• Garoto
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano

O Boca Juniors visitou o Cerro Porteño no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, nesta quinta-feira e não tomou conhecimentos dos donos da casa. Jogando no Estádio Defensores del Chaco, o time argentino, comandado por Tevez venceu por 2 a 1 e ficou bem próximo da vaga na próxima fase da competição. O camisa 10 fez um e deu o passe para o gol de Lodeiro, enquanto Cecilio Domínguez diminuiu para os paraguaios de pênalti.

5722cd484d727Lodeiro deixou o dele contra o Cerro Porteño (Foto: Norberto Duarte / AFP)
Mesmo jogando fora de casa, era o Boca que tomava as iniciativas e partia para cima. Mas a primeira chegada com perigo foi do Cerro Porteño, aos oito minutos, com Santana em uma bomba da entrada da área. Os argentinos responderam pelo alto, mas Insaurralde jogou por cima da meta paraguaia. Aos 28, os Xeneizes enfim conseguiram abrir o placar.

Depois de boa triangulação, Meli cruzou da direita e Tevez cabeceou tirando do goleiro. Pouco antes do fim da primeira etapa, o time da casa quase deixou tudo igual. Alonso cruzo rasteiro do lado esquerdo e Erbes desviou antes da bola chegar em Beltrán, mas bola foi para fora.
Assim como na etapa inicial, os argentinos chegaram logo nos primeiros instantes e quase ampliaram com Lodeiro, mas o meia perdeu a oportunidade. Com a desvantagem no placar, o Cerro foi para cima e aos nove, Domínguez invadiu a área e foi derrubado. Juiz marcou o pênalti, mas na cobrança Orión defendeu a batida de Leal.

Três minutos depois a situação do time da casa piorou, Tevez fez grande jogada e deixou Lodeiro na cara do gol para tirar o goleiro e estufar as redes. Na reta final de partida, os paraguaios tiveram outro pênalti. Dessa vez, Cecilio Domínguez bateu e diminuiu o placar. Time da casa tentou pressionar, porém o Boca Juniors segurou a bola no ataque e garantiu uma importante vitória fora de casa.

Na próxima quinta-feira ocorrerá o jogo da volta, desta vez na Bombonera, às 21h45 (de Brasília). O Boca conquistou um ótimo resultado e tem tudo para avançar na competição. Quem passar, irá enfrentar o vencedor do confronto entre Corinthians e Nacional. Primeiro jogo entre os dois foi 0 a 0, no Uruguai.

 

Fonte: Lancenet

Com a cabeça no primeiro jogo da final do Carioca contra o Vasco, no domingo, Ricardo Gomes escalou os reservas do Botafogo nesta quinta-feira, diante do Coruripe. Por pouco, o técnico não pagou caro pela escolha. O Glorioso saiu atrás do placar, mas buscou o empate em 1 a 1 com Sassá, já na etapa final.

O gol do atacante evitou a decisão por pênaltis, já que o Botafogo havia vencido em Alagoas por 1 a 0. Após seis meses longe dos gramados, Sassá voltou em grande estilo, classificando o clube para a segunda fase da Copa do Brasil.

Na próxima fase, o Botafogo enfrentará o Juazeirense. As datas dos confrontos ainda não estão definidas pela CBF, mas o primeiro jogo no Estádio Adauto de Moraes, em Juazeiro, na Bahia.

 

O JOGO
Um primeiro tempo para ser esquecido no Estádio Los Larios, em Xerém. Sem ligação entre a defesa e ataque do Botafogo, o Coruripe foi melhor desde o apito incial. João Paulo e Renato fizeram boa dobradinha pelo lado direito, ignorando a marcação do lateral-esquerdo Jean, que ficou perdido na marcação.

O Hulk, como é conhecido o Coruripe, perdeu sua primeira chance com Chicão. Em cruzamento da direita, o atacante teve tempo de dominar e bater forte, mas Helton Leite abafou o chute e impediu o gol.
Em cruzamento de Gervasio, o camisa 18 teve novamente chance de marcar, mas cabeceou para fora. Merecidamente, Sassá balançou a rede. Dentro da área, Fernandes tentou o cruzamento e Jair tocou com a mão na bola: pênalti.

Chamando a responsabilidade, o atacante pegou a bola e cobrou com perfeição: rasteiro no canto esquerdo: 1 a 1. Com o empate, o Botafogo atuou de maneira inteligente. Sem sofrer grande susto, ainda foi bem ataque, mas não voltou a balançar a rede.

Bruno Silva, que havia entrada no segundo tempo, foi expulso após dois cartões por reclamação. O Coruripe ensaiou uma pressão, mas Helton Leite trabalhou bem, fazendo mais uma grande defesa já nos acréscimos do confronto. Botafogo na segunda fase da Copa do Brasil.

