• Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Farmaduty

Com um jogador a menos desde os seis minutos do primeiro tempo, quando Moisés foi expulso, o Bahia buscou o empate por 1 a 1 diante do Goiás na tarde deste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

5750bb9199aff8042b0c5b7551f7aa2b 1Fotos: Felipe Oliveira / EC Bahia

Com o resultado, o time baiano acumulou a sua quinta partida seguida sem derrota no Brasileirão, mas continuou em zona intermediária da tabela, com 21 pontos, em décimo lugar. O Goiás, com 18, é o 12º colocado. E a equipe não conquista uma vitória há seis partidas - a última foi sobre o Athletico Paranaense, em junho, por 2 a 1.

No duelo deste domingo, o técnico Roger Machado viu seu esquema ir por água abaixo logo aos seis minutos do primeiro tempo, quando Moisés fez dura falta de Jean Carlos e foi expulso, após Raphael Claus consultar o VAR (árbitro de vídeo). Com dez em campo, o Bahia se viu obrigado a recuar, mas ainda assim conseguiu criar a primeira grande oportunidade da partida. Artur recebeu de Fernandão e arriscou. A bola bateu na rede pelo lado de fora.

Ney Franco resolveu, então, colocar o time no ataque e promoveu a entrada de Marlone. O Goiás também ficou exposto e viu Tadeu fazer grande defesa em cobrança de falta de Lucca para evitar o gol do Bahia. Aos poucos, o time esmeraldino foi se encontrando no jogo e começou a sufocar o rival.

Aos 33 minutos, Marcelo Hermes cobrou escanteio na cabeça de Fábio Sanches, que subiu sozinho para mandar para o gol, no ângulo de Douglas. Atrás do placar, o Bahia não conseguiu reagir na etapa inicial e foi para o intervalo em desvantagem.O segundo tempo começou movimentado. Logo aos três minutos, Yago Rocha cruzou para Marlone, que mandou de cabeça e por muito pouco não encobriu Douglas. A resposta do Bahia veio em testada à queima-roupa de Fernandão. Tadeu fez um "milagre" para salvar a equipe esmeraldina.

Mesmo com um jogador a menos, o Bahia foi equilibrando as ações e chegou ao gol de empate aos 25 minutos. Após bate e rebate dentro da área do Goiás, Guerra pegou de primeira para fazer 1 a 1. Com o placar em igualdade, o time baiano recuou, segurou o adversário e acabou conquistando um ponto importante na luta por seus objetivos na competição.

Na próxima rodada, o Bahia enfrenta o Atlético Mineiro no sábado, às 11 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte No domingo, às 16h, o Goiás recebe o Internacional no Serra Dourada, em Goiânia.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 1 X 1 GOIÁS
BAHIA - Douglas Friedrich; Ezequiel (Guerra), Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Ronaldo, Flávio e Lucca (Arthur Caíke); Artur, Fernandão e Élber (Giovanni). Técnico: Roger Machado.
GOIÁS - Tadeu; Yago Rocha, Fábio Sanches, Rafael Vaz e Marcelo Hermes; Jean Carlos (Marlone), Yago Felipe e Jefferson; Michael (Giovanny), Rafael Moura e Leandro Barcia (Renatinho). Técnico: Ney Franco.
GOLS - Fábio Sanches, aos 33 minutos do primeiro tempo; Guerra, aos 25 do segundo.
ÁRBITRO - Raphael Claus (SP).
CARTÕES AMARELOS - Ezequiel e Guerra (Bahia); Marcelo Hermes, Jean Carlos e Yago Felipe (Goiás).
CARTÃO VERMELHO - Moisés (Bahia).
RENDA - R$ 556.101,00.
PÚBLICO - 28.866 pagantes.
LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).
Fonte: Estadão Conteúdo

Rogério Ceni começou o trabalho como treinador do Cruzeiro com o pé direito. Em sua estreia no comando celeste, o ex-goleiro viu o time mineiro corresponder à sua filosofia ofensiva e vencer o líder Santos por 2 a 0, neste domingo, no estádio do Mineirão. A equipe paulista jogou com um a menos desde o primeiro minuto, quando Gustavo Henrique foi expulso, após interferência do árbitro de vídeo (VAR), por carrinho em Pedro Rocha.

620903a68e858242c8b766812e1d520fFoto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Ainda assim, a estrela de Ceni, bastante agitado na beira do campo, brilhou. Em sua primeira substituição como treinador do clube azul, ele promoveu a entrada de Fred ainda no primeiro tempo. E o camisa 9 correspondeu, abrindo caminho para a vitória pouco antes do intervalo. No início da etapa complementar, o centroavante ainda escorou para Thiago Neves, de primeira, cravar o 2 a 0.

