• Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Oticas Floriano

O Grêmio deu um passo importante rumo à final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira (14), em Porto Alegre, o time gaúcho venceu o Athletico-PR por 2 a 0, com gols de André e Jean Pyerre.

74418beaaa531211e32bc0fbc5b0e6aeFoto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O triunfo premiou uma atuação superior e cheia de empenho dos tricolores. No final, o time paranaense se abateu e escapou de levar placar ainda pior graças a falta de pontaria da equipe gremista.

Com o resultado na Arena do Grêmio, o time de Renato Gaúcho pode até perder por um gol de diferença na Arena da Baixada, no jogo de volta, que retornará à decisão da Copa do Brasil após três anos. Em caso de vitória para o Athletico com dois gols de vantagem, a disputa vai aos pênaltis.

Os dois times voltam a se enfrentam em Curitiba, no dia 4 de setembro.

Antes, terão compromissos pelo Brasileiro. No sábado (17), o Grêmio recebe o Palmeiras, e o Athletico joga contra o Atlético-MG, pela 15ª rodada.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Rogério Ceni foi oficialmente apresentado como novo técnico do Cruzeiro nesta terça-feira (13). O comandante concedeu entrevista coletiva, na qual disse viver um "momento mágico", e conheceu a estrutura da Toca da Raposa, onde já fez seu primeiro treino com o grupo.

0e559d088807f6fbe3299ea561654afbFoto - Bruno Haddad - Cruzeiro

O treinador deixou o Fortaleza no último domingo (11) e assinou um contrato com a equipe celeste até dezembro de 2020. O presidente cruzeirense, Wagner Pires de Sá, introduziu a apresentação antes de Ceni tomar a palavra.

"Falar do Rogério seria como ler um livro muito grosso e com muitas páginas de vitórias, conquistas, responsabilidades. Demandaria muito tempo. Então eu me limito a agradecer o Rogério por defender as nossas cores. Esperamos que a gente acrescente mais páginas nessa livro grandioso que você vem escrevendo.

A escolha não foi só da diretoria, mas dos jogadores, comissão técnica e desses quase 10 milhões de torcedores que nos representam", disse o presidente.

Em seguida, Ceni concedeu suas primeiras palavras no novo clube: "Para mim é uma honra, um orgulho muito grande. É um clube que enfrentei muitas vezes, que me tirou títulos. Quem sabe a gente possa vencer. Só tenho que agradecer e espero corresponder às expectativas".

Neste segundo semestre do ano, Ceni terá como desafio tirar o time da incômoda 17ª colocação do Campeonato Brasileiro, além de manter vivo o sonho de conquistar a Copa do Brasil -na ida das semifinais, em Belo Horizonte, o Cruzeiro foi batido pelo Internacional por 1 a 0; a volta ocorrerá daqui três semanas.

Ele disse estar motivado com o desafio de tentar reverter o placar no torneio mata-mata. "É um dos grandes fatores que me trouxe aqui. Não se joga fora a oportunidade de ser campeão quando se trata de Cruzeiro. Vamos tentar nos reencontrar nessa competição e, principalmente, no Brasileiro", disse.

"Isso aqui é um momento mágico na carreira de qualquer pessoa, de poder chegar em um clube como o Cruzeiro, bicampeão (consecutivo) da Copa do Brasil", acrescentou.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Vários presidentes de times de futebol que estão participando do campeonato florianense se reuniram na noite de ontem(12) no Comércio Esporte Clube para decidir as medidas que serão adotadas diante de um problema comum que está acontecendo. Trata-se da falta de uniforme que foi prometido para os clubes pelo Presidente da Liga Florianense de Futebol Júnior Bocão. Nossa reportagem esteve acompanhando o início da reunião e foi informada que o campeonato teve início no dia 19 de julho,ficou acertado que os times participantes receberiam os uniformes e até a data de ontem essa promessa não foi cumprida.

WhatsApp Image 2019 08 13 at 06.24.04Presidente exigem os uniformes prometidos. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Os participantes da reunião de ontem foram unânimes em afirmar que o campeonato será paralisado até que essa promessa seja cumprida, tendo em vista que os presidentes tiveram gastos com a confecção das artes, tiveram patrocínio de vários comerciantes que agora estão cobrando pelos uniformes exibindo suas marcas. "A gente tem que prestar contas com o nosso patrocinador". Disse o desportista Agostinho Cavalcante.

