• Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Dario PAX

O Atlético-GO segue caminhando a passos largos para a Série A em 2017. Nesta sexta-feira, o Dragão venceu o Paysandu, por 2 a 1, dentro de casa, e chegou ao terceiro triunfo seguido na Segundona.

5ce7523c5f5b13af2154c807065c5048Futebol.(Imagem: Divulgação/Atlético-GO)

O lateral Matheus Ribeiro foi o destaque, com dois gols. Tiago Luís, em belo chute de longe, fez o tento do Papão.

Com o triunfo, o Dragão foi a 58 pontos, e garantiu a liderança da segunda divisão por mais uma rodada. O Papão, por sua vez, parou nos 39, e deve cumprir tabela nas rodadas finais, já que está longe do G4, mas tem boa vantagem em relação à zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, o Atlético-GO espera seguir se aproximando do acesso visitando o Criciúma, no dia 22 de outubro. No mesmo sábado, o Paysandu recebe o Goiás, em Belém.

Apesar de um começo mais intenso dos mandantes, foi o Paysandu que criou a primeira chance, aos 6, quando cobrança de escanteio acertou o travessão de Kléver.

Ainda que tivesse o domínio, e o apoio da torcida, o Dragão não conseguiu assustar os rivais nos primeiros minutos. Em alguns contra-ataques, o Papão assustava, mas sem conseguir finalizar os lances.

Aos 25, os visitantes tiveram oportunidade em falta cobrada por Tiago Luís, mas o goleiro do Atlético-GO conseguiu espalmar e salvar os donos da casa. Quatro minutos depois, veio a resposta, em cabeçada de Luiz Fernando, que exigiu defesa de Emerson.

Aos 39, os líderes da Série B chegaram ao gol. O lateral Matheus Ribeiro recebeu na linha de fundo e surpreendeu o goleiro, ao preferir a finalização ao invés do cruzamento: 1 a 0.

Porém, aos 43, o Paysandu chegou ao empate, em belo gol. Tiago Luís recebeu na intermediária e resolveu arriscar. O ex-Santos acertou lindo chute e não deu chances a Kléver, deixando tudo igual em Goiânia.

Ainda antes do intervalo, o mesmo Tiago Luís recebeu na área e bateu firme, carimbando o travessão dos donos da casa. Logo na sequência, o árbitro encerrou a primeira etapa, com o placar de 1 a 1.

Logo no início da segunda etapa, o lateral Matheus Ribeiro fez seu segundo gol e colocou o time de Marcelo Cabo na frente. Aos 6, o jogador cortou para o meio e bateu muito bem, acertando o ângulo de Emerson.

Aos 9, Júnior Viçosa teve grande chance de fazer o terceiro. O atacante ficou cara a cara com o arqueiro, driblou e empurrou, mas o zagueiro Gualberto, de carrinho, salvou em cima da linha.

Após o começo avassalador, o Dragão diminuiu um pouco o ritmo, mas mantiveram o controle da partida. Tiago Luís assustou em cobrança de falta, mas Kléver, em dois tempos, fez a defesa, aos 18.

Aos poucos, os paraenses conseguiram segurar o domínio dos donos da casa, e foram em busca do empate. Porém, o cansaço físico parece ter afetado o Paysandu, que não conseguia criar grandes oportunidades.

Assim, os contra-ataques dos mandantes eram mais perigosos. Depois de alguns minutos sem grandes oportunidades, Júnior Viçosa, aos 42, chegou na frente de Emerson, mas parou em boa defesa do goleiro.

Administrando a partida nos acréscimos, e firme na defesa, os comandados de Marcelo Cabo não cederam chances aos rivais e saíram de campo com os três pontos, confirmando a 16ª vitória do clube na Série B.


