Por Bárbara Rodrigues (Com informações da UFPI)

O impacto da Inteligência Artificial (IA) no auxílio da atividade humana, gerou o desenvolvimento da Plataforma LEIA, baseada no ensino da Língua Portuguesa, Inglês e Espanhol, e que usa a Inteligência Artificial por meio de uma abordagem inovadora, evitando confusões na transferência de processos linguísticos. O projeto tem sido desenvolvido pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

0f09efabdf89e82d70e477535566004aFoto: Ascom/UFPI

O projeto surgiu como resultado de uma pesquisa acadêmica que teve início em um mestrado e se desenvolveu ao longo de um doutorado da professora Aratuza Rocha, com co-orientação do professor Fábio Rocha, da UFPI. Ao longo de uma década, essa pesquisa evoluiu para uma metodologia de aprendizado baseada em literatura, visando evitar erros comuns relacionados à transferência de conhecimento da língua materna para a língua-alvo.

O próximo passo foi a criação da plataforma LEIA, utilizando Inteligência Artificial para avaliar o progresso dos alunos, que oferece um acompanhamento avaliativo contínuo, adaptando a dosagem de aprendizado à medida que os alunos progridem, promovendo uma experiência única.

“A plataforma se destaca como uma ferramenta que não apenas ensina, mas fornece dados valiosos para supervisores, professores, diretores e pais, permitindo uma compreensão mais profunda dos desafios e avanços no aprendizado de línguas”, afirmou o professor Fábio Rocha.

A plataforma está na fase final de testes laboratoriais, a previsão é que na metade de 2024 ela seja implantada para testes em escolas públicas e privadas para então ser lançada no mercado.

 

Fonte:cidadeverde.com