Uma grande conquista é sempre marcante na história de um técnico em uma agremiação esportiva. A torcida nunca esquece e o seu nome é sempre lembrado como o "comandante do grande feito".

dccc2a7b6a9cfcc01e5d2fea2388f04aFoto - Eduardo Frota - Cidadeverde.com - Arquivo

Um título provoca alegrias, comemorações, ocupa com destaque páginas de glórias. E assim acontece desde uma Seleção Campeã do Mundo até um clube mesmo de futebol amador.

Em qualquer cidade, estado ou país é assim. Vá a uma decisão de torneio de futebol em plena zona rural e você verá os campeões carregados pelos torcedores.

Nos anos mais recentes no futebol piauiense o nome mais consagrado ainda é o de Flávio Araújo. O técnico comandou o River na jornada de 2015, realizando uma extraordinária campanha na Série D do Campenato Brasileiro.

O time tricolor teve atuações sensacionais em Teresina e fora do Piauí também. Superou adversários até então considerados amplamente favoritos, até chegar à decisão do título com o Botafogo de Ribeirão Preto. Cerca de 50 mil pessoas foram à decisão no Albertão.

Infelizmente o empate de 0 x 0 deu o título ao time paulista, porém o tricolor piauiense conquistou a desejada vaga para a Série C do Campeonato Brasileiro.

Mesmo nos braços da torcida riverina, Flávio Araújo não permaneceu para a temporada de 2016. Deu a impressão de que a diretoria não lhe daria condições para continuar brilhando.

A Série C iria exigir uma reformulação geral no futebol tricolor e não lhe deram essa garantia. O técnico parecia entender que o mesmo elenco não teria êxito. E foi mesmo o que aconteceu.

O River teve um desempenho medíocre e foi rebaixado para a Série D. Flávio Araújo estava trabalhando em outras partes do Brasil. O futebol piauiense amargou o rebaixamento e lá permanece.

Agora o atual Presidente, Deputado Júlio Arcoverde, afirmou na Rádio Cidade Verde, em entrevista a Herberth Henrique, que a volta do técnico de 2015 está bem encaminhada e para a disputa da Série D, como tentativa para retomar o caminho de 2015.

Ter um bom técnico é um ótimo começo, mas o River está carente de um time de melhor nível técnico e de um trabalho a ser desenvolvido por uma boa equipe de profissionais.

É claro que a crise provocada pelo coronavírus, parando o futebol no Brasil e no mundo, criou dificuldades imensas para todos os clubes, desde o gigante Clube de Regatas Flamengo até os mais humildes representantes do Norte e do Nordeste.

Certamente que vencerão os mais fortes, os mais bem preparados. Que o River esteja entre os vitoriosos, cada um no seu campo de batalha.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia