• Garoto
  • Casa dos frios
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Casa dos frios

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Araraquara (SP) apontou que a universitária Mariana Bazza, de 19 anos, foi estuprada antes de ser assassinada, em Bariri, interior de São Paulo. O crime aconteceu no dia 24 de setembro, depois que a jovem aceitou ajuda de Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, para trocar um pneu murcho do carro. A estudante foi amarrada, vendada e amordaçada antes de ser violentada. O suspeito matou Mariana asfixiada, com um pedaço da blusa dela.

8e3e9d446e3d8eb6f2d046a8bcad29b0Foto: Marianabazza/Instagram

Nesta quinta-feira, 10, a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra Alves. Ele vai responder pelos crimes de estupro, latrocínio e ocultação do cadáver. De acordo com o MP, Alves premeditou o crime, murchando o pneu do carro para fazer a abordagem quando a jovem saísse da academia, onde ela fazia exercícios. Já no interior da chácara, onde o pneu seria trocado, a jovem foi estuprada e morta, segundo a denúncia.O corpo de Mariana foi levado por Alves, no carro dela, até o local em que foi jogado, em um canavial, em Ibitinga, cidade vizinha. O veículo foi abandonado próximo do local. O corpo da jovem só foi encontrado no dia seguinte, após a prisão de Alves. Conforme o MP, além do carro, ele roubou o celular e uma carteira com dinheiro e documentos de Mariana.

A denúncia aponta que ele já havia cumprido pena de 16 anos de prisão pelos crimes de roubo, sequestro, extorsão e tentativa de latrocínio. Alves havia saído da prisão 30 dias antes do crime. A polícia chegou com facilidade a ele porque Mariana havia tirado uma foto de Alves com seu celular e enviado para o namorado.

Câmeras instaladas na academia e em imóveis vizinhos também ajudaram nas investigações. Alves, que teve a prisão preventiva decretada, nega ter matado Mariana. O defensor dele informou que não falaria sobre o caso devido ao sigilo decretado pela Justiça no processo.

Fonte: Estadão Conteúdo

O ex-presidente da República e atual senador Fernando Collor (PROS-AL) é alvo de uma operação da PF (Polícia Federal). A operação, batizada como Arremate, é realizada nesta sexta-feira (11) em Maceió e Curitiba.

8b4db37af5835f5d4aee676562ebd67bFoto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

No total, foram expedidos 16 mandados de busca e apreensão nas capitais de Alagoas e do Paraná. Eles foram autorizados pelo STF (Supremo Tribunal Federal). O objetivo da operação, segundo a PF, é "combater um esquema de lavagem de capitais por meio de compras de imóveis" em leilões judiciais. Os investigadores apontam que Collor estaria envolvido em um esquema no arremate de imóveis em 2010, 2011, 2012 e 2016.


A PF aponta que o político utilizaria um "laranja" com a proposta de "ocultar a sua participação como beneficiário final das operações". "Essas compras serviriam para ocultar e dissimular a utilização de recursos de origem ilícita, bem como viabilizar a ocultação patrimonial dos bens e convertê-los em ativos lícitos", diz a PF.

Os valores envolvidos no esquema chegariam a R$ 6 milhões, segundo as investigações. A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa de Collor. Procurado, o gabinete do senador disse que o político irá se manifestar pelas redes sociais, o que não aconteceu até o momento.

Os crimes apurados, de acordo com a PF, são os de lavagem de ativos, corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, falsificações e organização criminosa.

Fonte: FolhaPress

Atualizada às 23h50min.

A moto foi encontrada abandonada no bairro Catumbi onde os elementos roubaram um outro veículo.

A Auxiliar Administrativo Carla Vieira Rodrigues teve a sua motocicleta Honda Bros de cor preta, placa OEH-9072, furtada quando estava estacionada nas imediações de um supermercado em Floriano. A vítima adotou todas as providências cabíveis no sentido de recuperar o seu veículo e apela pras redes sociais para localizar o paradeiro do seu meio de transporte.

WhatsApp Image 2019 10 10 at 23.03.57A vítima e a moto furtada. (Imagem:Divulgação)

Quem tiver qualquer informação que posssa ajudar na recuperação da moto, ligue para a polícia através do telefone 190 ou para a proprietária no número (89)9.9974-0331. 

 WhatsApp Image 2019 10 10 at 23.18.51

Da redação

Um enfermeiro que prestava serviços para o Programa Saúde da Família (PSF) foi preso nesta quinta-feira (10), suspeito de estuprar mais de 10 crianças e adolescentes em Luzilândia, a 234 km ao Norte de Teresina.

1cf72f96f4dcd93cc8639ecc47ca8787Foto: SSP

O homem, de iniciais F.C.S, foi detido durante a Operação Luz na Infância. Segundo o delegado Renato Pinheiro, que comandou a operação, o enfermeiro aliciava as vítimas oferecendo dinheiro e celulares. Ele filmava os abusos sexuais como forma de ameaçar para ter novos encontros.

“Esse enfermeiro do PSF atuava em uma comunidade da zona Rural. Ele aliciava menores para fazer sexo com ele em troca de dinheiro, celular, e depois filmava e ameaçava as vítimas de expor em redes sociais se não tivessem relações sexuais com ele depois”, explicou o delegado, ressaltando que o nome do suspeito não foi divulgado pela polícia, já que os processos correm em segredo e a divulgação poderia expor as vítimas, causando ainda mais traumas.
Muitas vítimas, de acordo com o delegado, começaram a ser aliciadas quando tinham 10, 11 anos e hoje já são maiores.

“Hoje alguns são maiores de idade e relataram os casos. O modus operandi é o mesmo: atraia as vítimas com 10, 12 anos, e oferecia dinheiro, celulares em troca de favores sexuais. Ele filmava para que as vítimas continuassem”, conta o delegado, ressaltando que uma das vítimas está hoje com 30 anos.

“Nós ouvimos pessoas que foram aliciadas por ele de 30 anos idade. Pode ser que até mais vítimas apareçam”, destaca.

Ainda de acordo com o delegado, o enfermeiro ameaçava postar fotos e vídeos nas redes sociais casos os jovens se recusassem a manter as relações sexuais. “Primeiro ele oferecia dinheiro e depois que começava a se relacionar com as crianças, filmava os atos sexuais e se não continuasse, ele divulgava através de um perfil fake ou mandaria até para os pais. Há suspeita de que dezenas de jovens tenham sido aliciados por ele”, detalha Renato Pinheiro.

Em muitos casos, de acordo com o delegado, foram cometidos vários estupros de vulnerável. “Pois as vítimas tinham menos de 14 anos. Depois que ele ameaçava de publicar, aí ele cometia estupro mesmo, pois eles estavam sob grave ameaça e sediam ao ato libidinoso”, afirmou.

O suspeito foi preso em casa. A polícia não conseguiu localizar no imóvel nenhum aparelho eletrônico com material pornográfico. “Não conseguimos encontrar celulares, computadores, tablets na casa dele. O objetivo era encontrar fotos. Ele vendeu o celular há pouco tempo”, disse o delegado.

O suspeito ainda vai ser ouvido pela polícia. “Ainda vamos ouvir, mas naturalmente eles negam, já que tem uma repercussão na população carcerária”, disse o delegado.

Além do enfermeiro, um outro suspeito foi preso por ter estuprado a própria filha. Renato Pinheiro ressaltou que a operação foi um pedido da Delegacia Geral diante das constantes informações sobre os casos que chegavam através do Ministério Público e Conselho Tutelar.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Rastek
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Paraiba
  • Espeto e Cia