• Dalva
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Paraiba
  • Oticas Floriano
  • Construforte
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Paraiba
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Dalva
  • Construforte

Na sua terceira tentativa, o Grêmio ainda não conseguiu sair da zona de rebaixamento - Z4 - do Campeonato Brasileiro. Nem o calor da torcida, de volta após 576 dias, foi capaz de ajudar o time a evitar a derrota para o Sport, por 2 a 1, neste domingo à noite, na Arena Grêmio, em Porto Alegre (RS), pela 23ª rodada.

7efa5e16ba9e0d063909310f2fe109cdFoto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Com 22 pontos, o Grêmio está em 18.º lugar, agora acompanhado de perto pelo próprio time pernambucano, com 20 pontos, que é o 19 º colocado. O Sport não marcava um gol há mais de oito jogos, num total de 841 minutos, e passou uma semana tensa com demissão de toda diretoria de futebol.

Os dois times continuam na zona de degola e com números vexatórios, donos das piores defesas e ataques da competição. O Sport com 8 gols sofridos e 21 marcados, e o Grêmio com 19 gols sofridos e 22 feitos.

Com apoio de sua torcida, de volta após a pandemia de covid-19, era esperado que o Grêmio tomasse a iniciativa ofensiva. Mesmo com os dois técnicos optando pelo mesmo esquema 4-4-3, o que se viu em campo foi praticamente um jogo de ataque, gremista, contra defesa, pernambucana.

Mas o time gaúcho, na ânsia de marcar o seu gol rapidamente, impôs mais velocidade do que necessário, ao invés de trocar passes e achar as melhores opções para finalizar.

O Sport mostrou competência no sistema defensivo, praticamente não dando espaço para os chutes de curta distância.

O Grêmio só chegou uma vez, quando Ferreira recebeu do lado esquerdo, até perto da linha de fundo e levantou por cima do goleiro Maílson. Borja, na linha da pequena área, cabeceou, porém, por cima do travessão. Uma boa chance desperdiçada.

O visitante só chegaria ao gol num lance raro, como aconteceu aos 33 minutos. Hernanes fez o giro na frente da área e chutou de esquerda, exigindo do goleiro Gabriel Chapecó que saltasse para espalmar.

Os gaúchos não fizeram mais nada até o final do primeiro tempo. Faltou criatividade na armação e a torcida soltou as vaias.

O Grêmio voltou para o segundo tempo com duas modificações. Guilherme Guedes no lugar de Rafinha na lateral-esquerda e a entrada de Campaz no lugar de Alisson no meio-campo.

Não deu tempo para avaliar as trocas, porque o Sport abriu o placar aos sete minutos. Hernandes cobrou falta com força, Gabriel Chapecó rebateu e Gustavo Oliveira apareceu no rebote para completar para as redes.

O Grêmio quase empatou aos 15, numa cabeçada de Borja. A bola passou pelo goleiro Maílson e foi salva em cima de linha numa cabeçada do zagueiro Rafael Thyere. O VAR comprovou a lisura do lance para desespero da torcida gremista.

Aos 18 minutos, Diego Souza entrou no lugar de Borja, renovando a esperança de gol com o artilheiro da temporada. Mas Douglas Costa perdeu uma bola no ataque, dando contra-ataque mortal ao Sport que fez o segundo gol.

Everaldo fez o último passe para Mikael, ajeitar na frente da área e fuzilar. A bola ainda tocou nas mãos de Chapecó antes de entrar aos 24 minutos.

Mesmo nervoso e desorganizado, o Grêmio foi ao ataque. Aos 25 minutos, de longe, Campaz chutou e acertou o travessão.

Mas só conseguiu diminuir aos 39 minutos, quando Douglas Costa ajeitou a bola de fora da área e acertou um belo chute. A bola saiu em curva e entrou no ângulo direito de Maílson.

A torcida se animou e o time renovou a esperança de, pelo menos, chegar ao empate. Mas o Sport teve uma atuação defensiva muito boa e segurou a importante vitória.

Na próxima quarta-feira os times voltam a campo pela 24ª rodada. O Grêmio vai receber o Cuiabá, às 21h30, enquanto o Sport vai pegar no Recife (PE) o Juventude, um pouco mais cedo, a partir das 19 horas.

Fonte: Estadão Conteúdo