 

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 1 CORURIPE

Local: Estádio Los Larios, em Xerém (RJ)
Data-hora: 28/4/2016 – 21h30
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Auxiliares: Marconi Helbert Vieira (MG) e Felipe Alan Costa (MG)
Renda e público: R$ 4.640,00 - 211 pagantes

Cartões amarelos: Jean e Bruno Silva (BOT); Mazinho, Thiago Lima e Ferreira (COR)
Cartão vermelho: Bruno Silva (BOT)

Gols: João Paulo - 28'/1ºT (0-1), Sassá - 20'/2ºT (1-1)

BOTAFOGO: Helton Leite; Diego, Igor Rabello, Joel Carl e Jean; Dierson (Rodrigo Lindoso - 35'/2ºT), Fernandes, Damián Lizio (Bruno Silva - 15'/2ºT) e Gervasio Nuñez; Neilton e Luis Henrique (Sassá - intervalo) – Técnico: Ricardo Gomes.

CORURIPE: Ferreira; Renato (Sadrak - 30'/2ºT), Williames José, Tiago Papel e Igor (Roger - 37'/2ºT); Jair, Mazinho, Tiago Lima e João Paulo; Júnior Chicão e Ivan (Candinho - 29'/1ºT) – Técnico: Jaelson Marcelino

 

Fonte: Lancenet

O Palmeiras acertou mais uma contratação para o Campeonato Brasileiro. O lateral-direito e meia Tchê Tchê, um dos destaques do Osasco Audax, sensação deste Paulistão, tem um pré-contrato assinado com a equipe alviverde e chegará na Academia de Futebol após o Estadual.

572298e242349(foto:Renato Silvestre/Audax)
Aos 23 anos de idade, Tchê Tchê tem vínculo com o Audax apenas até o fim do Campeonato Paulista e depois disto terá caminho livre para definir os últimos detalhes de seu futuro com o Verdão. O contrato com o Palmeiras deve ser válido por três temporadas.


Tchê Tchê, ou Danilo Neves, como era chamado anteriormente, começou no próprio clube de Osasco, que antes tinha parceria com uma grande rede de supermercados. O meio-campista/lateral-direito já defendeu Ponte Preta, Guaratinguetá e Boa Esporte anteriormente. O Corinthians, arquirrival palmeirense, chegou a analisar o jogador, que agrada a Tite, mas não havia sido feita nenhuma proposta.


Autor de um dos gols do Audax no empate com o Corinthians em Itaquera que classificou a equipe para a final do Paulistão, Tchê Tchê é mais um jogador polivalente trazido pelo Palmeiras. Cuca tem tentando enxugar o elenco buscando, em contrapartida, atletas que atuem em mais de uma posição.

Tchê Tchê é o terceiro reforço do Verdão para o Brasileiro. Antes, o clube havia trocado Lucas e Robinho pelo lateral-direito Fabiano e o lateral-esquerdo/meia Fabrício. Ambos já se apresentaram na Academia de Futebol.

 

Fonte: Lancenet

A divulgação dos balanços financeiros de 2015 nas contas de Atlético-MG e Cruzeiro apontou evoluções nos gigantes mineiros. Enquanto a Raposa teve um salto nas transferências, nas luvas de direitos de transmissão da TV e chegou a um salto de 63%, o Galo superou os problemas financeiros e evoluiu em 37% seu saldo em relação ao ano anterior.

572261f18eb62Balanço compara os últimos cinco anos de Cruzeiro e Atlético-MG(Foto: Reprodução)
CRUZEIRO TEM AUMENTO SIGNIFICATIVO NAS TRANSFERÊNCIAS, MAS TRAZ FALHAS

A melhora nas finanças do Cruzeiro está calcada especialmente na transferência de jogadores. No ano, o clube obteve R$ 142,1 mi em negociações, um aumento de 456% em relação ao ano anterior (quando teve R$ 25,6 mi).

Embora salte aos olhos, o aumento das cotas de TV para R$ 133,4 mi (em 101% em relação ao ano anterior) é explicado por um equívoco no balanço financeiro: a quantia não é compatível com a que o clube receberá no ano, e sim com o montante que recebeu por todo o contrato.

No entanto, outro salto financeiro do clube celeste gera preocupação. O gasto com o futebol saltou de R$ 193,5 mi para R$ 306,4 milhões. A bilheteria também reduziu pela metade, e hoje chega a R$ 43,3 mi.
Outrora um número tímido, a transferência de atletas foi crucial para o Atlético-MG no ano de 2015. O clube, que obteve R$ 1,6 mi nas negociações de 2014, saltou no ano passado para R$ 36,7 mi - um aumento de 2123% - e reduziu seus custos de futebol.


As luvas de TV (também descritas de maneira equivocada) trazem uma ascensão para R$ 113,7 mi. Lucros como estes ajudam o clube a amenizar as dívidas que assolam o clube desde outras gestões e, mesmo com prejuízos em patrocínio de publicidade e em bilheteria, trazem um balanço positivo de R$ 244,1 milhões.

 

Fonte: Lancenet

  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Paraiba
  • Ada Atten
  • Casa Boa Esperança
  • Cabedo