• Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Garoto

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez um forte aceno ao PSDB para as eleições presidenciais de 2022. Durante convenção nacional do PSDB, o deputado fluminense afirmou que deseja que as duas siglas estejam "fortes em um projeto único de geração de emprego e renda" daqui a três anos. Após o evento, ele negou que estivesse falando em fusão entre os dois partidos. "Isso envolve diálogo, como a gente vem fazendo, temos muitas convergência". Ele defendeu que PSDB e DEM estejam juntos para primeiro reconstruir o País e depois em um projeto comum com outros partidos para o futuro.

8ca56423e6997c6b6c19610dbfe103c9Foto: Arquivo/AgênciaBrasil

O novo presidente do PSDB, Bruno Araújo, disse que é cedo para falar sobre eleição, mas que a legenda tem identidade com o DEM e que os dois estão sempre em constante diálogo. Ele também incluiu o MDB na possibilidade de uma conversa para a próxima eleição presidencial.

Previdência

Sobre a reforma da Previdência, Rodrigo Maia disse que ainda não leu o projeto apresentado pelo PL (ex-PR) para a proposta na comissão especial da Câmara, mas disse que a apresentação da emenda é importante para que os parlamentares identifiquem quais são os pontos em comum e os itens que têm divergência.

Fonte: Estadão Conteúdo

Participando de um café da manhã com a Bancada Federal na Associação Piauiense dos Municípios (APPM), o senador Elmano Ferrer (PODEMOS) criticou a ausência de recursos para as prefeituras municipais.

6d294d119a4ca418cad3316819e3b650Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

“Nos últimos 30 anos houve uma transferência de serviços do Estado para os municípios. Entretanto não houve uma transferência proporcional de recursos, que acabam não sendo suficientes”, disse Elmano.

Para o senador piauiense, uma novo pacto federativo deve ser firmando. "A organização do estado brasileiro esgotou. Os estados e os municípios estão agonizando. Temos que recriar a federação”, revelou.

Para desafogar as finanças municipais, Elmano aponta para a aprovação da Reforma da Previdência (PEC 06/2019). Ele defende a aprovação sem o fim de benefícios sociais para idosos e pessoas que por algum motivo físico estão impossibilitadas de trabalhar.

 

Fonte:cidadeverde.com

O vereador Deolindo Moura (PT) reafirmou, nesta quarta-feira (22), o planejamento do Partido dos Trabalhadores (PT) para lançar candidatura majoritária própria nas eleições municipais de Teresina em 2020.

0f65f06e06484fb30c875942da01c7f5Foto: Arquivo Cidadeverde.com

Além de nomes como o do ex-secretario Franzé Silva e do vereador Dudu, o PT estaria avaliando o nome de Daniel Oliveira, ex-secretário estadual de Justiça.

"O PT tem nomes bons, sempre teve. Nesse momento, é importante ter uma candidatura própria", destacou.

Para Deolindo, Daniel Oliveira tem o perfil que a população deseja para a gestão municipal. "Um nome jovem que não tenha ligação direta com a política, que tenha muita responsabilidade e experiência técnica para gerir a máquina a e a simpatia da população. Estamos negociando", avalia o vereador.

Sobre o nome do vereador e correligionário, Dudu, destaca o papel que o parlamentar tem tido na Câmara de Teresina. "Um nome importante, um vereador que tem feito o contraponto aqui na Câmara Municipal. O certo é que o PT terá um nome para disputar as eleições municipais de Teresina", afirmou Deolindo.

Nesta manhã, na Rádio Cidade Verde, o deputado petista Francisco Limma falou sobre as "credenciais" do colega Franzé Silva para a pré-candidatura.

 

Fonte:cidadeverde.com

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que é um dever do governo contingenciar. "Em um País onde nós estamos, e todos sabem disso, fiscalmente desequilibrados, é um dever em primeiro lugar, de parte do presidente e de sua equipe, proteger o orçamento, porque é com ele que a família Brasil vive", disse.

c9ba8578e60e79b3a0057433dbdc6edcFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro foi questionado sobre o que de fato aconteceu na reunião de líderes da Câmara com o presidente Jair Bolsonaro ontem. Deputados que haviam se reunido com o presidente Jair Bolsonaro na tarde de terça-feira, 14, disseram após o encontro que o governo iria rever o bloqueio de recursos no orçamento da Educação.

Líderes de quatro legendas, entre eles do partido do próprio presidente, disseram que Bolsonaro telefonou para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e determinou que novos cortes deixem de ser feitos. A informação foi dada pelos líderes do PSL, Delegado Waldir (GO), do Novo, Marcel Van Hattem (RS), do Podemos, José Nelto (GO), e do Cidadania, Daniel Coelho (PE), mas o governo negou a informação depois. "Ninguém do governo falou, quando falou manteve clareza sobre o que é contingenciamento", respondeu Onyx sobre o ocorrido.

"Alguém, ou porque tinha interesse político ou porque queria mais um pouquinho de luz, entendeu algo que era completamente desconectado daquilo que estava sendo dito, que lhe servia politicamente e que sustenta essa posição. O governo, de maneira uniforme, se manifestou ontem reafirmando que contingenciamento é o governo ser prudente", disse.

"Estamos diante de uma reestruturação importante que é a Nova Previdência, que vai ser votada até meados do mês de junho, dentro do primeiro semestre. Com isso, o governo se reorganiza do ponto de vista fiscal", afirmou o ministro. "Estamos dando condições para que o Brasil possa lentamente se recuperar. Foram 30 anos moendo o dinheiro dos brasileiros", afirmou. "Hoje o governo brasileiro tem fim em si mesmo", disse. "Temos 30 anos do cachimbo usado do lado errado".

Fonte: Estadão Conteúdo

  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Casa Boa Esperança
  • Ada Atten
  • Cabedo