O final do ano não vai ser fácil para os servidores estaduais. Apesar dos indicadores que apontam para a recuperação da economia, vários Estados terão dificuldade de arcar com os gastos da folha de pagamento duplicada, que inclui o 13º salário.

dinheiro bolso19

Pelas estimativas, 1,5 milhão de servidores dos Estados correm risco de ficar sem a gratificação natalina até o final do ano. Uma reportagem publicada pelo site da Veja cita os que estão em situação mais delicada: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Minas Gerais, que já têm dificuldades de pagar seus funcionários atualmente.

Já no Piauí, os servidores já receberam 50% do Décimo Terceiro, porque o Estado paga no mês de aniversário do funcionário. A outra metade, porém, ainda está em risco. O próprio governador Wellington Dias (PT) já declarou que não vê "uma luz no fim do túnel" quando o assunto é a folha de pagamento do final desse ano. “Estamos pagando só as despesas essenciais para tentarmos cumprir o prazo (de pagamento), que é 20 de dezembro”, diz o superintendente do Tesouro, Emílio Júnior. Todos os anos, o Estado precisa levantar recursos extraordinários para arcar com o salário extra, de acordo com Júnior. Neste ano, o governo espera levantar recursos com o Refis, que permitirá que os contribuintes parcelem suas dívidas. “Essa é a luz no fim do túnel”, acrescenta.

Mas a situação no Piauí, sem dúvidas, está bem melhor que em outras unidades da Federação.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, será o terceiro ano consecutivo em que os funcionários não receberão no prazo, segundo a reportagem da Veja. O 13º de 2015 foi pago aos trabalhadores apenas em junho do ano seguinte, com correção de 13,67% – o valor médio cobrado por empréstimos bancários tomados pelos servidores à época. O salário extra do ano passado foi parcelado em 10 vezes e, agora, não há definição em relação ao de 2017. No Rio de Janeiro quase metade dos 470 mil trabalhadores ainda não receberam nem o 13º do ano passado, e 15 mil deles não viram o pagamento de agosto.

Com 99 mil servidores e uma folha de R$ 365 milhões, o Piauí já pagou aproximadamente R$ 180 milhões em 13º salário neste ano – os funcionários recebem a primeira parcela no mês de aniversário. Para quitar o restante, porém, ainda não há recursos disponíveis.

 

Fonte:cidadeverde.com

Em entrevista concedida na manhã de hoje ao portal jc24horas, o Secretário de Governo do Município de Floriano James Rodrigues, falou sobre a determinação do Prefeito Joel Rodrigues, enviada para todos os secretários municipais no sentido de que sejam feitas as recisões dos contrátos temporários de trabalho, atendendo a um Termo de Ajustamento de Conduta feito com o Representante do Ministério Público e obedecendo à Lei de Responsabilidade Fiscal.

20171106 111754Secretário de Governo James Rodrigues. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Ainda segundo o Secretário James Rodrigues, o Município de Floriano está realizando um processo seletivo para que no dia 17 de dezembro sejam realizadas as provas e as convocações dos aprovados aconteçam no início do mês de janeiro. Confira a íntegra da entrevista na vídeo-reportagem feita com o Secretário, no gabinete do Prefeito Joel Rodrigues.

 

Da redação

 

O artigo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no jornal "O Globo" deste domingo (5), em que ele defende o desembarque do PSDB do governo Temer em dezembro, surpreendeu o núcleo do Palácio do Planalto.

97161c0a0fea676cd0235b0f83397d99

O texto foi visto como uma espécie de ultimato aos tucanos, num momento em que o presidente Michel Temer faz um esforço para manter os ministérios da chamada "ala Jaburu" do PSDB, numa referência ao grupo que frequenta a residência ofical.

No ninho tucano, a percepção é de que Fernando Henrique decidiu sair do muro e apoiar explicitamente as teses defendidas pelo senador Tasso Jereissati. Com isso, o grupo do PSDB que deseja o desembarque do governo Temer ganhou força.

A percepção até mesmo de integrantes da "ala Jaburu" é que a argumentação de Fernando Henrique causou uma saia justa nos integrantes do partido que defendem a permanência no governo Temer. Essa é a tese do senador Aécio Neves, que tem pressionado o partido a manter a aliança com o governo.

A argumentação de Fernando Henrique é pragmática: caso não deixe o governo Temer ainda em 2017, os tucanos serão coadjuvantes no processo sucessório de 2018. E ele ainda faz um alerta, ao citar as mãos de tucanos chamuscadas de inquéritos, numa referência mais direta ao caso de Aécio Neves, que tem causado forte desgaste ao partido.

A avaliação entre os tucanos é que a posição do ex-presidente deve enfraquecer a "ala Jaburu" e forçar o governador Geraldo Alckmin, nome mais forte do partido para 2018, a defender a tese do desembarque.

Fonte: G1

Na manhã desta segunda-feira, os novos secretários municipais concederam entrevista ao portal jc24horas, falando dos novos desafios que receberam do gestor público ao assumirem as pastas da saúde e administração. Thais Braglia substituta de Enéas Maia na pasta da saúde disse que gosta de desafios e esse é mais um e que através de um trabalho de equipe pretende melhorar a saúde de Floriano. "Foi um presente que o Prefeito Joel Rodrigues me deu e acreditamos que vamos fazer a diferença". Disse a nova secretária que tem nove anos de atividade na área da saúde em Floriano e isso dar uma experiência e conhecimento dos muitos problemas existentes.

20171106 112050Prefeito Joel ladeado pelos novos secretários Júlio César e Thais Braglia. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Para a pasta da Administração, o jovem advogado Júlio César é o substituto de Magno Weverson. O novo secretário começou a entrevista agradecendo ao Prefeito pela oportunidade e confiança dada a uma pessoa jovem, enalteceu o trabalho do seu antecessor a quem definiu como competente. Em relação à nova missão, Júlio César disse que entende que o problema da administração pública no Brasil vem da falta de recursos. "Antigamente o FPM era bem mais atrativo, mas aí é que vem a função do gestor. Fazer mais com o mínimo". Concluiu o novo Secretário de Administração Dr. Júlio César.

Daqui a pouco você confere na íntegra as duas entrevistas numa vídeo-reportagem.

20171106 111405Thais Braglia e Júlio César. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Blossom
  • Paraiba
  • Espeto e Cia