• Dario PAX
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Dario PAX

O Cruzeiro venceu a Ponte Preta na noite deste sábado, no Mineirão, por 2 a 0. Com o resultado, os mineiros deixaram a zona de rebaixamento do Brasileirão, chegaram aos 36 pontos e ao 12º lugar.

e12e938ea951202f035bd4d875c43388Futebol.(Imagem: Yuri Edmundo / Light Press/Cruzeiro)

A vitória cruzeirense levou o Inter de volta para o Z-4, ocupando a 17ª colocação. Com 33 pontos, o time de Celso Roth está a um do Sport e a dois do Vitória. Nesta 29ª rodada, os gaúchos ainda podem ser ultrapassados pelo Figueirense, caso os catarinenses superam o Botafogo neste domingo.

Ábila e Robinho fizeram os gols do Cruzeiro na noite deste sábado. Na próxima rodada, enfrenta o Palmeiras, como visitante. A Ponte Preta, que ocupa o 10º lugar, encara o Vitória.


Fonte: Zero Hora

Nico Rosberg teve o final de semana dos sonhos. Após ser o mais rápido de todos os treinos e conquistar a pole position, o alemão da Mercedes liderou de ponta a ponta e venceu, na madrugada deste domingo, o Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 pela primeira vez na carreira.

65a49e69c353a171ca2a472404954fefNico Rosberg vence em Suzuka, no Japão (Foto: Mercedes)

O holandês Max Verstappen, da Red Bull, e o britânico Lewis Hamilton completaram o pódio com o segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Com o resultado, Rosberg - que alcançou sua vitória de número 23 na carreira, igualando o brasileiro Nelson Piquet - abriu 33 pontos de diferença para Hamilton, seu companheiro de Mercedes e grande rival na briga pelo título da atual temporada. O britânico, inclusive, precisou fazer uma corrida de recuperação, já que seu carro lidou com problemas na largada, caindo para a oitava posição.

Já Felipe Massa, que largou em 12º, cruzou a linha de chegada em nono, voltando a somar pontos após duas provas. Dessa forma, o brasileiro da Williams ultrapassou Fernando Alonso na classificação do Mundial, assumindo o décimo lugar. Felipe Nasr, da Sauber, terminou na 19ª posição.

Agora, o Mundial 2016 parte para a o GP dos Estados Unidos, a 18ª das 21 etapas da competição. A corrida no Circuito das Américas, em Austin, no Texas, está marcada para o dia 23 de outubro, daqui a duas semanas.

A corrida - A largada foi uma pesadelo para Lewis Hamilton, que saiu lento e perdeu seis posições, caindo do segundo para o oitavo lugar. Assim, Nico Rosberg não foi pressionado por seu maior rival na briga pelo título, tendo o caminho livre para abrir distância dos demais competidores.

Outro alemão que começou bem a corrida foi Sebastian Vettel, que largou em sexto devido a uma punição oriunda do GP da Malásia. Após três voltas, o tetracampeão mundial fez três ultrapassagens com sua Ferrari e chegou ao terceiro lugar, colando na Red Bull de Max Verstappen.

No pelotão de trás, a Williams de Felipe Massa perdeu duas posições, caindo para o 14º posto, cinco à frente da Sauber de Felipe Nasr, que se manteve na colocação da largada.

Na sétima volta, Hamilton abriu a asa de sua Mercedes e passou a Force India de Nico Hulkenberg, assumindo o sétimo lugar, atrás de Kimi Raikkonen, que largou em oitavo, sendo punido com a perda de cinco posições no grid por ter a caixa de câmbio de sua Ferrari trocada antes da prova.

Entre as voltas 11 e 13, as Red Bull de Verstappen e Daniel Ricciardo foram aos boxes para trocar os pneus macios, que já apresentavam grande desgaste, pelos duros. Na sequência, pararam Rosberg e Raikkonen com o mesmo intuito, deixando Hamilton momentaneamente na liderança.

O britânico, contudo, foi obrigado a parar na 14ª volta para colocar os pneus de faixa laranja. O atual bicampeão mundial voltou em sétimo, mas ultrapassou sem dificuldades a Red Bull de Ricciardo e as Williams de Massa e Valtteri Bottas, assumindo o quarto lugar, atrás somente de Rosberg, Verstappen e Vettel, respectivamente.

Na metade da corrida, mesmo com três carros na frente, Hamilton ia fazendo as voltas mais rápidas entre todos os competidores. Enquanto isso, o líder Rosberg reclamava aos engenheiros da aderência de sua Mercedes, embora estivesse quase 10 segundos à frente do britânico.

Após nova parada de Rosberg e Verstappen para troca dos compostos, Vettel assumiu a ponta, com Hamilton logo atrás. O atual campeão, no entanto, foi para os boxes na volta 34 e voltou em quarto lugar, ainda na frente de Raikkonen. No giro seguinte, Vettel surpreendeu de maneira estratégia: o alemão da Ferrari parou para trocar pneus duros por macios e voltou à pista na quarta posição, atrás de Rosberg, Verstappen e Hamilton.

A partir daí, o que se viu foi uma batalha pelo terceiro lugar entre Hamilton, dono da posição, e Vettel. O britânico, contudo, segurou bem o alemão, conseguindo, inclusive, abrir distância. Sem a pressão do piloto da Ferrari, o atual bicampeão passou a tentar a ultrapassagem sobre a Red Bull de Verstappen, na tentativa de diminuir o prejuízo em relação a Rosberg no campeonato.

Só que o jovem holandês de 19 anos demonstrou experiência apesar da idade e manteve Hamilton no terceiro lugar, segundo o britânico até quando este abriu a asa móvel. Enquanto isso, Rosberg teve o caminho livre para manter a ponta tranquilamente e ser o primeiro a receber a bandeirada na linha de chegada, vencendo de maneira inédita o GP do Japão.


Fonte: Gazeta Esportiva

A Alemanha mantém 100% de aproveitamento no Grupo C das Eliminatórias para a Copa do Mundo. Neste sábado (8), a atual campeã mundial ratificou o favoritismo e bateu a República Tcheca, por 3 a 0, no Volksparkstadion, em Hamburgo. Thomas Müller (duas vezes) e Toni Kroos marcaram para a anfitriã.

530729d0cde3cf00693b86156150baebEliminatórias: Alemanha vence a República Tcheca; Inglaterra derrota Malta.(Imagem:Divulgação)

Foi a segunda vitória consecutiva do time comandado por Joachim Löw. Na rodada de estreia, os alemães bateram a Noruega fora de casa pelo mesmo placar. A equipe tem a mesma pontuação do Azerbaijão. Contudo, ocupa a liderança da chave por conta dos critérios de desempate. Os tchecos, por outro lado, têm apenas um ponto, conquistado na estreia, após igualdade com a Irlanda do Norte.

A Alemanha dominou o confronto desde o primeiro minuto. O entrosamento fez a diferença e o mandante criou as melhores chances. Özil, Götze, Draxler e Müller se movimentaram muito bem e fizeram o suficiente para abrir o placar no primeiro tempo. O atacante do Bayern de Munique foi quem abriu o placar. Ele aproveitou ótimo passe de Özil para estufar a rede de Vaclík.

A atual campeã mundial manteve o ritmo na volta do intervalo. Não é à toa que precisou somente de quatro minutos para ampliar o marcador. Toni Kroos recebeu passe de Kimmich e finalizou rasteiro no canto de Vaclík. O rolo compressor alemão finalizou as atividades com mais um gol de Thomas Müller. O artilheiro aproveitou cruzamento rasteiro de Hector e apareceu na área como um centroavante para marcar.

A República Tcheca limitou-se à defesa e até criou duas oportunidades – todas com Dockal. O centroavante finalizou de fora da área em ambas. Na primeira, Neuer fez boa defesa. Na segunda, a bola passou raspando a trave direita. E foi só!

Inglaterra vence Malta na estreia de Gareth Southgate

A Inglaterra recebeu a seleção de Malta no Estádio de Wembley e venceu apenas por 2 a 0. Isso graças ao goleiro Andrew Hogg, que salvou o que seria uma verdadeira goleada. Essa foi a estreia do técnico interino Gareth Southgate à frente dos ingleses. Ele chegou ao cargo após a demissão de Sam Allardyce, por conta de escândalos de corrupção.

