• Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Garoto

Após 36 anos, Carlos Monforte decidiu deixar a Globo. O jornalista, que trabalhava atualmente na GloboNews, pediu demissão do canal na última semana.

A Central Globo de Comunicação confirmou a notícia e enviou um texto elogiando o repórter por seu serviço prestado à emissora, segundo o “Na Telinha”.

"Depois de muitos anos de um brilhante e maravilhoso trabalho na Globo, Carlos Monforte não mais colabora para a empresa. A Globo só tem a agradecer a ele tudo o que fez para que o seu Jornalismo tenha essa enorme credibilidade junto aos espectadores. Monforte tem e sempre terá lugar de destaque na história da Globo", disse.

c83294a7ba89596c8f4a200dcc038a8aAtualmente o apresentador trabalhava na GloboNews.(Imagem:: GloboNews)

Monforte, de 67 anos, estava desde 1980 na Globo. Ele começou como repórter, em São Paulo, e se tornou âncora do “Bom Dia São Paulo” em 1982.

Ele ainda teve passagem pelo “Bom Dia Brasil” e foi repórter especial do “Jornal da Globo”.

 

Fonte: Famosidades

O bom atendimento e a qualidade nos produtos oferecidos pela equipe competente da panificadora Nossa Senhora Aparecida todo mundo já conhece, agora talvez você não saiba que eles estão esperando você na manhã de hoje. O Gilson e sua equipe oferecem atendimento especializado, produtos e ambiente higienizados, e os melhores preços. Portanto. Se todos os seus produtos alimentícios foram consumidos durante a ceia de ontem, procure a Panificadora Nossa Senhora Aparecida que a equipe comandada pelo empresário Gilson espera por você até às 10h de hoje. Um plantão especial pra não deixar nenhum cliente na mão, ao tempo em que deseja votos de feliz natal a todos os florianenses e visitantes. Confira as fotos.

20161224 181950Atendentes Francisca e Higina. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 A Panificadora Noossa Senhora Aparecida fica localizada na Rua Marque da Rocha, ao lado do Quartel do 3º BPM no bairro Caixa d'Água.

20161224 180705Panificadora Nossa Senhora Aparecida. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 20161224 181902Refrigerantes e sucos. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 20161224 181923Carnes, frios, bolos e salgados. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação

A taxa de juros do rotativo do cartão de crédito chegou ao recorde de 482,1% ao ano, em novembro, informou nesta sexta-feira o Banco Central (BC). A taxa subiu 6,3 pontos percentuais em relação a setembro e foi a maior da série histórica iniciada em março de 2011.

a9096fe57da997cef9315921cbec9cd2Juros do rotativo do cartão chegam ao recorde de 482,1%.(Imagem:Divulgação)

O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. Na quinta-feira, o governo anunciou a limitação da permanência do cliente no rotativo do cartão de crédito por 30 dias. Essa medida ainda será implementada e poderá reduzir pela metade da taxa de juros do cartão de crédito a partir do fim do primeiro trimestre do ano que vem, segundo previsão do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Outra taxa de juros alta na pesquisa mensal do BC é a do cheque especial, que chegou ao novo recorde de 330,7% ao ano. Essa é a maior taxa da série histórica iniciada em julho de 1994.

A taxa média de juros para as famílias ficou estável em 73,6% ao ano, em novembro, comparada a outubro.

A inadimplência do crédito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas físicas caiu 0,1 ponto percentual para 6,1%. A taxa de inadimplência das empresas caiu 0,2 ponto percentual para 5,4%. A taxa média de juros cobrada das pessoas jurídicas caiu 0,5 ponto percentual para 29,9% ao ano.

Esses dados são do crédito livre em que os bancos têm autonomia para aplicar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros.

No caso do crédito direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura) a taxa de juros para as pessoas físicas ficou estável em 10,2% ao ano. A taxa cobrada das empresas caiu 0,9 ponto percentual para 11,1% ao ano. A inadimplência das famílias caiu de 0,1 ponto percentual para 1,9% e das empresas permaneceu em 1,8%.

O saldo de todas as operações de crédito concedido pelos bancos subiu 0,3% de outubro para novembro, mas no ano registra queda de 3,6%. No mês passado, o saldo ficou em R$ 3,104 trilhões. Esse saldo correspondeu a 49,5% de tudo o que o país produz — Produto Interno Bruto (PIB), em novembro ante o percentual de 49,7% registrado em outubro deste ano.

Fonte: Zero Hora

  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Rastek
  • Ada Atten
  • Casa Boa Esperança
  • Cabedo