• Vista bela
  • Construforte
  • Farmaduty
  • floriano shop
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Paraiba
  • Construforte
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Vista bela
  • floriano shop
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Paraiba

O ex-prefeito do município do Canto do Buriti, Marquinhos Chaves assinou nesta quarta-feira(28), sua filiação ao partido DEM e confirmou sua disputa a uma vaga na Câmara Federal.

dem20Imagem: Ascom

” Até aqui todas as oportunidades que tive na política aproveitei com muito trabalho e dedicação , procurando fazer o bem e melhorar a vida das pessoas. É hora de alcançar novos projetos”, afirma.
Na oportunidade , Marquinhos Chaves agradeceu ao presidente nacional do DEM, ACM Neto, e ao presidente estadual do partido, Ronney Lustosa. O ex-senador Heráclito Fortes também participou do momento.

 Fonte:cidadeverde.com

O ex-prefeito Sílvio Mendes diz que a decisão de Ciro Nogueira de ser ministro da Casa Civil altera a estratégia da oposição para 2022. Segundo ele, até setembro o grupo deve definir a chapa na disputa pelo governo de estado.

66e9699f19da3972f1f08f9aee985464Foto:Roberta Aline/Cidadeverde.com

Se Ciro não for candidato, Sílvio é um dos nomes apontados pela oposição.

"Qualquer decisão tem desdobramentos. É bom que ele vá com a experiência que tem, porque ele substitui um general que não foi treinado para labutar com o Congresso, que conhecemos alguns personagens de lá. Esse ambiente o Ciro conhece bem. Além disso, é agregador. Ele recebeu muitas críticas por ser um nordestino, embora senador. Ontem mesmo, pessoas do PSDB criticaram duramente o Ciro e lembrei que o governador de São Paulo, João Dória, que quer ser presidente ganhou uma eleição do lado de Bolsonaro porque naquela época era conveniente. É bom que o Ciro possa ajudar o Piauí, mas principalmente, o país. O Ciro fez bem em aceitar. É um nordestino com experiência política muito grande. Com a esperança que ele consiga ajudar o país mais que o próprio governo Bolsonaro. Isso é transitório. Ele me perguntou o que achava. Disse para ele que os passados que foram bem sucedidos nessa posição não tenho nada para ensinar, mas aprender. Ouvir muito e falar pouco. Tudo que ele falar terá repercussão ", destaca.

Porém, Silvio evita se colocar como candidato. Ele pede calma.

"O Piauí precisa de um sentimento de mudança que renove as esperanças. Que possamos nos libertar dessas mentiras repetidas. Chegou a temporada dos homens sorridentes que prometem o que já prometeram e não cumpriram. Pesquisa é uma fotografia do momento. Com certeza vai mudar. Se vai melhorar ou piorar, só o tempo dirá. Segundo, sempre estive na oposição ao governo. Por isso o PSDB nunca cresceu no interior. Já fui adversário de Ciro. Mas mudamos e estamos no mesmo partido. Não precisa justificar nada. Esse grupo de pessoas como João Vicente, Luciano, Marden e Teresa Brito, já conversamos há algum tempo. Qual a figura mais importante? O Ciro. Ele indo para essa nova missão, não sabemos como vai ser. Não existe apontar de dedo para ninguém se sou eu ou a Teresa Brito, João Vicente, ninguém. Vamos com calma", destacou.

Ele afirma que critérios como a família pesam na decisão.

"Meu nome ainda não esta à disposição. Tenho resistências na família, eles são contra. Preciso escutar. Quando se assume se influencia a vida de 3 milhões de pessoas. Não mentir, enganar e roubar", disse.

Com relação a João Vicente, Ciro não descarta formar chapa com ele para disputar o governo

"Temos uma relação de confiança. Amigo sabemos onde esta. Não precisamos estar todo dia juntos. Ele tem os predicados para ser candidato a qualquer cargo. É um empresário bem-sucedido. Não lembro dele mentir e nem andar com muito sorriso. Essas conversas continuam. Na hora certa essas definições serão colocadas na mesa", destaca.

Fonte:cidadeverde.com

O presidente Jair Bolsonaro oficializou sua mais recente reforma ministerial. A edição desta quarta-feira (28) do Diário Oficial da União (DOU) traz a nomeação do senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI), líder do Centrão, como ministro-chefe da Casa Civil. Ele assume o posto de Luiz Eduardo Ramos, que migra para a Secretaria-Geral da Presidência. Onyx Lorenzoni, que ocupava a pasta, por sua vez, foi alocado à frente do Ministério do Trabalho e Previdência. As movimentações já eram esperadas.

efc4f3fa635ee69c257ce86895b1925aFoto: Ascom/CiroNogueira

A nomeação de Ciro Nogueira para a Casa Civil, o coração do governo, é uma aposta do presidente Bolsonaro para manter o apoio político do Centrão e evitar uma possível abertura de processo de impeachment, neste momento em que vê sua popularidade caindo em meio a denúncias de corrupção e ao desgaste sofrido pelo andamento das investigações da CPI da Covid. Além de selar o casamento entre Planalto e Centrão, o movimento é também um aceno ao Senado - que ainda não havia sido contemplado com um ministério e desejava espaço na Esplanada.

Com as mudanças, chega a quatro o número de ministérios ocupados pelo Centrão. O bloco também tem os deputados João Roma (Republicanos-BA) na Cidadania, Fábio Faria (PSD-RN) nas Comunicações e Flávia Arruda (PL-DF) na Secretaria de Governo.

O novo ministro da Casa Civil responde a cinco processos na Justiça - duas denúncias criminais e três inquéritos que apuram suspeitas de suborno e distribuição de propinas. Em fevereiro de 2020, ele foi acusado pela PGR de receber propina da Odebrecht em troca de favorecimento no Congresso à Braskem, empresa petroquímica controlada pelo grupo. Ciro Nogueira também já foi denunciado por suposta tentativa de atrapalhar a Lava Jato e é alvo de inquérito sobre suposto recebimento de propina nas eleições presidenciais de 2014.

Antes da união entre Bolsonaro e o Centrão, Nogueira era aliado do PT. Durante a corrida presidencial de 2018, ele se queixou da ausência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições, chegou a dizer que estaria com o petista "até o fim" e chamou Bolsonaro de "fascista". Piauiense, o novo ministro tem apelo eleitoral no Nordeste e pode ajudar o governo a se aproximar daquela região.

Novo ministério
Aliado de primeira hora de Bolsonaro desde a campanha, Onyx foi contemplado com o Ministério do Trabalho e Previdência, extinto no início do governo para formar o chamado superministério da Economia, liderado por Paulo Guedes. O desmembramento tira atribuições do "posto Ipiranga". Guedes, contudo, tem buscado minimizar a perda de terreno e dito que a orientação liberal do governo permanece a mesma.

Secretaria-Geral
Agora alocado na Secretaria-Geral da Presidência, o general Luiz Eduardo Ramos foi pego de surpresa com sua demissão da Casa Civil, conforme o Estadão/Broadcast revelou. Um dos colaboradores e amigos mais leais de Bolsonaro, ele reconheceu que sua troca de cargo na Esplanada se deu por motivos políticos e afirmou que foi "atropelado por um trem".

Fonte: Estadão conteúdo

 

Em uma entrevista para uma rádio do estado da Paraíba, o presidente da República Jair Bolsonaro disse que no momento o que tem para a Casa Civil é Ciro Nogueira.

reuters jair bolsonaro perfil 1500 15072021070141936Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)

"No momento é o que tenho aqui em Brasília", disse.

"Se eu afastar do meu convívio parlamentares que são réus ou recebem inquéritos, eu perco quase metade do Parlamento", disse ele.

Bolsonaro tenta manter a governabilidade.

Fonte: 180 graus