Os ingleses começaram dominando as ações ofensivas da partida e tiveram muitas chances de abrir o placar, porém, esbarraram em más finalizações e nas defesas inspiradas do goleiro Hogg. Os donos da casa ainda perderam Bertand, que sofreu lesão muscular e foi substituído aos 18 minutos.

No entanto, a pressão deu certo. Aos 28 minutos, Henderson cruzou na cabeça de Sturridge, que nem precisou pular para mandar no canto esquerdo do gol e fazer 1 a 0. Aos 37, a Inglaterra trocou passes, Dele Alli chutou, Hogg defendeu e a zaga de Malta não tirou o rebote, que sobrou para o jogador do Tottenham completar para as redes e fazer 2 a 0.

Na segunda etapa, Hogg continuou salvando Malta de uma enorme goleada e a equipe mandante seguiu perdendo muitas oportunidades. A equipe de Southgate não conseguiu ampliar a vantagem e a partida terminou sem outros gols.

Na próxima rodada, a Inglaterra visita a Eslovênia, terça-feira, às 15h45 (de Brasília). Além dessas duas equipes, o Grupo F das Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia também tem Escócia, Malta, Lituânia e Eslováquia.

Fonte: GOAL

Um ranking histórico do Campeonato Espanhol elaborado pelo Cihefe (Centro de Investigações de História e Estatística do Futebol Espanhol) está dando o que falar na Europa.

6e1b04b24aaa787c698f502146e59f15Ranking põe Messi como 4º melhor e Ronaldo só como 23º.(Imagem:Divulgação)

Tudo porque a lista, que avalia uma série de quesitos entre os 9.117 futebolistas que disputaram o torneio entre as temporadas 1928/29 e 2015/16 colocou o argentino Lionel Messi apenas na 4ª posição. Pior para Cristiano Ronaldo, que ficou em 23º.

Segundo os responsáveis pelo estudo, o futebol pode estabelecer critérios de avaliação similares aos do basquete, esporte que leva em conta fatores como pontos, rebotes, assistências, tocos, roubos de bola e faltas para quantificar o rendimento dos atletas.

O ranking também usou critérios similares aos da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) e da UCI (União Ciclística Internacional) para qualificar os futebolistas.

Assim, a lista deu 24 pontos a cada jogador em função dos minutos jogados por temporada, um ponto por gol marcado e 0,6 ponto por cada gol de pênalti. Também foram retirados 0,4 ponto por cada gol contra e 1,5 ponto por cada cartão vermelho.

Feitas as contas, o Cihefe chegou à conclusão que o melhor atleta da história dos últimas 85 temporadas do Campeonato Espanhol foi o atacante Raúl (528 pontos), que defendeu o Real Madrid entre 1994 e 2010, seguido por César Rodríguez (524), que militou entre 1942 e 1955 com a camisa do Barcelona, além de ter jogador por Sabadell, Granada, Cultural Leonesa e Elche.

Fechando o pódio, aparece o lendário matador Telmo Zarra (493), que dá nome ao troféu dado pelo jornal Marca ao maior goleador da temporada na Espanha. Ele jogou pelo Athletic Bilbao entre 1940 e 1957, com enorme sucesso.

Messi, por sua vez, aparece somente no 4º lugar. O argentino, que veste a camisa do Barça desde 2004, é o único do top 5 que ainda está na ativa, já que ele ainda ficou por pouco à frente de Enrique "Quini" Castro (488), ex-Barcelona, aposentado em 1987.

Completam o top 10 outros grandes nomes da história da liga, como Juan Arza, Alfredo di Stéfano, Francisco Gento, Carlos Alonso "Santillana" e Guillermo Gorostiza.

Entre atletas mais atuais, o ranking tem Cristiano Ronaldo em 23º, David Villa em 32º, Xavi Hernández em 49º, Iker Casillas em 62º e Aritz Aduriz em 109º. Em termos gerais, os jogadores com mais anos no Espanhol somaram mais pontos.

Por esse motivo, os atletas que ocuparam as primeiras posições são, em geral, os que estiveram ativos no século XX, quando havia maior continuidade de boa parte dos boleiros em um mesmo clube e menos influência dos estrangeiros no campeonato.


Fonte: ESPN

  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Rastek
  • Casa Boa Esperança
  • Ada Atten
  • Cabedo