• Garoto
  • Posto Aliança
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Casa dos frios

A melhor empresa de assistência técnica em equipamentos eletrônicos e de som de Floriano e o melhor portal de nossa cidade fizeram a parceria para que o nosso folião ficasse além de bem informado, consciente onde se dirigir quando precisar desse tipo de serviço. Conegundes Gonçalves de Oliveira e jc24horas brinadaram o Júnior da Roma com uma bela camiseta com as logomarcas dos dois parceiros. 

ba074ca8 61d3 47b5 b9ab b45e69260a1fJúnior da Roma. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação

A exemplo do portal jc24horas, a equipe de plantão da Agespisa está pronta para qualquer intercorrência em sua área, como por exemplo o caso do cano quebrado na Avenida Bucar Neto que ocasionou problemas no fornecimento de água em parte de Floriano. Nossa equipe fez uma participação ao vivo conversando com o Neto Saraiva que nos repassou todas as informações acerca do problema. Vale informar que o problema já foi resolvido. Confira a vídeo-reportagem.

20170226 102511Homens da Agespisa em ação. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação

A equipe do portal jc24horas esteve na Galeria dos Calçados para conferir com o empresário José Wilson Filho, mais conhecido como Mano como está o estoque para atender a clientela que se prepara para voltar às atividades escolares, visto que tanto a Galaria dos Calçados como o Avistão tem tudo que você precisa em calçados, bolsas e outros produtos, sempre com o atendimento de primeira qualidade, além dos menores preços e melhores condições de pagamento. Confira o vídeo e procure a Galeria dos Calçados e o Avistão.

f5f61fe0 68f0 4240 9778 a6b2484f5db3José Wilson Filho, o Mano. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

 

Da redação

 

 

Garantia de água para consumo humano, produção agrícola, dessedentação animal e para a sobrevivência de pequenos cultivos que garantem a segurança alimentar de famílias inteiras. Apenas nos últimos três anos, mais de R$ 1,2 bilhão vêm sendo executados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em ações emergenciais que visam aliviar, para mais de 1,7 milhão de moradores de comunidades rurais do semiárido brasileiro, os efeitos da longa estiagem – já considerada a mais severa do último século.

f2cb6031f6abfa585b3567e7c99c1c12

Somente neste ano, cerca de R$ 32 milhões estão, até o momento, em execução. Os recursos são oriundos da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional e também do Orçamento Geral da União destinados à Codevasf por emendas parlamentares.

O investimento federal vem sendo aplicado em ações como ampliação ou construção de adutoras, instalação de flutuantes ou desassoreamento de canais que permitem a chegada de recursos hídricos a lavouras familiares, em perfuração e montagem de poços artesianos sedimentares ou cristalinos, em limpeza e desassoreamento de aguadas, em implantação de cisternas, barreiros, sistemas simplificados de abastecimento, kits de irrigação.

“Para auxiliar as comunidades que convivem com a seca, é necessária a compreensão de suas vulnerabilidades, as condições de vida relacionadas à situação das famílias, a fragilidade das economias locais e as alternativas para solução dos problemas”, afirma a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino. “Esse diagnóstico possibilita o investimento de recursos, mesmo limitados, nos meios adequados de subsistência, em estratégias e planos que acabam se revelando eficazes para mitigar o problema”, acrescenta.
Em todo o país, de acordo com os dados mais recentes da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, a população de 960 municípios demanda ações urgentes pois enfrenta situação de emergência ou calamidade pública reconhecida pelo Governo Federal. Na grande maioria, 787 municípios, o problema é a estiagem; 105 sofrem consequências geradas por chuvas fortes, e 68 enfrentam outras circunstâncias, como doenças infecciosas virais, erosão de margens fluviais, colapso em edificações.

Em todos os estados do Nordeste e de parte de Minas Gerais, o infortúnio é gerado pela seca – que deve se agravar ainda mais na região, de acordo com a Previsão Climática Sazonal do Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal (GTPCS), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC): a tendência é que os reservatórios do Nordeste não tenham recuperação significativa durante a estação chuvosa, uma vez que as precipitações devem ficar abaixo da média histórica.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Rastek
  • Paraiba
  • Espeto e Cia