• Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Garoto
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano

Os senadores piauienses mantiveram suas posições em relação ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) na votação do relatório da Comissão Especial do Impeachment que recomenda que a petista seja levada a julgamento pela Casa.

regina sousa elmano ferrer e ciro nogueiraRegina Sousa, Elmano Férrer e Ciro Nogueira. (Imagem:Lucas Dias/GP1)

Elmano Férrer (PTB) e Regina Sousa (PT) mantiveram seu posicionamento contra o impeachment, enquanto Ciro Nogueira (PP) manteve seu voto pelo julgamento de Dilma Rousseff. No total foram 59 votos favoráveis à denúncia e 21 contra. Agora ela vai a julgamento final no plenário do Senado, que deve acontecer no final deste mês.
A sessão que votou o relatório durou 15h e houve vários discursos. Um deles foi de Regina Sousa que criticou a gestão realizada por Michel Temer (PMDB) e afirmou que Dilma está novamente sendo torturada, assim como aconteceu na ditadura militar.

“Dilma está sendo torturada mais uma vez, agora por uma maioria política que se juntou para conspirar. Gente que se locupletou do governo até as vésperas de 17 de abril. Hoje, ministros, ex-ministros e senadores fazem discurso contra ela como se não tivessem sido partícipes do seu governo”, criticou a parlamentar.

 

Fonte:GP1

O Plenário do Senado aprovou à 1h20, por 59 a 21, o parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) pela procedência das acusações de crime de responsabilidade contra Dilma Rousseff e, como consequência, a continuidade do processo de impeachment. Apesar de faltar ainda a votação de destaques, que podem levar ao exame em separado de acusações específicas, na prática o resultado determina que Dilma será julgada pelo Senado, em data ainda a ser definida.

Após a votação do relatório de Anastasia, os senadores analisam destaques para votação em separado de algumas acusações que compõem o relatório: as “pedaladas fiscais” referentes ao Plano Safra, um decreto de suplementação orçamentária no valor de R$ 29 bilhões e outro decreto de suplementação no valor de R$ 600 milhões.

288405417669d6172531dz 1Senado Federal. (Imagem:Agência Senado)

A fase de votação começou pouco após a meia-noite, depois de 14 horas e meia de discursos de senadores favoráveis e contrários ao impeachment, além dos advogados Miguel Reale, pela acusação, e José Eduardo Cardozo, pela defesa de Dilma.

No encaminhamento da votação do parecer, o senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que a perícia do Senado não identificou a autoria de Dilma nas pedaladas fiscais. Acrescentou que o Ministério Público Federal considerou não haver crime nessa prática. Quanto à outra acusação, de edição de decretos orçamentários sem autorização do Congresso, o senador lembrou que não houve desrespeito à meta fiscal apurada anualmente.

Segundo Jorge Viana (PT-AC), o processo de impeachment baseia-se numa lei “inaplicável” (Lei 1.079/1950), que causa constrangimento e danifica o país. Ele garantiu que alguns senadores que votaram pela continuidade do processo podem se posicionar contra a condenação de Dilma no julgamento.
- Por isso, não se iludam com os votos - alertou.

A favor do parecer pela continuidade do processo, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) disse que, no caso das pedaladas, o Tribunal de Contas da União (TCU) constatou “a maior fraude da história do Brasil". Ele classificou o relatório de Anastasia “denso, robusto, irrefutável e irrespondível”.

Simone Tebet (PMDB-MS) também considerou o relatório “irretocável”.

- Ela [Dilma] tem que vir a julgamento no Plenário. Os dois fatos existiram. Os dois fatos, decretos e pedaladas, são ilegais e houve autoria da presidente - afirmou.

 

Fonte:180 graus

Com o objetivo de testar de forma mais detalhada os sistemas das urnas eletrônicas e os procedimentos técnicos adotados durante as eleições municipais, o TRE – PI (Tribunal Regional Eleitoral) vai realizar uma simulação na cidade de Nazária, a 30 km de Teresina.

b316d915172fb29589e569abffc82e12Nazária terá simulação de eleições para teste de urnas.(Imagem:Divulgação)

Para realizar o teste, foi escolhida a seção 328, da 97ª Zona Eleitoral, que funciona na Escola Municipal Crispim, localizada na zona rural do município. Todos os eleitores deste foram convocados para votarem e os candidatos são fictícios.

As Eleições 2016 para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios ocorrem no dia 2 de outubro, em primeiro turno, e no dia 30 de outubro, quando houver segundo turno (nas eleições municipais, apenas cidades com mais de 200 mil eleitores podem ter segundo turno).

Desmembrada de Teresina em 1993, Nazária é o município mais novo do Piauí. Com uma população de pouco mais de 8 mil habitantes, possui uma grande disparidade entre a moradores e a quantidade de eleitores, que chega a 10 mil, tendo em vista que muitos residem na capital.

 

Fonte:cidadeverde.com

A Justiça Eleitoral deferiu pedido de liminar da coligação encabeçada por Amadeu Campos e determinou que todas as postagens na internet que contenham imagens da banda Xenhenhém, durante a Convenção que homologou a candidatura de Firmino Filho (PSDB), sejam retiradas no prazo de 24 horas. A determinação ocorreu após ação protocolada pelo PTB alegando abuso de poder econômico do atual prefeito. A decisão do juiz Carlos Augusto da 1° Zona Eleitoral é desta sexta-feira (05).
prefeito firmino filhoPrefeito Firmino Filho. (Imagem:Dias/GP1)
De acordo com a liminar, a Justiça é clara quanto à propaganda destinada à Convenção partidária, que deve ser voltada necessariamente aos convencionais, não podendo extrapolar para os eleitores em geral. O PTB alega ainda que Firmino descumpriu a legislação quando transformou a Convenção em ato público, convidando eleitores e contratando a apresentação musical.
O advogado Wildson Sousa, assessor jurídico do PTB explicou que a representação feita pelo partido tem duas alegações: a contratação da banda de forró e a divulgação de vídeos ao vivo da convenção, através do Facebook. O documento pede que o Tribunal aplique multa aos responsáveis pelo evento. “A representação leva o viés para a divulgação da convenção online, para quem não estivesse na convenção estava assistindo o discurso do Firmino; e a utilização da banda como forma de atrair pessoas para dentro da convenção, pessoas que não são filiadas, que não estão lá para distinguir o discurso, foram lá para assistir o show, esses são os principais argumentos ”, relatou.

A representação também pede o deferimento do pedido de cassação do registro de candidatura que será feito pelos candidatos. “Quando a coligação for formada, quando houver o pedido de registro, vai ser utilizado o viés do abuso de poder econômico. A gente pediu pela retirada das ilegalidades e depois vamos para abuso de poder econômico, pois houve esse abuso a partir do momento em que se contratou uma banda. Se isso foi feito pelo PSDB, pra gente não interessa, o que interessa é quem se privilegiou do abuso, que foi o Firmino Filho e o respectivo vice”, explicou o advogado.

O jurista entende que a concessão da liminar demostra uma sensibilidade do Judiciário em relação ao descumprimento da Lei Eleitoral. “A gente acredita que o deferimento da liminar comprova que houve um desrespeito à Lei Eleitoral. A gente compreende que esse primeiro passo é uma demonstração de que as coisas não estão tão corretas como o Firmino disse que estavam”, concluiu.

 

Fonte:GP1

  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Casa Boa Esperança
  • Rastek