• Posto Aliança
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Paraiba
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Paraiba

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (4/7), a Operação Postal, com o objetivo de combater o tráfico de drogas realizado por meio de encomendas postais. Na ação foram cumpridos três mandados de busca e apreensão, sendo um na cidade de Floriano-PI e dois na cidade de Jaú-SP. Todas as ordens judiciais foram expedidas pela Central de Inquéritos de Teresina.

sdfgdfsg 1720126389

Durante o cumprimento dos mandados em Jaú, um homem foi preso em flagrante delito por ter em depósito matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas. O indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia Federal de Bauru-SP para a lavratura do auto de prisão e permanecerá à disposição da Justiça Estadual da Comarca de Jaú.Ainda na ação, foram apreendidos mais de 20kg de substâncias entorpecentes, utensílios para preparo e comercialização de drogas, tais como balanças de precisão e embalagens, e aparelhos eletroeletrônicos.

As investigações tiveram início a partir de apreensão de drogas, posteriormente confirmada como tetracaína, encaminhadas do estado de São Paulo com destino ao município de Floriano-PI por meio dos Correios. Além do remetente utilizar-se de nomes e dados de outras pessoas para ocultar sua identidade, ele possuía movimentação bancária superior à capacidade financeira declarada.

Os laudos periciais indicaram que a substância traficada era tetracaína, um anestésico criminosamente adicionado à cocaína com a finalidade de potencializar o efeito psicotrópico e aumentar o volume da droga.

Diante dos fatos, os suspeitos poderão responder pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas interestadual, além de outros que venham a ser identificados no decorrer da investigação.

Fonte: Portal A10+ com informações da PF

Um homem, que não teve seu nome divulgado, foi preso pelo Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO) nesta quinta-feira (04), suspeito de participação na tentativa de homicídio contra um policial civil e um servente de pedreiro. O caso aconteceu no dia 31 de maio na zona Sul de Teresina.

captura de tela 2024 07 04 a s 18 08 06 1720127298

Além disso, o preso era investigado pelo DRACO por envolvimento com uma organização criminosa e com o tráfico de drogas. Segundo a polícia, outros dois suspeitos de envolvimento nesse crime já foram presos.“Ele já era investigado aqui pelo departamento por ter participado de uma dupla tentativa de homicídio que aconteceu no dia 31 de maio, no bairro Promorar. O Draco já tinha efetuado a prisão de dois criminosos, um ainda continua foragido e com essa prisão de hoje conseguimos esclarecer um pouco esse crime”, disse o delgado Charles Pessoa.

Relembre o caso
Um policial civil aposentado e um servente de pedreiro foram baleados no final do mês de maio, no bairro Promorar, zona Sul de Teresina. A TV Antena 10 apurou que o trabalhador estava realizando um trabalho na porta da casa do policial quando foi surpreendido pelo criminoso armado que, sem motivo, efetuou disparos contra ele.

Em entrevista à TV Antena 10, o delegado Charles Pessoa, do DRACO, informou que o policial não era o alvo do criminoso, mas foi atingido porque o pedreiro correu para dentro da casa pedindo ajuda. No dia 01 de junho, dois suspeitos de participação no crime foram presos.

Fonte: Portal A10+

42f6dcc63482bdf1fe15d5f546978041Foto: PC/Reprodução

Maria Karoline Nunes de Oliveira, suspeita de matar a própria filha, Anna Kerolayne Gomes Nunes, de apenas 3 anos, foi presa nesta quinta-feira (4) pelo Departamento de Capturas da Polícia Civil (Decap).

A delegada Polyana Oliveira, da Delegacia de Grupos Vulneráveis de Esperantina, concluiu na terça-feira (2) o inquérito que apurou a morte da criança Anna Kerolayne. As investigações apontaram que a mãe e o padrasto promoveram a morte da menina mediante tortura. 

Em 22 de abril a mãe e padrasto foram presos, mas Maria Karoline acabou conseguindo na Justiça a sua soltura. Com o fim do inquérito, a polícia solicitou um mandado de prisão preventiva que foi expedido pela Justiça.

Com um advogado, ela se apresentou hoje na sede da Decap. “Hoje pela manhã nos foi apresentada, através do seu advogado, a acusada de ter participado do homicídio da sua própria filha, na companhia do padrasto nos atos de execução. Ela tinha sido presa, estava em liberdade, mas novamente a Justiça decretou a sua prisão preventiva, e ela será encaminhada para audiência de custódia”, afirmou o delegado Emir Maia.

Leia também:

O crime 

A menina morreu no dia 22 de abril deste ano. Ela deu entrada no Hospital Júlio Hartman, em Esperantina, no dia 15 de abril. Devido à gravidade dos ferimentos, a menina precisou ser transferida para o Hospital de Urgência de Teresina, onde foi constatada a morte encefálica. Os profissionais de saúde ao observarem as marcas de violência, principalmente na cabeça da menina, acionaram o conselho tutelar e a polícia civil.

No mesmo dia da constatação da morte encefálica, a mãe e o padrasto foram presos temporariamente. Segundo a família, a criança e outra irmã moravam com a avó paterna, já que o pai estava preso por roubo. A mãe, que morava em Esperantina, no início do ano, pediu para ver as crianças.

A avó, que cuidava das crianças, autorizou para que passassem alguns dias, mas não retornaram.  Desde então a família nunca mais conseguiu ver elas, até serem informados que a caçula tinha sido internada e estava em coma.

O laudo emitido pelo Instituto de Medicina Legal (IML) apontou que ela teve traumatismo cranioencefálico, torácico e abdominal.

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia