• Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Casa dos frios
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Casa dos frios
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Posto Aliança

A imprensa esportiva tem manifestado um enorme entusiasmo com o futebol apresentado pelo Flamengo no atual Campeonato Brasileiro. Realmente a equipe comandada por Jorge Jesus está jogando bem e liderando a competição com possibilidades bem claras de conquistar o título.

1b0027e07a8c013e4b4b665a88383b15Foto - Twitter - Flamengo

É um futebol ofensivo, sempre em busca do gol, até mesmo para ampliar uma vantagem mostrada no placar. As goleadas sobre Goiás, Vasco da Gama, Corinthians refletiram a superioridade em campo.

A goleada de 5 x 0 sobre o Grêmio na Libertadores da América com um show de bola no Maracanã fez crescer o entusiasmo da torcida e da imprensa. O time rubro-negro realmente é bom. Os seus jogadores são de excelente qualidade técnica.

Em vários programas de rádio e TV foi colocado em debate o seguinte tema : qual é o melhor time, comparando o atual e o dos anos oitenta ?

Na década de 80 o Clube de Regatas Flamengo teve uma atuação marcante no futebol brasileiro e até mesmo internacional. Foram conquistados os seguintes títulos:

. Flamengo campeão carioca em 1981.

. Flamengo campeão brasileiro em 1980, 1982 e 1983.

. Flamengo campeão da Taça Libertadores da América em 1981.

. Flamengo campeão mundial de 1981.

A equipe considerada base no período era formada por Raul; Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Lico. Os técnicos foram Cláudio Coutinho e Paulo César Carpegiani. Zico era o grande astro, o líder, um dos maiores craques da história do futebol brasileiro.

O Flamengo de 1983 atuou em Teresina. Enfrentou e venceu o Tiradentes por 3 x 1 pelo Campeonato Brasileiro. Sessenta mil torcedores foram o Albertão, inclusive vindos de várias cidades do interior do Piauí e do interior do Maranhão. O recorde de público no Albertão nunca foi superada, nem mesmo pela Seleção Brasileira com Ronaldo Fenômeno & Cia.

Confirmo que o time atual é realmente o melhor do atual futebol brasileiro, porém ainda não tem histórico de títulos, além do carioca.Tem pela frente as disputas do Campeonato Brasileiro, da Taça Libertadores da América e do Mundial de Clubes. Vai ganhar ? Precisamos esperar.

 

Fonte:cidadeverde.com

O Bahia completou cinco jogos sem vencer - três deles em casa - no Campeonato Brasileiro ao empatar com a Chapecoense por 1 a 1, nesta quarta-feira à noite, na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

c7ab2111c23f2fdefa06c79fa1fccccbFotos: Felipe Oliveira / EC Bahia

O resultado deixa o Bahia cada vez mais distante do G-6 para garantir uma vaga na Copa Libertadores. Soma 43 pontos, em nono lugar. À espera de um milagre para continuar na elite em 2020, o time catarinense segue em penúltimo lugar, com 22 pontos.

O técnico Roger Machado armou o time no esquema 4-3-3. Já a Chapecoense se defendia com cinco e tinha uma linha na frente de quatro jogadores, uma variável do 4-3-3. Os dois técnicos, portanto, com escalações ofensivas.

A primeira chance saiu logo no minuto inicial, quando Moisés desceu pelo lado esquerdo em velocidade e cruzou rasteiro. No meio da área, Fernandão bateu de perna esquerda, mas pegou debaixo da bola e ela subiu.

A resposta do visitante foi fatal. Bruno Pacheco cobrou falta do lado esquerdo, levantando a bola na área. A tabelinha de cabeça funcionou bem. O zagueiro Rafael Pereira ajeitou de cabeça e Henrique Almeida completou também com cabeçada para as redes aos 13. A defesa pediu impedimento, mas Moisés dava condições de jogo ao atacante catarinense.

O gol deu confiança ao visitante e, ao contrário, passou a enervar os baianos que passaram a errar passes e não chegaram com perigo na frente. A única chance real saiu de uma jogada individual de Élber, que entrou na área driblando dois defensores, porém, na hora da finalização bateu torto para fora.

No final do primeiro tempo, um lance preocupou a todos quando Fernandão, de maneira involuntária, acertou o calcanhar no queixo de Rafael Pereira. Ele caiu desacordado. Tanto que acabou substituído por Hiago. Ao término do primeiro tempo, muitas vaias para os tricolores pela falta de agressividade.

Na volta do intervalo, o Bahia voltou diferente com Gilberto no lugar de Élber. A partir daí, ele passou a atuar com dois centroavantes, porque Fernandão seguiu em campo. Marquinhos Santos foi obrigado a fazer uma segunda troca por lesão: saiu Henrique Almeida para a entrada de Dalberto.