Fonte: GE

O diretor de futebol Jorge Macedo foi o único nome ligado ao Fluminense que falou com a imprensa após a polêmica derrota para o Flamengo, nesta quinta-feira, por 2 a 1 no Estádio Raulino de Oliveira. Em breve coletiva, o dirigente afirmou que o árbitro Sandro Meira Ricci (SC) assumiu aos jogadores do Flu, ainda em campo, que foi visto na televisão a posição de impedimento dos atletas do Tricolor no lance mais polêmico do confronto, que interrompeu o jogo por cerca de dez minutos e acabou com o gol de Henrique anulado.

580043e6822c4No fim do bom clássico, arbitragem roubou a cena (Foto:Celso Pupo / Fotoarena)

- Muito estranho o que ocorreu. No primeiro gol do Flamengo, o Réver, impedido, deslocou o nosso goleiro. Os jogadores do Fluminense conversaram, o árbitro não considerou opinião de ninguém e deu o gol. Estranhamente, no nosso gol, o bandeira dá impedimento, os atletas falam com ele. Ele (auxiliar) achava que Cícero tinha feito o gol e pergunta ao árbitro: "Quem fez o gol, Sandro (Meira Ricci)? O Henrique, que não estava (impedido). Todos os jogadores saíram, daqui há pouco vem todo o banco, que houve de alguém externo, afirmando que na televisão afirmaram que os jogadores estavam impedidos. Aí, depois de muito tempo ele muda de opinião e invalida o gol. É uma interferência externa bruta. Todo mundo quer a mudança do vídeo no futebol, mas ainda não está na regra. Uma interferência externa deu um prejuízo muito grande ao Fluminense - declarou Jorge Macedo, que, quando questionado se o árbitro havia confirmado a interferência da televisão, disse:

- Sim. Falou para o atletas - respondeu brevemente o diretor de futebol do Flu.

Esta não é a primeira vez que o Fluminense sente-se prejudicado em 2016 pela arbitragem. O caso mais recente foi nas oitavas de final da Copa do Brasil, na partida contra o Corinthians que resultou na eliminação do Tricolor. Naquele confronto, os jogadores do Fluminense reclamaram de dois pênaltis não marcados e da anulação de dois gols, que, assim como nesta quinta, os autores estavam em posição de impedimento. Pelas críticas, Cícero, Marquinho, Peter Siemsen e Levir foram denunciados pelo STJD, mas acabaram absolvidos no tribunal.

Esta situação foi a justificativa dada pelo Fluminense para que nenhum outro atleta, dirigente ou membro da comissão técnica tricolor desse declarações à imprensa após o Fla-Flu desta quinta-feira, em Volta Redonda.

- O Fluminense não vai aceitar esse tipo de coisa. Os jogadores estão de cabeça quente e não vão falar. Não queremos correr riscos - afirmou Jorge Macedo, que ainda comentou o que espera que o árbitro Sandro Meira Ricci relate na súmula do clássico:

- Espero que ele fale a verdade. Ele deu gol do Henrique, foi avisado pela interferência externa e voltou atrás. Ainda teve a questão dos acréscimos, o jogo ficou parado por muito tempo com atendimentos. A arbitragem se perdeu completamente no final. É com muita indignação que estamos aqui - encerrou.

 

Fonte: Lancenet

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) confirmou, na noite desta quarta-feira (12), a morte cerebral do ex-jogador e treinador de futebol Valter Lima Vieira, conhecido como Valter Maranhão, 60 anos. Ele foi internado na UTI do HUT no início da noite do último sábado (8), após sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico.

valter maranhaoValter Maranhão. (Imagem:APPM)

Depois de todos os exames, a equipe médica levantou a suspeita de morte cerebral. O protocolo para confirmar essa suspeita só foi aberto ontem, sendo que o último exame foi realizado nesta quarta-feira, confirmando a morte encefálica.

Segundo o HUT, com a confirmação, a medicação aplicada é suspensa até a parada total do paciente.

Como atleta, o maranhense veio ao Piauí para defender a Sociedade Esportiva Tiradentes, sendo campeão piauiense em 1982.

A carreira como treinador é lembrada pelas inúmeras passagens pelo Flamengo, seja como técnico de equipes profissionais ou de base, ou substituíndo os treinadores demitidos durante competições. Também exerceu a função de diretor de futebol.

Até setembro, Valter Maranhão comandou o Esporte Clube Timon (MA), que disputou a segunda divisão do Campeonato Piauiense sem conseguir o acesso.

 

Fonte:cidadeverde.com

A chuva não deu trégua em Mérida, e o jogo ficou 23 minutos paralizado por conta da falta de energia elétrica. Mesmo assim, o Brasil fez aquilo que dele se esperava, venceu a Venezuela por 2 a 0, e assumiu a liderança das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018.

ffcf4896ea1f705b16029c59d097dad8Futebol.(Imagem:MIGUEL GUTIERREZ/EFE)

Sem contar com Neymar, suspenso pelo terceiro amarelo, a seleção brasileira contou com gols de Gabriel Jesus e Willian para chegar aos 21 pontos, ultrapassando o Uruguai, que empatou com a Colômbia.

Apesar de não ter sido uma grande atuação, esta foi a quarta vitória em quatro jogos sob o comando de Tite, apenas o quarto treinador a conseguir isso pela seleção em eliminatórias, acumulando 12 gols marcados e apenas um sofrido. Com Dunga, o Brasil tinha disputado seis partidas, marcou 11 gols e sofreu oito.

Demorou apenas oito minutos para o Brasil abrir o placar. O goleiro Dani Hernández, da Venezuela, saiu jogando completamente errado e entregou a bola nos pés de Gabriel Jesus. Após receber o presente, o atacante demonstrou toda sua categoria e encobriu o goleiro.

Este foi o quarto gol de Gabriel Jesus em quatro jogos com a camisa da seleção brasileira. Com 19 anos e 191 dias, ele ainda se tornou o mais jovem jogador a marcar quatro gols pelas eliminatórias sul-americanas.

Apesar do gol marcado cedo, uma esperada goleada não aconteceu nos primeiros 45 minutos. O Brasil chegou a criar algumas chances de ampliar, mas falhava na hora de concluir o lance. Já a Venezuela pouco ameaçava, tendo Peñaranda como seu jogador mais perigoso.

No segundo tempo a equipe de Tite voltou disposta a confirmar logo a vitória. Gabriel Jesus e Philippe Coutinho tiveram chances de marcar logo nos primeiros cinco minutos, mas o gol sairia de novo aos oito. Após bela jogada pela esquerda, Renato Augusto cruzou para Willian bater cruzado e ampliar.

Depois do 2 a 0, o jogo passou a ter chances para os dois lados. O Brasil chegou a marcar o terceiro, com Renato Augusto, mas o lance foi anulado por impedimento. A Venezuela respondeu com Martínez, obrigando boa defesa de Allison.

Até que, aos 29, acabou a luz no estádio em Mérida. Foi necessário esperar 23 minutos para que a iluminação fosse restabelecida e a partida voltasse.

Se a luz voltou, o ritmo do jogo não foi retomado. As duas equipes pareciam apenas cumprir o protocolo nos minutos finais do jogo e apenas aos 42 da segunda etapa o goleiro Alisson foi exigido em tentativa de cabeça de Rondón.

A próxima rodada das eliminatórias sul-americanas acontece daqui um mês. No dia 10 de novembro, em Belo Horizonte, a seleção brasileira enfrenta a Argentina. Na sequência, no dia 16, o adversário será o Peru, fora de casa. Já a Venezuela vai receber a Bolívia e depois sair para enfrentar o Equador.


Fonte: ESPN

  • Paraiba
  • Espeto e Cia
  • Blossom
  • Casa Boa Esperança
  • Rastek
  • Ada Atten
  • Cabedo