• Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Casa dos frios
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Casa dos frios

O Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, para onde o ex-governador Anthony Garotinho foi transferido, divulgou no fim da manhã deste sábado (19), o primeiro boletim médico sobre o estado de saúde do paciente. Segundo a unidade, ele está estável, em observação clínica, sob os cuidados do Dr. Marcial Naverrete. A expectativa é de que ele seja submetido a um cateterismo.

2e13d43d44f11dcc2913e7326f18c772Viatura da Polícia Federal chega ao Quinta D'Or (Foto: Carlos Brito/G1)

O RJTV teve acesso ao laudo médico da UPA do complexo enitenciário de Bangu. O documento assinado pelo coordenador da unidade diz que o ex-governador se recusou a tomar os remédios prescritos pelos médicos da UPA. Garotinho disse que só tomaria os medicamentos levados por seus advogados. Ele também não quis tomar banho ou comer.

O ex-governador só aceitou tomar banho depois que recebeu a visita de parentes e tomou os remédios levados pela família. Garotinho deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na madrugada deste sábado para ir para o hospital particular.

TSE ordena transferência para hospital

Ele obteve o direito de deixar o Hospital Penitenciário, em Bangu, na Zona Oeste da cidade, por ordem da ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na nova unidade, Anthony Garotinho será submetido a um cateterismo para descobrir a causa das dores no peito após ser preso pela PF, na quarta (16).

Durante a manhã de sábado, viaturas da Polícia Federal entraram e saíram da unidade, mas seus ocupantes não falaram com a imprensa.

Na decisão que autorizou a transferência para o Quinta D'Or, o TSE determinou ainda que, depois dos exames de coração, o ex-governador ficará em prisão domiciliar até que seja votado em plenário seu pedido de liberdade.

Garotinho foi levado em uma ambulância por volta de 0h10. O veículo foi escoltado por dois carros da Polícia Federal (PF).

A transferência aconteceu após a chegada da ordem judicial na administração do Complexo de Gericinó, onde fica o Hospital Penitenciário. Uma ambulância já esperava desde a noite de sexta-feira (18) para transferir o ex-governador.

A ministra Lúcia Lóssio acolheu o recurso dos advogados do ex-governador e derrubou a decisão do juiz eleitoral Glaucenir Silva de Oliveira. O magistrado afirmou que Garotinho teve regalias no hospital.

Na noite de quinta (17), a transferência do ex-governador para o conjunto de presídios foi tumultuada.

Os agentes da PF foram cumprir o mandado. O ex-governador resistiu e houve confusão ainda no quarto do hospital. Num áudio gravado, Anthony Garotinho discutiu com um agente, se negando a ir para Bangu. Disse temer se morto por bandidos.

Garotinho:Matam homem aqui ó, matam homem.
Homem:A gente só precisa te levar.
Garotinho:Eu não vou, eu não vou. Isaías do Borel, tem um monte de preso lá, que foi tudo eu que botei na cadeia. Não vou ficar é o... eu não quero. Eles tão doidos pra me levar pra lá pra me matar. Não vou. Isso tudo foi armado. Eu não vou, cara. Não vou.
Homem:O senhor vai.
Garotinho:Vai me matar, mas eu não vou.
Homem:O senhor vai. O senhor vai.


No lado de fora do hospital, no momento da transferência, houve nova confusão.

A ambulância com Garotinho chegou a Bangu às 22h30 de quinta. Antes de amanhecer, Rosinha Garotinho levou remédios para o marido, acompanhada do cardiologista.

A visita foi extraordinária, um benefício que, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, é concedido a qualquer preso.

Souza Aguiar
O Ministério Público Estadual abriu procedimento para investigar se houve tratamento privilegiado para o ex-governador no Hospital Souza Aguiar.

“Não houve regalias. A Rosinha realmente dormiu no hospital, mas não dormiu dentro da UTI. Ela dormiu numa sala administrativa que foi cedida pela direção do hospital para que ela ficasse”, disse Clarissa Garotinho, deputada federal e filha de Garotinho.

A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que não há regalias para parentes de pacientes, mas que separou uma sala apenas para não atrapalhar a rotina do hospital.

Fonte: G1

  • Cabedo
  • Rastek
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia
  • Blossom
  • Paraiba