A orientação era para o time fazer o abafa nos 15 primeiros minutos e buscar o empate. A melhor chance saiu aos sete minutos, numa cobrança de falta na frente da área. Gilberto bateu forte e João Ricardo espalmou para escanteio.

Descontente, Roger Machado fez mais duas mudanças ofensivas. Trocou Fernandão por Arthur Caíke para ganhar fôlego e depois arriscou com a saída do volante Flávio para a entrada do meia Guerra. A torcida continuava irritada e na arquibancada gritava: "Time pipoqueiro".

Mas, em quatro minutos, o Bahia criou mais do que em todo o jogo Aos 37, Artur levantou na área e Gilberto mergulhou de cabeça para a grande defesa de João Ricardo. No minuto seguinte, Guerra invadiu a área pela esquerda e no momento da finalização foi bloqueado por João Ricardo.

O empate saiu aos 39 minutos, num chute de fora da área de Marco Antônio que desviou na defesa e entrou no canto direito do goleiro. No minuto seguinte, quase saiu a virada. Artur levantou na medida para Gilberto que cabeceou de cima para baixo, mas João Ricardo deu um tapinha e a bola ainda tocou no travessão antes de sair.

O VAR interferiu na expulsão de Renato que deu uma entrada violenta em Guerra. O árbitro paulista, que tinha mostrado o cartão vermelho, voltou atrás e levantou apenas o cartão amarelo Os últimos minutos foram de pressão, porém, sem nenhum gol. Ao final, a esperada vaia da torcida.

No próximo domingo o Bahia volta em campo diante do líder Flamengo, às 18 horas no Maracanã. A Chapecoense vai enfrentar o Grêmio, no mesmo dia, mas às 19 horas, na Arena Condá.

FICHA TÉCNICA:
BAHIA 1 x 1 CHAPECOENSE
BAHIA - Douglas Friederich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio (Guerra) e Marco Antônio; Artur, Fernandão (Arthur Caíke) e Élber (Gilberto). Técnico: Roger Machado.
CHAPECOENSE - João Ricardo; Renato, Rafael Pereira (Hiago), Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Amaral e Vini Locatelli (Augusto); Roberto, Henrique Almeida (Dalberto) e Everaldo. Técnico: Marquinhos Santos.
GOLS - Henrique Almeida, aos 13 minutos do primeiro tempo. Marco Antônio, aos 39 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO - Vinícius Furlan (SP).
CARTÕES AMARELOS - Arthur Caíke e Roger Machado (Bahia); Douglas, Renato e Roberto (Chapecoense).
RENDA - R$ 175.066,50.
PÚBLICO - 16.836 pagantes (17.085 no total).
LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).
Fonte: Estadão Conteúdo

Ampliada às 22h40

JES e Campo Largo do Piauí são as equipes do Piauí classificadas para as quartas de final da Copa Nordeste de Futsal, que acontece em Teresina. Os jogos desta quarta-feira (6) definifiram os confrontos da fase de mata-mata, que não terá o AABB/Mesa 14, único time piauiense eliminado na primeira fase da competição.

jes ceara 2

O JES empatou com o Ceará em um grande jogo no ginásio Verdão: 2 a 2. Os cearenses terminaram o Grupo C na liderança, enquanto os piauienses ficaram com a segunda posição e irão enfrentar o Tamandaré (PE).

Os pernambucanos foram os algozes do AABB/Mesa 14. O time do Piauí entrou em quadra podendo perder por dois gols de diferença para se classificar. Acabou goleado por 6 a 2 e eliminado no Grupo A.

Pela manhã, Campo Largo foi derrotado pelo Garapa (PE) por 2 a 1 e ficou com o terceiro lugar no Grupo B, mas acabou classificado como melhor terceiro colocado das três chaves. No mata-mata, o time piauiense voltará a enfrentar o Garapa.

COPA NORDESTE DE FUTSAL - QUARTAS DE FINAL - 07/11
15H - Pires Ferreira (CE) X Eusébio (CE)
16H30 - Garapa (PE) x Campo Largo (PI)
18H - Ceará (CE) x Sampaio (MA)
19H30 - Tamandaré x JES (PI)
JES (PI) 2X2 CEARÁ (CE)

jes ceara 1 1
O placar foi aberto apenas no segundo tempo. Lelê marcou primeiro para os cearenses. Em desvantagem, o JES tentou usar o goleiro linha, mas foi vencido no contra-ataque por outro gol de Lelê.

O time piauiense reagiu em seguida e diminuiu com Ericson. O gol parece ter empolgado a equipe do técnico Paulo Evaristo, que foi para cima do adversário. O empate demorou pouco, e veio em contra-ataque de Idelvando, que fez um lindo gol. Mas ficou nisso - com direito a um festival de chances desperdiçadas pelo JES.