Nossa reportagem também conversou com o Edilson Sousa, o Bidôla que concordou com tudo o que foi dito pelo amigo Agostinho e completou dizendo que não estão querendo criar atritos nem atrapalhar o trabalho de ninguém. "Os donos de times são pais de família que investem em seus times. Se não fosse pra ajudar não tinham prometido. Compromisso é compromisso". Disse Bidôla. Confira as entrevistas.

WhatsApp Image 2019 08 13 at 06.24.04 1Agostinho Cavalcante e Bidôla. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Da redação

Um cartaz simplório erguido pela torcida do Paris Saint-Germain neste domingo (11), na estreia do time na temporada 2019/2020 do Campeonato Francês, resume o status da relação do clube com sua estrela: "Neymar, cai fora (casse-toi)".

ce180f644cadd21338863f2bbd7528f1Foto: reprodução/ instagram @neymarjr

O atacante brasileiro não pisou no gramado do Parc des Princes –na véspera, o novo diretor esportivo do PSG, Leonardo, tinha dito que o jogador só voltaria a defender a equipe quando fosse definido se ele fica em Paris ou vai embora (o mais provável).

A ausência do brasileiro foi compensada por lembranças insistentes (e hostis) em cantos e faixas de torcedores. Logo no começo da partida contra o Nîmes, uma ala do público puxou um "Neymar, filho da puta!" em espanhol.

Pouco depois, a torcida do PSG exibiu quatro grandes painéis que estampavam uma provocação dura. Em tradução aproximada (e levemente "higienizada"), as faixas diziam "Neymar, apanhar de uma prostituta não acontece só em uma 'remontada'. Você se lembra?".

"Remontada" (recuperação, em espanhol) é como ficou conhecido o jogo de março de 2017 em que o PSG foi estraçalhado pelo Barcelona de Messi, Neymar e cia., perdendo por 6 a 1. O brasileiro fez então dois gols. Recentemente, referiu-se ao confronto como o momento mais marcante de sua carreira, enfurecendo seu clube atual.

Com o resultado, os franceses foram eliminados da Champions League, depois de terem ganhado a partida de ida em Paris por 4 a 0.
A segunda parte da alfinetada da torcida faz referência ao episódio em que o atacante foi acusado pela modelo Najila Trindade de tê-la agredido e estuprado em um hotel parisiense, em maio passado.

Najila mostrou à polícia um vídeo, gravado no dia seguinte ao da suposta agressão, no qual batia no atleta –em pretensa reação ao que ocorrera na véspera. Na última semana, a Justiça arquivou o inquérito relativo ao caso. Antes do jogo deste domingo, no entorno do estádio Parc des Princes, os torcedores do PSG se mostravam favoráveis ao "divórcio" entre a direção e o brasileiro.

"Espero que ele vá embora, e por um preço justo, próximo daquele que pagamos por ele [222 milhões de euros, em 2017]", afirmou Alexis Canestaier, 26, que trabalha em uma start-up. "A gota d'água para mim foi ele falar bem da 'remontada'." O funcionário público Julien Pouget, 38, não esconde a decepção com a ausência do atleta em jogos decisivos. "Gosto do jogador, não da pessoa Neymar. Ele não aprecia a equipe, não tem amor à camisa e não estava em campo quando mais precisamos dele [nas eliminações da Champions League em 2018 e 2019]. Preferia alguém pior, porém mais presente."

Para a bancária Karine Petitcolas, 48, é como se ele tivesse jogado apenas o primeiro tempo nas últimas duas temporadas. "Ele foi bem acolhido, mas acho que o mimaram demais. É uma pena que Leonardo não tenha chegado antes [ao clube]." Segundo ela, "para ganhar o Campeonato Francês, nós não precisamos de Neymar. Ele veio para nos dar a Champions League. Espero que vá para o Real Madrid, só para irritar o Barcelona. Mas lá, com Zidane [técnico], aposto que vai ficar com a boca fechada", completou a torcedora.

Vários jornais europeus informaram no domingo que as negociações para a transferência de Neymar estariam mais avançadas com o Real do que com os catalães. Em Paris, os donos da casa não tiveram dificuldade em derrotar o fraco Nîmes, por 3 a 0 com gols de Cavani (pênalti), Mbappé e Di María.
Na entrevista coletiva após a vitória, o alemão Thomas Tuchel, técnico do PSG, saiu em defesa de Neymar.

"Entendo e não entendo [a reação da torcida]. Mas ele ainda é meu jogador. Sendo assim, vou sempre protegê-lo. Posso compreender que não gostem do que diz ou faz, mas é preciso encontrar outro nível para se expressar."

Fonte: FolhaPress

  • Espeto e Cia
  • Blossom
  • Paraiba
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Casa Boa Esperança
  • Rastek