• Garoto
  • Casa dos frios
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Casa dos frios
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX

Neste domingo (06), Botafogo e Fluminense se enfrentaram no estádio do Engenhão, em partida válida pela 23° rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, e o tricolor conseguiu uma importante vitória por 1 a 0, gol do atacante Yony González.

31b11ae092e489bd07abc26ad269d5aaFoto: Lucas Merçon/Fluminense

Com o resultado, a equipe comandada pelo técnico Eduardo Barroca continua em situação delicada e mantém o retrospecto negativo de não ter pontuado no returno do Brasileirão.

Pelo lado do tricolor carioca, o momento é de euforia e os seis pontos conquistados nos últimos dois jogos dão maior tranquilidade para a equipe que vivia uma crise profunda nas últimas semanas.
Na próxima rodada, o Botafogo joga novamente em casa, desta vez contra o Goiás. Já o Fluminense terá um confronto importante para evitar o descenso, já que encara o Cruzeiro, fora de casa, sendo a equipe mineira uma das concorrentes do tricolor carioca para ficar nas posições fora da zona de rebaixamento.

O jogo começou com o ritmo muito lento e as chances de gol eram raras, principalmente pela falta de criatividade do meio-campo das duas equipes, que usavam os laterais como forma de escape para chegar no campo de defesa do time adversário.

Depois de 25 minutos sem os ataques oferecerem perigo aos goleiros, Yony González conseguiu aproveitar uma bela jogada pela esquerda e quase abriu o placar no Engenhão, pecando na hora da finalização ao bater cruzado, porém sem muita força na meta defendida por Gatito.

O colombiano era de fato o jogador mais lúcido do Fluminense, tanto que a insistência do atacante rendeu frutos aos 34 minutos, quando aproveitou belo cruzamento de Gilberto para cabecear sem chances para o arqueiro alvinegro.

Na volta do intervalo, o jogo mudou e quem procurava mais a bola agora era o Botafogo, que precisava atacar mais do que na primeira etapa para evitar mais um resultado negativo nesta edição do Campeonato Brasileiro.

No entanto, a estratégia do Fogão não deu certo e o placar continuou favorável para o Fluminense, que melhorou - e muito, sua situação na tabela de classificação.

TORCIDA

O baixo público no estádio do Engenhão era uma demonstração do mau momento que Botafogo e Fluminense vivem neste momento da temporada, com poucas vitórias e com pontuação bem inferior das equipes que tomam conta das posições iniciais do Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Com um gol de pênalti polêmico, convertido por Fred e só assinalado pelo juiz após recorrer à arbitragem de vídeo, o Cruzeiro empatou por 1 a 1 com o Internacional, no final da noite deste sábado, no Mineirão, em Belo Horizonte, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

f23137ebf1aded0bc3ea763230e5bd09Foto: Ricardo Duarte/Internacional

O resultado, porém, não serviu para aliviar o drama da equipe cruzeirense em sua luta contra o rebaixamento, pois a fez somar apenas 20 pontos na 17ª posição. E o time comandado pelo técnico Abel Braga corre o risco de cair para a 18ª colocação neste domingo, quando o CSA, com 19 pontos, enfrenta o Avaí em Maceió no complemento desta rodada.

O empate também foi amargo para o Internacional, que caiu da quinta para a sexta posição, com 38 pontos - foi ultrapassado pelo São Paulo, que horas mais cedo derrotou o Fortaleza por 2 a 1, no Pacaembu, e passou a contabilizar 39 pontos.

O confronto deste sábado marcou também o reencontro dos dois times que se enfrentaram na semifinal da Copa do Brasil deste ano. Na ocasião, a equipe gaúcha foi muito superior, ganhando por 1 a 0 no Mineirão e depois por 3 a 0 no Beira-Rio.
E a equipe colorada chegou a dar a impressão que poderia voltar a atropelar o Cruzeiro ao abrir o placar já aos 9 minutos do primeiro tempo com um belo gol. Em uma rápida troca de passe, Nico López deu uma ótima assistência de cabeça para Nonato, que invadiu a grande área pelo lado esquerdo e tocou por baixo do goleiro Fábio para fazer 1 a 0.

