• Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Posto Aliança
  • Dario PAX

Em uma reunião realizada na tarde de domingo, o PSC (Partido Social Cristão) anunciou o apoio ao pré-canditado a prefeito de Floriano Joel Rodrigues. A decisão aconteceu após várias reuniões com os filiados e pré-candidatos a vereador, bem como encontros com a direção do partido a nível estadual.

O encontro de domingo aconteceu na residência do Presidente do partido Raimundo Filho, no bairro Alto da Guia e contou com a presença do pré-candidato Joel Rodrigues acompanhado de alguns assessores, apoiadores e do pré-candidato a vice-prefeito Vereador Antonio Reis.

20160529 165244PSC vai marchar com Joel Rodrigues em 2016. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação

floriano8

Tucanos e petistas promovem movimentada reunião política em Floriano, sul do Piauí. No encontro, presenças dos pré-candidatos a prefeito Enéas Maia (PSDB) e André Melo (PT). Lideranças políticas  informam que um possível acordo envolvendo PT e PSDB na eleição de prefeito em Floriano foi tema discutido no encontro. Do outro lado, o pré-candidato Joel Rodrigues (PP) também investe no apoio dos petistas em Floriano.

 

Fonte:cidadeverde.com

Após um longo período de avaliação em reuniões, debates com os militantes em Floriano e com as lideranças do partido a nível estadual, o PSC (Partido Social Cristão), presidido em nossa cidade pelo Sr. Raimundo Filho vai anunciar amanhã os rumos do partido e o nome do pré-candidato a prefeito de Floriano. As informações foram passadas pelo Presidente em entrevista ao portal jc24horas concedida na manhã de hoje.

Os militantes vão se reunir às 16h desse domingo na residência do Raimundo Filho no bairro Alto da Guia, contará com a presença dos militantes, a população está convidada e também contará com a presença do pré-candidato a prefeito que o partido escolheu cujo nome será anunciado amanhã.

20160515 180930Militantes e simpatizantes do PSC. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

 

Da redação.

 

Da redação 

O processo de impeachment contra a presidenta afastada Dilma Rousseff poderá ter decisão final em agosto. A previsão tem como base o cronograma de trabalho apresentado nesta quarta-feira (25) pelo relator da agora chamada Comissão Processante do Impeachment, Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Segundo Anastasia, o prazo de 20 dias dado a Dilma para apresentação de uma nova defesa prévia termina no dia 1º de junho. O tempo começou a contar a partir do dia 12 de maio, quando ela foi notificada da decisão do Senado pela admissibilidade do processo de impeachment.

97a535cc27552b092fcb454765691562Dilma Roussef. (Imagem:Divulgação)

Também no dia 1º de junho, os senadores poderão apresentar requerimentos para indicação de testemunhas e de provas pelos membros da Comissão.

No dia 2 de junho, o relator pretende apresentar, discutir e votar seu parecer sobre provas e diligências. O calendário prevê ainda entre os dias 6 e 17 de junho, a oitiva de testemunhas, esclarecimentos do perito e juntada de documentos.

Para o dia 20 de junho, está previsto o interrogatório de Dilma Rousseff na comissão, quando ela poderá comparecer ou ser defendida por um advogado. De 21 de junho a 5 de julho, alegações escritas dos denunciantes deverão ser apresentadas. Já os argumentos escritos em defesa de Dilma podem ser apresentados ao colegiado de 6 a 21 de julho.

A leitura do relatório final de Anastasia na comissão sobre a fase de pronúncia está prevista para 25 de julho. No dia seguinte, 26 de julho, o documento será discutido na comissão, e no dia 27, a expectativa é que o parecer - que pode ser favorável ou não à pronúncia do processo – seja votado. A ideia do relator é que a decisão da comissão seja lida em sessão no plenário da Casa em 28 de julho. A partir daí, deve haver, no mínimo, 48 horas de intervalo para julgamento do parecer em plenário. Pelas contas do relator, isso deverá ocorrer em 1 ou 2 de agosto. Mais uma vez, tanto na comissão quanto no plenário, a votação será por maioria simples, metade mais um dos senadores presentes na votação.

A partir desta fase, no plenário do Senado, quem vai presidir o julgamento é o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. O ministro também será o responsável por dar a palavra final sobre questões de ordem que não forem resolvidas na Comissão Processante.

Com a votação da segunda fase de pronúncia no plenário do Senado, o processo segue para a a última votação, também sob a presidência do presidente do Supremo. Nessa para afastar definitivamente Dilma Rousseff do cargo de presidente da República são exigidos 2/3 dos votos, ou seja, o apoio de 54 dos 81 senadores.

Vistas

Senadores do PT reclamaram da pressa em julgar o processo e o presidente da comissão acatou o pedido de vistas do calendário apresentado pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-SC). O calendário deve ser confirmado ou ajustado na próxima reunião da comissão na próxima quinta-feira (2).

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Paraiba
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Cabedo
  • Casa Boa Esperança
  • Ada Atten