A Liga Nacional de Basquete (LNB) anunciou na noite desta segunda-feira (4) o encerramento da temporada 2019/2020 do NBB (Novo Basquete Brasil), principal competição da modalidade no país, por conta da pandemia de Covid-19.

ed86cb5b4e8406e71d5d309a9568b6f2Foto - Reprodução

A competição estava paralisada desde o último dia 15 de março, ainda com a fase de classificação em andamento, e chega ao final sem declarar um campeão.

A classificação de momento será mantida para definir quais equipes representarão o Brasil nas competições internacionais na próxima temporada.

A decisão pelo cancelamento foi unânime entre os dirigentes de clubes, segundo a LNB, e tomada em assembleia geral realizada por videoconferência nesta segunda.

Em nota para anunciar o fim da temporada, a liga afirmou que as equipes estavam inseguras diante da falta de controle da pandemia no Brasil e optaram por preservar a saúde dos profissionais envolvidos na competição, além de "agir com responsabilidade diante do impacto financeiro gerado pela crise econômica mundial".

"É triste ter que encerrar a temporada, e não queríamos isso, mas saímos dessa experiência convictos de que fizemos tudo o que foi possível", afirmou o presidente interino da LNB, Nilo Guimarães.

A liga chegou a criar um grupo com profissionais de diversas áreas para estudar a possibilidade de retomar a temporada do NBB e os impactos financeiros com a paralisação do torneio, que deveria acabar em junho.

Chegou-se a cogitar a possibilidade de os jogos retornarem após a realização de testes em quase 2 mil profissionais, mas isso foi descartado.

"O relatório realizado pela equipe multidisciplinar foi muito bem preparado e teria viabilidade para execução. Porém, neste momento, o Brasil ainda não apresentou evoluções e não é possível seguir com o processo agora", disse o médico Diego Gadelha, um dos líderes da equipe.

CARLOS PETROCILO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Uma de minhas ocupações durante a quarentena é assistir as reprises de dezenas de jogos de futebol, de voleibol, de Formula 1, boxe etc. Conforme já comentei, o futebol traz de volta clássicos estaduais, nacionais, Libertadores da América, Copa do Brasil e Copa do Mundo.

eadaf522e79d7e8bedb7a3ce18d7654cFoto: Marcelo Malaquias / EC Bahia

Para quem assiste como se estivesse numa sala de aula, é um excelente campo para observações de como funcionam o futebol coletivo, as ações individuais, as opções táticas; de como um time considerado mais forte e favorito acaba derrotado; de como uma falha simples define um placar e até mesmo títulos; de como jogadores simples, sem grande fama atuaram com enorme eficiência.

Três craques extraordinários(para citar apenas 3 ) tiveram funções táticas fundamentais em grandes decisões. Na decisão do mundial de clubes no Japão entre Flamengo e Liverpool, Zico ficou mais no meio-campo distribuindo jogo, atraindo a marcação adversária e deixando para Nunes a missão de decidir lá na frente.

Na Copa do México em 1970 o Rei Pelé andou pelo campo inteiro, da defesa ao ataque, dificultando a marcação italiana. No placar final deu Brasil 4 x 1. Na outra Copa no México em 1986 Maradona, principalmente na final, atuou mais longe da área e foi assim que colocou Burruchaga na cara do gol para decidir o jogo para os argentinos, campeões mundiais pela segunda vez.

São muitos os campos de observações. A Argentina perdeu duas copas das quais poderia ter saido vencedora. Em 1990 na Itália o árbitro marcou um pênalti que poderia deixar passar sem agressão à regra.

Eram 40 minutos do segundo tempo e a Alemanha venceu por 1 x 0. Na Copa de 2014, realizada no Brasil, os argentinos perderam ótimas oportunidades para a vitória. Sofreram um belo gol nos instantes finais e perderam a Copa do Mundo.

Na Copa de 1990 na Itália o Brasil perdeu para a Argentina por 1 x 0, graças a um erro absurdo de marcação. Cinco brasileiros foram ao mesmo tempo cercar Maradona e deixaram Caniggia livre para marcar o gol. A Copa de 1994 nos Estados Unidos foi uma derrota para a imprensa esportiva brasileira e um título mundial para o Brasil.

A famosa Seleção Brasileira de 1982 foi derrotada pela Itália por 3 x 2 e nem mesmo chegou às semifinais. Estava cheia de craques, mas sofreu 6 gols em 5 jogos. A melhor exibição foi na vitória de 3 x 1 sobre a Argentina, quando Batista foi escalado de volante com a função de marcar.

Os colegas que narraram e comentaram a reprise ficaram o tempo todo exagerando nos elogios para jogadas individuais e esqueceram o jogo como um todo. Até a camisa ( a mais feia de todas as Copas) era elogiada como a mais bonita.

Na reprise do jogo Itália e Argentina nas semifinais de 1990, com vitória argentina nos pênaltis, os colegas esqueceram o jogo e ficaram o tempo todo falando de novela.

Vou continuar vendo as reprises de jogos e sempre com o objetivo de acumular conhecimentos sobre futebol.

 

Fonte:cidadeverde.com

O Santos pediu à Justiça a liberação de R$ 2,5 milhões bloqueados por uma dívida que tem origem na venda de Neymar do Barcelona para o PSG.

c541b6d14b0292d44cbd5365a02a06eeFoto: Rafael Ribeiro / CBF

O clube brasileiro oferece em troca um imóvel para garantir o pagamento, e alega que a pandemia do novo coronavírus interrompeu suas receitas, e, por isso, corre risco de não conseguir pagar o salário de seus 400 funcionários e colaboradores.

O alvinegro afirma ter uma folha mensal que ultrapassa os R$ 11 milhões, e afirma ter perdido receitas de transmissão da TV Globo, com quem mantem contratos de TV aberta e pay-per-view, e da Turner, com quem mantém acordo de TV fechada.

A dívida tem origem na negociação que levou Neymar do Barcelona ao PSG por 222 milhões de euros. O Santos contratou, na gestão anterior, do presidente Modesto Roma Júnior, uma empresa sediada em Malta chamada Quantum Solutions com a missão de intermediar junto ao clube francês o recebimento dos valores referentes ao mecanismo de solidariedade ao clube formador.

A justificativa, na época, era de que o PSG estava se recusando a realizar o pagamento. A atual diretoria do Santos contesta judicialmente essa versão, e tenta anular a dívida com base no argumento de que o clube negociou diretamente com os franceses o pagamento dos valores.

O caso ainda tem mais desdobramentos: a Quantum negociou esse crédito com outra empresa, a FK Sports, que tem como sócios empresários ligados a Frederico Pena, da Traffic, e que gerem a carreira de outros atletas.

Vinícius Júnior é um deles, e chegou a ser sócio da empresa. É a FK que acionou o alvinegro na Justiça.

Para liberar parte do valor bloqueado, o Santos oferece como garantia um imóvel avaliado em cerca de R$ 1,1 milhão.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Oito dos 20 times que compõem a Série A do Campeonato Brasileiro em 2020 já começaram a voltar aos treinamentos após a paralisação devido à pandemia do novo coronavírus. O número equivale a 40% do torneio. No entanto, somente a dupla Grêmio e Internacional já tem data para iniciar os trabalhos presenciais.

renato treino gauchodFoto: Lucas Uebel/Grêmio

Os outros seis clubes são Flamengo, Fluminense, Botafogo, Red Bull Bragantino, Bahia e Coritiba. Todos seguem com o isolamento, mas os atletas estarão conectados, seguindo horários e determinações dos clubes, o que o Fluminense, por exemplo, chamou de treinamento virtual. A exceção é o Flamengo, que ainda não especificou uma volta às atividades, mas já vem testando funcionários e atletas para a Covid-19.

O Grêmio se reapresenta na segunda-feira de forma escalonada, começando pelos funcionários e só depois os jogadores. Já o Inter marcou a reapresentação dos atletas para terça-feira, enquanto a comissão técnica volta na segunda.

Dos outros 12 clubes restantes, apenas dois se posicionaram de forma oficial: Santos e Palmeiras. Os rivais paulistas mantiveram o isolamento social e afirmaram que só voltam aos treinos quando houver autorização das autoridades. O Verdão já se movimenta para comprar testes da Covid-19.

Embora não tenha soltado um comunicado oficial, Raí, diretor executivo do São Paulo, declarou em entrevista recente que o clube é contra antecipar a volta do futebol e falou sobre a importância de seguir as orientações das autoridades de saúde.

Vasco, Corinthians, Atlético-MG, Atlético-GO, Goiás, Fortaleza, Ceará e Sport não se posicionaram após o término das férias decretadas após a paralisação do futebol devido à pandemia.
Como publicou a reportagem na manhã da sexta-feira (1º), o Ministério da Saúde sinalizou um parecer positivo para a retomada das atividades do futebol, mas nem todos os estados devem seguir esse movimento de aceleração da volta do esporte. As federações, no entanto, têm intenção de terminar os estaduais em campo.

Em São Paulo, o isolamento vigora até o dia 10 e será rediscutido no dia 8. A Federação Paulista de Futebol trabalha na elaboração de um protocolo para o retorno, mas aguarda posicionamento do governador do estado.

O Rio de Janeiro prorrogou as medidas de restrição até o dia 11. Os clubes se preparam para volta, mas apenas com atividades em casa, respeitando o isolamento social.

Em Minas Gerais, o governo está dividido e se preocupa com a questão financeira dos clubes, mas a Secretaria de Saúde não recomenda a volta do futebol. A Federação Mineira de Futebol (FMF) está criando um comitê de médicos para analisar o caso junto às autoridades.

A situação, porém, é diferente no Rio de Grande do Sul. A prefeitura de Porto Alegre publicou um decreto liberando atividades físicas ao ar livre sem aglomerações. A dupla Grenal usa isso como base para voltar aos trabalhos.

Fonte: Folhapress

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Espeto e Cia
  • Paraiba
  • Blossom