O Cruzeiro respondeu aos 12 minutos, com David acionado Thiago Neves da esquerda. O experiente meia se livrou da marcação de Cuesta e finalizou para a bola passar perto do travessão de Marcelo Lomba. O Inter, porém, não se assustou com o ímpeto adversário e voltou a se ver perto de marcar aos 15, desta vez com Nico López levando perigo em finalização que saiu perto do gol de Fábio.

Com bom apoio de sua torcida no Mineirão, o time cruzeirense começou a ter maior volume ofensivo e desperdiçou uma outra grande oportunidade de empatar o jogo aos 38 minutos, quando David levou a melhor sobre a marcação de um defensor após ser acionado por Thiago Neves e, na cara de Lomba, arrematou para fora.

Na etapa final, o Inter retornou ao campo com D'Alessandro no lugar de Nico López, mas o Inter seguia sem engrenar no setor ofensivo e sofria com as investidas dos cruzeirenses.

E em uma delas, Orejuela acabou recebendo uma bola na grande área e, ao tentar se livrar da marcação, cavou um pênalti ao ser tocado de leve por Patrick. O lateral desabou em campo em uma reação exagerada, mas o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães considerou que foi pênalti mesmo depois de rever o lance com o VAR.

A decisão revoltou os jogadores do Inter e o técnico Odair Hellmann, que esbravejou muito contra a arbitragem. Edenilson, por reclamação, foi punido com um amarelo. Com a bola na marca do pênalti, Fred foi para a cobrança e bateu com tranquilidade no canto esquerdo de Lomba, que caiu para o lado direito.

E depois o Inter perdeu Nonato, lesionado, que deu lugar a Neilton. Guerrero, apagado no jogo, por muito pouco não marcou em uma cobrança de falta em que a bola passou perto do gol de Fábio, aos 24 minutos.O Cruzeiro, empolgado com o apoio dos seus torcedores, voltou a pressionar e só não marcou no minuto seguinte porque Lomba operou um "milagre" com uma incrível defesa após cabeçada de Robinho, cara a cara, após um cruzamento de David.

Com o seu time precisando da vitória para aumentar suas chances de sair da zona de rebaixamento nas rodadas seguintes - nesta isso ainda não era possível -, Abel resolveu fazer três modificações em um intervalo de seis minutos, sacando David, Jadson e Thiago Neves, substituídos respectivamente por Ezequiel, Mauricio e Sassá.

Mas nenhum destes três que entraram se viram perto de balançar as redes ou de ajudar o Cruzeiro a fazer um gol. Quem teve a sensação que poderia marcar novamente foi Fred, mas o atacante desta vez parou em nova boa defesa de Lomba após receber cruzamento de Egídio e finalizar. E jogo ficou mesmo no 1 a 1.

Na próxima rodada, o Inter vai até Maceió enfrentar o CSA, na quarta-feira, às 19h15, no estádio Rei Pelé. Na mesma noite, o Cruzeiro terá pela frente o Fluminense, às 21h30, em novo compromisso no Mineirão.

Por Rafael Franco
Estadão Conteúdo

Em uma partida cheia de alternativas e com emoção até o último minuto, o Bahia perdeu a chance de seguir na zona de classificação para a Copa Libertadores ao ser derrotado pelo Athletico-PR, por 2 a 1, na Arena Fonte Nova, neste sábado à noite, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

b3f2bddf641d3037dbfe4f41aecc5c94Foto: Miguel Locatelli/CAP

O Bahia, que vinha de duas vitórias seguidas, caiu para a sétima colocação, com 37 pontos, e viu o Athletico-PR encostar. Invicto há quatro rodadas, o atual campeão da Copa do Brasil chegou aos 34 e está em nono lugar.

O jogo começou em um ritmo alucinante na Arena Fonte Nova. Logo aos seis minutos, o técnico Tiago Nunes precisou colocar Thonny Anderson no lugar de Nikão, que sentiu o joelho após dividida com Gregore. Na sequência, Gilberto invadiu a área, mas tropeçou na hora de finalizar.

A resposta do Athletico-PR veio em chute forte de Lucho González A bola passou raspando a trave. Aos 25, Gilberto caiu pedindo pênalti, mas o árbitro mandou a jogada seguir. No lance seguinte, Thonny Anderson aproveitou cruzamento e cabeceou nas mãos de Douglas Friederich.

Na melhor oportunidade até então, Gilberto cabeceou e viu a bola explodir na trave de Santos. Aos 35, Elber fez fila na defesa rubro-negra e cruzou para o artilheiro tricolor finalizar por cima. O Bahia ia criando uma chance atrás da outra, mas não conseguia marcar o gol.

Os dois times voltaram do intervalo sem mudanças. Mas a segunda etapa começou de forma lenta, com o Athletico-PR cadenciando o jogo e o Bahia não conseguindo sair em velocidade. Aos dez, Gilberto recebeu dentro da área e mais uma vez acertou a trave.

Dois minutos depois, veio o castigo para o Bahia. Márcio Azevedo cobrou escanteio, Thonny Anderson desviou e Marcelo Cirino cabeceou. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar. Os donos da casa quase empataram em falta cobrada por Lucca. No rebote, Nino Paraíba, em impedimento, mandou na trave.

No contra-ataque, o Athletico-PR ampliou aos 19 minutos. Thonny Anderson escapou pela esquerda e cruzou para dentro da área. Léo Cittadini se antecipou a marcação e só tirou de Douglas Friederich. A partida pegou fogo aos 30 minutos, quando Fernandão recebeu cruzamento de Nino Paraíba e diminuiu de cabeça.

Léo Cittadini só não jogou um balde de água fria na sequência porque Douglas Friederich espalmou seu chute com as pontas dos dedos. Depois foi a vez do goleiro evitar o gol de Rony. Nos minutos finais, o Bahia foi com tudo em busca do empate, mas o Athletico-PR soube valorizar a posse da bola.

O Bahia volta a campo na quarta-feira, contra o São Paulo, às 21 horas, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Na quinta-feira, o Athletico-PR enfrenta o Corinthians, às 19h15, na Arena Corinthians, em São Paulo. Os jogos são válidos pela 24.ª rodada.

Fonte: Estadão Conteúdo

O Paris Saint-Germain conquistou a sétima vitória em nove jogos no Campeonato Francês, neste sábado, ao golear o Angers por 4 a 0, no estádio Parque dos Príncipes, na capital francesa. Neymar, mais uma vez, fez um dos gols no fim da partida. O PSG soma 21 pontos na liderança da competição e abriu vantagem sobre o adversário, que contabiliza 16 e também estava na luta direta pela ponta.

f1359d0b3e456344874ceb23242e4140Foto: Instagram PSG

Logo aos três minutos de jogo, o espanhol Pablo Sarabia colocou o PSG em vantagem. O gol quebrou a confiança do Angers, que fez boa campanha no início do campeonato. Mesmo sem Mbappé, que se recupera de lesão, o time de Paris conseguiu manter o ritmo forte e ampliou com o argentino Mauro Icardi, aos 23.
Com boa atuação de Neymar, que apresentou bom entrosamento com Icardi e Sarabia, além de Ander Herrera muito bem na lateral direita, a equipe da casa seguiu no ataque e fez o terceiro gol com o senegalês Idrissa Gueye.

Ainda houve tempo para Neymar fazer o seu gol, outra vez no fim da partida, aos 44 minutos, com direito a drible no goleiro Butelle. Pouco antes, o brasileiro reclamou da arbitragem por causa de um toque de mão da zaga adversária e levou cartão amarelo.

Dos quatro gols marcados pelo astro brasileiro em cinco jogos no atual Campeonato Francês, três deles foram feitos após os 40 minutos da etapa final. Na rodada passada, ele já havia garantido a vitória por 1 a 0 sobre o Bordeaux, mas aos 25 do segundo tempo.

Duas jornadas antes deste duelo, o atacante assegurou o triunfo pelo mesmo placar sobre o Lyon, fora de casa, aos balançar as redes aos 42 do período derradeiro da partida. E na rodada anterior a esta, em Paris, ele marcou aos 45 da etapa final e garantiu também a vitória por 1 a 0 sobre o Strasbourg, no confronto que marcou a sua estreia nesta temporada 2019/2020 do futebol europeu.

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Rastek
  • Paraiba
  • Espeto e Cia