• Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • veloso
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Casa dos frios
  • Posto Aliança
  • veloso
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto

Talvez você ainda não saiba, mas existe na cidade de Floriano uma irmandade denominada Narcóticos Anônimos, ou simplesmente NA, que vem ajudando a salvar vidas de muitas pessoas que tem ou pensam ter problemas relacionados ao uso do crack e outras drogas.

WhatsApp Image 2018 09 30 at 04.23.39 1 1Sala de reunião de NA. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)
Narcóticos Anônimos existe em vários países do mundo e na cidade de Floriano você encontrará essa importante irmandade na Escola Dorinha Carvalho, em frente à Praça da Liberdade no bairro Sambaiba com reuniões todos os sábados e domingos, sendo das 19 às 21h aos sábados e das 17 às 19h no domingo.
Conheça Narcóticos Anônimos e pare de sofrer com o vício das drogas.

Da redação

O preço do diesel alcançou um patamar superior ao da época da greve dos caminhoneiros, em maio de 2018, enquanto medidas para limitar os aumentos continuam em estudo pelo governo.

423eb3751235569d67b5b578ecaa97c0Foto: Arquivo ANP

Recentemente, começou a ser planejado o corte do imposto de importação de caminhões movidos a GNV (gás natural veicular) e GNL (gás natural liquefeito). É esperada, com isso, a redução da dependência que o transporte rodoviário tem do diesel, um combustível mais caro.

O tema está em discussão em grupos de trabalho do governo e deverá ser levado ao conselho da Camex (Câmara de Comércio Exterior), do Ministério da Economia.

O instrumento analisado é o chamado ex-tarifário, que reduz temporariamente a alíquota do imposto de importação quando não há produção nacional equivalente.

O governo quer incentivar o uso de caminhões a gás no país também como forma de se aproveitar o chamado "choque de energia barata" anunciado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

O barateamento do insumo decorreria de medidas que já estão sendo colocadas em prática para quebrar o monopólio da Petrobras do mercado.

Com mais veículos movidos a gás e com as ações em curso, segundo a tese, seria possível baixar o custo da logística no país. Hoje, o uso do gás fica concentrado em grandes indústrias e na geração de energia elétrica.

A medida para facilitar a entrada de caminhões a gás no país, no entanto, encontra resistências e deverá ser adiada.

A Anfavea (que representa fabricantes automotivos) levou a representantes do governo a informação de que já há produção de caminhões movidos a gás em território brasileiro.

A Scania fabrica dois modelos desde dezembro e diz ter sido a primeira a lançar este tipo de veículo com produção local.

Segundo a empresa, os investimentos no projeto demandaram cerca de R$ 4 bilhões e a fabricação envolve 4.300 funcionários diretos.

Os executivos pedem ao governo que a decisão seja adiada para, pelo menos, o fim de fevereiro. Esse tempo seria necessário para a Anfavea estudar o tema e preparar argumentos para subsidiar o governo sobre o assunto.
Além disso, a associação quer acesso às informações que estão embasando as discussões hoje.

Em outra frente, surgiu no governo a ideia da mudança de tributação no ICMS de estados. O próprio presidente Jair Bolsonaro sugeriu a alternativa -sem dar detalhes-, que dependeria de uma mudança legal.

O governo estuda a criação de um fundo de compensação aos entes, usando recursos dos royalties que a União recebe pela exploração de petróleo e gás. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pretende apresentar uma modelagem até o fim de fevereiro.

O tema ainda não é um consenso no governo.

Na equipe econômica, há resistências e dúvidas quanto ao funcionamento do mecanismo e é lembrado que o governo enviou uma PEC (proposta de emenda à Constituição) ao Congresso em novembro justamente para extinguir mais de 200 fundos públicos vinculados a despesas específicas.

