• Oticas Floriano
  • Casa dos frios
  • Farmaduty
  • Posto Aliança
  • Dario PAX
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Casa dos frios
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Dario PAX

Detentos da Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal, fizeram um motim na noite desta quarta-feira (3). Os presos empilharam colchões no pé do muro e atearam fogo, segundo o secretário estadual de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino, pois "o objetivo era que as chamas atingissem o transformador ou a própria torre onde foram os instalados os bloqueadores de celular". O Corpo de Bombeiros apagou o fogo.

foto RMtS1peDetentos queimaram colchões para atingir bloqueadores de celular (Foto: Divulgação/PM)
Não há registro de feridos e o motim foi controlado, e a Polícia Militar não soube informar se os bloqueadores foram danificados. Os aparelhos serão avaliados nesta quinta (4).
Foi a instalação dos bloqueadores que motivou a onda de ataques no Rio Grande do Norte, iniciada na sexta (29), segundo o governo do estado.
Virgolino diz que 12 presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do estado, foram transferidos nesta quarta para a unidade de Parnamirim - o que pode ter colaborado para a revolta dos detentos.
Já foram registrados 96 ataques em 33 cidades do Rio Grande do Norte, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed). Até às 19h30 desta quarta, 86 pessoas foram presas suspeitas de envolvimento nos ataques.
Até o momento, o governo confirma ataques nas seguintes cidades: Natal, Parnamirim, Macaíba, São José de Mipibu, Caicó, Currais Novos, Caiçara do Norte, Santa Cruz, Mossoró, Extremoz, João Câmara, Jardim de Piranhas, Assu, Tangará, São Gonçalo do Amarante, Touros, Maxaranguape, São Paulo do Potengi, Goianinha, Florânia, Rio do Fogo, São José do Campestre, Canguaretama, Cruzeta, São Vicente, Tenente Laurentino Cruz, Jardim do Seridó, Pedro Avelino, Montanhas, Lagoa Nova, São Tomé, Pendências e São Fernando.

 

Fonte:G1

O ex-presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, foi condenado na noite desta quarta-feira (3) a 43 anos de prisão por crimes cometidos durante as obras da usina nuclear de Angra 3. Outras 12 pessoas envolvidas também foram condenadas. Veja no vídeo acima reportagem do Jornal da Globo.

othon1Othon Luiz participou, em 2011, de audiência no Senado para discutir o sistema de energia nuclear do país (Foto: Antonio Cruz / ABr)
O empresário vai cumprir pena por corrupção, lavagem de dinheiro, embaraço às investigações, evasão de divisas e organização criminosa. Segundo as investigações, Othon, que também é vice-almirante da Marinha, cobrou propina em contratos com as empreiteiras Engevix e Andrade Gutierrez. O caso é desdobramento da Operação Lava Jato. Ao todo, são 15 réus na ação.Réu na ação penal que investiga crimes na construção da central nuclear, o empresário foi condenado pelo juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas.
O ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, também foi condenado, mas teve redução na pena por causa do acordo de delação premiada. Com isso, vai cumprir 7 anos e 4 meses de detenção.
José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, pegou 21 anos e 10 mese de cadeia.
Filha
A filha de Othon, Ana Cristina da Silva Toniolo, foi condenada a 14 anos e 10 meses de prisão.
O G1 não conseguiu contato com as defesas de Othon Pinheiro, Otávio Azevedo, José Antunes e Ana Cristina.
Denúncia
A Justiça Federal do Rio aceitou na sexta-feira (29) denúncia do MPF contra 15 pessoas investigadas na Operação Pipryat. Eles foram acusados de envolvimento em uma organização criminosa que comandava fraudes em licitações, corrupção e lavagem de dinheiro em contratos das obras de Angra 3. Foi a primeira denúncia da força-tarefa Lava Jato no Rio de Janeiro.
A investigação sobre fraudes na construção da usina começou no Paraná, na 16ª fase da Lava Jato, mas em 29 de outubro o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o processo contra o ex-presidente da Eletronuclear, sua filha e executivos da Andrade Gutierrez e da Engevix deveria ser remetido à Justiça Federal do Rio - e o MPF do estado passou a investigar o caso.
Após o juiz Marcelo Bretas acolher a denúncia do MPF, viraram réus os cinco ex-dirigentes da Eletronuclear, Luiz Antônio de Amorim Soares, Luiz Manuel Amaral Messias, José Eduardo Brayner Costa Mattos, Edno Negrini e Pérsio José Gomes Jordani, além de ex-executivos das empreiteiras Andrade Gutierrez e da Engevix.

angra3Obras na usina nuclear de Angra 3 (Foto: Reprodução / TV Globo)
Operação Pripyat
A Polícia Federal (PF) deflagrou no começo de julho a Operação Pripyat, que voltou a prender o ex-presidente da Eletronuclar Othon Luiz e mais nove pessoas, além de levar para depor sob condução coercitiva o então presidente da estatal, Pedro Figueiredo Diniz, que foi afastado do cargo.
Pripyat é uma referência a uma cidade perto da usina de Chernobyl, na Ucrânia, que fazia parte da então União Soviética.
A Pripyat foi um desdobramento da 16ª fase da Lava Jato, chamada Radioatividade, que em julho de 2015 prendeu Othon Luiz pela primeira vez.

 

Fonte:G1

Policiais civis do Distrito Federal aprovaram em assembleia, nesta quarta-feira (3), uma paralisação geral de 48 horas válida a partir das 8h desta quinta (4). O período inclui a estreia de Brasília como subsede da Olimpíada Rio 2016. Segundo o sindicato, o movimento tem adesão de delegados e agentes de investigação.
O estádio Mané Garrincha recebe dois jogos de futebol masculino na tarde desta quinta, na estreia da modalidade na competição. Às 13h, Iraque e Dinamarca se enfrentam em campo. Logo após, às 16h, a seleção brasileira joga com a África do Sul no Mané. O funcionamento de uma delegacia no interior do Mané Garrincha, sob a arquibancada, também deve ser suspenso.

estadioMilitares em frente ao Estádio Nacional durante apresentação das forças de segurança para a Olimpíada, em julho (Foto: Andre Borges/Agência Brasília)
O G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública, com a Procuradoria-Geral do DF e com o Palácio do Buriti para saber se o movimento será questionado na Justiça, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O sindicato diz que aguardava uma reunião com representantes do governo ainda nesta quarta, o que não ocorreu.
Em coletiva no último dia 28, a secretária de Segurança Pública, Márcia de Alencar, afirmou que não temia o "boicote" de policiais civis e militares, que chegou a ser sugerido pelo deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) em uma reunião com PMs no início de julho. Segundo ela, as tentativas já tinham sido afastadas.
"Os plantões estarão reforçados e garantidos independentemente das circunstâncias de adesão à greve. A operação [na Olimpíada] se dá principalmente no policiamento de rua e em operações de salvamento, feitos pela PM e pelos Bombeiros. A greve [dessas corporações] é um crime militar, a tentativa de alguns grupos já está distante", disse à época.
Até momento, a Polícia Civil fazia apenas operações-padrão, com redução no número de horas extras e de diligências. Não havia ameaça de paralisação geral. No plano original da Segurança Pública, a Polícia Civil teria uma delegacia montada dentro do estádio Mané Garrincha, em atuação conjunta com o Juizado do Torcedor.
Reforços também eram previstos para 1ª DP (Asa Norte), 2ª DP (Asa Sul), na 5ª DP (área central), na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) – todas no Plano Piloto, a poucos quilômetros do Mané Garrincha.
Luta salarial
A assembleia começou às 14h e reuniu cerca de 2 mil policiais civil no Eixo Monumental, em frente ao Palácio do Buriti. Na convocação, o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) pedia que os agentes comparecessem de preto e já previa uma possível "entrega dos cargos" de confiança.
Por volta de 18h20, após as votações da assembleia, os policiais fecharam o Eixo no sentido Rodoviária-Rainha da Paz por cerca de dez minutos. De acordo com a Polícia Militar, a área foi liberada sem necessidade de intervenção.
Os policiais civis buscam equiparação com o reajuste proposto pelo Ministério do Planejamento às carreiras da Polícia Federal e encaminhado ao Congresso Nacional no último dia 21.
Segundo o Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindpol), a categoria deve receber um aumento de 21% a partir de janeiro de 2017, parcelado em três anos. De acordo com levantamento da entidade, os vencimentos iniciais das carreiras federais, no ano de 2016, são de R$ 12.568,97 para agentes, papiloscopistas e escrivães e de R$ 19.177,07 delegados.”
Em carta divulgada no fim de julho, o governador Rodrigo Rollemberg diz que considera a equiparação salarial justa, mas a negociação salarial "deve levar em conta a situação de grave crise" do país.

 

Fonte:G1

Uma mulher de 55 anos de idade, identificada por Arlene da Silva, morreu em um acidente, na madrugada desta quarta-feira (3), por volta das 4 horas, na PI 113, que ligas as cidades de Barras e Cabeceiras, próxima ao povoado Canaíbas.

mulher morre e duas pessoas ficam feridas em acidente na pi CrfNcUBMulher morre e duas pessoas ficam feridas em acidente na PI 113. (Imagem:Divulgação/PM)

A informação inicial da Polícia Militar de Barras é que a vítima, que estava acompanhada de outras duas pessoas, estaria viajando de Luzilândia para Teresina, quando o motorista perdeu o controle e capotou o carro. Segundo o tenente Batista, o veículo envolvido no acidente é um carro, modelo Chevrolet Onix, placa PIL-9343, Luzilândia-PI.

Tanto o motorista, Sebastião Silva Leão, como outra passageira, identificada por Maria Eliane Santos, ficou com pequenas escoriações. A informação repassada a PM é que o motorista teria dormido ao volante.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Rastek
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Paraiba
  • Espeto e Cia