• Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Farmaduty

O Flamengo se aproximou da semifinal da Copa Libertadores ao derrotar o Internacional por 2 a 0, nesta quarta-feira, no Maracanã, pelo jogo de ida das quartas de final. O duelo de volta será na próxima quarta-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre, quando o time carioca poderá perder por até um gol para conquistar a vaga na próxima fase. Bruno Henrique, autor dos dois gols, foi o destaque da partida, presenciada por mais de 66 mil torcedores.

deaca4026c8d3085116b21e5b54eb814Fotos: Alexandre Vidal & Marcelo Cortes / Flamengo

Mas eles se decepcionaram com o primeiro tempo apresentado pelas duas equipes. Sobrou confusão e faltou emoção. O árbitro chileno Roberto Tobar falou demais com os jogadores, que aproveitaram para abusar das reclamações.

A forte marcação dos dois times tornou a partida "pegada", o que ocasionou uma série de duelos. Rodrigo Lindoso reclamou da entrada de Everton Ribeiro, Bruno acusou falta de Arrascaeta, Rafinha e Rafael Sóbis trocaram ofensas e até o técnico Jorge Jesus entrou no clima tenso.Futebol foi pouco visto no gramado do Maracanã nos primeiros 45 minutos. O Flamengo teve mais a bola e por isso o Inter pouco incomodou Diego Alves, que foi exigido aos três minutos, após recuo mal feito que Guerrero quase aproveitou. Depois disso, o goleiro flamenguista foi um espectador privilegiado.

Com Gabriel visivelmente fora de jogo por causa dores musculares que quase o impediram de atuar e Arrascaeta prejudicado devido a uma virose, o Flamengo conseguiu furar o bloqueio gaúcho poucas vezes. Quem mais incomodou o goleiro Marcelo Loma foi Bruno Henrique, com um chute perigoso de longa distância e duas cabeçadas fracas.

A melhor chance ocorreu aos 45 minutos na única falha da defesa do Inter na primeira etapa. Um cruzamento despretensioso de Filipe Luís encontrou Everton Ribeiro sozinho na entrada da área O meia tocou para Gabriel e finalização saiu truncada.

O segundo foi menos tenso, mas ainda mais sem inspiração. As defesas prevaleceram sobre os ataques e as chances de gols rarearam. Hellmann tentou aumentar a velocidade do Inter, ao colocar em campo Wellington Silva e Nico López.

Os quinze minutos finais foram emocionantes como a torcida esperava. Duas falhas na zaga gaúcha deram grande vantagem ao Flamengo. Aos 29, Everton Ribeiro lançou Bruno Henrique. Victor Cuesta cortou e a bola sobrou para Gerson. O meia voltou a servir Bruno Henrique, que, com o gol aberto, só teve o trabalho de empurrar a bola para abrir o placar. Aos 33, mais uma vez Bruno Henrique levou vantagem sobre Victor Cuesta e bateu sem chance de defesa para Lomba.

Aos 36, o VAR entrou em ação, ao analisar um lance entre Guerrero e Rodrigo Caio. A bola bateu na perna e na mão do zagueiro do Flamengo e, portanto, o árbitro, após conferir no vídeo, não apontou a penalidade para o Inter.

Os gaúchos foram para o ataque, tentando diminuir a desvantagem para o segundo jogo. Com isso, abriram espaço para os contra-ataques cariocas. Aos 40, Gabriel quase fez o terceiro. Mas o Inter perdeu a maior das oportunidades, aos 45, quando Nico López invadiu a área e errou por muito pouco.O jogo não foi o que se esperava, mas a torcida do Flamengo ficou feliz com o resultado, enquanto o torcedor colorado mantém a esperança de reverter o resultado em casa.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 x 0 INTERNACIONAL
FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luís; Cuéllar, Willian Arão, Arrascaeta (Gerson) e Everton Ribeiro (Berrío); Gabriel e Bruno Henrique. Técnico: Jorge Jesus.
INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson (Parede), Patrick e D'Alessandro (Nico López); Rafael Sóbis (Wellington Silva) e Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.
GOLS - Bruno Henrique, aos 29 e aos 33 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - Guerrero, Patrick, Willian Arão, Rafinha.
ÁRBITRO - Roberto Tobar (CHI).
RENDA - R$ 4.758.998,75.
PÚBLICO - 60.797 pagantes (66.366 no total).
LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).
Fonte: Estadão Conteúdo

O São Paulo manteve a boa fase após a parada da Copa América e venceu o Athletico Paranaense, por 1 a 0, na Arena da Baixada, em Curitiba, em partida da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória conquistada nesta quarta-feira deixou o São Paulo na quarta colocação, com 30 pontos. O time da casa permaneceu na oitava posição, com 22 pontos. O atacante Vítor Bueno marcou aos 39 minutos do primeiro tempo.

dbe601bfcc6362ed5f764c0c0e265d69Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

O Athletico começou a partida pressionando o São Paulo em seu campo, explorando o lado direito com Madson, que levava vantagem sobre Vítor Bueno. Aos 6 e aos 10 minutos, Marcelo Cirino recebeu passes pela direita e quase abriu o placar.

O técnico Cuca percebeu a estratégia atleticana e inverteu o posicionamento de Liziero com Vítor Bueno e conseguiu neutralizar as jogadas pela direita. Em uma jogada pela esquerda, Liziero encontrou Vítor Bueno livre no meio da área, o atacante esperou a saída de Santos e tocou por cima para marcar o gol da vitória. Dois minutos depois Léo Pereira quase empatou, após cobrança de escanteio.

Na segunda etapa, para dar mais agressividade ao ataque, o técnico Tiago Nunes colocou o argentino Marco Ruben no lugar de Rony, mas a alteração não surtiu efeito imediato. O time da casa tentava impor mais velocidade, mas perdia passes curtos e perdia para a defesa do São Paulo. Aos 14 minutos, o atacante Raniel recebeu pela esquerda, ajeitou e bateu rente à trave de Santos.Apesar do susto, o Athletico voltou a responder e ficou mais agressivo com a entrada de Vitinho no lugar do amarelado Thonny Anderson, que não estava bem na partida. Com a entrada de Vitinho, Igor Vinícius deixou de avançar e o rubro-negro jogava praticamente no campo do visitante. Aos 26, Marco Ruben quase empatou, após cruzamento pela direita, mas o atacante não alcançou a bola.

Pressionado pelo time da casa, Cuca trocou o autor do gol, Vítor Bueno, pelo volante Willian Farias. A equipe paulista esperava encaixar um contra-ataque, mas as oportunidades não surtiam efeito.

A Athletico mantinha a pressão e, aos 43 minutos, Marco Ruben acertou uma bicicleta e a bola passou rente à trave.

No fim de semana, também pelo Brasileirão, o Athletico-PR vai visitar o Grêmio no sábado. No dia seguinte, o São Paulo terá pela frente o Vasco, em São Januário. Ambos os jogos serão válidos pela 16ª rodada.

FICHA TÉCNICA:
ATHLETICO-PR 0 x 1 SÃO PAULO
ATHLETICO-PR - Santos; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano; Wellington (Thomas Andrade), Bruno Guimarães e Nikão; Marcelo Cirino, Thonny Anderson (Vitinho) e Rony (Marco Ruben). Técnico: Tiago Nunes.
SÃO PAULO - Tiago Volpi; Igor Vinícius, Anderson Martins, Arboleda e Reinaldo; Liziero (Léo Pelé), Tchê Tchê e Daniel Alves; Antony (Juanfran), Vítor Bueno (Willian Farias) e Raniel. Técnico: Cuca.
GOL - Vítor Bueno, aos 39 minutos do primeiro tempo.
CARTÕES AMARELOS - Bruno Guimarães, Wellington, Reinaldo, Thonny Anderson.
ÁRBITRO - Daniel Nobre Bins.
RENDA - R$ 765.475,00.
PÚBLICO - 21.562 pagantes.
LOCAL - Arena da Baixada, em Curitiba (PR).
Por Julio Cesar Lima, especial para a AE
Estadão Conteúdo

O Palmeiras venceu o Grêmio nesta terça(20), em Porto Alegre, por 1 a 0, e saiu em vantagem na disputa por vaga na semifinal Libertadores. A equipe paulista, agora, poderá jogar por um empate em casa.

03f9b8781dcb9e5d070630455072297cFoto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

O segundo duelo entre as equipes será na próxima terça (27), às 21h30, no estádio do Pacaembu. Em caso de vitória gremista pelo placar mínimo, haverá disputa por pênaltis.

Com formações espelhadas, ambos no esquema 4-3-3, Palmeiras e Grêmio tiveram dificuldades para fazer a bola rolar com velocidade no começo do primeiro embate. O excesso de erros de passes deixava o jogo truncado.

Em casa, o time gaúcho tomava mais iniciativa, mas era os contra-ataques palmeirenses que originavam os lances mais agudos.Até os 30 minutos, no entanto, os goleiros pouco foram acionados até o momento em que Gustavo Scarpa sofreu uma falta, da intermediária. Era uma boa chance de mandar a bola para a área.

Marcos Rocha se posicionou para a cobrança e preferiu rolar curta para o próprio Scarpa. O meia soltou um chute indefensável. A bola ainda tocou no travessão antes de ir ao fundo da rede: 1 a 0.

Foi o sexto gol do camisa 14 na competição, da qual ele agora divide a artilharia com Marco Ruben (Athletico-PR) e Adrián Martínez (Libertad). Ele também é o goleador da equipe de Felipão na temporada, após balançar as redes dez vezes.

Antes do intervalo, o Grêmio ainda reclamou de dois supostos pênaltis -quando Alisson e Diogo Barbosa tiveram um encontrão dentro da área, e em um lance em que a bola bateu na mão de Luan. O árbitro esperou análise do VAR, e nenhuma infração foi apontada.

Na etapa final, Renato Gaúcho tentou mudar a forma de sua equipe jogar e colocou Tardelli no lugar de André. O Grêmio passou a ter mais presença de área e ampliou sua posse de bola (65% a 35%). Porém ainda pecava nos arremates.

Apesar de passar menos tempo com a bola, o Palmeiras demonstrava estar mais seguro na partida, pronto para buscar o segundo gol na primeira oportunidade clara para contra-atacar.

Aos 30 minutos, veio a primeira chance, quando Carlos Eduardo fez jogada pela direita, cruzou rasteiro, Dudu finalizou de primeira e acertou a trave de Paulo Victor.

Justamente quando a equipe alviverde ensaiava uma pressão, acabou perdendo um jogador. Felipe Melo cometeu dura falta em Luciano, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso aos 31 minutos.

Foi a segunda vez este ano que o volante deixou o Palmeiras com um a menos em campo. Na 14ª rodada do Brasileiro, ele também foi para chuveiro mais cedo ao levar cartão vermelho diante do Bahia.
Em desvantagem numérica, o time alviverde recuou completamente em Porto Alegre e, com todos os seus jogadores no campo de defesa, se concentrou em segurar a vitória pelo placar mínimo.

Fonte: Folhapress

A técnica Pia Sundhage fez nesta terça-feira (20) sua primeira convocação à frente da seleção brasileira feminina de futebol, para a disputa de um torneio amistoso de seleções que ocorrerá no estádio do Pacaembu de 26 de agosto a 3 de setembro.

7a925e73eed9602f995f6889976bc8afCréditos: Lucas Figueiredo/CBF

Ao menos por enquanto, a sueca optou por manter a base do time que jogou a Copa do Mundo na França, realizada em junho e julho deste ano. Das 23 atletas que participaram do mundial, 15 estão na lista desta terça.

Há anos a seleção se apoia em atletas veteranas como Marta, 33, e Formiga, 41. Ao menos por enquanto, a renovação não ocorreu. A média de idade das convocadas nesta terça ficou em 28,1 anos, acima do que se viu no grupo que disputou o Mundial da França: 27,9.

Com pouco mais de uma semana para ajustar o time que enfrentará a Argentina no dia 29, às 21h30, Pia começa um ciclo que já em 2020 terá um grande desafio: os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Com o status de bicampeã do torneio (2008 e 2012), ela tenta levar o Brasil ao seu primeiro ouro na modalidade após dois vices (em 2004 e 2008).

Veja as convocadas:

Goleiras: Bárbara (Avaí/Kindermann) e Aline Reis (Tenerife-ESP);
Laterais: Letícia Santos (Frankfurt-ALE), Fabiana (Internacional), Joyce (Tenerife-ESP) e Tamires (Corinthians);
Zagueiras: Kathellen (Bordeaux-FRA), Mônica (sem clube), Erika (Corinthians) e Bruna Benites (Internacional);
Meias: Thaisa (Real Madrid-ESP), Formiga (Paris Saint-Germain-FRA), Luana (KSPO-CDS) e Yaya (São Paulo);
Atacantes: Andressa Alves (Roma-ITA), Geyse (Benfica-POR), Marta (Orlando Pride-EUA), Milene (Corinthians), Debinha (North Carolina Courage-EUA), Chú (Changchun Dazhong-CHN), Bia Zaneratto (Incheon Hyundai-CDS), Ludmila (Atlético de Madrid-ESP) e Raquel (Sporting Lisboa-POR).

Fonte: Folhapress

  • Rastek
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Espeto e Cia
  • Blossom
  • Paraiba