O infectologista Carlos Henrique Nery Costa criticou, em entrevista ao Jornal do Piauí, nesta terça-feira (4), a reabertura gradual do comércio em Teresina. Para o médico, o distanciamento social é a única "arma" contra o coronavírus e retomar as atividades agora vai resultar no aumento de casos e óbitos por Covid-19.

"Qualquer aumento do grau de contato entre as pessoas resulta em novos casos, novos surtos e repiques. Há que se ter muito cuidado. Não estamos em nenhum conforto pra festejar e começar a fazer a quebra do distanciamento social como nós, na verdade, fizemos de algumas semanas pra cá. A única defesa que nós tínhamos era o distanciamento. Então, nós teremos, necessariamente, novos casos. É preciso não comemorar dizendo que nos chegamos no platô. Não podemos voltar a aumentar o grau de contato das pessoas. Não pode porque nos sabemos, temos certeza, que teremos mais casos e mais mortes a partir disso", alertou o médico.

O infectologista defende que as pressões de naturezas econômicas e políticas estão fazendo com que os gestores tomem as decisões de afrouxar as medidas de distanciamento social.

carloshenriqueneryFoto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

"Isso não protege as pessoas, do ponto de vista médico. Posso estar enganado, mas não existe elemento nesse momento na ciência que assegure quer as pessoas podem voltar. O único instrumento que temos nesse momento é o distanciamento social. Relaxar com ele significa mais casos e mais mortes", ressalta Carlos Henrique Nery.

Sobre Teresina ter atingido o platô da doença, como afirma as pesquisas sorológicas, o médico defende que a quantidade de pessoas imunes detectadas em testes rápidos não é suficiente para gerar platô em nenhuma pandemia.

O platô é uma situação de pico contínuo que demora a cair, o que pode significar que os números de casos chegou ao limite e logo começará a apresentar queda.

"Como não sabemos a magnitude da imunidade coletiva o que nós temos que dizer é que esse platô está sendo conseguido exclusivamente ou principalmente devido às medidas de distanciamento social", analisa o infectologista.

Sobre a adoção de protocolos de uso de máscaras e protetores faciais, o médico disse que ajuda, mas não é suficiente para evitar o contágio do coronavírus. O infectologista alerta que é preciso haver higienização pessoal, rastreamento de contato e distanciamento social.

"Distanciamento social e rastreamento de contato são alguns instrumentos que alguns países conseguiram pra fazer o retorno das atividades. Agora nenhum país voltou com a transmissão como a que está no Brasil. Nenhum voltou num platô. O platô é o auge da epidemia. É o máximo que chegamos. É o topo da montanha. Ninguém fez nenhuma espécie de relaxamento nesse nível. Espera-se que haja um número de casos proporcionalmente muito pequeno ou interrupção da transmissão. Só a partir disso que as nações se aventuram a fazer o relaxamento social e permitir que haja retorno parcial e esse retorno quando ocorre é feito de forma extremamente atenta. Seguindo todos os casos novos com acompanhamento rigoroso, recuos estratégicos de distanciamento social. Não é assim como estamos fazendo. Do jeito que estamos fazendo é muito perigoso. Muita gente vai perder a vida por causa do relaxamento do distanciamento social num momento como esse, que é o auge da transmissão da doença", finalizou.

 

Izabella Pimentel
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

 

Fonte:Cidade verde

A partir do dia 14 de agosto a Fundação Municipal de Saúde (FMS) passará a oferecer canetas aplicadoras de insulina para pessoas com diabetes do tipo 1 e 2, de até 16 anos e a partir dos 60 anos. O dispositivo estará disponível nas 64 Unidades Básicas de Saúde de Teresina e vai permitir que o tratamento da doença seja mais simples, prático e confortável, já que substitui o método convencional de aplicação da insulina com seringa.

c39cc4970171b7be50da5cf01b79a6faFoto: FMS

Para receber as canetas de insulina basta que pessoas que se encaixam nesses requisitos dirijam-se às UBSs. “Os pacientes terão acesso ao dispositivo logo após avaliação médica na Unidade. Eles poderão receber as canetas e insulinas NPH e regular na farmácia desses locais”, afirma o gerente da farmácia da Atenção Básica, Handerson Lima.

Ele explica ainda que as equipes das UBSs irão tirar dúvidas dos usuários sobre a forma de uso desses novos materiais. “As canetas são mais fáceis de manusear do que as seringas. Elas também têm botão para dosagem de insulina de acordo com a prescrição médica. É um tratamento mais simplificado para crianças, jovens e idosos. Com essa nova tecnologia, a FMS pretende atingir maior controle glicêmico desse público”, disse o gerente.

Atualmente, a Fundação tem cadastrado no e-SUS 25.849 pacientes com diabetes, que são monitorados pelas UBSs. “Essas Unidades realizam acompanhamento de usuários com doenças crônicas, como diabetes. Eles também recebem medicações e insumos para controle e tratamento da doença”, afirma o presidente da FMS, Manoel de Moura Neto.

O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento de glicose no sangue e que não tem cura, mas tem controle. É essencial que o usuário tenha alimentação adequada, faça exercícios físicos e utilize as medicações de acordo com as orientações médicas. As complicações do diabetes podem atingir coração, olhos, nervos, rins e artérias, podendo até mesmo levar o paciente a óbito. O tratamento realizado de forma adequada pode retardar ou prevenir todos esses problemas.

 

fonte: Cidade Verde

O Piauí registrou 1.219 casos confirmados e 16 óbitos pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde na noite desta segunda-feira (3).

c

As vítimas do sexo feminino são oito. Elas eram naturais de Amarante (96 anos), Miguel Alves (61 anos), Parnaíba (50 e 63 anos), Simplício Mendes (54 anos) e Teresina (28, 62 e 72 anos).

Também faleceram oito homens das cidades de Barras ( 77 anos), Caracol (44 anos), Caraúbas (55 anos), Lagoa Alegre (63 anos), Luzilândia (74 anos), São Raimundo Nonato (57 e 82 anos) e Teresina ( 59 anos).

Segundo o boletim, dos 1.219 casos confirmados da doença, 683 são mulheres e 536 homens, com idades que variam de um mês a 88 anos.

O município de João Costa foi acrescido na relação daqueles com casos confirmados de Covid-19. São 221 cidades atingidas pela pandemia, o que representa 98,07%. Dos 224 municípios do estado apenas Arraial, Canavieira e Jardim do Mulato não possuem registros do novo coronavírus.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 707 ocupados, sendo 411 leitos clínicos, 279 UTIs e 17 leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 2.376 e as altas do dia, 46.

 

Fonte: Cidade Verde

 

 

 

 

No total, o Piauí possui 54.443 casos confirmados e 1.401 óbitos distribuídos entre 131 municípios. Deste total, morreram 819 homens e 582 mulheres.

 

 

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Espeto e Cia