• Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty

O discurso de Sérgio Cabral, então governador do Rio, foi enfático: os jogos de azar poderiam ser legalizados no Brasil, desde que fossem criados mecanismos de combate à lavagem de dinheiro. Por uma ironia, uma transferência bancária feita naquela mesma quinta-feira, 8 de setembro de 2011, foi usada como prova contra Cabral. Na sexta-feira, ele se tornou réu pelo crime com o qual se mostrava preocupado.

b37031aece5b3e3c51b4382162321f99sérgio Cabral discursou contra fraude em dia de depósito de propina.(Imagem:Divulgação)

— O jogo no Brasil, se aberto e legalizado, poderia ser uma fonte de financiamento importante para vários setores. Bastaria criar instrumentos para coibir a lavagem de dinheiro, fazendo com que os recursos pudessem entrar formalmente nos tesouros nacional, estadual e municipal — defendeu Cabral, durante a inauguração da nova sede da Loterj.

Ao lado da mulher, Adriana Ancelmo — também ré e presa por lavagem de dinheiro —, o então governador posou para fotos segurando um cheque de R$ 1,5 milhão, valor que seria doado para o Hospital Pro Criança Cardíaca. Enquanto isso, US$ 4,6 milhões eram despejados em uma conta no Uruguai controlada pelos doleiros Marcelo e Renato Chebar.

Segundo o Ministério Público Federal, Cabral era o verdadeiro destinatário do dinheiro. A transferência partiu de uma conta no Panamá do empresário Eike Batista, acusado de pagar US$ 16,5 milhões em propina para o ex-governador em 2011. Dois anos depois, Cabral recebeu mais R$ 1 milhão de Eike, desta vez por meio do escritório de advocacia de Adriana Ancelmo.


Fonte: O Globo

Um temporal derrubou o teto da Escola Estadual Deputada Francisca Trindade, no município de Buriti dos Lopes, a 281 km de Teresina. A Secretaria de Educação de Piauí (Seduc) informou que enviou técnicos para avaliar a situação do prédio.

f75217a724b5f64bc180a27077069175Forte chuva destrói escola estadual no interior do Piauí.(Imagem:Divulgação)

O desabamento ocorreu durante a noite e ninguém ficou ferido. A assessoria da Seduc não informou dados precisos sobre qual a parte da escola foi afetada, bem como os prejuízos. As aulas na rede estadual de ensino estavam previstas para começar na segunda-feira (13), mas professores de todo o Estado deflagraram greve por não aceitarem o parcelamento do reajuste do piso salarial.

Além do interior do Piauí, vários estragos foram registrados na Capital em decorrência do temporal que caiu ontem (10). Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que o município de Piripiri, também no Norte do Piauí, registrou o maior volume de precipitações do país entre ontem e hoje (11).

O município de Buriti dos Lopes não está entre as cidades piauienses com maior volume de chuva. No domingo (12), a previsão é de tempo nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas, com mínima de 23º e máxima 34°.

No Estado, as dez cidades com maior volume de chuva foram:

1ª Piripiri
2ª Canto do Buriti
3ª Gilbués
4ª Parnaíba
5ª Alvorada do Gurgueia
6ª Parnaíba
7ª Teresina
8ª São Raimundo Nonato
9ª Bom Jesus do Piauí
10ª Paulistana

 

Fonte:cidadeverde.com

Diante de impasse judicial, o presidente americano acena com nova medida, com base jurídica mais forte, para conter a entrada de "terroristas". "Precisamos de velocidade por questões de segurança", afirma. Diante do impasse na Justiça em torno de seu primeiro decreto migratório, o presidente americano, Donald Trump, cogita anunciar nos próximos dias novas medidas para, segundo ele, evitar a entrada de terroristas nos Estados Unidos.

af7a8dbe22b2ddcdc1b3f06d5dd0ddf3Donald Trump na Casa Branca em 9 de fevereiro de 2016 (Foto: AP Photo/Evan Vucci).

Nos primeiros dias de governo, Trump baixou um decreto vetando a entrada nos EUA de refugiados e cidadãos de sete países majoritariamente muçulmanos. A aplicação da medida, porém, está suspensa por decisão de um juiz federal de Seattle, ratificada por uma corte de apelações de São Francisco.

"Nós vamos ganhar essa batalha", disse Trump nesta sexta-feira (10) a jornalistas, a bordo do Air Force One, enquanto voava para a Flórida para uma partida de golfe com o presidente japonês, Shinzo Abe. "Considero um monte de opções, incluindo emitir uma nova ordem."

A declaração sugere que a Casa Branca, como vinha especulando a imprensa americana, busca uma nova forma de conseguir o mesmo objetivo do decreto original, baixado há duas semanas e atualmente travado na Justiça, mas com uma base legal mais forte.

Embora se espere que a equipe jurídica do governo continue a brigar na Justiça pelo decreto, que ameaça parar na Suprema Corte, Trump indicou que não deve esperar por uma decisão final. "Precisamos de velocidade por questões de segurança", afirmou.

Questionada por jornalistas, uma autoridade da Casa Branca repetiu o discurso de Trump: "Estamos considerando ativamente mudanças ou outros decretos executivos que manterão nosso país a salvo do terrorismo."

O Departamento de Justiça - que acumula também a função de Procuradoria-Geral - pode agora apresentar um recurso perante a Suprema Corte ou solicitar outra revisão da sentença a uma corte federal com um número maior de juízes.

A ordem de Trump suspendia durante 120 dias o programa de amparo a refugiados dos EUA - ou indefinidamente, no caso dos refugiados sírios - e paralisava durante 90 dias a emissão de vistos para cidadãos de Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irã e Iêmen.

Dada a suspensão temporária do decreto, os cidadãos dos países afetados - todos majoritariamente muçulmanos - se apressaram para viajar aos Estados Unidos com os vistos que já tinham emitido.

Fonte: Terra

Meus filhos vão realizar tudo que eu não pude realizar”, confessou a paraibana Isabel Cristina Fernandes, de 51 anos, que lutou contra a própria realidade para que o filho Pedro, de 18 anos, realizasse o sonho de estudar em um intercâmbio na Finlândia. Natural da cidade de Picuí e trabalhando há 24 anos na sede recreativa da Associação dos Magistrados da Paraíba, em Cabedelo, junto com o marido Milton Viana, Isabel conseguiu arrecadar mais de R$ 1,2 mil coletando material reciclável.

c4cc4e60707470a7631c372ea5b22f53Isabel reuniu mais de 300 kg de latas para ajudar manutenção do filho na Europa (Foto: Isabel Cristina/Acervo Pessoal)

Latinhas, alumínio e plástico ajudaram o filho a se manter no país onde começou a estudar idiomas. Hoje, além de trabalhar com o marido na Associação dos Magistrados, onde também mora há 24 anos, Isabel faz cocadas, trufas, cupcakes e outros doces para ajudar no custeio. O que iria para o lixo no trabalho, Isabel transformava em dinheiro. No caminho para a igreja, também apanhava o que conseguia.

Uma arrecadação dos magistrados da Paraíba, do Rio Grande do Norte, de São Paulo e de Pernambuco, ajudou Isabel a completar R$ 30 mil para realizar o sonho do filho. "Eu ainda vou para longe, ainda vou voar, morar em outro país", foi com esse desejo de Pedro que tudo começou, conforme conta Isabel.

Para ela, a única solução era o filho estudar. Ele queria fazer algum curso de idiomas, mas se a mãe utilizasse o dinheiro para isso, a família não teria o que comer. Então Pedro começou a estudar por conta própria, no computador. “Assistia seriado sozinho e sempre cantava em inglês, para aprender”, contou Isabel. Quando uma mulher de Taiwan se hospedou no clube da associação, todos ficaram surpresos com a desenvoltura de Pedro para conversar em inglês.
Isabel fez a inscrição de Pedro na associação Rotary para tentar o intercâmbio e, após a realização da prova, ele foi classificado em oitavo lugar. Na preparação da papelada necessária, mais um desafio. “Quando eu vi o que eu tinha que pagar eu pensei que ele não ia mais”, refletiu a mãe.

A campanha atingiu amigos de Isabel e do magistrado Manoel Abrantes, que ajudou junto a outros a reunir o dinheiro necessário. No início, eles precisavam de mais de R$ 5,2 mil para dar início à viagem. Em menos de três dias, a conta bancária de Isabel já somava R$ 6 mil.

Sonho realizado

Pedro está na Finlândia desde agosto de 2016 e hoje ele já fala inglês, sueco e está aprendendo francês. Foi aprovado no curso de Relações Internacionais, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e deve começar o curso quando voltar ao Brasil, provavelmente no final do mês de julho deste ano.

Com a partida de Pedro, o coração de Isabel ficou pequeno. A porta do desembarque era minúscula para um futuro tão grande que estava por vir. “É uma dor quando a gente vê nossos filhos saindo daquela portinha do aeroporto”, disse Isabel.

Agora Isabel vende uma rifa. Recebeu uma doação de uma suqueira como prêmio e só vai parar com as vendas quando o objetivo for alcançado: pagar o passeio da escola do filho para conhecer outros países da Europa.

“Eu me sinto muito feliz, que às vezes é até inexplicável de falar, é incrível quando você sonha a vida toda de ir para o exterior e de repente seu sonho se realiza”, disse Pedro. “Isso mostrou que eu sou capaz e que tudo é questão de querer. E hoje eu posso ver que todo o esforço que a minha mãe fez está valendo a pena", completou.

f5c5ad7cdcfc1bdb4ab761e05ba8f79fPedro, de 18 anos, conseguiu realizar sonho de intercâmbio na Finlândia (Foto: Pedro Fernandes/Acervo Pessoal)
24 anos de dedicação e amor

Casados há 24 anos e com dois filhos, Isabel e Milton fazem pela família o que não puderam fazer por si mesmos. Além de Pedro, o filho mais velho do casal tem 22 anos e se chama Severino, estudante de Farmácia, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). “Eu quero que eles sejam vitoriosos por tudo isso. Cada luta que eles viram que a gente passou, que eles reconheçam. Isso é tudo maravilhoso”, declarou.

Nascida no município de Picuí, Isabel viveu por uma escolha da mãe. O pai não assumiu a paternidade e queria que a gravidez fosse abortada. Ela resistiu e colocou Isabel no mundo. Os sonhos de Isabel têm a mesma marca de luta e de lição de vida. “Eu vou lá ver meu filho na Finlândia. Eu sempre sonhei em ir longe, conhecer o mundo. Meu filho puxou a mim”, disse.

 

Fonte: G1

  • Rastek
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Espeto e Cia
  • Blossom