• Posto Aliança
  • Paraiba
  • Construforte
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Dalva
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Paraiba
  • Dario PAX
  • Construforte
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Dalva

O último jogo do Palmeiras antes da final da Copa Libertadores teve de tudo: belos gols, pênalti perdido, cartões em profusão e discussões. No Allianz Parque, o time alviverde e o líder Atlético-MG empataram por 2 a 2 em um bom jogo na noite desta terça-feira.

b8899a7a0f0e44f7090a9844a04df67aFoto - Atlético-MG - Divulgação

Wesley e Deyverson marcaram para os donos da casa, que não sustentaram a vantagem. Zaracho e Hulk foram às redes pelos mineiros, que ainda não podem levantar a taça do Brasileirão na próxima rodada, mas o título nacional é questão de tempo.

O Atlético manteve a diferença de oito pontos para o Flamengo, já que o rival também empatou, diante do Grêmio, em Porto Alegre Os mineiros somam 75 e os cariocas, 67. A conquista está cada dia mais próxima do líder, que encara no domingo o Fluminense, no Mineirão.

O Palmeiras esquece o Brasileirão por ora e se concentra no jogo mais importante do ano. No sábado, às 17h, encara o Flamengo em Montevidéu, no Uruguai, atrás de seu terceiro título continental.

O primeiro tempo no Allianz Parque alternou momentos de bom futebol e outros de jogadas ríspidas, faltas em excesso e discussões, a maioria delas envolvendo Diego Costa. Foram cinco amarelos na etapa inicial. As faltas deixaram o duelo parado. Houve menos de 50% de bola rolando.

Quando a bola rolou com qualidade, o Atlético-MG chegou mais vezes ao gol de Jailson. Mas foram os reservas do Palmeiras que abriram o placar.

Com uma formação muito melhor em relação à que enfrentou e foi dominada pelo São Paulo no clássico, o time de Abel Ferreira construiu jogadas rápidas com os jovens Gabriel Veron e Wesley pelas pontas.

Na melhor delas, o primeiro lançou o segundo, que cortou Guga e bateu bonito, cruzado, para vencer Everson e fazer 1 a 0.

Os visitantes pressionaram em busca do empate e foram superiores na reta final da primeira etapa. Os donos da casa não resistiram às investidas da equipe mineira, que marcou com Zaracho. O argentino aproveitou o rebote de Jailson após chute de Guilherme Arana e deixou tudo igual no Allianz Parque.

O jogo ficou ainda mais aberto na etapa final, à medida que os reservas do Palmeiras queriam mostrar serviço e os titulares do Atlético, se aproximarem do título nacional. O time anfitrião teve um pênalti a seu favor depois que Junior Alonso bloqueou com a mão chute de Danilo Barbosa.

Patrick de Paula, porém, parou em Everson na cobrança. No lance seguinte, o goleiro atleticano, no entanto, foi de herói a vilão Ele saiu muito mal do gol em cobrança de escanteio e deixou o gol livre para Deyverson marcar de cabeça.

Pilhado, o atacante foi comemorar nos braços dos torcedores e levou amarelo. Foi um dos personagens da partida.

Só que o Atlético tem Hulk e o artilheiro do Brasileirão não passou em branco. Ele soltou uma bomba de fora da área e anotou um golaço para empatar o jogo aos 15 minutos. São 15 gols no torneio do qual é o maior goleador de forma isolada.

Com o cansaço dos atletas, a partida perdeu ritmo e se concentrou no meio-campo. Foram poucos os lances de perigo a partir dos 30 minutos. A melhor chance Victor Luís desperdiçou. Ele apareceu sozinho na pequena área após cruzamento rasteiro de Breno Lopes da direita, mas mandou por cima do gol.

Fonte: Estadão Conteúdo