O senhor Anselmo Pereira de Sousa procurou o portal jc24horas para comunicar que perdeu sua carteira com todos os seusdocumentos no trajeto compreendido da Empresa Telerádio do senhor Conegundes Gonçalves até o mercado público central de Floriano.

WhatsApp Image 2018 06 01 at 15.56.56Anselmo Pereira de Sousa. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Na carteira continha todos os seus documentos e vários cartões bancários.Confira as informações e os números de telefone de contato para quem souber qualquer informação que possa ajudar o senhor Anselmo Pereira.

Da redação

Através de um vídeo enviado ao portal jc24horas, o ex-deputado estadual Deusimar Brito, o Tererê agradeceu aos florianenses que compareceram à reunião que ele fez na última sexta-feira em Floriano. "Eu ganhei uma família". Disse Tererê. O agradecimento foi através do advogado Moura Fé, responsável pela vinda do ex-parlamentar a Floriano e o vídeo gravado foi pelo fato de Tererê ter sofrido um acidente no dia seguinte e os amigos que compareceram ao encontro no Restaurante o Djalma terem ficado preocupados com o seu estado de saúde.

WhatsApp Image 2018 06 01 at 14.09.55Moura Fé e Tererê. (Imagem:Divulgação)

Confira a reportagem feita pelo jc24horas após a reunião de sexta-feira, um dia antes do líder político sofrer o acidente.

A mensagem foi enviada da casa da irmã do pré-candidato a deputado estadual e ele falou do acidente e dos procedimentos médicos adotados. "O pior já passou. A cirurgia foi bem feita e eu escapei dessa". Disse Tererê.

Da redação

O Ministério do Trabalho suspendeu por 30 dias os processos de registros sindicais. A decisão foi tomada depois da deflagração da operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, que investiga suspeita de fraude na concessão de registros.

4e33396aab3dcd2e225330b405e9cb51Marcelo Camargo/Agência Brasil - 14.set.2017

De acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União nesta sexta (1º), serão suspensos no prazo de 30 dias "todas as análises, publicações de pedidos, publicações de deferimento e cancelamentos de registro sindical".

A decisão requisita ainda a lista de todas as cartas sindicais emitidas ou recusadas nos últimos 30 dias. A portaria pode ter seu prazo prorrogado.

Entre os alvos da investigação da PF estão os deputados federais Paulinho da Força (SDD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB), cujos partidos controlam a pasta. Eles negam irregularidades.

A PF aponta indícios de esquema de corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro no Ministério do Trabalho.

A operação deflagrada na quarta-feira (30) foi autorizada pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Na petição enviada ao STF, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apontou a existência de um esquema criminoso estruturado em cinco núcleos de atuação: administrativo, político, sindical, captador e financeiro.

Ela explicou que se pagava R$ 4 milhões pela liberação de um único registro sindical. Desde 2017, parte dos integrantes do grupo criminoso responde a uma ação por improbidade administrativa em andamento na Justiça Federal, em Brasília.

Ao menos dez servidores da pasta são investigados, como integrantes do núcleo administrativo. Segundo a procuradora, a eles cabia viabilizar as fraudes, que incluíam o desrespeito à ordem cronológica dos requerimentos e o direcionamento dos resultados dos pedidos.

Um dos pedidos de prisão refere-se ao secretário-executivo do Trabalho, Leonardo Arantes, sobrinho do deputado Jovair Arantes. Leonardo estava em viagem a Londres, a trabalho, e ainda não foi detido pela PF.

Reportagem da Folha mostrou que os benefícios eram concedidos em troca de uma espécie de "mensalão sindical": apoio político em eleições ou a filiação às centrais controladas pelos parlamentares.

Comunicações interceptadas indicam ainda que investigados tratavam do pagamento de propinas no Ministério do Trabalho por meio de códigos cifrados como "mudas de café" e "garrafas de vinho".

Fonte: Folha Press

O governo federal anunciou que firmará um acordo com a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis) para garantir o repasse do desconto de R$ 0,46 no litro do óleo diesel ao consumidor. Em um Termo de Cooperação Técnica, governo – por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) –, federação e distribuidoras se comprometem a fazer o desconto chegar na bomba de combustível.

posto 53Foto: Wilson Filho/Arquivo Cidadeverde.com

O acordo será assinado nesta sexta-feira (1º), às 11h, no Ministério de Minas e Energia e foi anunciado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista coletiva na noite de ontem (31) no Palácio do Planalto.

Multa e interdição

Padilha destacou as punições possíveis àqueles que não repassarem o desconto: multas de até R$ 9,4 milhões, suspensão temporária das atividades, interdição dos estabelecimentos e até mesmo cassação da licença.

A fiscalização será realizada pelos Procons estaduais. Caso um consumidor, ao abastecer com diesel, verificar a não aplicação do desconto, poderá fazer a denúncia ao Procon. Padilha informou ainda que um número de telefone será usado como canal de comunicação para essas denúncias.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Paraiba
  • Espeto e Cia
  • Blossom