Após passar um período de férias em Portugal, o técnico Jorge Jesus embarcou na manhã desta sexta-feira (1º) de volta ao Brasil, onde deve chegar no fim da noite para retomar os trabalhos e as negociações por sua permanência no Flamengo.

jesus jorge flaFoto: Alexandre Vidal / Flamengo

A dois meses de ter seu contrato encerrado, o treinador disse estar motivado pelo fato de ter montado um grande time, atual campeão brasileiro e da Taça Libertadores, mas ponderou sobre a pandemia do novo coronavírus, que impõe, além de uma crise sanitária, restrições econômicas aos clubes.

"Tudo isto alterou, não só o meu pensamento, mas sobretudo isso. Neste momento, não tenho nada em mente, tenho de viver o dia a dia, saber o que vai acontecer em função desta epidemia e tomar decisões. Tenho dois meses, até para os dirigentes do Flamengo para decidirem o que é melhor para eles. Sentimos que criamos uma grande equipe. Isso é um dos fatores que me motiva muito mais a continuar. E a forma como tenho sido tratado também. Tenho dois meses para decidir a minha vida", disse, ao jornal português Record.

O treinador salientou ainda que a vontade demonstrada pela diretoria e por torcedores em tê-lo por mais tempo também é um ponto determinante para a decisão sobre o futuro. "Quando há uma negociação, tem de haver um acordo de ambas as partes. Sinto que o Flamengo me quer muito, e isso, para mim, é determinante: ter um clube que me quer muito. Assim como ter a nação do Flamengo com a mesma ideia", afirmou.

Questionado se o incomodava ter de voltar ao Brasil em meio ao surto de contágio da Covid-19, Jesus lembrou que tem compromisso com o Flamengo, que teve as férias coletivas encerradas na quinta (30). "Nós temos compromissos contratuais, ainda temos mais dois meses de contrato. O Flamengo marcou uma data para voltar, e temos de fazer. As nossas vidas profissionais, por causa da Covid-19, terá de ser vivida no dia a dia e não tenho, neste momento, mais nenhum projeto a não ser que tenho um compromisso com o Flamengo."

O treinador também se mostrou favorável ao retorno das atividades, salientando os cuidados que serão tomados neste período e garantindo que os clubes de futebol têm condições de colocar tais medidas preventivas em prática. "Sei que, em Portugal, as equipes vão começar segunda-feira [4]. Acho muito bom. Nós temos de saber conviver com o vírus. Os jogadores são trabalhadores, e as equipes dão condições aos seus profissionais de garantia e de trabalho que muitas empresas não dão. Os jogadores vão ser todos testados, os familiares deles também, eles andam em carros privados. Vão ser testados de duas em duas semanas. Tomara eu que todos os trabalhadores de todas as empresas pudessem fazer isso. Se houver alguma oposição às equipes de futebol em treinar, então todas as áreas têm de parar. Ninguém tem as condições que têm os profissionais de futebol."

"É uma questão de saber controlar os seus jogadores. É igual em todas as áreas. Se começamos a colocar aqui porquês, então não há hipótese. Temos de ficar todos um ano em casa. Ninguém vai perceber que tem de conviver com o vírus. Não há outra hipótese. O povo português está a dar um exemplo sobre o que é saber viver em comunidade, com os interesses de todos. Não podemos ter medo de conviver com aquilo que o mundo nos criou", completou o treinador.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

O Internacional anunciou nesta sexta-feira (1º), em nota oficial, que voltará aos treinos na próxima terça (5). Um dia antes da retomada dos atletas, o departamento de futebol do clube já deverá retornar às atividades.

guerrero interFoto: S.C. Internacional

A medida se baseia em decreto publicado pela Prefeitura de Porto Alegre na quinta (30), mesmo dia em que se encerraram as férias coletivas dadas pelo clube aos jogadores. Devido à pandemia do novo coronavírus, o time colorado havia suspendido as atividades em 17 de março.

"Os profissionais serão avaliados diariamente e passarão por testes para a Covid-19. O grupo de jogadores será dividido em horários para a realização das atividades, cumprindo todas as recomendações das instituições de saúde e governamentais", disse o Inter no comunicado.

A diretoria colorada aguarda, também para a próxima semana, novidades em relação ao retorno do Campeonato Gaúcho. Uma reunião entre FGF (Federação Gaúcha de Futebol) e o governo do estado vai avaliar a retomada do Gauchão com jogos disputados sem torcida.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Uma minuta do Ministério da Saúde deu parecer favorável pela volta do futebol no país. Em documento datado da noite da última quinta-feira (30), o órgão argumenta que a atividade é "relevante no contexto brasileiro e que sua retomada pode contribuir para as medidas de redução do deslocamento social através da 'teletransmissão' dos jogos para domicílio".

62677a834b50014137d72a304a76016bFoto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

.No complemento do parecer, no entanto, a autoridade nacional de saúde ressalta: "este Ministério é favorável ao retorno das atividades do futebol brasileiro, desde que atendidas todas as medidas apresentadas neste parecer", diz o texto noticiado pela Globo e obtido pelo UOL Esporte.

Mesmo com o "ok" inicial para uma retomada em campo, o documento mostra uma série de ressalvas e questionamentos ao guia apresentado pela CBF solicitando o retorno das atividades. O tom geral da minuta esteve longe de uma aprovação.

O órgão pede que a CBF "garanta a garanta a realização dos testes e avaliações constantes não apenas nos atletas, mas também que seja ofertado aos membros das comissões técnicas, funcionários e colaboradores, assim como os respectivos familiares e contactantes próximos", diz o parecer, que ainda questiona. "Diante da afirmação acima, na proposta apresentada, não fica evidenciado onde serão realizados os testes, periodicidade e critérios de retestagem, e como serão assistidos caso o diagnóstico dos atletas seja positivo".

A sequência do parecer mostra uma realidade preocupante. Em que pese a orientação para testes em todos os envolvidos, o relato da situação do país se mostra longe da ideal para que tal ideia seja posta em prática. "Cabe ressaltar que no momento, a disponibilização de testes rápidos no sistema de saúde encontra-se saturado diante das necessidades da população brasileira", frisou o Ministério.

A minuta, no entanto, está longe de ser o documento único que sustente o retorno imediato das atividades. "Ressalta-se ainda que o documento apresentado não se trata de uma guia médico, e sim de uma proposta de planejamento de retorno às atividades da classe, contemplando algumas medidas de saúde e segurança sanitária. Portanto, o Ministério da Saúde ressalta a importância de apresentação de um Plano estratégico geral detalhado, pactuado entre os diversos setores descritos anteriormente para o retorno das atividades futebolísticas sem a presença de público externo e planos de ação locais contendo a descrição das medidas de saúde, segurança e higiene, periodicidade de execução e responsáveis, que devem ser apresentados e validados pela autoridade de saúde local", diz o documento.

O parecer genérico do órgão federal deixa claro que a decisão final pelo retorno será dos poderes locais e estaduais. "Além disso, cabe ressaltar que a autorização acerca do início das atividades de treinamento nas localidades deve ser do Secretário Municipal, pois o Ministério da Saúde não irá contrapor uma decisão do gestor local que é quem está vivendo o problema. Somente com base na Análise de Risco da Secretaria Municipal é possível saber em quem momento cada fase pode ser adotada em cada município. O Ministério da Saúde não determinou e nem determinará fechamento ou abertura de qualquer atividade. Essa é uma decisão que cabe ao gestor local".

Fonte: Folhapress

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) iniciou nesta quarta-feira um novo plano para conseguir promover a volta aos trabalhos dos times após a parada causada pela pandemia do novo coronavírus.

4bb011390d07dfc2248e86caa2f2d2e8Foto- CBF - Divulgação

O Estado apurou que a entidade entrou em contato com uma sociedade médica científica para elaborar um protocolo de cuidados que seja capaz de garantir o retorno dos times aos treinos nas próximas semanas.

O objetivo da CBF é criar um guia detalhado com um nível bastante minucioso de informações sobre distanciamento social, formato de treinamentos, procedimentos de convívio, regras para alojamento e cuidados com viagens.

A partir da redação deste guia é que as equipes devem começar a retomar as atividades. O intuito é conseguir a liberação médica para retornar ao trabalho ainda neste mês.

A CBF vai bancar os custos deste trabalho de consultoria e quer ser bastante rigorosa nessa cartilha de cuidados. Toda a redação do guia terá os princípios norteados pela metodologia de cuidados contra a pandemia já existente na literatura médica, em especial estudos científicos.

A ideia é não se ter pressa para concluir o trabalho, mas sim que o resultado seja capaz de ter um conteúdo completo mesmo para as diferentes condições geográficas e econômicas do Brasil.

Todo o trabalho terá participação conjunta do Ministério da Saúde, do corpo médico da Fifa e de secretarias estaduais de saúde existentes pelo Brasil. O material deve ser produzido pelos médicos brasileiros com maior experiência no combate à pandemia, com atuação em grandes hospitais e currículo relevante na área acadêmica. A tendência é que os médicos de clubes não participem da produção deste conteúdo.

A iniciativa da CBF procura unificar a preocupação de diversos clubes e federações estaduais sobre o retorno pós-pandemia. Em vez de iniciativas espalhadas pelo Brasil, a entidade máxima do futebol nacional procura conduzir este processo de forma mais técnica e cuidadosa, para ter um aval médico obtido de forma mais científica e responsável e livre de possíveis pressões econômicas.

Recentemente a Federação Catarinense de Futebol chegou a redigir um guia de 27 páginas para propor a retomada do Estadual no dia 16 de maio. O material foi entregue ao governador Carlos Moisés, que recusou autorizar o retorno dos times aos trabalhos com bola.

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Blossom
  • Paraiba
  • Espeto e Cia