O resultado põe fim à pior sequência do Cruzeiro no Brasileirão desde a implantação do sistema de pontos corridos na competição, em 2003. O time estava há 11 jogos sem vencer, algo que só havia acontecido em sua campanha de 2011, quando escapou do rebaixamento apenas na rodada final. O triunfo também tira a equipe da zona da degola no atual campeonato: com 14 pontos, o clube celeste tem dois a mais que o Fluminense e sobe para o 16º posto, uma posição acima da área de risco da tabela. Já o Santos perde a chance de despontar na liderança, estacionando nos 32 pontos, agora apenas dois à frente de Flamengo e Palmeiras.

No primeiro minuto de jogo, a polêmica já pairou sobre o Mineirão. Os donos da casa tomaram a bola com Henrique, no meio, e David lançou Pedro Rocha. O atacante ganhou de Gustavo Henrique na velocidade e caiu no gramado, pedindo falta após carrinho do zagueiro. Ele entraria cara a cara com o goleiro Éverson, mas foi tocado pelo santista no pé de apoio, para muita reclamação do agitado Ceni na área técnica.

Inicialmente, Anderson Daronco não marcou nada. Após a revisão do VAR, a falta foi marcada e o defensor foi expulso. Para remontar sua defesa, Jorge Sampaoli sacou Evandro e colocou Pará, de volta ao clube paulista. Com um a mais, o Cruzeiro foi para cima. Se não fosse por Éverson, o time mineiro teria goleado na primeira etapa. Aos 13, o arqueiro santista salvou os alvinegros em forte finalização de Dodô, ex-Santos.

Onze minutos depois, Ceni processou sua primeira alteração: para explorar a superioridade numérica, o técnico lançou mão de Fred na vaga de Egídio. A substituição se mostraria decisiva. Antes, porém, nova intervenção de Éverson, que desviou chute de Thiago Neves para o travessão, aos 27. O Cruzeiro ainda teria nova chance, mas Pedro Rocha errou o passe e desperdiçou. Não faria falta: aos 43, Thiago Neves enfiou para Fred, que ajeitou para bater na saída do goleiro santista e abrir o placar no Mineirão, depois de 16 jogos sem marcar.

Antes do intervalo, o Santos quase empatou em chance isolada. Nos acréscimos, Sánchez cobrou falta com perigo pela intermediária esquerda do ataque e demandou grande defesa de Fábio, no cantinho. No segundo tempo, Sampaoli sacou Pará e colocou o zagueiro Luiz Felipe para reforçar a defesa. Mas não deu nem tempo de os visitantes se reorganizarem: no primeiro minuto, Fred fez o pivô para Thiago Neves, que bateu de primeira com a canhota para abrir 2 a 0 no placar.

No restante da etapa complementar, o Cruzeiro administrou a vantagem, com amplo domínio da posse de bola. Os comandados de Ceni até criaram novas chances, mas não ampliaram. No fim, o placar de 2 a 0 prevaleceu para sacramentar o triunfo da equipe celeste na estreia do novo técnico, que saiu aplaudido. Na próxima rodada, o Cruzeiro visita o CSA, no domingo, às 19 horas Um pouco mais cedo, o Santos recebe o Fortaleza, ex-time de Ceni, às 16h.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 0 SANTOS
CRUZEIRO - Fábio; Orejuela, Dedé (Cacá), Fabrício Bruno e Egídio (Fred); Henrique e Dodô; Thiago Neves, Marquinhos Gabriel e David (Robinho); Pedro Rocha. Técnico: Rogério Ceni.
SANTOS - Éverson; Evandro (Pará (Luiz Felipe)), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Felipe Jonatan, Sánchez (Alison), Derlis González e Soteldo; Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.
GOLS - Fred, aos 43 minutos do primeiro tempo, e Thiago Neves, a 1 minuto do segundo.
ÁRBITRO - Anderson Daronco (Fifa/RS).
CARTÕES AMARELOS - Fred e Thiago Neves (Cruzeiro); Jorge Sampaoli (Santos).
CARTÃO VERMELHO - Gustavo Henrique.
RENDA e PÚBLICO - Indisponíveis.
LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).
Por Carlos Costa, especial para a AE
Estadão Conteúdo

A estreia de Daniel Alves pelo São Paulo não poderia ser melhor: Morumbi com mais de 47 mil pagantes e gol da vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, neste domingo, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O lateral-direito espanhol Juanfran também fez seu primeiro jogo pela equipe tricolor.

