• Dario PAX
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Posto Aliança

A Agespisa reintegrou nesta sexta-feira (15), 25 ex-funcionários da empresa. A determinação é do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região. Os profissionais serão lotados em várias regiões do estado. Dentre os cargos, agente administrativo, motorista, auxiliar de serviços gerais, agente comercial e auxiliar operacional.

049e54834306632521f41bc0ce92b44eFoto: Arquivo Cidadeverde.com

A reintegração foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (14). Segundo a Agespisa, o mandado de cumprimento da decisão foi entregue no dia 6 de junho e determinava a reintegração dos servidores de forma urgente em dez dias.

Segundo comunicado da Agespisa no Diário Oficial, a partir do dia 17 de junho, segunda, os servidores já estarão de volta aos quadros da empresa.

"Determinar que, em seguida, através da Assessoria Jurídica seja informado à Justiça do Trabalho o devido cumprimento do Mandado Judicial", diz a Agespisa.

 

Fonte:cidadeverde.com

Na noite desse sábado(15) a diretoria do Consamf (Conselho das Associações de Moradores de Floriano) esteve reunida com moradores do Conjunto Aparecida Procópio, para tratar de assunto relacionado à reativação da associação de moradores daquele bairro, num trabalho itinerante que a Dra Naglly Angélica e sua equipe vem fazendo desde quando assumiu os destinos da entidade. O objetivo é fazer com que todas as associações de moradores trabalhem dentro da legalidade administrativa, principalmente no que tange ao uso do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, instrumento indispensável para o bom funcionamento de qualquer instituição.

WhatsApp Image 2019 06 16 at 04.24.33Dra Naglly Angélica. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Sendo profissional do direito, a Advogada Naglly Angélica tem orientado os novos presidentes das associações no procedimento burocrático necessário para a regulariazação daquelas que ainda tem  pendências. Após a reunião na noite de ontem na residência do senhor Mazim, nossa reportagem conversou com a Presidente do Consamf, com o Vice-Presidente Júnior do Tiberão e com o novo Presidente da Associação de Moradores do Bairro Vila Parnaíba. Confira as entrevistas que foram veiculadas ao vivo.

Da redação

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ameaçou demitir o presidente do BNDES, Joaquim Levy, mesmo sem a anuência do ministro da Economia, Paulo Guedes.

972645401ce775e86edf960593e39b8cFoto: Tania Alves/Agência Brasil

Bolsonaro disse que Levy "está com a cabeça a prêmio há algum tempo". Clima teria piorado, segundo Bolsonaro, depois da intenção de Levy em nomear um executivo que trabalhou na gestão petista.

"Eu já estou por aqui com o [Joaquim] Levy. Falei pra ele demitir esse cara [Marcos Barbosa Pinto] na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes", disse Bolsonaro diante do Palácio da Alvorada, no início da tarde deste sábado (15), ao sair da residência oficial da Presidência, em direção à base militar, de onde parte para Santa Maria (RS) para participar de uma cerimônia militar.

Barbosa Pinto foi assessor do BNDES no governo do PT e, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, voltaria ao banco para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Levado por Guedes para a presidência do BNDES durante a atual gestão, Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT).

O presidente disse que "governo é assim, não pode ter gente suspeita" em cargos importantes. "Essa pessoa, o Levy, já vem há algum tempo não sendo aquilo que foi combinado e aquilo que ele conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já há algum tempo", disse.

Questionado se Levy já estaria demitido, Bolsonaro negou.

Na última semana, Bolsonaro afirmou que vai demitir o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por ele ter se comportado como "sindicalista".

Desagradou o presidente o fato de o general ter tirado foto com parlamentares de esquerda e de ter dito que não haverá privatização dos Correios, como é planejado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Agora, o que irritou Bolsonaro foi o presidente do BNDES ter colocado Pinto - que já tinha trabalhado como assessor do BNDES durante o governo PT, de 2005 a 2007 - na diretoria que terá como foco a venda de participações da BNDESPar, braço de participações do banco de fomento.

O próprio Levy foi ministro da Fazenda de Dilma entre 1º de janeiro e 18 de dezembro de 2015, primeiro ano do segundo mandato da petista.

Fonte: Folhapress e Estadão Conteúdo

  • Blossom
  • Paraiba
  • Espeto e Cia
  • Cabedo
  • Casa Boa Esperança
  • Ada Atten