AABB/MESA 14 (PI) 2x6 TAMANDARÉ (PE)
O jogo mal começou e Negada, após cobrança de falta, apareceu no pé da trave e escorou para o gol. O time do Mesa 14 reagiu pouco tempo depois, com gol de Evaldo, cobrando falta.

Mas, ainda no primeiro tempo, Valdívia, Marcelo Russas e Wanderson começaram a transformar o empate em goleada: 4 a 1 para o Tamandaré.

O resultado adverso eliminava o Mesa 14, que tentou reagir no início do segundo tempo, mas os ataques não se converteram em gol. A situação piorou quando Mimi fez 5 a 1, com direito a dancinha na comemoração.

Ewerton completou a goleada e Breno Bolt ainda descontou para o Mesa 14, mas faltaram outros dois gols para classificar o time piauiense.

 

Fonte:cidadeverde.com

Após um hiato de mais de duas décadas, o Bragantino está de volta à elite do futebol brasileiro. O acesso foi confirmado na noite desta terça-feira com a vitória por 3 a 1 sobre o Guarani, no estádio Nabi Abi Chedid, pela 33ª rodada da Série B, para delírio dos mais de 5 mil torcedores presentes.

b4712ad912eaa4c0d1e54b1a9d2e3d06Foto - Ari Ferreira - Bragantino

Vice-campeão nacional em 1991, perdendo o título para o São Paulo, o Bragantino disputou a Série A do Campeonato Brasileiro pela última vez em 1998, quando acabou na penúltima colocação, na frente, apenas, do América de Natal.

Com o apoio do Red Bull, a expectativa sobre a equipe do interior paulista cresce para 2020, até com o sonho de obter uma vaga na Copa Libertadores.

Nas rodadas que restam na Série B, o Bragantino vai em busca do título. O time do interior paulista, tem 65 pontos, contra 57 do Sport, 54 do Atlético-GO, 53 do Coritiba, e 50 do Paraná, quinto, que não pode alcançá-lo mais. O Guarani ficou com 39, cinco acima da zona de rebaixamento.

O JOGO - O Bragantino comandou o ritmo do primeiro tempo. O time da casa foi totalmente superior diante de um Guarani, que tomou decisões precipitadas em horas decisivas e pouco assustou. O placar só não foi aberto, pois Morato, que fez o pivô em cima de Arthur, mandou no travessão de Jefferson Paulino.

O goleiro também foi responsável pelo placar ficar no 0 a 0 nos 45 minutos iniciais. Após boa trama do Bragantino, Wesley recebeu na esquerda e encheu o pé para defesa de Jefferson Paulino. No rebote, ele fez um milagre ao segurar o arremate, à queima-roupa, de Ytalo.

Pelo lado do Guarani, Arthur, Rondinelly e Davó arriscaram, mas sem muita pretensão. O time acabou sendo presa fácil para o Bragantino, que demonstrou certa ansiedade de confirmar o acesso já nesta rodada.

O segundo tempo começou acelerado. O Guarani voltou melhor e desperdiçou duas oportunidades de abrir o placar com Ricardinho. Em uma delas, o volante recebeu de Diego Cardoso e tentou de primeira, na trave. O castigo veio na sequência. Aos 17 minutos, Claudinho cobrou falta na cabeça de Ricardo Ryller, que subiu sozinho, em posição irregular, para fazer 1 a 0.

O árbitro Roger Goulart precisou de quatro minutos para validar o lance. Inconformados com a marcação, os jogadores do Guarani cercaram a assistente Luiz Reis e acabaram iniciando um princípio de confusão com atletas do Bragantino. Goulart esfriou os ânimos e mandou o jogo seguir.

Com o Guarani cabisbaixo, o Bragantino cresceu e ficou muito perto de fazer o segundo aos 24 minutos. Pio arriscou e viu a bola sobrar para Claudinho. O atacante pegou de primeira e contou com um desvio de Bruno Silva para mandar na trave de Jefferson Paulino.

O time do interior paulista ampliou aos 30 minutos. Wesley foi derrubado por Bidu dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Pio foi para cobrança e fez 2 a 0. Na sequência, Claudinho quase marcou o terceiro. Jefferson pegou.

Aos 42 minutos, após falha defensiva do Guarani, Pedro Naressi, que acabara de entrar, avançou em liberdade e acertou um bonito chute para confirmar o retorno do clube à Série A.

O Guarani ainda conseguiu diminuiu, mas não evitar a derrota. Aos 46, Bady recebeu na esquerda e fez 3 a 1, sem, porém, estragar a festa do adversário.

Na próxima rodada, o Bragantino enfrentará o Botafogo-SP na sexta-feira, às 19h15, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. No sábado, ás 16h30, o Guarani fará clássico contra a Ponte Preta, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Rastek
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia