• Paraiba
  • Construforte
  • Jorge
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • chopp sabora
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Paraiba
  • Construforte
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Jorge
  • chopp sabora
  • Posto Aliança
  • Dario PAX

O Flamengo ensaiou uma reação com Paulo Sousa, mas voltou a fazer um jogo de altos e baixos no empate contra Talleres (ARG), pela Copa Libertadores, na quarta-feira (4). Característica que marca a temporada de um time que ainda busca estabilidade.

41ad376e137cf7254d309d8af1d686e7Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Agora, o time precisa voltar suas atenção para o Campeonato Brasileiro, e se prepara para o clássico contra o Botafogo neste domingo (8), a partir das 11h, pela quinta rodada do campeonato.

Como o Maracanã passa por reformas em seu gramado, a partida será disputada no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Na partida de quarta-feira, após um início bem organizado e com uma equipe com ares de titular, o clube rubro-negro se desmontou completamente com a saída Pablo, que sentiu dores na coxa, e passou a ser presa fácil de um rival que é o lanterna de seu grupo no Campeonato Argentino.

A queda foi admitida pelo treinador português, que ressaltou a perda de controle a partir da troca. Pablo deve estar entre os desfalques do time carioca no domingo.

A baixa de mais um defensor expôs os problemas que o clube tem para recuperar alguns jogadores, especialmente para o setor defensivo.

Para o duelo em Córdoba (ARG), Sousa não relacionou Rodrigo Caio, Fabrício Bruno, Léo Pereira e Gustavo Henrique. Com exceção do primeiro, que segue um cronograma especial de retorno, os outros três estão lesionados. Os quatro devem desfalcar o time rubro-negro novamente neste domingo.

Os problemas na linha de defesa não ficaram restritos apenas aos zagueiros, visto que Isla voltou a mostrar dificuldades quando atuou como lateral. Sem suporte dos homens mais avançados, Filipe Luís ficou exposto.

Recuado novamente para quebrar um galho, Arão fez um gol contra e se virou como pode no meio de uma chuva de bolas levantadas pelo adversário.

Diante da desorganização generalizada, o Flamengo viveu de lampejos para arrancar um empate que já parecia pouco provável. Sem aproximação entre os setores, o elenco rubro-negro apostou em bolas mais longas para Bruno Henrique e rezou para que Arrascaeta descobrisse um passe salvador.

Mais uma vez, o uruguaio foi o mais lúcido da equipe e achou um chute de rara felicidade para empatar. O camisa 14 tentou acelerar um pouco o jogo, porém faltou companhia. Lutador como sempre, Gabigol recebeu pouquíssimas bolas e brilhou quando saiu da área para servir Pedro no 2 a 2.

O técnico Paulo Sousa mexeu no time, o Flamengo subiu, conseguiu ficar um pouco mais com a bola, mas faltou uma atuação mais sólida para os rubro-negros, que passaram os primeiros 45 minutos sem dar um arremate em gol sequer.

A oscilação na Argentina se agrava à medida que o time ficou devendo na derrota para o Athletico (pelo Campeonato Brasileiro) e na vitória atribulada contra o Altos-PI (Copa do Brasil), embora tenha havido muitas mudanças nestes dois jogos que antecederam a Libertadores.

"No segundo tempo, optamos por mais jogadores na frente. Sabíamos que nas entrelinhas nós íamos criar espaços. Dentro do que foi o jogo, acho que estamos todos de parabéns", disse Paulo Sousa, que destacou a capacidade de reação do time:

"Nossa equipe tem um caráter extraordinário. Em situações adversas eles mostram caráter e buscam o resultado. Para termos consistência individual todos têm de ter continuidade nos processos competitivos para que possamos atingir o máximo."

Entre bons momentos e apagões, o Flamengo arrancou um ponto importante em uma noite ruim e caminha a passos largos para ir às oitavas de final da Libertadores. Agora, o time precisa busca repetir o sucesso contra o Botafogo.

O clube rubro-negro é o 12º colocado da Série A, com cinco pontos em quatro jogos. O time tem somente uma vitória, e soma dois empates e uma derrota -esta contra o Ahtletico-PR, na última rodada do Brasileiro.

O time busca uma atuação mais estável e certeira para garantir um bom posicionamento na tabela do campeonato nacional.

Apesar da participação positiva, Pedro e Filipe Luís sentiram dores musculares na partida contra o Talleres, e são dúvidas para jogo contra o Botafogo. Em compensação, o atacante Matheuzinho tem participado dos treinos com o grupo principal, e pode estar entre os relacionados.

Uma provável escalação inicial do Flamengo tem: Hugo Souza; Willian Arão, David Luiz e Rodinei; Isla, João Gomes (Pedro), Thiago Maia, Everton Ribeiro (Lázaro) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Victor Hugo) e Gabigol.

O Botafogo, por sua vez, chega à partida buscando a sua segunda vitória no Campeonato Brasileiro -a última foi contra o Ceará, ainda na segunda rodada.

Com cinco pontos, o clube está em 13º na tabela, com uma vitória, uma derrota e dois empates, assim como o Flamengo, de quem perde pelo saldo de gols.

Para a disputa deste domingo, o técnico Luís Castro não poderá contar com o zagueiro Philipe Sampaio, lesionado na partida contra o Juventude, na quarta rodada do Brasileiro. Os laterais Carlinhos e Rafael e o meia Barreto também continuam no departamento médico.

Em compensação, o zagueiro Kanu, que estava em transição física após lesão muscular, pode fazer seu retorno.

Uma provável escalação do Botafogo tem: Gatito Fernández; Saravia, Victor Cuesta, Kanu e Daniel Borges; Patrick de Paula (Tchê Tchê), Chay e Luis Oyama; Gustavo Sauer, Erison (Matheus Nascimento) e Victor Sá.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

O atacante Neymar, do PSG e da seleção brasileira, contou durante uma live com Diego Ribas, do Flamengo, no Instagram, como lida com as vaias que recebe da própria torcida em diferentes situações.

84c595545d95daee68515ec9a378c15dFoto - Lucas Figueiredo | CBF

O camisa 10 do time francês admitiu que esse tipo de situação o deixa triste, e disse que buscou forças ao pensar no carinho de amigos e familiares durante toda a sua carreira.

Neymar ponderou ainda que, quando a torcida está a seu favor, ele tem um elemento a mais para se fortalecer em campo, mas avaliou que, como o ânimo dos fãs pode mudar, precisa se apegar a sentimentos que não mudam, como de sua família.

"Ninguém gosta de ser vaiado, ainda mais jogando em casa. É chato, é triste. Já aconteceu comigo aqui no PSG, na seleção e fiquei triste. Não fiquei confortável, mas tive que buscar força de algum lugar. Aí, vem tudo o que você viveu até aquele momento", declarou Neymar.

"Lembrei da minha infância, das pessoas que me ajudaram. Eu penso em jogar por quem está torcendo por mim de verdade, não por quem está me vaiando. Eu sei que meu filho está torcendo, minha família. Por que me abater com as vaias?

Tem jogo que a gente joga para torcida, quando está tudo bem. A gente dá show. Mas tem dia, nos momentos ruins, que tem que se apegar à família. Nesses momentos de vaia, meus pensamentos sempre foram para a família", completou.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Mesmo sem apresentar um bom futebol, o Red Bull Bragantino foi valente e buscou empate com o Vélez Sarsfield-ARG na noite desta quinta-feira, por 1 a 1, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

eb22ce0ac783ab9c53f3fe917ec7fe52Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino

Lucas Pratto, ex-Atlético-MG e São Paulo, e Hurtado, marcaram os gols da partida.

O empate mantém o time paulista na vice-liderança do Grupo C, agora com cinco pontos. Cinco pontos a menos que o líder Estudiantes. Já o Vélez Sarsfield segue sem vencer, tem apenas dois pontos e ocupa a lanterna da chave, em situação complicada na briga pela classificação à próxima fase.

Antes de a bola rolar, o Bragantino comunicou que o técnico Maurício Barbieri havia testado positivo para a covid-19. O auxiliar Claudio Maldonado, ex-volante de Corinthians e Cruzeiro, dirigiu o time à beira do campo.

O Bragantino teve muitas dificuldades em passar pela forte marcação do Vélez Sarsfield no primeiro tempo. E, para piorar, os argentinos ainda abriram o placar logo aos 13 minutos, quando Orellano deu ótima assistência para Lucas Pratto, que driblou Cleiton e finalizou para o gol.

Foram raros os momentos em que o time paulista conseguiu envolver os adversários e criar lances de perigo ao goleiro Hoyos. Se por baixo era praticamente impossível, o Red Bull Bragantino apostou em jogadas aéreas, opção que também não funcionou para buscar o empate.

O Vélez foi mais efetivo e perigoso nos contra-ataques. Aos 25, Orellano entrou na área e finalizou para ótima defesa de Cleiton Depois, aos 37, Pratto deixou a bola passar e novamente Orellano assustou, só que em chute que foi pela linha de fundo.

Após o intervalo, o time argentino seguiu melhor, mas parou no goleiro Cleiton. Aos seis minutos, Pratto cabeceou para defesa do camisa 1. No rebote, Janson chutou forte, obrigando o goleiro a defender no reflexo.

Na reta final da partida, o Bragantino foi para o tudo ou nada e encontrou o empate. Aos 38, Andrés Hurtado aproveitou sobra dentro da área e chutou forte. A bola desviou na marcação e parou no fundo das redes.

