• Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Garoto

O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), retirou nesta segunda-feira, 20, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a consulta que poderia ajudar o presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a reverter em plenário seu pedido de cassação aprovado pelo Conselho de Ética na semana passada.A intenção do parlamentar maranhense de retirar a consulta foi adiantada pelo Broadcast Político (serviço de notícias em tempo real da Agência Estado) na última sexta-feira. Em sua decisão desta segunda, o parlamentar maranhense determinou o arquivamento da consulta.

147a94862d038a1d610d3edc19026833Deputado José Maranhão. (Imagem:Divulgação)

A consulta arquivada se baseava em quatro perguntas: se deve ser votado em plenário um projeto de resolução (sujeito a receber emendas e assim sofrer alteração no plenário) ou parecer (do relator no Conselho de Ética, sem possibilidade de mudanças); se é possível fazer emendas em plenário (alterando o que veio do conselho); se essas emendas podem prejudicar o representado; e se, no caso de rejeição pelo plenário do projeto de resolução, é preciso deliberar sobre a proposta original da representação ou se ela é considerada prejudicada.

Em sua decisão desta segunda-feira, Maranhão justificou a retirada sob o argumento de que a CCJ já tinha se pronunciado sobre o mérito da consulta em pelo menos duas ocasiões, sobretudo, segundo ele, em relação ao que deve ser submetido à deliberação do plenário: se o parecer ou projeto de resolução.

Com base nessa jurisprudência, o presidente interino decidiu que o que deverá ser submetido ao plenário da Câmara será o parecer, e não o projeto de resolução e que, por esse motivo, "não há de se cogitar da possibilidade de admissão de emendas".

Como mostrou o Broadcast Político na última sexta-feira, Maranhão também decidiu retirar a consulta por motivos políticos.

Ele disse a deputados adversários de Cunha que perdeu a confiança até nos interlocutores de seu partido e no chamado "Centrão" - grupo de 13 partidos liderados por PP, PSD, PR e PTB -, que quer voltar a ser um vice-presidente da Casa e ficar longe dos holofotes.

As conversas se intensificaram após a aprovação do pedido de cassação no Conselho de Ética e seu indicado para presidir a CPI do DPVAT, Luís Tibet (PTdoB-MG), perder a vaga para o deputado Marcos Vicente (PP-ES), patrocinado pelos aliados de Cunha.

A consulta que pode livrar Cunha da perda do mandato estava na pauta desta segunda-feira das discussões da CCJ.

O deputado Arthur Lira (PP-AL), aliado de Cunha, tinha produzido um parecer por meio do qual sugeria que fosse votado em plenário um projeto de resolução, sujeito a emendas (desde que elas não prejudiquem o representado).

O parecer do relator previa ainda que, caso a pena prevista no projeto votado fosse rejeitada pelo plenário, o deputado seria absolvido, não podendo ser votada a representação inicial. No caso de Cunha, a representação do PSOL e Rede pede a perda do mandato.

 

 

Fonte: Exame

A tenente coronel Júlia Beatriz será a candidata a vice na chapa do Dr. Pessoa (PSD) à prefeitura de Teresina. Ela confirmou que vai deixar a Polícia Militar agora no mês de julho, e decidiu fazer isso porque a atividade parece um pouco com a que ela executa, quanto à questão do trato com os movimentos sociais e principalmente com as comunidades de Teresina.

joelho meniscosTen Cel Júlia Beatriz e Dr. Pessoa. (Imagem:Ubiracy Saboia)

“Já tinha tomado a decisão de ser candidata a vereadora nestas eleições, mas depois de algumas conversas, apareceu essa possibilidade de ser p´ré- candidata a vice e aceitei. A escolha pelo Dr. Pessoa foi pelo tipo de político que ele é, pois tem o perfil de ação com a vida política que eu quero executar, que é trabalhar com o povo e para o povo”, explicou a coronel.

Segundo Julia Beatriz, ainda não está definido o partido ao qual vai se filiar. A sigla será uma que esteja dentro da composição política que apóia o Dr. Pessoa. Pode ser o PR ou o PMN.

A coronel destacou que o principal problema de Teresina hoje está nas áreas da saúde e segurança e que a chapa Pessoa e Júlia tem conhecimento técnico nessas duas áreas.

A militar chega como uma importante aliada na pré-campanha de Dr. Pessoa porque tem um contato direto com movimentos sociais de Teresina e isso na construção de uma candidatura é importante já que vai estar perto do pedaço da sociedade que mais precisa da atuação do serviço público, o ou seja, em cima de um ‘filão’ do eleitorado que era ligado diretamente ao Partido dos Trabalhadores.

Júlia Beatriz vai se filiar somente nas convenções partidárias, que começam em julho, já que os militares tem a opção desse prazo diferenciado para se filiarem.

Agora é o momento de sentir como a candidatura de Pessoa vai se comportar, porque ele acaba de receber o apoio de um partido que tem uma votação significativa, o PR, somada ao nome de uma pessoa que é bem identificada com a população da capital para ser sua vice.

Nesta segunda-feira (20), o PR oficializou o apoio à pré-candidatura do PSD. O encontro aconteceu na sede do PR em Teresina, com as presenças dos deputados federais Silas Freire (PR), Júlio César (PSD), além de Dr. Pessoa e da coronel Júlia.

 

Fonte:cidadeverde.com

Acabou a polêmica no PT em relação às eleições municipais em Teresina. O partido vai apoiar a candidatura do jornalista Amadeu Campos (PTB) ao Palácio da Cidade. O anúncio oficial vai acontecer neste sábado (18) durante encontro da legenda que acontecerá no Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação do Piauí, no Centro da capital.Segundo o secretário estadual de organização do PT, João Pereira, 80 delegados participaram da reunião, batizada de Encontro de Tática Eleitoral do Partido dos Trabalhadores.

9d1b72655d1c2a21a1fb81d3c5b1e7f4Apoio do PT a Amadeu Campos. (Imagem:cidadeverde.com)

"Esses delegados vão definir os rumos do PT em Teresina. O sentimento é de uma aliança. Eu mesmo defendo que não tenhamos candidatura própria. 90% da executiva estadual também pensa assim e o diretório municipal também, além do nosso governador", afirmou.

Os delegados votarão por mera formalidade, já que a maioria não quer a candidatura de Júnior do MP3 a prefeito pelo partido. "O deputado Assis quer aliança, assim como o vereador Paixão, Dudu, e nosso líder maior, o governador. Mas como o PT tem um regulamento interno, temos que seguir", explicou.

Vice

Encerrada esta etapa, o PT vai iniciar a discussão de quem disputará a vaga de vice do jornalista Amadeu Campos. Até agora duas mulheres são as mais cotadas: a vereadora Rosário Bezerra e Assunção Aguiar, Coordenadora de Igualdade Social do Governo do Estado.

"Depois disso o PT não discute mais candidatura a prefeito. Vamos trabalhar e apresentar o nome do vice. Os nomes da vereadora Rosário Bezerra e Assunção Aguiar estão postos", declarou.

Líderes do partido como a senadora Regina Sousa, o deputado Assis Carvalho e vereadores da legenda participam do encontro.

 

Fonte:cidadeverde.com

Nesta quinta-feira (16), o deputado federal Heráclito Fortes (PSB) declarou por meio de nota à imprensa que são inverídicas as denúncias realizadas por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, durante delação premiada feita à Procuradoria-Geral da República (PGR).

De acordo com Sérgio Machado, Heráclito Fortes foi um dos 18 políticos de diferentes partidos que o procuravam pedindo doações e, posteriormente, ele solicitava os repasses às empreiteiras que tinham contratos com a Transpetro. Heráclito afirma que "até amanhã apresentarei petição junto à PGR, me colocando à disposição para os esclarecimentos que os procuradores entenderem necessários, e desde já, colocarei o meu sigilo telefônico à disposição".

Confira a nota na íntegra!

heraclito fortes 341624Heráclito Fortes.(Imagem: Lucas Dias/GP1)

Quero dizer ao povo do Piauí e do Brasil que são inteiramente falsas e mentirosas as citações que envolvem o meu nome e que foram feitas pelo Sr. Sérgio Machado, na delação premiada que fez junto à Procuradoria-Geral da República (PGR). Informo ainda que até amanhã apresentarei petição junto à PGR, me colocando à disposição para os esclarecimentos que os procuradores entenderem necessários, e desde já, colocarei o meu sigilo telefônico à disposição.

A quebra do meu sigilo provará que não procurei o Sr. Sérgio Machado em 2014, como ele afirmou. Com relação às doações de campanha, as minhas prestações de contas referentes às eleições de 2010 foram aprovadas pela Justiça Eleitoral e estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesses documentos não há registro de qualquer doação às minhas campanhas feitas pelas empresas listadas pelo delator Sergio Machado, muito menos no valor mencionado por ele.

No mais, reafirmo que em toda a minha vida pública sempre cumpri com todas as minhas obrigações eleitorais, prezando sempre pela transparência dos meus atos, assim como jamais negociei qualquer favor, benesse ou vantagem de qualquer natureza em troca de doações de campanha.

Deputado Heráclito Fortes

 

Fonte:GP1

  • Blossom
  • Paraiba
  • Espeto e Cia
  • Ada Atten
  • Casa Boa Esperança
  • Cabedo
  • Rastek