12c42483efed783c83aecb3ef9d7b06fPaulo Pinto / saopaulofc.net

Com a vitória, o São Paulo diminuiu para cinco pontos a diferença para o líder Santos. Quinto colocado, o time ainda tem um jogo a menos, que será disputado nesta quarta-feira, contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada.

Camisa 10, Daniel Alves atuou no meio de campo. Finalizou com perigo logo no primeiro lance do jogo e marcou aos 39 minutos do primeiro tempo, após passe de Juanfran e ajeitada de Raniel. Depois, ele assustou em cobrança de falta e também deu um belo chapéu em Fabinho.

Daniel Alves não jogava desde o dia 7 de julho, quando a seleção brasileira venceu o Peru e conquistou a Copa América. E ele permaneceu em campo os 90 minutos contra o Ceará. Juanfran não atuava desde o dia 18 de julho, pelo Atlético de Madrid, e também não foi substituído. Os reforços trabalharam por 11 dias no CT da Barra Funda antes da estreia.

O técnico Cuca surpreendeu na formação do São Paulo ao sacar Luan e colocar Liziero como titular. Tchê Tchê atuou recuado, como primeiro volante, enquanto Liezero e Daniel Alves tinham liberdade para criar pelo meio. A equipe formava um 4-1-4-1, com Everton e Antony abertos pelos lados e Raniel centralizado. Alexandre Pato, que sofreu uma pancada na coxa, foi desfalque.

O Ceará, por sua vez, até levou perigo, mas parou na boa atuação de Tiago Volpi. O goleiro fez ao menos três defesas difíceis e salvou o São Paulo. Não à toa, teve o nome bastante cantado pelos torcedores após espalmar chute no ângulo de Samuel Xavier.

A equipe alvinegra ainda reclamou de possível pênalti cometido por Tiago Volpi em Felippe Cardoso. O goleiro chegou a tocar o centroavante dentro da área, mas o juiz interpretou a disputa como lance normal.

A vitória fez o São Paulo igualar uma marca que não acontecia havia um ano: quatro triunfos consecutivos. Além disso, a equipe aumentou a invencibilidade para oito partidas. Já o Ceará, que vinha de duas vitórias, estacionou nos 20 pontos e caiu para a 11ª colocação.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 x 0 CEARÁ
SÃO PAULO: Tiago Volpi, Juanfran, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Liziero (Luan), Tchê Tchê e Daniel Alves; Antony (Vitor Bueno), Everton (Helinho) e Raniel. Técnico: Cuca.
CEARÁ: Diogo Silva, Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio (Tiago Alves) e João Lucas; Fabinho, Ricardinho, Thiago Galhardo e Lima (Wescley); Leandro Carvalho (Mateus Gonçalves) e Felippe Cardoso Técnico: Enderson Moreira.
GOL - Daniel Alves, aos 39 minutos do primeiro tempo.
CARTÕES AMARELOS - Lima, Samuel Xavier (Ceará); Everton, Bruno Alves, Luan (São Paulo)
ÁRBITRO - Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE).
PÚBLICO - 47.705 pagantes.
RENDA - R$ 3.353.610,00.
LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo.
Por Guilherme Amaro
Estadão Conteúdo

Sempre com o apoio da Ciclopeças do Alex, os campeonatos de ciclismo na região de Floriano tem reunido cada vez um número maior de pessoas que praticam ou apenas admiram o esporte sobre duas rodas. Na manhã de hoje(18) aconteceu a quarta etapa do campeonato florianense de Mountain Bike com a participação de mais de 50 ciclistas inscritos 

WhatsApp Image 2019 08 18 at 11.40.17Alex da empresa Ciclopeças. (Imagem:Reprodução)

Nossa reportagem esteve conversando com o empresário Alex, um dos maiores incentivadores dessa modalidade esportiva através da Ciclopeças que tem tudo pra sua bicicleta. O empresário disse que o campeonato não é mais florianense, e sim regional centro-sul pois conta com a participação de atletas de vários municípios. Ainda faltam mais duas etapas com a grande festa em dezembro. "Estamos programando trazer de 150 a 200 ciclistas para participar". Disse Alex.

Na oportunidade conversamos também com outras pessoas amantes do ciclismo e todas falaram com otimismo da expectativa que gira em torno de cada competição onde o mais importante é participar, os troféus vem por consequência.  Confira o vídeo com as entrevistas.

Da redação

  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Paraiba
  • Ada Atten
  • Rastek
  • Casa Boa Esperança
  • Cabedo