O Bragantino volta a campo no dia 17 de maio, quando receberá o Estudiantes, às 19h15, novamente no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. Já o Vélez, no dia 18, visitará o Nacional, às 21 horas, no Parque Central, em Montevidéu.

Fonte: Estadão Conteúdo

Em grande jogo na noite desta quinta-feira (5), o Fortaleza saiu na frente, mas o River Plate buscou o empate por 1 a 1, na Arena Castelão, pela quarta rodada do Grupo F da Copa Libertadores.

af2e2d560975d268010afae20e542749Foto: Mateus Lotif/FEC

O resultado deixou o clube em situação delicada na chave, pois as duas últimas partidas serão longe de casa.

Logo aos 4 minutos do primeiro tempo, o time tricolor abriu o placar com Romero. De pênalti, Enzo Fernández empatou pouco depois, aos 16.

Os mandantes continuaram melhor na partida, principalmente com a dupla Lucas Lima e Crispim na esquerda. Com o cansaço, o segundo tempo foi mais equilibrado.

O empate mantém o Fortaleza na terceira colocação da chave, com quatro pontos. O River segue líder e chega aos dez. Alianza Lima e Colo-Colo ainda jogam nesta quinta, às 23h.

Se o time peruano, que ainda não pontuou e é o lanterna, vencer, garante a vaga antecipada dos argentinos. O clube chileno, com seis pontos, é o vice-líder.

Como de costume, a torcida do Fortaleza lotou as arquibancadas do Castelão para uma linda festa.

Além de empurrar o time durante os 90 minutos, os torcedores ainda fizeram um mosaico duplo com mensagens contra o racismo. De um lado, a frase era 'stop racism' (pare o racismo) e, do outro, 'juntos na luta'.

As palavras são uma resposta ao episódio de injúria racional que aconteceu no primeiro encontro entre os clubes, no Monumental de Núñez, na Argentina. Na ocasião, um torcedor jogou uma banana na torcida do Fortaleza.

A bela festa dos torcedores também pode ter marcado o último jogo do Fortaleza em casa na Libertadores em 2022.

Em terceiro no grupo F, o time precisará superar Alianza Lima e Colo-Colo fora de casa nas duas últimas rodadas para passar da primeira fase. Caso se mantenha na terceira colocação, disputará as oitavas da Sul-Americana.

O tropeço deixou o River em situação confortável para garantir a classificação, porém tirou o 100% de aproveitamento da equipe. Como o Flamengo também empatou na rodada, por 2 a 2 contra o Talleres, o Palmeiras passa a ser o único clube com 100% de aproveitamento no torneio.

O JOGO

Empurrados pela torcida na Arena Castelão, o clube tricolor foi para cima e abriu o placar com quatro minutos de bola rolando.

Lucas Lima achou lindo lançamento para Crispim que, cara a cara com o goleiro, rolou para o meio e deixou Romero sozinho, apenas com o trabalho de empurrar para o fundo da rede.

Aos 12min, Fernández lançou para Pochettino, que passou no meio dos zagueiros e foi derrubado por Benevenuto dentro da área. A penalidade foi marcada, apesar das muitas reclamações. Na cobrança, Max Walef para sua direita, porém Enzo Fernández bateu na esquerda e deixou tudo igual.

Mesmo com o gol tomado, a equipe da casa continuou melhor na partida e obrigou Armani a fazer uma série de defesas ainda na etapa inicial. Aos 24, Lucas Lima bateu de dentro da área, contudo em cima do defensor.

No minuto seguinte, arriscou de fora e parou novamente em Armani. Aos 40, o guarda-redes apareceu novamente para salvar a bela cabeçada de Felipe.

O time da casa pressionou demais no início da segunda etapa, contudo acabou cansando e caindo de produção por volta dos 20, minuto em que Max Walef fez uma boa defesa no chute de De La Cruz.

O técnico Vojvoda agiu rápido, fortaleceu o meio-campo com Zé Welison na vaga de Lucas Lima e colocou sangue nove com Depietri e Kayzer no ataque.

As mudanças mantiveram o River com mais posse, porém com o clube tricolor levando muito mais perigo nos contragolpes. Aos 30, Renato Kayzer foi derrubado na área, contudo a arbitragem nada marcou.

Pouco depois de sair de campo, Romero foi protestar para que o árbitro anotasse o pênalti. No entanto, Esteban Ostojich resolveu expulsar o atacante pela reclamação.

Na quinta rodada, o Leão do Pici visita o Alianza Lima no Peru. O duelo será no próximo dia 18, uma quarta, às 23h. Um dia depois, às 19h, o River recebe os chilenos do Colo-Colo.

Antes disso, o Fortaleza atua pela quinta rodada do Brasileirão. No domingo (8), às 19h, ele enfrenta o São Paulo na Arena Castelão.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS