ajudou a aplacar a saudade do público presente ao Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, de uma era em que os grandes ídolos do futebol estavam mais para "lendas" do que para "astros".

O evento, por sinal, chamado de Seleções de Lendas, escancarava essa intenção logo à entrada da praça esportiva, localizada no bairro da Gentilândia.

No acesso ao velho PV, como é carinhosamente apelidado pelos cearenses, o contato com referências musicais dos anos 1990 transportava os torcedores, gente de todas as faixas etárias, a uma época em que a maior parte dos craques brasileiros ainda usava chuteira preta, não tinha muito mais preocupação com a diplomacia fora de campo do que com a promoção dos duelos e preferia produzir seu próprio som - geralmente um pagode - em vez de escutá-lo em fones de ouvido estilosos.
Logo na chegada, após descer do ônibus, o ex-atacante Romário, estrela daquele Mundial, avisava que a história do amistoso entre veteranos teria o mesmo desfecho, mas de forma diferente: "Hoje tem gol do Romário, (o jogo) não vai até os pênaltis", brincou.

O jogo, no entanto, não sinalizou a profecia do hoje senador. No fim, vitória da Itália por 1 a 0 com gol de Massaro, no fim do segundo tempo. Mas o placar era nitidamente o que menos importava por ali enquanto boa parte da audiência aguardava ansiosamente por ver de perto ídolos que não raro só eram observados via transmissões em televisões de tubo, vistos em revistas especializadas ou mesmo imaginados pelo rádio.

E tudo ao som de sucessos de Raça Negra, Skank, Cidade Negra e Claudinho e Buchecha, entre outros grupos que embalavam as festas de então.

Tal ansiedade estava evidente também no rosto de gente bem mais nova. Caso do garoto Enzo Gabriel Brito, de apenas 10 anos. Apaixonado por futebol e fã de Bebeto, ele insistiu para que o pai, o vendedor Raimundo Ferreira de Brito, 51 anos, que foi contemporâneo da Copa de 1994, mas não demonstrava grande entusiasmo pelo evento desta quinta-feira, fosse ao estádio.

"Não acompanho muito futebol, não, lembro praticamente de nada daquela Copa do Mundo. A única coisa que lembro é do Romário. Eu nem sabia deste jogo, quem me trouxe foi meu filho, que respira futebol 24 horas por dia", contou ele.

Já o fisioterapeuta Darlyson de Alencar, 26 anos, e a namorada, Bianca Pereira, estudante de 26, vestiam a camisa da seleção italiana e levavam uma bandeira daquele país. Alencar se disse torcedor da seleção europeia desde a semifinal da Copa de 2006, quando a equipe fez um jogo épico contra a Alemanha e chegou à final. A paixão aumentou quando ele morou na Itália na primeira metade desta década e teve a oportunidade de ver um jogo da equipe "in loco".

Testemunha do Mundial dos Estados Unidos apenas por DVD, o fisioterapeuta disse acreditar que o fato de o estádio cearense estar lotado (18.726 torcedores para uma renda de R$ 226.261,00) nesta quinta-feira se deveu ao carisma da seleção brasileira de 1994. "Aquele time era muito mais emblemático que o de 2002, por exemplo, que também foi campeão", opinou.

Em campo, o esforço muito maior era da bola, é claro, que corria muito mais do que os veteranos. Escalada inicialmente por Carlos Alberto Parreira com 11 jogadores que participaram daquele torneio (Taffarel; Jorginho, Aldair, Márcio Santos e Cafu; Mauro Silva, Mazinho, Paulo Sérgio e Zinho; Bebeto e Romário), dez deles na decisão (apenas Paulo Sérgio não atuou), disputada em 17 de julho de 1994, a equipe só teve as ausências de Dunga - não foi a Fortaleza devido a compromissos pessoais - e Branco - participou da festa, mas acabou não jogando. Aos poucos, nomes como Careca, Mauro Galvão e Palhinha, que fizeram parte de outras seleções, também tiveram sua vez.

Do outro lado, desfilavam, com a camisa azul, nomes como Mussi, Costacurta, Baresi, Albertini, Massaro, Berti, Evani, Casiraghi, Benarrivo, Panucci, Apolloni e Zola, comandados por Arrigo Sacchi.

No fim, o velho campo que já recebera gênios como Pelé e Garrincha antes da Era Castelão encheu-se de contentamento por fazer as vezes de "Rose Bowl" cearense por um dia.

 

Por Pery Negreiros
Estadão

O Corinthians anunciou nesta quinta-feira a renovação dos contratos de Gil, Gabriel e Walter. Os novos vínculos do zagueiro e do volante vão até dezembro de 2022 e o do goleiro termina em dezembro de 2021.

88a5f4672536fd3cf90f36520849df3dFoto - Corinthians - Reprodução

Gil retornou ao Corinthians em julho depois de três temporadas no Shandong Luneng, da China. À época, o zagueiro assinou contrato com validade de seis meses, com opção de renovação por mais três anos. No Corinthians, Gil conquistou um Campeonato Paulista (2013), uma Recopa Sul-Americana (2013) e um Campeonato Brasileiro (2015).

Já Gabriel renovou o seu vínculo com o clube depois de quase ter deixado o Parque São Jorge para defender o Al Hilal, da Arábia Saudita, no ano passado. Em um primeiro momento, o Corinthians não pretendia negociar o volante, o clube árabe chegou a aumentar a proposta, mas na hora de fechar o negócio não houve acordo.

No caso de Walter, já está definido desde julho do ano passado que o novo vínculo seria assinado agora, após o término do contrato anterior. Reserva imediato de Cássio, o goleiro chegou ao Parque São Jorge em 2013. Nesse período, ele foi especulado no São Paulo e, no ano passado, após sondagens de Fluminense e Ceará, o empresário do jogador anunciou que ele deixaria o Corinthians. O negócio, no entanto, não foi adiante.

Além de segurar os três jogadores por mais tempo, o Corinthians contratou por empréstimo o lateral-esquerdo Sidcley. O vínculo do jogador é válido até o fim do ano. Antes, o clube já havia contratado o meia Luan, do Grêmio.

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia