A noite de sábado (3) foi de Jô. Com a 7 do Corinthians às costas, o atacante fez um dos gols da vitória por 2 a 0 para cima do Santos, em segundo tempo de ampla superioridade na Arena de Itaquera.

d0e79873e21a4c6371e67cbe95a9e5d6

Invicto em clássicos na temporada, os corintianos alcançam a liderança do Campeonato Brasileiro e afundam o rival na tabela de classificação após quatro rodadas.

O clássico começou bem, com os dois times procurando o ataque. E foi de um erro de Pablo que nasceu a primeira chance: após o camisa 3 furar na tentativa de corte de um cruzamento, a bola sobrou para Bruno Henrique.

Quase distraído, o santista ex-Wolfsburg viu seu gol ser evitado pelo jovem Pedro Henrique. No lance seguinte, foi a vez de David Braz barrar o contra-ataque puxado por uma tabela de Gabriel e Romero. Não era hora de gol.

De modo geral, o primeiro tempo foi equilibrado. O Santos começou com maior controle de bola, mas o Corinthians logo equilibrou e tentou buscar o ataque.

Cada time teve uma chance valiosa nos minutos seguintes: chute de Rodriguinho após passe de Fagner que foi lindamente interceptado pelo goleiro Vanderlei, e depois um voleio de Victor Ferraz após cruzamento de Copete que passou por cima da meta de Cássio.

Apesar de ameaçar pouco, o Corinthians passa em todo jogo uma impressão que se confirma, uma espécie de conceito europeu: não ameaça tanto, mas é objetivo e pode resolver a qualquer momento.

Foram duas situações assim no segundo tempo, em dois gols anulados logo no início: aos 11, Rodriguinho marcou em posição irregular, e aos 16 a arbitragem viu Romero impedido atrapalhando o goleiro Vanderlei durante cabeceio de Pedro Henrique. Especialmente no segundo lance, muita polêmica em relação à marcação discutível.

O Corinthians precisou fazer três para valer um. Aos 24 minutos, Fagner mandou na área, Jô desviou e Romero completou com maestria. Valeu. Somente cinco minutos depois, a superioridade se confirmou pelos pés de Jô: Jadson mandou na área, Rodriguinho ajeitou e Jô dominou, girou no ar e bateu colocado. Um golaço do camisa 7 corintiano, que marcou em todos os clássicos da temporada.

Os minutos finais foram de expulsão de Bruno Henrique, paralisação por uso de sinalizadores, mudanças lado a lado e nada de gols.


Fonte: Zero Hora

O zagueiro Leandro Castán, de 30 anos, que pertence à Roma e estava emprestado ao Torino na última temporada, vem sendo observado pela comissão técnica do Corinthians.

1f6acb5ec1956a2b1752e01e3552456f

O jogador, que teve uma passagem de sucesso entre 2010 e 2012, conquistando a Libertadores da América como titular da equipe, está no radar do técnico Fábio Carille e pode chegar para disputar posição com Pablo e Balbuena.

"Eu trabalhei com ele em 2008 no Barueri, com ele e com o Ralf, sei que minha palavra teve peso para que eles viessem", explicou o treinador, admirador do futebol do defensor há bastante tempo, que aponta a chegada de mais um nome experiente para a zaga como importante no crescimento dos jovens Léo Santos e Pedro Henrique.

Destaque em suas primeiras temporadas pela Roma, Castán passou por uma fase difícil ao ter diagnosticado um cavernoma na sua cabeça, espécie de tumor benigno no cérebro, em dezembro de 2014, que demandou uma cirurgia delicada e 11 meses de repouso Atualmente, porém, é considerado totalmente apto a praticar o futebol.

"É um jogador com um potencial enorme, não falei com ele, mas já tenho os números. Sei que ele jogou bastante no segundo semestre do ano passado, mas se machucou em janeiro e acabou perdendo um pouco de espaço", avaliou o comandante, preocupado em tirar o peso do "acompanhamento do atleta".

"Estamos acompanhando coisas não só dele, mas algo pode acontecer nos próximos dias", revelou Carille, em tom misterioso, mas com uma sinceridade para tratar de um nome pouco usual desde que foi repreendido ao tratar abertamente das contratações de Kazim e William Pottker, no começo do ano.

"Não tem nada mais adiantado do que qualquer outro jogador do mercado. Números nós temos de todos os jogadores que chegam, que foram oferecidos para o Corinthians. Não só dele como de muitos outros. Não vou falar quem são os que interessam (risos). Faz parte do nosso trabalho ter todos os dados dos atletas", concluiu o comandante.


Fonte: Terra

A permanência do meia Nenê no Vasco vem sendo tratada como algo pouco provável por conta da condição de reserva dada ao jogador pelo técnico Milton Mendes. Porém, nos corredores de São Januário existe a sensação de que arestas já foram aparadas.

f39f890afb2d6ef4d7c7a274d8ff1356

Isso porque o jogador teria percebido a sua importância, mesmo preterido em um primeiro momento, após marcar o gol da vitória de 3 a 2 sobre o Fluminense no fim de semana passado.

Nenê, de 34 anos, vem sendo convencido por dirigentes de que a temporada é longa e que com o excesso de lesões e suspensões dificilmente ele deixará de ser utilizado. O próprio técnico Milton Mendes conversou com o jogador para mostrar a sua importância para o grupo.

“Deixei claro sempre, antes mesmo do gol marcado contra o Fluminense, que conto com o Nenê para o restante da temporada. É um jogador muito importante e que tem uma liderança sobre o elenco. Sem falar na qualidade dele”, disse Milton.

O treinador, porém, disse que não tem como garantir titularidade.

“O Nenê é igual aos demais neste aspecto, pois todos lutam por merecer seu espaço no time e a produtividade pesa. Ficou de fora contra o Fluminense, mas quando entrou fez o gol. Isso não garante a sua volta, pois tudo é uma questão de processo. Mas é um jogador muito importante”, acrescentou.

Nenê deverá continuar no banco de reservas no duelo contra o Grêmio, neste domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Grêmio, em Porto Alegre (RS), pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O jogador, porém, será relacionado.

Dentro de campo mais uma vez Milton mendes fechou o treino e é uma incógnita a definição da equipe que vai enfrentar o Grêmio. O volante Wellington, que teve a sua documentação regularizada na CBF, fica à disposição e deve ser relacionado, mas começando no banco de reservas.

O atacante Luis Fabiano pode ser preservado. A ideia é que ele, que está pendurado com dois cartões amarelos, não corra risco de ficar de fora diante do Corinthians, na quarta-feira da próxima semana. Manga Escobar deve ser o substituto.


Fonte: Gazeta Press

O Atlético-MG está classificado para as quartas de final da Copa do Brasil. Em um jogo muito complicado, os mineiros venceram o Paraná, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira (31), no estádio Independência, e avançaram à fase seguinte do torneio nacional.

b85c3278bbaa3ba97d5c58c6f040bd61

Com a derrota por 3 a 2 na partida de ida, no Couto Pereira, o Galo precisava vencer o adversário por no mínimo um gol de diferença para alcançar a classificação.

A realidade, porém, foi até melhor que o desejo e, com gols de Otero e Fred, o mandante assegurou a vaga. Bernard, campeão da Libertadores 2013 pelo clube, assistiu ao duelo em um dos camarotes do estádio.

O Atlético-MG teve mais posse de bola, mas encontrou dificuldades para chegar ao gol adversário no primeiro tempo. As melhores chances foram do Paraná.

Robson acertou a trave em uma e, por pouco, não marcou em outra. Com o setor de criação em mau momento, o Galo contou com um gol olímpico de Otero para abrir o placar.

Na volta do intervalo, os comandados de Roger Machado recuaram e optaram por sair em contragolpes. Fred teve uma boa chance de marcar, mas perdeu o gol sem goleiro. Na sequência, ele não perdoou e fez um golaço, encobrindo Léo.


Fonte: GOAL

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia
  • Paraiba