Após a consolidação dos votos, dando vitória ao candidato do MDB, Dr Pessoa, o prefeito Firmino Filho (PSDB) disse que o sentimento de mudança prevaleceu depois de sete mandatos consecutivos dos tucanos e pede desculpas por erros.

38ea86a9f11ae218c390fa9461f65c4b

“Existia um sentimento de mudança que prevaleceu, são sete eleições consecutivas e essa fadiga atrapalhava nossa candidatura. Nós nos curvamos porque isso é democracia e é o voto que decide, ele mandou a mudança e temos que respeitar a soberania do voto. Nós temos uma história política em Teresina que é exceção no Brasil com sete mandatos e estamos saindo do quatro mandato com 60% de aprovação. Nós somos gratos pela confiança. Nos esforçamos muito e trabalhamos muito, também cometemos muitos erros e peço desculpas”, destacou.

Sobre a transição, o prefeito disse que vai formar uma equipe para auxiliar a equipe do Dr Pessoa e disse que vai ser tranquila. “Terão toda abertura, de forma transparente, para que tenham acesso às informações cruciais e esperamos que façam um grande trabalho porque Teresina precisa e merece”, afirmou Firmino Filho.

 

 

Fonte: Cidade Verde

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi reeleito no pleito municipal com 59,45% dos votos válidos, informa o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O resultado foi cravado com 93,68% das seções apuradas.

bruno covasFoto: Governo do Estado de São Paulo

Com apoio do governador João Doria (PSDB), o tucano derrota Guilherme Boulos (PSOL), que conquistou, na porcentagem contabilizada acima, 40,55% dos votos. Covas está com Doria neste momento.

Segundo informações da assessoria do PSOL, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que está isolado em casa com covid-19 e não saiu para votar, já telefonou para o prefeito Bruno Covas e o parabenizou pela vitória.

De acordo com o mapa de votos do TSE, Boulos, por outro lado, conseguiu levar a maioria dos votos em algumas regiões do sul e leste da capital paulista.

A disputa no maior colégio eleitoral do País se deu com os vices sob holofotes, como mostrou o Broadcast Político. O vice de Covas é Ricardo Nunes (MDB), que chega à prefeitura municipal após participação discreta na campanha e colecionando polêmicas. Sua esposa chegou a registrar, em 2011, boletim de ocorrência por agressão. Além disso, a família do hoje vereador recebeu dinheiro de creches conveniadas com a prefeitura para prestação de serviços sem licitação.

Já a vice de Boulos, a ex-prefeita e deputada federal Luiza Erundina (PSOL), assumiu a campanha de rua ontem, último dia de atividades, quando Boulos precisou se isolar por conta da covid-19.

 

Estadão Conteúdo

O candidato do MDB, Dr. Pessoa, foi eleito prefeito de Teresina neste domingo (29). O emedebista faz um feito histórico ao quebrar hegemonia tucana na prefeitura da capital, que já dura mais de 30 anos.

1bb822d69f989548444976691f07710eFoto: Roberta Aline

Com 100% das urnas apurações, Dr. Pessoa obteve 236.339 mil votos, equivale a 62,31% dos votos.

O candidato do PSDB, Kleber Montezuma, obteve 142 mil 941 votos, que corresponde a 37,69% dos votos.

Balanço da campanha

A reta final da campanha foi marcada por elevação do tom entre os dois candidatos, com troca de acusações, chegando a tirar do ar o horário eleitoral na TV e Rádio.

Kleber Montezuma intensificou as atividades de rua como caminhada, focou em afirmar que o seu adversário faz parte de um “blocão” se referindo aos partidos que aderiram ao Dr. Pessoa como PT, PSD, PL, e questionou a competência administrativa do emedebista.

Montezuma é o candidato apoiado pelo prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB) e conta com aliança dos Progressistas, tendo como líder principal o senador Ciro Nogueira, presidente Nacional do partido.

Kleber Montezuma contou com aliança de nove partidos aliados –PSDB, Progressistas, PSL, Avante, PDT, Dem, PMB, PV e Podemos. e tem como vice o ex-vereador R. Silva. No primeiro turno, Kleber Montezuma obteve 110.395 votos válidos, equivalente a 26,70% do eleitorado.

Oposição unida no 2º turno

Liderando as pesquisas eleitorais, Dr. Pessoa obteve 34,53% dos votos válidos (142 mil769 votos) no primeiro turno.

As conversas com os petistas logo após o domingo de eleição foram estressantes, chegando ao ponto de pedir apoio não declarado do PT. O deputado estadual Fábio Novo, candidato do PT a prefeitura, chegou a afirmar que votaria nulo no 2º turno.

Dr. Pessoa enfrentou os tucanos com três aliados: MDB, seu partido, PRTB e PSB.

No segundo turno, conseguiu o apoio de parte do PT, do PL de Fábio Abreu, do PSD da candidata Simone Pereira e Júlio César, e da pastora Gessy Fonseca, do PSC, que foi a surpresa do pleito ficando em terceiro lugar.

O emedebista destacou sua história de vida, que era a hora da mudança para tirar do poder um grupo que já dura mais de 30 anos na prefeitura.

Fonte:cidadeverde.com

Por Sávia Barreto

O governador Wellington Dias vai fazer uma mini-reforma administrativa em janeiro. Isso é resultado da nova configuração de forças da eleição municipal no Piauí. Algumas mudanças já começam em dezembro com Ariane Benigno, indicada de Merlong Solano, reassumindo a Sead e o deputado Franzé Silva retornando à Alepi provavelmente na semana que vem.

705b91a4 3d0b 46f6 a6a5 f4cd23a90ab5 5a26e6ec 5406 4a52 9965 20d97e52f0a5

 

Pensando lá na frente

Fábio Novo e Fábio Abreu devem retornar para as secretarias de Cultura e Segurança Pública. PSD, por exemplo, saiu fortalecido das eleições e já fala de ocupar novos espaços. Fato é que Dias deve fazer mudanças que impactam nos suplentes e na composição da Assembleia Legislativa. Com a eleição de 2022 se aproximando, esse xadrez é importante a respeito de aliados que ficarão juntos ou se podem seguir caminhos distintos até lá.

Gambito do Rei

Wellington Dias foi o grande jogador de xadrez dessa campanha e deu vários xeques-mate. Foi Dias quem segurou o deputado Carlos Augusto, do PL, os Flávios Nogueira, pai e filho, do PDT/Republicanos e até mesmo o PT, que queria liberar o voto em Teresina por não ter as ideias do plano de governo acolhidas pelo candidato Dr.Pessoa. Tudo isso de modo discreto, como é de praxe na postura do governador e sendo alvo da artilharia do PSDB, que apostou em comparar as gestões municipal e estadual.

 

 

 

Fonte: Meio Norte

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paçoka
  • Espeto e Cia
  • Paraiba