O secretário Estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, anunciou nesta quinta-feira (16) que o governo vai realizar concurso para soldado ainda este ano.

A confirmação saiu após audiência no Palácio de Karnak com o governador Wellington Dias (PT) que autorizou a realização do teste. Serão ofertadas cerca de 400 vagas.

166162e2300e750cfe90b306156beb14Fábio Abreu. (Imagem:cidadeverde.com)
“Vamos finalizar a programação com o secretário Franzé Silva (Administração) para definir as datas para o edital”.

Fábio Abreu informou ainda que o edital já está pronto e a ideia é lançar este mês de fevereiro.

“O concurso respeitará as etapas e a nosso esforço será de concluir todas as etapas até o final do ano”, garantiu Fábio Abreu.

Policias unificadas

O secretário ressaltou que o projeto de unificação das policiais, integrando cinco delegacias no interior do Estado, ajudará a reduzir a criminalidade.

“Um exemplo bem típico que dou é a delegacia de Monsenhor Gil, que não está na lista, mas será beneficiada futuramente, pois tem distrito de um lado e na frente o GPM. A ideia é juntar, torna mais pratico o serviço e ter mais gente no atendimento à população”.

Reunião com os policiais

Fábio Abreu informou que haverá uma reunião com as associações e o vereador R. Silva após o carnaval para tratar sobre o reajuste da categoria. A proposta é de já iniciar as discussões para se checar a um calendário de reajuste salarial para os militares.

 

Fonte:cidadeverde.com

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz Sérgio Moro, que é responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, para que sejam suspensos os benefícios do acordo de delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, das filhas dele Arianna Azevedo Costa Bachmann e Shanni Azevedo Costa Bachmann, e do genro Marcio Lewkowicz.

jn paulo roberto 20150505211207Paulo Roberto Costa, duas filhas e um genro são réus neste processo da Lava Jato (Foto: Rede Globo)
Segundo os procuradores, houve contradição em um dos interrogatórios, o que causaria a quebra do acordo de delação. O pedido foi feito no documento de alegações finais, protocoladas no site da Justiça Federal no dia 7 de fevereiro. As alegações são a última etapa na tramitação do processos, antes da sentença do juiz.
O ex-diretor e os familiares são acusados de ocultar provas que estavam no escritório de Paulo Roberto - horas antes de uma busca da Polícia Federal (PF) no local em março de 2014, no início da Lava Jato. Atualmente, Costa cumpre pena em regime aberto, no Rio de Janeiro.
"Seja desconsiderada na sentença a aplicação dos benefícios previstos nos acordos de colaboração premiada celebrados por Arianna Azevedo Costa Bachmann, Márcio Lewkowicz, Paulo Roberto Costa e Shanniaze Azevedo Costa Bachmann com o Ministério Público Federal, considerando-se as contradições apresentadas entre seus depoimentos no âmbito do acordo, as declarações prestadas em seus interrogatórios e os demais elementos probatórios presentes nestes autos", disseram os procuradores.
Um dos pontos divergentes apontados pelo MPF foi que, na delação, Paulo Roberto disse que pediu para a filha a retirada de R$ 100 mil do escritório, mas no interrogatório ao juiz disse que o valor era de R$ 50 mil.
"Observe-se que Paulo Roberto Costa, em adição, informou em, seu Termo de Colaboração nº 80, que requisitou à Arianna a retirada de R$ 100 mil e USD 10 mil. Já em Juízo, e no mesmo sentido do quanto declarado por Arianna Azevedo Costa Bachmann informou que solicitou que a acusada buscasse R$ 50 mil no escritório da Costa Global Consultoria. O montante retirado em dólares americanos foi mencionado pelo acusado apenas após questionamento do parquet federal", declarou o MPF.
Os procuradores também reforçaram o pedido de condenação contra Costa, as filhas e o genro pelo crime de organização criminosa.
Nas alegações finais, os procuradores também pediram a extinção de punibilidade do réu Humberto Sampaio de Mesquita, que também era genro de Paulo Roberto Costa, e morreu no dia 25 de janeiro por causa de um câncer no estômago.
Investigações
Segundo o Ministério Público Federal (MPF), durante o cumprimento das buscas realizadas pela Polícia Federa (PF), Costa ordenou que os familiares fossem ao escritório da empresa e retirassem materiais que pudessem provar as infrações sob investigação na Lava Jato, antes da chegada da PF ao local.
Ainda conforme o MPF, câmeras de segurança do prédio registraram a ação dos réus. As imagens mostram os familiares entrando e saindo com sacolas e mochilas da empresa de Costa, enquanto ele prestava depoimento sobre o esquema de lavagem de R$ 10 bilhões descoberto pela PF.
Atualmente, o ex-diretor responde ao processo em regime aberto. Ele já foi condenado em outras ações penais cujas penas somam mais de 70 anos.

 

Fonte:G1

Na madrugada de hoje(16) por volta das 02h30, na praça de eventos, próximo à Av Frei Antônio Curcio, no bairro Bosque Santa Teresinha, beira-rio de Floriano, foi encontrado um corpo com características de ser pessoa maior de idade, no entanto, que posteriormente foi identificado como sendo de um ex-presidiário. O COPOM foi comunicado do ocorrido pelo Sr Charles motorista do SAMU e em ato contínuo acionou a Guarnição da Vtr 301 que chegando ao local do fato realizou os procedimentos de isolamento e preservação do local do crime até a chegada da Polícia Técnica que fez a perícia. Pelo vestígios encontrados próximo ao corpo tudo indica ter sido um homicídio provocado por espancamento por instrumento contundente, pois uma barra de madeira foi encontrada sobre o corpo e com marcas de sangue. A Polícia Civil realizou parícia no localdo crime e será responsável pela investogação do caso.

pp

 

 

Fonte:3º BPM

O detento Francisco das Chagas Silva foi encontrado morto ontem (14) na Penitenciária Mista de Parnaíba, litoral do Estado. Segundo informações de agentes penitenciários, o homem apresentava sinais de espancamento. A Secretaria Estadual de Justiça informou que está apurando o caso.

phb21Penitenciária de Parnaíba. (Imagem:Divulgação/cidadeverde.com)

A morte ocorreu no fim da tarde de ontem e ainda não há suspeitas para a motivação do crime. Francisco das Chagas estava preso por tentativa de homicídio, crime ocorrido em abril do ano passado na cidade de Parnaíba.

A Sejus divulgou nota de esclarecimento e informou que está apurando a morte e auxiliando os familiares do detento. Veja abaixo na íntegra:

NOTA

A gerência da Penitenciária Mista de Parnaíba informa que está apurando a morte do preso Franciso das Chagas da Silva, ocorrida nesta terça-feira (14). O Instituto de Medicina Legal (IML) e a Polícia Civil foram acionados para conduzir a perícia e as investigações. A equipe de Assistência Social da unidade está auxiliando nos procedimentos junto à família do detento. Francisco das Chagas estava preso na Penitenciária Mista de Parnaíba desde 29 de novembro do ano passado, por tentativa de homicídio.

 

Gerência da Penitenciária Mista de Parnaíba.

 

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Paçoka
  • Med Plan
  • Espeto e Cia