• Garoto
  • Casa dos frios
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Casa dos frios
  • Oticas Floriano

O volante Adílson anunciou nesta sexta-feira a sua aposentadoria dos gramados aos 32 anos. O meio-campista precisou deixar os gramados precocemente por causa de uma cardiomiopatia hipertrófica, detectada em exames realizados pelo departamento médico do Atlético Mineiro durante o período de pausa das competições de clube em função da disputa da Copa América.

df3ec1fd6cd47b659c137e4bbb96c129Foto: Reprodução Twitter @atletico

"Fizemos uma avaliação agora, no meio do ano, na intertemporada, que identificou uma cardiomiopatia, uma doença cardíaca que o impede de seguir como atleta profissional de futebol. Isso foi estabelecido agora e, a partir do momento em que se estabeleceu, nossos primeiros cuidados foram discutir com o médico pessoal do atleta e também com um terceiro profissional para ouvir a opinião, discutir sobre o diagnóstico e a conduta que deveria ser tomada. Houve uma unanimidade em relação a essa conduta, que seria definir por abreviar a carreira do Adilson como atleta de futebol", comentou o cardiologista Haroldo Christo Aleixo.

Adílson se pronunciou na Cidade do Galo, acompanhado pelos companheiros do elenco do Atlético-MG. E o meio-campista foi às lágrimas, sendo consolado pelo lateral-direito Patric, também emocionado pela doença do volante, a mesma que matou o zagueiro Serginho em 2004, quando defendia o São Caetano.

"Eu vim aqui só agradecer por todo o apoio, todo o suporte do departamento médico do Atlético, diretoria e presidente, que não estava no Brasil, mas fez questão de me ligar e me dar todo o apoio. Agradecer à rapaziada que está aqui. É isso que me fortalece. Já que estou nessa condição, é isso que eu gostaria de receber, então eu realmente agradeço a todos vocês por tudo que vocês têm feito, não só por esse momento, por tudo que passamos nos últimos anos. A relação comigo foi sempre de muito respeito e muito apoio, inclusive do clube, no momento da minha chegada, da minha renovação ano passado, quando escolhi permanecer no Atlético, de coração", afirmou..

0d11f343805b3acadcab3c00aeb5aa80

O diretor de futebol Rui Costa declarou que Adílson permanecerá vinculado ao Atlético-MG, ainda que o clube ainda não tenha definido qual função ele exercerá no dia-a-dia. A ideia da diretoria é de que o agora ex-jogador cumpra o seu contrato, válido até o fim de 2020, mesmo que não tenha mais condições de atuar.

"A determinação que tive do presidente Sérgio Sette Câmara, e ele nem precisava me determinar isso, é que nosso cuidado foi com o ser humano Adilson. E disse isso a ele pessoalmente, quando estive junto com ele e com o Marques na sua casa. O que não nos preocupa, agora, é quanto vai entrar na conta do Adilson, se o contrato vai ser isso ou aquilo. Ele estará aqui conosco por opção dele e por um pedido nosso. Ele vai experimentar, nessa nova fase da vida dele, experiências que possam deixá-lo aqui, conosco, e que permitam a ele perceber se vai querer ser integrante de comissão técnica, fazer um curso de gestão, ficar no meu lugar, trabalhar comigo, trabalhar com o pessoal. O que não abrimos mão é do Adilson no dia a dia. Nunca falamos de dinheiro, não vamos falar de contrato e ele terá os seus direitos garantidos. Não nos interessa, agora, absolutamente, discutir centavos, seguro. O que a gente quer o Adilson feliz aqui, com a gente, e temos certeza que a felicidade dele passa por estar aqui, com os seus companheiros, e vestindo essa camisa que ele fez questão de vestir quando veio para cá. Todo mundo perguntou porque ele viria com essa camisa e ele disse que era a camisa que vestia sempre", declarou o diretor.

Após passar bela base do Caxias, Adílson se profissionalizou pelo Grêmio em 2007, tendo conquistado dois títulos gaúchos, até deixar o time em 2011, quando foi negociado com o Terek Grozny, da Rússia. Em 2017, retornou ao futebol brasileiro para atuar pelo Atlético-MG, sendo campeão estadual naquele ano. No total, foram 99 jogos disputados, com dois gols marcados.

"Queria tranquilizar a todos. Estou bem, não tive nenhuma reação física nesse processo todo. Sempre estive muito bem, vinha treinando, me preparando pro clássico. A vida vai seguir, eu vou seguir aqui no dia a dia do clube, o clube já tem manifestado o interesse que eu permaneça aqui no dia a dia, colaborando da melhor maneira possível. Só tenho a agradecer, até então aqui tem sido tudo maravilhoso na minha vida pessoal e esportiva. Minha filha vai nascer dia 22. Tenho muitos motivos pra seguir, para ser feliz", acrescentou Adílson.

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Rastek
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia
  • Paraiba