• Garoto
  • Oticas Floriano
  • floriano shop
  • Dalva
  • Paraiba
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Construforte
  • Posto Aliança
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Paraiba
  • Garoto
  • floriano shop
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Construforte
  • Dalva

A seleção brasileira voltou a apresentar um futebol aquém do que se espera e, desta vez, perdeu o 100% de aproveitamento nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Qatar.

a416d75bf40c9248d03c8c03f7ca606aFoto - Lucas Figueiredo - CBF

Neste domingo (10), o time comandado por Tite não passou de um empate sem gols com a Colômbia, fora de casa.

Com o resultado, o Brasil perdeu o aproveitamento de 100% dos pontos na competição que garante quatro vagas diretas no Mundial. O time dirigido por Tite soma, agora, 28 pontos em dez partidas.

A situação dos brasileiros ainda é bastante confortável, pois a vantagem para o quinto colocado, no caso a própria Colômbia, é de 13 pontos.

Com exceção a Brasil e Argentina, que têm um jogo a menos em relação aos rivais, as demais seleções terão mais 21 pontos em disputa após o fim da rodada.

Na próxima quinta-feira (14), o Brasil encara o Uruguai, na Arena Amazônia, às 21h30. Se tivesse vencido neste domingo, já poderia ter chances de se garantir matematicamente na Copa.

O duelo com os colombianos foi válido pela 5ª rodada das Eliminatórias.

O jogo deveria ter acontecido em março, mas foi adiado por conta da pandemia de coronavírus. As seleções voltarão a se encontrar no mês que vem, em São Paulo, pela 13ª rodada.

No Estádio Metropolitano, em Barranquilla, que pôde receber um público de até 75% de sua capacidade, (desde que os presentes estivessem vacinados contra a Covid-19), o Brasil até teve mais posse de bola, mas não conseguiu converter isso em superioridade técnica.

Pelo contrário, os donos da casa tiveram mais chances claras de abrir o placar e finalizaram mais vezes do que os brasileiros (9 contra 8).

A produção ofensiva das duas equipes, porém, foi muito aquém do que se esperava. Neymar, por exemplo, não teve nenhum arremate no confronto que exigiu grande esforço do goleiro Ospina.

O goleiro só apareceu, de fato, nos minutos finais, sobretudo quando Antony e Raphina entraram na partida. O atacante do Ajax, da Holanda, teve uma oportunidade cara a cara com Ospina, mas o colombiano conseguiu fazer uma grande defesa.

Do outro lado, Falcao e Quintero deram mais trabalho aos defensores brasileiros, mas também pecaram na hora de converter as chances criadas em gol.

Mesmo com uma pressão nos minutos finais, de ambos os lados, o placar seguiu sem gols até o fim.

Fonte: Folhapress

O atacante Neymar surpreendeu ao afirmar que a Copa do Mundo de 2022, no Catar, pode ser a última de sua carreira. Aos 29 anos, o jogador da seleção brasileira acredita que não "terá cabeça" para estar jogando em alto nível com chances de jogar o Mundial de 2026, na América do Norte.

2f4a70fbc8536e117c2e7ed125c0cd6cCréditos: Lucas Figueiredo/CBF

"Acho que é minha última Copa do Mundo (2022). Eu encaro como a minha última porque não sei se terei mais condições, de cabeça, de aguentar mais futebol. Então vou fazer de tudo para chegar muito bem, fazer de tudo para ganhar com meu país. Para realizar o meu sonho desde pequeno e espero poder conseguir", disse Neymar, em entrevista ao documentário Neymar Jr. and The Line Of Kings, da DAZN.

Na Copa de 2026, a ser disputada nos Estados Unidos, Canadá e México, o atacante terá 34 anos, idade em que outros craques já jogaram algumas edições do Mundial. Para efeito de comparação, o zagueiro Thiago Silva, de 37 anos, já foi convocado pelo técnico Tite para jogos da seleção neste ano e tem chances de aparecer na lista da Copa de 2022.

Neymar é nome certo na equipe nacional para o Mundial do próximo ano, caso a seleção confirme a classificação nas Eliminatórias. Será sua terceira Copa. Ele estreou na competição em solo nacional no Mundial de 2014.

Quatro anos depois, esteve na Copa da Rússia. No Brasil, se machucou nas quartas de final e não estava em campo quando a seleção levou 7 a 1 da Alemanha. Na Rússia não conseguiu impedia a queda para a Bélgica nas quartas de final.

Neymar é o maior atacante da seleção desde a geração dos Ronaldos, Kaká e Rivaldo. Mas ainda não teve o mesmo sucesso que seus antecessores na seleção. Após estrear pelo time principal em agosto de 2010, o jogador do Paris Saint-Germain faturou apenas um título, o da Copa das Confederações de 2013.

Além disso, liderou a seleção olímpica na busca pela medalha de ouro no Rio-2016. E participou da conquista do Sul-Americano Sub-20 de 2011. A geração anterior conquistou a Copa do Mundo de 2002, além da Copa das Confederações de 2005 e 2009.

Neste domingo, na partida contra a Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa, o atacante defenderá a seleção brasileira pela 114ª vez Vai superar, assim, Pelé e Djalma Santos e se tornará o quinto jogador que mais disputou partidas pela equipe nacional.

O atacante de 29 anos também se destaca com seus gols. Ele já é o segundo maior artilheiro da seleção, com 69 gols. Está atrás apenas de Pelé, que soma 77 pelas contas da Fifa e 95, pelas estatísticas da CBF, que leva em consideração confrontos com times e combinados.

Fonte: Estadão Conteúdo

Com um jogador a mais desde o fim do primeiro tempo, o cruzmaltino viu Nenê perder pênalti no último lance do jogo e foi derrotado pelo Sampaio Corrêa, por 1 a 0, no Castelão, em São Luís (MA), pela 29ª rodada.

32e78b5542398b1db71ce0cd01eb17fcFoto: Rafael Ribeiro/Vasco

Sem conseguir emplacar a quarta vitória seguida, o Vasco estacionou nos 43 pontos e continua na oitava colocação. A diferença para o G-4 é de cinco, mas poderia ficar em dois.

Já o Sampaio Corrêa encerrou um jejum de sete jogos e agora é o décimo colocado, com 40 pontos.

A festa das torcidas nas arquibancadas animou os dois times, que começaram o jogo com tudo. O Vasco quase abriu o placar com Gabriel Pec aos oito minutos. Na sequência, um lance polêmico.

Ciel caiu dentro da área após dividir com Vanderlei e o árbitro assinalou pênalti a favor do time da casa. No entanto, Caio Max voltou atrás após consultar o VAR.

O lance animou ainda mais o Vasco, que continuava com mais posse de bola. Aos 21 minutos, Gabriel Pec cruzou rasteiro e Cano quase completou para o gol. O argentino conseguiu tocar na bola, mas não o bastante.

O Sampaio Corrêa era perigoso nas poucas chances que criava e Ciel fez Vanderlei trabalhar em cabeçada no canto.

Mais um lance polêmico aconteceu no último lance do primeiro tempo. Gabriel Pec recebeu de Nenê e foi derrubado por Luis Gustavo quase na entrada da área. O árbitro expulsou direto o lateral do Sampaio Corrêa, gerando muita revolta dos maranhenses Por reclamação, Luiz Daniel e Alyson foram amarelados.

Logo aos três minutos do segundo tempo, Nenê marcou para o Vasco, mas o gol foi anulado porque Gabriel Pec estava impedido na origem do lance. E o Sampaio Corrêa quase surpreende na sequência.

Ciel fez jogada individual dentro da área, passou fácil por Leandro Castán e bateu para defesa de Vanderlei.

O Sampaio Corrêa era melhor que o Vasco mesmo com um a menos e Pimentinha exigiu mais uma boa defesa de Vanderlei em chute forte. Aos 19 minutos, Allan Godói subiu mais que todo mundo após cobrança de escanteio e mandou no cantinho para colocar o time maranhense na frente.

A pressão do Vasco se intensificou e Luiz Daniel evitou o empate com um milagre em voleio de Daniel Amorim. Aos 43, Leandro Castán quase completou para o gol, mas chutou em cima da marcação.

O goleiro do Sampaio Corrêa voltou a trabalhar nos acréscimos em finalização de Cano.

O melhor estava marcado para o último lance. Aos 53 minutos, Jarro Pedroso derrubou Riquelme dentro da área e o árbitro assinalou pênalti para o Vasco. Nenê cobrou mal e mandou nas mãos de Luiz Daniel que caiu no canto esquerdo e fez a defesa.

No próximo sábado, o Vasco faz um confronto direto contra o líder Coritiba, às 16h30, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ). O Sampaio Corrêa joga já na terça-feira, contra o Vitória, às 19 horas, novamente no Castelão, em São Luís (MA). As partidas são válidas pela 30.ª rodada.

Fonte: Estadão Conteúdo

O Palmeiras não consegue mesmo se encontrar no Brasileirão. Neste sábado à noite, perdeu mais uma, desta vez para o Red Bull Bragantino, por 4 a 2, no Allianz Parque e sob os olhares de 8 884 torcedores.

6359c10e2d2d2192a53cdbd3ebe6f203Foto - Cesar Greco - Palmeiras

Continua em terceiro lugar, mas empacou nos 39 pontos e agora está a 14 do líder Atlético-MG. O time voltou a pecar por erros defensivos e novamente pagou caro. O Bragantino subiu para o quinto lugar, com 38.

A torcida do Palmeiras finalmente reencontrou o time. E estava entusiasmada. O grito de "Palmeiiiraaas" que no último ano e meio veio dos alto-falantes do Allianz Parque, na noite deste sábado ecoaram forte das arquibancadas.

Inclusive depois que o time levou o primeiro gol. Mas depois do terceiro do Bragantino, também teve xingamento, críticas a Abel Ferreira e discussão entre um torcedor e o atacante Luiz Adriano, que estava no banco de reservas.

Os dois times começaram o jogo de maneira agressiva. O Palmeiras procurava jogar adiantado, sufocar a saída de bola do Bragantino e se impor. Mas o time visitante também tinha suas armas. Uma delas eram as bolas esticadas.

A primeira boa chance foi do Palmeiras, que numa cobrança de falta ensaiada acertou a trave em chute de Dudu. Pouco depois, porém, o Bragantino fez seu primeiro gol, em uma esticada de bola.

Aderlan lançou do campo de defesa, Ytalo conseguiu se infiltrar no meio dos zagueiros, dominar e bater forte. No lance, um dos defeitos defensivos do Palmeiras mostrados nesta noite: jogadores em linha e dando espaço.

Ainda assim, o time da casa continuou buscando o empate e por algumas vezes só não conseguiu por culpa do goleiro Clayton. Para piorar, dois erros em saídas de bola, um atrás do outro, permitiram ao Braga aumentar rapidamente a vantagem.

No primeiro, Danilo Barbosa perdeu a bola e na sequência da jogada Cuello chutou, a bola desviou no próprio volante e enganou Jailson. No outro, a partir do erro de passe de Kuscevic, improvisado na lateral direita, a bola chegou a Arthur, que não desperdiçou. O jogo tinha apenas 35 minutos.

"Começamos bem, em cima do Bragantino. Desatenção nossa e tomamos três gols. Isso não pode. Não sei o que aconteceu. Vamos ver o que fazer para melhorar. Não sei explicar", lamentou Dudu no intervalo.

Naquela altura, a situação só não estava pior porque o próprio Dudu havia feito o primeiro do Palmeiras aos 41 minutos, completando de cabeça excelente cruzamento de Kuscevic. E porque o Palmeiras não se entregou diante do revés.

Abel mexeu no time no intervalo, colocando Gabriel Veron no lugar de Wesley. Queria jogar mais aberto. O Palmeiras foi à luta. Mesmo diante de um adversário bem postado, pressionou bastante e uma das investidas Jorge sofreu pênalti ao pegar o rebote do goleiro em chute de Dudu. Raphael Veiga bateu e fez 3 a 2 com 16 minutos.

Não faltava disposição ao Palmeiras, embora um pouco confuso, pois, com a entrada de Luiz Adriano, o time ficou com muitos jogadores ofensivos, mas um buraco no meio-campo.

E o Braga, mais preocupado em se fechar, não deixava de aproveitar os espaços. Assim, chegou ao quarto gol, quando Arthur recebeu na meia-luz e colocou sem chance para Jailson.

O Palmeiras seguiu martelando, rondando a área do adversário, colocou bola na trave, levou perigo a Clayton. Não faltou tentar, mas a eficiência do Bragantino prevaleceu.

Fonte: Estadão Conteúdo