Apesar disso, alguns membros da equipe de Guedes não se mostram totalmente contrários à medida. Eles afirmam que a compensação aos estados até poderia existir se bem justificada e não necessariamente na forma de um fundo.
Medida ainda mencionada por técnicos, a ideia da Cide flutuante sobre o diesel também permanece no papel.

Pela ideia, a cobrança cairia quando o preço do combustível aumentasse e vice-versa. Por enquanto, essa política é impraticável já que a taxa está zerada justamente para conter os preços.

Fonte: Folhapress

O ator José de Abreu, 73 anos, terá que excluir do seu perfil oficial no Twitter postagens consideradas ofensivas ao PSDB, segundo decisão do desembargador José Carlos Ferreira Alves, da 2ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

3377a977c564090e10bfc3ea4d516274Foto: Reprodução Instagram @josedeabreu

Nos tuítes, de dezembro de 2019, Abreu diz que o "PSDB rouba há mais de 30 anos e tudo bem". Além disso, ele escreve que João Doria, governador de São Paulo tucano, é "podre também".

Segundo o magistrado, o ator "extrapolou os limites do razoável e da exposição da liberdade de manifestação de pensamento e opinião".

O desembargador diz que a liberdade de opinião "não pode ser exercida de forma irresponsável, sob pena de ocorrer o exercício arbitrário da justiça com as próprias mãos, o que é intolerável num estado democrático de direito".

Na decisão, Ferreira Alves escreve também que José de Abreu "acusa explicitamente" o PSDB de roubo, "o que configuraria crime de calúnia, sem sequer mencionar quais fatos ensejariam tal conclusão."
A liminar para a exclusão dos tuítes acolhe recurso do PSDB contra decisão de primeira instância, que tinha negado o pedido do partido.

O desembargador afirma que levou em conta para a decisão a relevância do perfil de José de Abreu, com "milhares de seguidores". O ator tem no Twitter 428 mil seguidores. A reportagem não conseguiu contato com José de Abreu até a conclusão deste texto.

Fonte: FolhaPress

Como a maioria dos chefes de Estado em visita à Índia, o presidente Jair Bolsonaro visitou o memorial de Mahatma Gandhi e depositou flores em homenagem àquele que é considerado um herói pela maioria dos indianos. Mas, diferentemente de outros líderes, Bolsonaro não divulgou a visita em suas redes sociais e fez questão de dizer que é diferente do líder pacifista, um dos fundadores da Índia moderna.

4ddebd860c475b1b46f00e434b8c6c32Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

"Eu sou um capitão do exército, ele é um pacifista", disse, indagado sobre o que pensa da figura de Gandhi. "Mas a gente reconhece o seu passado sempre pregando a paz, a harmonia e a liberdade".
Nas redes sociais de Bolsonaro e seu filho Eduardo, havia muitas postagens sobre os encontros do presidente com o primeiro-ministro Narendra Modi e sobre acordos comerciais assinados, mas nada sobre a visita ao local que homenageia Gandhi, que pregava a resistência pacífica na luta por emancipação da Índia do Reino Unido.

Bolsonaro ganhou um busto de Gandhi e disse ter ficado emocionado com a cerimônia de depósito de flores. "É uma cerimônia que toca a alma da gente, o país tem suas tradições, tem sua história, e, assim como Brasil, é um país emergente."

A visita de Obama ao memorial, em 2015, foi compartilhada nas redes sociais –o ex-presidente mencionou Gandhi em seu discurso quando recebeu o prêmio Nobel. O presidente francês, Emmanuel Macron, também divulgou a visita, quando esteve lá, em 2019.

O memorial marca o local onde Gandhi foi cremado, em 31 de janeiro de 1948, um dia após o pacifista ter sido assassinado com três tiros pelo extremista hindu Nathuram Godse.
Godse pertenceu durante 14 anos ao RSS, grupo fundamentalista hindu, embora não estivesse mais filiado quando cometeu o crime. O primeiro-ministro Narendra Modi é integrante do RSS desde os 8 anos.

Fonte: FolhaPress

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia